Mp3: da pirataria ao Bolsa-Download? | Paulo de Resende | Digestivo Cultural

busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Camila Venturelli e Dani Lima falam sobre os nossos gestos na pandemia
>>> 36Linhas lança Metropolis segunda graphic novel da Coleção Graphic Films
>>> Acervo digital documenta a história da Cantina da Lua - símbolo de resistência cultural
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mandic, por Pedro e Cora
>>> A Separação de Bill e Melinda Gates
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> FLIP 2006 IV
>>> Como você vê a internet?
>>> Inimigos da política
>>> God save the newspapers!
>>> O homem visto do alto
>>> O homem visto do alto
>>> A quinta temporada de Lost
>>> Os primeiros volumes da Penguin Companhia
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Princípio ativo
Mais Recentes
>>> The Mysterious Affair At Styles (Poirot's First Case) c/CD de Agatha Christie pela Collins (2012)
>>> Marvellous to Behold: Miracles in Illuminated Manuscripts de Deirdre Jackson pela The British Library (2007)
>>> Muder in Mesopotamia (em inglês) de Agatha Christie pela Harper Collins (2016)
>>> The Fine Art of Chinese Brush Painting de Walter Chen pela Sterling Publishing (2006)
>>> Comunicação em Prosa Moderna de Othon Moacyr Garcia pela fundação Getúlio Vargas (1988)
>>> Virando a própria mesa: Uma história de sucesso empresarial de Ricardo Semler pela Rocco (2002)
>>> Raizes: A Saga de uma família americana EAN: 9781125873892 de Alex Haley pela Record (1976)
>>> A História do Mundo para quem tem pressa EAN: 9788565859516 de Emma Marriot pela Valentina (2016)
>>> A Elite do Atraso da Escravidão à Lava Jato de Jessé Souza pela Leya (2017)
>>> As Pupilas do Senhor Reitor de Júlio Diniz pela Ática (2003)
>>> A Ladeira da Saudade de Ganymédes José pela Moderna (2006)
>>> Brasilafro Autorevelado de Miriam Alves pela Nandyala (2010)
>>> Greve fatos e significados de Pedro Castro pela Ática (1986)
>>> Brasil em Campo de Nelson Rodrigues pela Nova Fronteira (2021)
>>> A vida como ela é... de Nelson Rodrigues pela Nova Fronteira (2021)
>>> As Grandes Religiões do Mundo - Confucionismo de Albert Cavin pela Verbo (1980)
>>> Como Lidar Com Emoções Destrutivas de Dalai Lama e Daniel Goleman pela Campus (2003)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu | Sun Pin pela WMF Martins Fontes (2021)
>>> Arquimedes, o centro de gravidade e a Lei da Alavanca de André Koch Torres Assis pela Livraria da Física (2021)
>>> Sophia Vari de Paola Gribaudo Y Nohra Haime (coord.) pela Villegas editores (1999)
>>> A Redescoberta do Mundo de Thrity Umrigar pela Nova Fronteira (2012)
>>> Os Fundamentos Experimentais e Históricos da Eletricidade de André Koch Torres Assis pela Livraria da Física (2021)
>>> Eletromagnetismo - Campos Dinâmicos de Eduard Montgomery Meira Costa pela Ciência Moderna (2021)
>>> Combo - 3 Livros técnicos/consulta de Física/Eletricidade de Eduard Montgomery Meira Costa | Andre Koch Torres Assis pela Ciência Moderna | Livraria da Física (2021)
>>> Missa Negra de John Gray pela Record (2008)
COLUNAS

Segunda-feira, 23/5/2011
Mp3: da pirataria ao Bolsa-Download?
Paulo de Resende

+ de 4600 Acessos

Desde os já longínquos anos 1990 que o formato Mp3 entrou com força total no universo da música. Sua ascensão se deveu à convergência dele com outros dois marcos relevantes da história da informática: a disponibilização do acesso à internet de forma definitiva (aqui no Brasil, isso se deu a partir de maio de 1995) e o surgimento do Napster, software pioneiro de compartilhamento peer-to-peer (em junho de 1999).

A revolução provocada pela conjugação desses fatores só é comparável ao problema que ela criou para a indústria fonográfica mundial, com o surgimento da "era do conteúdo". Repentinamente, tornou-se anacrônico o hábito de adquirir o CD para escutar as músicas nele contidas. Num piscar de olhos, milhares de obras musicais dos mais diferentes gêneros passaram a fluir de um lado para o outro do planeta, sendo transferidas gratuitamente para quem quisesse. Até hoje, não há prevenção eficiente contra a transferência de arquivos. Pior do que isso, a questão hoje abrange qualquer forma de conteúdo: livros, filmes, softwares, tudo o que pude ser captado e traduzido em bites pode ser compartilhado.

À margem das discussões sobre violação dos direitos autorais e dos prejuízos apurados por quem trabalha na legalidade, parece que o hábito de compartilhar arquivos (de forma legalizada ou não) se tornou algo tão trivial quanto ter um telefone celular ou tomar uma cerveja no bar: dito assim, parece tão mundano, tão vulgar, mas nem por isso menos verdadeiro.

No Brasil, a questão apresenta uma riqueza de perspectivas, daquelas que são incompatíveis com a representação por meio de infográficos e pequenos quadros-resumo. Opinam sobre o tema políticos, advogados, delegados de polícia, ativistas sociais, empresários da indústria fonográfica, artistas e tantos outros representantes de grupos envolvidos. E a cadeia do consumo de conteúdo tem diversas versões, desde aquela do "paladino" ― que faz download somente de conteúdo disponibilizado em domínio público e em licenças como o copyleft e creative commons ― até a cadeia do material que se origina de usuários misteriosos, é baixado por "pirateiros" inveterados, queimado em mídias que são oferecidas nas ruas de qualquer grande cidade e acabam nas mãos de gente comum, entre estudantes, professores universitários, comerciantes, bancários, donas de casa, funcionários públicos etc.

Ações como as promovidas nos EUA pela Associação Americana da Indústria Fonográfica (RIAA) dificilmente seriam viáveis para um país como o nosso. Não convém elencar as razões, mas é pouco provável que as associações de músicos e de gravadoras promovam aqui a "caça às bruxas" que tem sido por lá empreendida, com direito a condenações de personagens tão pitorescos quanto senhorinhas septuagenárias e meninas de doze anos. Na nossa civilização dos trópicos, tudo é mais afetuoso, por vezes moroso, e muitas vezes inconclusivo. Não somos piores que os gringos, somos autênticos.

A diversidade de personagens e a impossibilidade de processar a todos os que infringem a lei podem insinuar uma conclusão devastadora: não há solução para a questão. Ou mudam as leis, em gradações que tipifiquem a atividade econômica baseada na pirataria como um crime hediondo, ou aguardamos um novo patamar tecnológico, tão revolucionário que torne o Mp3 obsoleto ― obviamente, uma nova tecnologia com rédeas mais firmes.

Mas existe ainda uma outra alternativa, muito mais próxima dos anseios daqueles que defendem uma internet livre e a universalização do acesso à cultura, algo muito mais harmonioso com a nossa tradição de malemolência histórica: e se o problema fosse atenuado até sumir?

Vivemos um período de implementação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), com todas as suas iniciativas de desoneração dos custos relacionados ao acesso à internet e consequente barateamento para o usuário. Um olhar superficial sobre a questão conclui que, com mais acesso em banda larga, haverá mais compartilhamento. Parece uma relação óbvia. E aí convém perguntar: como o governo vai conciliar o crescimento dos downloads com a necessidade de coibir os crimes contra a propriedade intelectual?

É aí que entra em campo a nossa vertente nacional, capaz de buscar soluções inovadoras para os problemas mais escabrosos: será que estamos caminhando para um "bolsa-download"? Afinal de contas, o governo tem fornecido diversas oportunidades para a inclusão de segmentos específicos no mundo do consumo: temos o Bolsa-Família para os pobres, o telefone social, a tarifa de energia elétrica social e agora o já citado PNBL ― que vai baratear o acesso aos menos favorecidos e empresas optantes pelo Simples... Por que não admitir a possibilidade (risco?) da criação desse novo benefício social, para permitir que aqueles que hoje vivem abaixo da linha da legalidade digital possam receber o direito à inclusão cultural? Estaria, assim, o usuário liberado para baixar o quanto quisesse, sendo os respectivos royalties quitados pelo governo.

Para quem acha que esse quadro é absurdo, vamos registrar que esse bolsa-download, mesmo imaginário, já apresenta duas características em comum, por exemplo, com o Bolsa-Família: um benefício direto para a população e a "disponibilidade" da nossa classe média, franca favorita para pagar a conta...


Paulo de Resende
Niterói, 23/5/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest) de Renato Alessandro dos Santos
02. Oswald de Andrade e o homem cordial de Celso A. Uequed Pitol
03. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry
04. Precisa-se de empregada feia. Bem feia. de Yuri Vieira
05. Seriados made in the USA de Juliana Lima Dehne


Mais Paulo de Resende
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Resgatem o Titanic
Clive Cussler
Círculo do Livro



Vade Mecum Saraiva 2012 13ª Ed.
Obra Coletiva da Saraiva
Saraiva
(2012)



Sobre o Divórcio
José Antonio de França Pitão
Almedina (coimbra)
(1986)



Organização Orientada para a Estrategia
Robert S Kaplan*david P Norton
Campus
(2000)



Revista de Carnaval 2003 - Mangueira
Vários
Mangueira
(2003)



Principais Julgados do Stf e Stj Comentados 2015
Márcio André Lopes Cavalcante
Dizer Direito
(2016)
+ frete grátis



A Descoberta Diária
Vários Autores
Alfalit Brasil
(2002)



Utrillo Iglesias
J. P. Crespelle
Gustavo Gili
(1971)



Contar Com Deus - Estudos de Teologia Moral
Xavier Thevenot
Loyola
(2008)



Pierre Verger - Fotografias para Não Esquecer
Roberto Linsker - Pierre Verger
Terra Virgem
(2009)





busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês