Açougueiro mesmo é o diretor | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O do contra
>>> American Dream
>>> Todas as Tardes, Escondido, Eu a Contemplo
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
Mais Recentes
>>> Querência em Prosa de Manoel Lopes Haygert pela Do autor. (1991)
>>> Aspectos jurídicos do atendimento às vítimas de violência sexual. de Delano de Aquino Silva pela Ms (2011)
>>> Antes de dizer Sim de Jaime Kemp pela Mundo Cristão (1999)
>>> Fallen de Lauren Kate pela Galera Record (2012)
>>> Nu entre os lobos de Bruno Apitz pela Nosso Tempo (1971)
>>> Coisas que toda garota deve saber. de Samantha Rugen pela Melhoramentos (1997)
>>> A Queda para o Alto de Herzer pela Vozes (1983)
>>> As Vantagens de Ser Invisível de Stephen Chbosky pela Rocco (2007)
>>> Doces Venenos de Lidia Rosenberg Aratangy pela Olho Dágua (2008)
>>> A máquina extraviada de José J. Veiga pela Civilização brasileira (1974)
>>> Cara ou coroa ? de Fernando Sabino pela Ática (2000)
>>> Conte Sua História de São Paulo de Milton Jung pela Globo (2006)
>>> Letras Perdidas de Luís Dill pela Oceano Indústria Gráfica (2006)
>>> Minhas vidas passadas de Mario Prata pela Planeta (2012)
>>> A Cadeira do Dentista & Outras Crônicas de Carlos Eduardo Novaes pela Ática (2002)
>>> Os Recicláveis de Toni Brandão pela A Caixa verde (2010)
>>> Sete desafios para ser rei de Jan Terlouw pela Atica (2003)
>>> Quem Diria Que Viver ia Dar Nisso de Martha Medeiros pela L&PM (2018)
>>> Entre os Monges do Tibete de Lobsang Rampa pela Record (1960)
>>> O menino do dedo verde de Maurice Druon pela José Olympio (2013)
>>> Ruínas do Tempo de Jess Walter pela Verus (2013)
>>> Os nossos pés de todos os dias de Apollo Taborda França pela Do autor (1984)
>>> Por Um Fio de Drauzio Varella pela Cia das Letras (2004)
>>> Gay Plays de William M. Hoffman pela Avon Books (1979)
>>> Existe Sempre uma Razão de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2007)
>>> A Segunda Vida: um guia para a mulher madura de Marisa Sanabria pela Êxito (2015)
>>> Outra Vez a Esperança de Antonio Carlos Neves pela Mercado Aberto (1987)
>>> Os Bons e os Justos de Lourenço Cazarré pela Mercado Aberto (1993)
>>> Clebynho - O Babalorixá Aprendiz de Leandro Müller pela Pallas (2010)
>>> As Maluquices do Imperador de Paulo Setúbal pela Nacional (1983)
>>> A Felicidade é Fácil de Edney Silvestre pela Record (2011)
>>> Contos. Porque Conto - autografado de Públio José pela Do autor (2009)
>>> Paratii: entre dois pólos de Amyr Klink pela Companhia da Letras (1992)
>>> É Possível Salvar a Europa? de Thomas Piketty pela Intrínseca (2015)
>>> Pensão Riso da Noite de José Condé pela José Olympio / Civilização Brasileira / Três (1973)
>>> O Caminho Para O Céu: Livro II das Crônicas da Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Ioiô Pequeno da Várzea Nova de Mario Leônidas Casanova pela Clube do Livro (1979)
>>> O Papa e Mussolini. A Conexão Secreta Entre Pio XI e a Ascensão do Fascismo na Europa de David I. Kertzer pela Intrínseca (2017)
>>> Entrevero de Vários Autores pela L&PM / Mpm
>>> Pesquisa FAPESP Nº 265 de Diversos Autores pela Fapesp (2018)
>>> O Longo Adeus a Pinochet de Ariel Dorfman pela Companhia das Letras (2003)
>>> Contos de Voltaire pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 263 de Diversos Autores pela Fapesp (2018)
>>> Divina Comédia - Coleção A Obra-Prima de Cada Autor, Série Ouro de Dante Alighieri pela Martin Claret (2002)
>>> Babbitt de Sinclair Lewis pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 261 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Ana Karênina de Tolstói pela Nova Cultural (2002)
>>> Havia Gigantes Na Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 260 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Divergente de Veronica Roth pela Rocco (2012)
COLUNAS

Quinta-feira, 13/3/2003
Açougueiro mesmo é o diretor
Adriana Baggio

+ de 4300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Gangues de Nova York, o filme de Martin Scorcese, estreou em João Pessoa semanas depois do resto do país - só agora, no carnaval. A gente até entende que filmes ditos cult ou alternativos demorem a aparecer por estas bandas, já que a promessa de público não é das melhores, mas um blockbuster desses? Incompreensível. Por isso o atraso desta crítica. Você, caro leitor, já deve ter lido várias resenhas e comentários, já deve inclusive ter visto o filme. Pois bem, veja se você concorda ou não com as minhas opiniões.

A ansiedade do público pela chegada de Gangues de Nova York poderia ter sido economizada para Prenda-me se for capaz, de Steven Spielberg, que aqui estreou na mesma semana. O filme de Scorcese abusa na carnificina e economiza na história que, além de rala, é batida e piegas. Leonardo di Caprio é o jovem cujo pai é morto em uma briga de gangues por um ponto da cidade de Nova York na década de 40 do século XIX. O assassino é Daniel Day Lewis, que encarna The Butcher, para nós, O Açougueiro. O Açougueiro é da turma dos nativistas, que estão naquelas terras desde a colonização inglesa. São descendentes da corja enviada para América como punição pelos crimes cometidos em seu país de origem. Do outro lado estão os irlandeses, que emigram para a terra prometida fugindo da fome e dos conflitos (qualquer semelhança com israelenses e palestinos seria mera coincidência?). Em uma briga pelo controle do território, conhecido como Five Points, os nativistas vencem os irlandeses, o pastor Vallon, pai de Di Caprio, é morto e o menino é enviado a um reformatório. Depois de 16 anos ele volta incógnito para Five Points com o objetivo de vingar a morte do pai.

Sob o domínio do Açougueiro, o território, que já não era dos melhores para se viver, vira uma verdadeira filial do inferno. É uma terra sem lei, povoada por ladrões, assassinos, punguistas, prostitutas e salafrários de todos os tipos. O Açougueiro destripa seus inimigos assim como faz com os porcos. Cenas desse tipo são abundantes no filme. Aliás, ele já começa sangrento ao mostrar a briga entre as gangues dos nativistas e dos irlandeses. Lembra o começo de O resgate do soldado Ryan, com a diferença de que este último tem uma história melhor pra contar. Fica-se com a sensação de que tanto sangue é gratuito, ou que o objetivo é tapar os buracos de um argumento fraco. Se for para mostrar como a poderosa e civilizada Nova York era antigamente, metade da dose teria servido.

Gangues de Nova York deixa o espectador com uma sensação ruim ao sair do cinema, e não é pelas reflexões que provoca. Mas apesar do final piegas, que mostra como o expurgo de uma cidade foi necessário para dar lugar ao que se conhece hoje, apesar do batidíssimo retorno-para-vingança, e apesar das mulheres que aparecem com marca de biquíni, o filme tem a seu favor a impecável produção de época e a realista caracterização dos atores. Com exceção de Leonardo di Caprio, que continua bonitinho e limpinho mesmo depois de uma sessão de tortura, todos os personagens mostram na pele a dureza da vida naquelas condições. Cameron Diaz aparece com o rosto avermelhado e cheio de manchas, a mão gorducha seca e enrugada. Daniel Day Lewis não poderia estar mais seboso. Pode-se quase sentir o cheiro de sangue seco e sujeira emanando da tela.

Mas se for para ver Leonardo di Caprio no cinema, prefira Prenda-me se for capaz, onde Leo representa o papel de Frank Abgnale Jr., um falsificador e estelionatário precoce que inicia sua carreira na escola, aos 16 anos, e que hoje dá consultoria ao governo na área de fraudes.

O clima do enredo já começa na abertura, um dos pontos altos, que lembra muito os filmes das décadas de 60 e 70. Uma animação brinca com os nomes da fica técnica, enquanto sugere a ação que será desenrolada na história.

Apesar de superficialmente despretensioso, o filme encobre diversas mensagens. Além da lição de moral sobre como os americanos regeneram os seus e até inserem-nos novamente na sociedade, conforme escreveu Julio Daio Borges, editor do Digestivo Cultural (leia aqui), Prenda-me se for capaz constrói uma imagem nada lisonjeira dos franceses. E olha que na época em que o filme foi produzido a França ainda não tinha tido a oportunidade de se declarar contra a invasão do Iraque.

A França é mostrada como um país de bárbaros, atrasados, folgados e pessoas não muito confiáveis. Começa com a mãe de Frank, uma francesa que conheceu o pai do moço durante a Segunda Guerra. Pelos comentários de Frank pai, a moça parecia estar dando bola para todos os soldados, mas ele ficou tão apaixonado que relevou sua falta de compostura e salvou-a daquela vila perdida no interior da França. Mais tarde, quando Frank pai está à beira da falência, sua mulher, sem poder controlar seu instinto de francesa promíscua, arruma um amante. Por fim, divorcia-se e casa novamente, com um homem rico, lógico. Durante o divórcio, a mãe da mãe de Frank filho -a vovó mercenária - vem da França para ajudar na partilha dos bens de valor a que a filha tem direito. Depois, Frank filho é preso na França, na cidade onde sua mãe nasceu. Foi preciso o esforço de um investigador norte-americano (Tom Hanks) para fazer com que os folgados policias da vila trabalhassem em uma noite de Natal. Os bárbaros e desleais franceses não cumprem o acordo com os americanos e prendem Frank em uma cela fétida e úmida, o que acaba com a saúde do rapaz. Frank é salvo quando Tom Hanks consegue a ordem de extradição e leva seu prisioneiro de volta para a civilização e a ordem dos norte-americanos, e coloca-o em uma prisão limpa, iluminada e com telefone para os presos se comunicarem com as visitas. E para provar a benevolência e esperteza do Tio Sam, Frank é convidado a cumprir sua pena na forma de consultoria para o governo na área de fraudes.

Exageros spielbergianos e rixas culturais à parte, Prenda-me se for capaz é um ótimo filme. Divertido, leve mesmo nas partes mais dramáticas, com uma produção de época impecável, é garantia de uma boa sessão de cinema. Se não dá para fugir da ideologia dos bons moços norte-americanos, pelo menos que seja de maneira agradável.


Adriana Baggio
Curitiba, 13/3/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Famílias terríveis - um texto talvez indigesto de Ana Elisa Ribeiro
02. Paixões e baratas de Elisa Andrade Buzzo
03. Tons por detrás do rei de amarelo de Eugenia Zerbini
04. Anotações de um amante das artes de Márwio Câmara
05. Lady Gaga, uma aula do pastiche de Relivaldo de Oliveira


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2003
01. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
02. Aventuras pelo discurso de Foucault - 30/1/2003
03. Carga mais leve para Pedro e Bino - 8/5/2003
04. Apesar da Barra, o Rio continua lindo - 9/1/2003
05. Encontro com o peixe-boi - 16/1/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/3/2003
19h01min
Cara Adriana, O filme é violento, mas o final tem um significado oposto ao que você interpretou: na violência democrática do dia a dia está o crescimento, com os bons eleitores legitimando e sofrendo com a democracia. O que o filme mostra é que muitas outras carnificinas ocorreram e continuarão a acontecer. Quem disse que Scorcese acha que NY é um cenário idílico. Quer a lista de filmes? É uma história em quadrinhos, piegas e genial como as do Will Eisner. No fundo está a democracia americana. Existe alguém que vai ao cinema do Scorcese para ver o Leonardo di Caprio?
[Leia outros Comentários de José Maria Silveira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE LIFE AND WORK OF VINCENT VAN GOGH
JANICE ANDERSON
PARRAGON PUBLISHING
(2004)
R$ 14,28



MUSICA AO LONGE - ROMANCE - LITERATURA
ERICO VERISSIMO
CIRCULO DO LIVRO
R$ 20,00



O PRAZER E O PENSAR 1
MARCOS RIBEIRO
GENTE
(1999)
R$ 8,90



DOS RECURSOS EM GERAL INTERPOSIÇÃO E PROCESSAMENTO MODELOS
YARA MULLER LEITE
FREITAS BASTOS
(1969)
R$ 5,00



A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA
ANN DEMARAIS & VALERIE WHITE
SEXTANTE
(2005)
R$ 10,00



LONGO CAMINHO DE VOLTA
RICARDO LUCENA JR
GRAPHITOUR
(1993)
R$ 8,00



POR UM PEDAÇO DE TERRA
RENATO TAPAJOS
ATICA
(2002)
R$ 5,00



CONSELHOS PARA O CEO - 5 ESTRATEGIAS FUTURAS QUE VOCE DEVE APLICAR AGORA
GEORGE STALK - JOHN BUTMAN
CAMPUS
(2008)
R$ 19,90



REVISTA DA PONTIFÍCIA NIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO VOL. 43
PONTIFÍCIA NIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
PONTIFÍCIA NIVERSIDADE CATÓ
(1973)
R$ 17,77



O TRIBUNAL DE CRISTO
RICK C. HOWARD
CPAD
(2012)
R$ 15,00





busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês