Apesar da Barra, o Rio continua lindo | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
>>> A vida sem computador
Mais Recentes
>>> Coleção Os Pensadores de Vários pela Abril Cultural (1973)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Um Diplomata da Regeneração - O 1º Conde de Villa Franca do Campo de Fernando Abecassis pela Tribuna da Historia (2007)
>>> Inspeção do Trabalho de Nelson Mannrich pela LTr (1991)
>>> Jurupari - Estudos de Mitologia Brasileira de Silvia Maria S. de Carvalho pela Ática (1979)
>>> Sport in the 21st Century de John Mehaffey & Reuters pela Thames & Hudson (2007)
>>> Matemática para economistas de Alpha Chiang pela Unesp (1982)
>>> Memórias do cárcere 3º volume Colônia Correlaccional de Graciliano Ramos pela José Olympio (1954)
>>> As hortaliças na medicina doméstica de A. Balbach pela Edel
>>> Caderno de teses vol.2 28ºCongresso Nacional procuradores Estado de Helena Maria Silva Coelho pela Metropole industria gráfica ltda (2002)
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos de Gustavo Cerbasi pela Gente/ SP. (2004)
>>> Ordem Juridico-econômica e trabalho de Ricardo Antonio Lucas Camargo pela Sergio antonio fabris (1998)
>>> Capo Verde. Una storia lunga dieci isole de Marzio Marzot & Maria de Lourdes de Jesus et alii pela D'Anselmi (1989)
>>> Investimentos Inteligentes: Para Conquistar e Multiplicar o seu Primeiro Milhão de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson do Brasil (2008)
>>> Esquecidos e Renascidos - Historiografia Acadêmica Luso-americana de Iris Kantor pela Hucitec (2004)
>>> Nova York anos 40 de Andreas Feininger pela Museu Lazar Segall (2011)
>>> O Intelectual e o Poder de Eduardo Portella pela Tempo Brasileiro/ RJ. (1983)
>>> Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento de Ernest Cassirer pela Martins Fontes (2001)
>>> Fundamentos Culturales de Civilizacion Industrial de John U. Nef pela Editorial Paidós/ Buenos Aires (1964)
>>> Noções Preliminares de Direito Previdenciário de Wagner Balera pela Quartier Latin (2004)
>>> Salvador Negro Amor de Sérgio Guerra pela Maianga (2007)
>>> Ensaios de Biologia Social - Encadernado de Josué de Castro pela Brasiliense/ SP (1957)
>>> A imprensa na História do Brasil & Fotojornalismo no século XX de Oswaldo Munteal & Larissa Grandi pela Desiderata/PUC (2005)
>>> Roteiro de Macunaíma (Encadernação de Luxo) de M. Cavalcanti Proença/ Autografado pela Ahembi/ SP. (1955)
>>> Alferes Teófilo Olegário de Brito Guerra -Um Memorialista Esquecido de Raimundo Soares de Brito pela Coleção Mossoroense (1980)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 2 + A Volta do Camelo de Barro de Lee Falk pela Globo (1989)
>>> Lugar de Fala de Djamila Ribeiro pela Polen (2019)
>>> Administração Financeira Internacional de David K. Eiteman, ArthurStonehill, e Michael Moffett pela Bookman (2002)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 1 + o Retorno do Cobra de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> História da Literatura Portuguesa/ Encadernado de Antonio José Saraiva e Oscar Lopes pela Porto Ed.
>>> Cortez -A Saga de Um sonhador de Teresa Sales -Goimar Dantas pela Cortez (2010)
>>> HQ Os grandes inimigos do Mandrake Nº 4 + Os Oito Tentáculos da Morte de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> HQ Rastros de ódio - Revista Cinemin Nostalgia 3 de Diversos Autores pela Ebal (1989)
>>> Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro de Ana Cristina Martins Pereira pela Lex (2006)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova froteira (2007)
>>> HQ Revistsa Elipse nº 1 + Crepúsculo dos Super-heróis de David Campiti & Kevin Juaire & Bart Sears pela Ebal (1992)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> As mil e uma noites- os corações desumanos de René Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> HQ Quem foi? Os prisioneiros de Sulma de Diversos Autores pela Ebal (1982)
>>> Autoritarismo e Participação Política da Mulher de Fanny Tabak pela Graal/ RJ. (1983)
>>> Cartas entre amigos - sobre os medos contemporâneos de Fábio de melo e Gabriel chalita pela Ediouro (2009)
>>> A Civilização Romana de Pierre Grimal pela Edições 70 (2001)
>>> Centenário de José Bezerra Gomes de Joabel R. de Souza pela Fcjbg (2011)
>>> Alienação na Univesidade - a Crise dos Anos 80 de Paulo L. Hoffmann pela Edit. da UFSC (1985)
>>> O castelo da intriga de Paulo Stewart pela Scipicione (1996)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1993)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1996)
>>> As asas do joel de Walcir Carrasco pela Quinteto Editorial (2019)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1998)
COLUNAS

Quinta-feira, 9/1/2003
Apesar da Barra, o Rio continua lindo
Adriana Baggio

+ de 9300 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Passei o Ano Novo no Rio de Janeiro, não porque quisesse muito, mas porque calhou de ter hospedagem por lá. O Rio é maravilhoso, não tem como negar. Mesmo com traficantes, engarrafamento, praia lotada, o Rio é o máximo. Só não entendo porque esse povo insiste em achar a Barra da Tijuca um local nobre para se viver.

A Barra da Tijuca me lembra um balneário provinciano, tipo aqueles encontrados nos estados do sul do país. Até Camboriú, em Santa Catarina, é mais cosmopolita, mais moderno que a Barra da Tijuca. No visual eles até se parecem um pouco: um paredão de prédios, um calçadão e a praia lotada de gringos e farofeiros.

Os moradores da Barra acreditam que são uma espécie de privilegiados, que moram em uma Shangri-lá após o túnel. Voltar para o outro lado é como entrar em contato com as mazelas do Rio de Janeiro. Por ser longe, a Barra só encoraja os que têm carro. Assim, ela fica "protegida", distante. Seus moradores circulam por ali, já que a Barra é auto-suficiente. Por ter se tornado essa bolha, a Barra se consome em uma autofagocitose que impede o arejar das idéias. É como o ar viciado de um ônibus lotado: não circula, não renova, impede o desenvolvimento.

O sistema de valores humanos vigentes na Barra não tem nada de humano: são os prédios, os carros, os barcos, as lojas do shopping. Ah, os shoppings... são as praças da Barra da Tijuca, onde as mães levam seus filhos para não ter que aturá-los. As crianças compram, se empanturram de bigmacs, ficam como autistas em jogos eletrônicos, têm a mente oca invadida por idéias ocas de filmes ocos.

No entanto, o que mais me intriga é o grau de provincianismo dos moradores da Barra, que afinal de contas, fica em uma das cidades mais famosas do mundo, que rescende a história, cultura, vanguarda. Os moradores da Barra gostam de dizer que são vizinhos de artistas de novela, jogadores de futebol, socialites. Um dos roteiros turísticos mais famosos da Barra é passar em frente aos condomínios e casas dos famosos. Os moradores, orgulhosos, apontam: aqui mora fulano, aqui mora sicrano, aqui a Globo gravou tal novela.

Não que a Barra seja feia: ela é como uma moça bonita, mas sem gosto, sem espírito, vazia, um pouco brega e extremamente limitada. O pecado não é morar na Barra, mas achar que o mundo se resume àquele pedaço de terra dantes habitado somente pelos motéis. Os prédios das décadas de 50 e 60 em Ipanema, Copacabana e Laranjeiras têm muito mais charme do que os luxuosos edifícios da Barra. Mil vezes a Urca, com suas ruazinhas ao pé do morro e casas antigas, o centro da cidade, os edifícios da época do Império. Se for para ver prédios luxuosos junto à água, vá para a Lagoa Rodrigo de Freitas, que pelo menos tem mais personalidade.

A Barra tornou-se um gueto onde as pessoas sentem-se mais seguras, distantes dos problemas da cidade. Talvez por isso mesmo ela seja esterilizada, pasteurizada. Na Barra não há espaço para o autêntico, o criativo. A própria cultura já chega enlatada, fácil de ser consumida e digerida. Mas toda essa facilidade, essa segurança e esse conforto têm um preço. E é o preço pago pelos moradores da Barra que dá a dimensão de seu valor enquanto pessoas.

Seria uma hipocrisia dizer que passar alguns dias na Barra tenha sido um tormento. Mas atravessar aquele túnel me fez ver um Rio de Janeiro que eu não conhecia, e a comparação é inevitável. É um reflexo de várias tendências convergentes. A falta de segurança e de estrutura nas grandes cidades provoca a formação desses guetos. Quanto mais a sociedade ignora os problemas sociais, mais acuada fica por eles. No entanto, fechar-se para a cidade provoca um fechar-se para a riqueza da cultura da cidade, para as novidades, para as tendências naturais. Os guetos passam a aceitar somente o que já venha pronto para o consumo, esterilizado, pasteurizado. E aí entra uma outra tendência, que é a de americanização da cultura. Os americanos são especialistas em embalar e distribuir cultura pronta para o consumo, como um fast food. É fácil e relativamente barato de consumir, não requer esforço e tem uma aparência de qualidade. Por conseqüência disso, não se exercita o fazer, o pensar, o participar, não se arejam as idéias, não se produz conhecimento, arte, cultura. Portanto, é preciso comprar e consumir cultura importada, já pronta.

É claro que tudo isso não é privilégio da Barra. O que impressiona é isso acontecer em uma cidade como o Rio, cuja convivência entre as diferenças produziu e ainda produz algo do que há de melhor em termos de cultura no Brasil. A Barra é um exemplo do que pode acontecer ao país todo se a sociedade se acuar em seus guetos seguros mas insípidos. A personalidade da cidade precisa de espaço livre, de ruas e mentes abertas para crescer, enriquecer e se disseminar. A cidade encerrada em shoppings e condomínios não respira, não areja, não se renova. E culturalmente, fica cada vez mais pobre. Como a vida sem oxigênio.


Adriana Baggio
Curitiba, 9/1/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Era uma vez um inverno de Elisa Andrade Buzzo
02. Pesquisando (e lendo) o jornalismo de Duanne Ribeiro
03. Os últimos soldados da Guerra Fria de Luiz Rebinski Junior
04. Tebow é Fé de Daniel Bushatsky
05. A realidade, na verdade, é mentira de Ivan Bilheiro


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2003
01. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
02. Aventuras pelo discurso de Foucault - 30/1/2003
03. Carga mais leve para Pedro e Bino - 8/5/2003
04. Apesar da Barra, o Rio continua lindo - 9/1/2003
05. Encontro com o peixe-boi - 16/1/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/1/2003
08h26min
Pois é Adriana, a Barra é tão diferente do Rio que vez ou outra tenta se emancipar... É um território dominado por novos ricos da zona norte ou migrantes endinheirados de outras cidades, gente sem o background intelectual do pessoal da zona sul tradicional.
[Leia outros Comentários de Héber]
12/1/2003
17h48min
Ei Da. Adriana Baggio! Quê Barra é essa que a senhora visitou? Com quê olhos a senhora viu a Barra? Perdoe-me mas a senhora parece que está confundindo estrutura urbana com valores humanos. Moro aqui há 20 anos. Realmente este "modelito urbano" Lúcio Costa, herdado do Brasil sobre pneus deixado por Juscelino é realmente deplorável. A estátua da liberdade do NYCityCenter, irmão do BarraShopping, também não merece comentários.Agora, tirar conclusões "sociólogicas" baseadas num feriado prolongado, em que qualquer praia do Rio, Fortaleza, João Pessoa,..., fica cheia de gringos... Para uma brasileira atenta é um espanto. Dê uma lida no "globo barra" por exemplo. De uma lida numa "revista de programa do rio". Sabe quantas galerias de arte tem na Barra? Quantos ateliês dando cursos de arte? Quantas Universidades?Conhece o polo de cine-vídeo? foi na Casa de Cultura? Foi na filial do Museu de Arte Moderna do Rio? Fica num shopping...Assistiu alguma peça na Barra? Sabia que a sede da Orq.Sinfonica Brasileira está sendo construida na Barra? Ufa!!!Vou parar. Procure saber o que acontece na Barra. Quanto às crianças empaturrando-se em shopping-center isso não é privilegio da barra, em Joao Pessoa, certamente tem mães fazendo isso com os filhos devido a cultura imposta pela TV.Ou não tem Mac...aí? É lamentavel mas tem. Nesse nosso país ninguém sabe mais o que fazer para sentir-se seguro. Nem em pequenas cidades do interior do país.Estou falando numa boa. Sou carioca. Amo o Rio. Temos uma coisa em comum. Acho a Urca um lugar maravilhoso. Imbatível. Qual a cidade que consegue ter a Urca, a vista do Aterro do Flamengo, As belíssimas portarias dos antigos prédio na praia do Flamengo e nas ruas desse bairro, e a Floresta da Tijuca, e junto com tudo isso a "modernosa" Barra da Tijuca? É por isso que o mundo todo adora o Rio, e os bandidos também....
[Leia outros Comentários de helio araujo]
13/1/2003
13h02min
Cara Adriana, Compartilho de sua visão quanto à Barra. No entanto, ocorre que giramos, giramos, giramos e nos deparamos sempre com o mesmo problema: a pequenez da mentalidade de nossa raça. Essas pessoas que moram na Barra, passariam despercebidas de você e de mim, caso morassem espalhadas pelo Rio de Janeiro. Ao se juntarem, vítimas no natural necessidade de "agregação", chamam a nossa atenção. O famoso "mercado", no caso o imobiliário e de varejo, naturalmente vai atrás, aproveitando-se e fortalecendo um cículo ao mesmo tempo virtuoso, para o mercado e vicioso, para as mentes que continuas apequenadas (se é que existe este termo). A segregação de ricos e pobres sempre existiu e talvez sempre existirá. Dói, todavia, saber que há essas variedades em nossa espécie. Consolo há: é saber que são poucos... Abraços Bernardo Carvalho - Goiânia - GO
[Leia outros Comentários de Bernardo Carvalho]
13/1/2003
15h02min
É, Adriana, é isto mesmo. Só faltou dizer q a Barra é igual a Brasília, só que com praia. E sem o Planalto. Se bem que tem o Silveirinha, né?
[Leia outros Comentários de Lito]
13/1/2003
19h21min
Prezada Adriana. Lamento seus comentários sobre a Barra da Tijuca. Não sou "emergente", porém devo te esclarecer que morei em vários bairros no Rio de Janeiro e, nenhum, se compara com as qualidades de vida dessa área. São bons restaurantes, bons cinemas, grandes e pequenos "shoppings" que além de nos oferecer alternativas de compra, oferece boas oportunidades, sim, para levar nossos filhos e netos. Seus comentários injustos, felizmente, não são os mesmos de vários amigos que nos visitam de outras cidades do Brasil e do exterior. Devo registrar que adora seu estado com suas belas praias e fidalguia de seus moradores. Saudações tricolores Fernando Mello
[Leia outros Comentários de Fernando Mello]
15/1/2003
14h46min
A Barra da Tijuca se tornou alguma coisa que nada tem a ver com o Rio de Janeiro ou com o espírito carioca. Parafraseando Lúcio Costa, que se referiu a um projeto seu como sendo um "equívoco neoclássico", pode-se dizer que a Barra da Tijuca não passa de um equívoco pós-moderno.
[Leia outros Comentários de Adelaide Chamusca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM IR E VIR COTIDIANO
SIVA BIANCHI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



TRAÍDA SÉRIE HOUSE OF NIGHT - LIVRO 02 8898
P C CAST E KRISTIN CAST
NOVO SÉCULO
(2009)
R$ 10,00



OSTEOPOROSE
M. A. DAMBACHER E E. SCHATCHT
ALFAD
R$ 9,00



MANEJO REPRODUTIVO DE OVINOS DE CORTE (NAS REGIÕES CENTRO-OESTE, NORTE E SUDESTE DO BRASIL)
AURORA MARIA GUIMARÃES GOUVEIA CLÁUDIO JOSÉ BORELA ESPESCHIT E SILVIA LETICIA TARTARI
LK
R$ 63,00



TRAVESSIA REPORTAGEM SOBRE O SERTÃO DE GUIMARÃES ROSA
JULIANA SIMONETTI
LINC
(2010)
R$ 35,00
+ frete grátis



O LIVRO DOS MILAGRES
KEVIN BELMONTE
THOMAS NELSON BRASIL
(2015)
R$ 36,00



POIROT INVESTIGA
AGATHA CHRISTIE
RECORD
(2001)
R$ 10,00



LOVE KISS
GILBERT OAKLEY
DIAMOND STAR
(1970)
R$ 19,82



O GUIA OFICIAL DO CLUB PENGUIN VOL 1
DISNEY
MELHORAMENTOS
(2011)
R$ 4,00



DIREITO PENAL CONCRETO
ANTÔNIO JOSÉ MIGUEL FEU ROSA
CONSULEX
(1992)
R$ 26,82





busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês