Carga mais leve para Pedro e Bino | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
Mais Recentes
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
>>> Mais Trinta Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura de Luiz Ruffato pela Record (2005)
>>> Príncipe Sidarta A Fuga do Palácio de Patricia Chendi pela Rocco (2000)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Smart Work Why Organizations Full Of Intelligent People ... de Steven A. Stanton pela Do Autor (2016)
>>> Estatística Objetiva de Roberto Zentgraf pela Ztg (2001)
>>> Diários Messiânicos: uma Experiência de Extensão Universitária de Bruno Cesar Euphrasio de Mello pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> The Lost Symbol de Dan Brown pela Doubleday (2009)
>>> Dez Dias de Cortiço de Ivan Jaf pela Ática (2009)
>>> Medicina do Além Um Presente de Jesus para a Humanidade de Fabio Alessio Romano Dionisi pela Dionisi (2014)
>>> Energia Renovável de Dme pela Dme
>>> São João Paulo Grande Seus Cinco Amores de Jason Evert pela Quadrante (2018)
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
>>> Gone For Good de Harlan Coben pela Na Orion Paperback (2007)
>>> When The Wind Blows de James Patterson pela Little Brown And Company (1998)
>>> Windmills Of The Gods de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1987)
>>> If Tomorrow Comes de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1985)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Children Of The Lamp Book One de P. B. Kerr pela Orchard Books (2004)
>>> The Tale Of Despereaux de Kate Di Camillo pela Candlewick Press (2003)
>>> What She Left For Me de Tracie Peterson pela Bethany House (2005)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> Ruby Dakotah Treasures 1 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2003)
>>> Opal Dakotah Treasures 3 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
COLUNAS

Quinta-feira, 8/5/2003
Carga mais leve para Pedro e Bino
Adriana Baggio

+ de 10200 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Lembro de assistir Carga Pesada quando era criança. O seriado está no ar novamente depois de 22 anos. Ou seja, faz um tempão. Não recordo muita coisa, mas o que ficou foi marcante. Lembro claramente de uma cena onde bandidos esmagavam as mãos de um homem com um pedaço de pedra, talvez fosse um paralelepípedo.

Não sei se em geral o seriado era violento, mas acho que não era tão suave quanto o remake que a Globo passou a reapresentar desde terça-feira da semana passada. Apesar do clima pesado, eu gostava. Devo ter visto poucas cenas, pois se nem Roque Santeiro minha mãe me deixou ver, imagina Carga Pesada.

Quando a emissora anunciou a volta do seriado protagonizado por Antonio Fagundes e Stênio Garcia, fiquei esperando o mesmo clima do antigo Carga Pesada: aquela coisa dura da estrada, a pobreza dos lugares por onde Pedro e Bino passavam, os conflitos nos quais se envolviam. A estética zona sul da nova versão foi uma surpresa. Até o caminhão velho foi trocado por um novinho em folha!

A troca de caminhão fez parte da contextualização do novo momento da série. Pedro e Bino agora são dois senhores. Bino casou, deixou a estrada e montou um escritório. No entanto, ficou viúvo e descobre que tem um tumor. Aguarda o resultado do exame que vai dizer se é maligno ou não. Sem saber o quanto lhe resta de vida, Bino entra em contato com Pedro e volta para a estrada. Pedro, por sua vez, nunca deixou a profissão de carreteiro (não é caminhoneiro não, é carreteiro mesmo). Eles encontram-se em Bagé, de onde Pedro levará uma carga até Salvador. Bino embarca com o amigo em um caminhão velho, daqueles bicudos cor de laranja, do qual os dois são sócios. Em uma das paradas, o caminhão parece ter sido roubado, mas na verdade foi Bino que comprou um Volswagen novinho em folha, em substituição à velha máquina.

Enquanto Stênio Garcia encarna bem o papel, fica difícil transformar Antonio Fagundes no estereótipo que se tem desse tipo de profissional. O choque entre a pinta de galã de Fagundes e o estilo abobalhado do personagem causam uma dissonância cognitiva no espectador. O clima fica falso, e piora ainda quando se contrapõe o dia-a-dia de carreteiros de Pedro e Bino e a realidade do caminhoneiro brasileiro. Eles parecem mais estar fazendo turismo do que transportando uma carga. Jantam em restaurantes das cidades, e não nas paradas, param nas praias para tomar banho de mar, passeiam nas Cataratas do Iguaçu. Muito distante da realidade do caminhoneiro que dorme na cabine ou em hotéis de beira de estrada, almoça nos postos que dão a refeição como brinde pelo abastecimento, aproveita ao máximo o tempo na estrada para poder cumprir os horários de entrega, ou para poder pegar logo outro frete. Pedro e Bino não tomam "rebite" para dirigir de madrugada.

Antonio Fagundes é o mais deslocado na boléia, mas o personagem de Stênio Garcia também tem suas incoerências. Os diálogos de Bino parecem uma colcha de retalhos de clichês, provérbios e frases de pára-lama de caminhão. São textos como "Deus estava inspirado quando fez o Rio de Janeiro" (para cada cidade por onde passam Bino tem um comentário do mesmo estilo); "a estrada é um vício e eu sou um viciado", e por aí vai. Não consigo deixar de lembrar do Tio Ali, personagem do ator na novela O Clone, que como bom patriarca, vivia citando passagens e dando conselhos para os seus.

O clima está tão light que até os bandidos que eles encontram no primeiro episódio são personificados por uma moça de 16 anos e seu namoradinho. Nada de brutamontes quebrando ossos com pedaços de pedra. E no segundo nem bandido teve. Parece mais um episódio de novela: Pedro convida o filho de Bino (que é seu afilhado) para seguir com eles até Salvador. Os dois galãs - o macaco velho e o iniciante - revezam-se na conquista das moças que encontram pela estrada. Uma delas é Rosa, representada por Patrícia Pillar, que em uma cena de praia veste um maiô mais comprido que muita mini saia que se vê por aí. É, ser mulher de ministro tem o seu preço...

Mesmo em versão mais leve e mais fake, Carga Pesada não deixa de ser um bom seriado. Mas o que não dá pra perdoar são as cenas em que Pedro e Bino dirigem daquele jeito que a gente vê os caminhoneiros dirigindo nas estradas, e que causam tantos acidentes graves. Todas aconteceram no primeiro episódio. Não sei se houve algum tipo de protesto, ou se foi coincidência elas não aparecerem no segundo. Uma das cenas mostra os dois amigos comemorando o reencontro com brincadeiras, girando o volante de um lado para o outro, fazendo o caminhão andar sinuosamente em uma estrada de pista simples. Depois, quando Bino troca o caminhão velho pelo novo, Pedro fica tão feliz que passa a dar cavalos-de-pau com o cavalo do caminhão no pátio da parada. Para mostrar o perfeito funcionamento do freio, joga o caminhão contra a janela do restaurante e pára a poucos centímetros do vidro. A outra cena mostra os dois na estrada, à noite, apagando os faróis do monstro para poder enxergar os discos voadores que a mocinha-bandida tenta mostrar para eles. Já imaginou dar de cara com um caminhão de luz apagada vindo de frente em sua direção?

Mesmo que a nova proposta não seja tratar de conflitos mais densos, Carga Pesada poderia, ao menos, fazer merchandising não só dos caminhões Volkswagen e dos postos Ipiranga, mas tratar também de aspectos importantes sobre as estradas brasileiras. Apesar de ser um país onde a maioria das pessoas e das cargas viaja pelo asfalto (ou pelo barro...), o Brasil tem uma péssima malha rodoviária e uma infraestrutura de apoio pior ainda. São muitas rodovias sem sinalização nem acostamento, com mais buracos do que asfalto. No Nordeste, ônibus e caminhões viajam em comboios, em uma tentativa de se proteger e proteger as cargas e passageiros dos bandidos, que agem nos mesmo locais e horários, mas que mesmo assim não são pegos pela polícia. Só como exemplo, os trechos entre a divisa de Pernambuco e Alagoas e Maceió, e os 60 km após Feira de Santa, na Bahia, só são percorridos pelos ônibus em comboio de três ou mais carros.

Além dos perigos da pirataria de asfalto, há o risco da direção imprudente, do uso de álcool e drogas, do sono. O seriado deveria, ao invés de adotar essas atitudes para seus personagens, tentar influenciar um outro tipo de comportamento, deflagar uma campanha sobre direção defensiva, as condições das estradas, sei lá (de Bagé a Salvador, Pedro e Bino não passaram por nenhuma estrada com buracos...). Mesmo que não sirva pra nada, pelo menos a gente tem a valorização do que é certo, e não do que é errado.


Adriana Baggio
Curitiba, 8/5/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De Middangeard à Terra Média de Celso A. Uequed Pitol
02. Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair de Heloisa Pait
03. A Dama Dourada, de Anne-Marie O'Connor de Ricardo de Mattos
04. 150 anos de Miguel de Unamuno de Celso A. Uequed Pitol
05. Sultão & Bonifácio, parte II de Guilherme Pontes Coelho


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2003
01. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
02. Aventuras pelo discurso de Foucault - 30/1/2003
03. Carga mais leve para Pedro e Bino - 8/5/2003
04. Apesar da Barra, o Rio continua lindo - 9/1/2003
05. Encontro com o peixe-boi - 16/1/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/5/2003
08h53min
O seriado é mesmo uma ilusão, Pedro e Bino fazendo turismo, estradas boas, só diversão. Nem por isso deixa de ser um seriado bom! Quem quer violência, coisas ruins, que vão assistir o jornal Nacional ou assistir "mulheres apaixonadas", acho que as pessoas merecem uma série, um pouco "fantasiada" pra poder aliviar o que elas vêem diariamente, imaginem o trabalhador chegando em sua casa... qual é a primeira coisa que ele faz? ligar a tv!! e por que não deixar a vida mais colorida? Chega de violência, o que eu digo não é alienado, apesar da realidade que os meios de comunicação tentam nos impor, sempre estaremos com o pé no chão, pois vivemos o inferno todos os dias!
[Leia outros Comentários de Camila]
13/5/2003
17h09min
Concordo com você, Camila. O seriado não deixa de ser ruim por ser mais leve que a versão original. Também concordo que Mulheres Apaixonadas é estressante. Novelas servem para desanuviar, entreter, mesmo que sejam fúteis, e não para deixar o público ainda mais angustiado. Mas acho que a alegria vai acabar: pelo que eu vi, no episódio de hoje do Carga Pesada vai ter um acidente.
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O HOSPITAL: A LEI E A ÉTICA
JOSÉ DE QUEIROZ CAMPOS E JUAREZ DE QUEIROZ CAMPOS
LTR (SP)
(1976)
R$ 21,28



SE EU TIVESSE NADADEIRAS
JEANE CABRAL SCHLATTER
CIRANDA CULTURAL
(2012)
R$ 19,90



O QUE É JAZZ
ROBERTO MUGGIATI
BRASILIENSE
R$ 8,00



COMENTÁRIOS À CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO
VALENTIN CARRION
SARAIVA
(2005)
R$ 27,00



VILLA LOBOS - O FLORESCIMENTO DA MÚSICA BRASILEIRA
MANUEL NEGWER
MARTINS FONTES
(2009)
R$ 26,00



O SENHOR DA CHUVA
ANDRÉ VIANCO
NOVO SECULO
(2002)
R$ 15,00



ANJOS DO MEU ALTAR
IRIS DE CARVALHO
RAZÃO CULTURAL
(1988)
R$ 24,00



ORIGEM DOS DIREITOS DOS POVOS
JAYME DE ALTAVILA
MELHORAMENTOS
R$ 10,50



TURISMO E HOTELARIA UMA VISÃO MULTIDISCIPLINAR
LECY CIRILO E SILVANA FURTADO ( ORG. )
ANHEMBI MORUMBI
(2007)
R$ 4,78



NÃO ME DEIXE AQUI RINDO SOZINHO
ANDRÉ LAURENTINO
REALEJO EDITORA
(2017)
R$ 31,84





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês