Pode morrer, TV, já vai tarde | eurandi corvello ant

busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
>>> Festival Digital Curta Campos do Jordão chega a todo o território nacional com 564 filmes inscritos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cada dia mais jovem - um retrato de minha mãe
>>> Sobre Sherlock Holmes
>>> 7 de Setembro
>>> Onde moram as crônicas
>>> Onde moram as crônicas
>>> Vida de Escritor no Catarse
>>> Henry Ford
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> A casa da Poesia
>>> De Auschwitz a ClubMed
Mais Recentes
>>> Nicolau tinha uma ideia de Ruth Rocha pela Quinteto Editorial (1998)
>>> Alex e os índios terenas de Denis Cruz pela Cpb Didaticos (2010)
>>> Já já - a história de uma árvore apressada de Paulo Rea pela Atica (2009)
>>> Tenho medo mas dou um jeito de Ruth Rocha pela Salamandra (2009)
>>> A revolta dos números de Odette de Barros Mott pela Paulinas (2011)
>>> Crianças famosas Toulouse-lautrec de Tony Hart pela Callis (1996)
>>> E o redemoinho levou de Alina Perlman pela do Brasil (1988)
>>> Como animar um grupo princípios básicos e técnicas de Maria José Aguilar Idánez pela Vozes (2004)
>>> Good-bye, Mrs. Parker de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> Swallow Valley Stage 2 de Eduardo Amos pela Moderna (1997)
>>> Socorro! preciso de motivação de Luiz Marins pela Harbra (1995)
>>> A Metamorfose de Franz Kafka pela Lafonte (2019)
>>> Made in Africa de Câmara Cascudo pela Global (2002)
>>> Lendas Brasileiras de Câmara Cascudo pela Global (2002)
>>> Cultura popular e educação salto para o futuro de René Marc da costa Silva pela Unesco Mec
>>> Alfabetização E Letramento de Magda Soares pela Contexto (2010)
>>> Diversidade de Núria Roca pela Ibep Jr. (2011)
>>> O Nome da Rosa de Umberto Eco pela Biblioteca Folha (1500)
>>> O cidadão de papel de Gilberto Dimenstein pela Atica (2000)
>>> O reizinho mandão de Ruth Rocha pela Quinteto Editorial (1997)
>>> Pedro compra tudo de Maria de Lourdes Coelho pela Cortez (2010)
>>> Cascudo, o Jabuti Jururu de Nildo Lage pela Prazer de Ler (2007)
>>> Casa de delicias de Sonia Rodrigues Mota pela Formato (1995)
>>> Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski pela Lafonte (2020)
>>> Por que as mulheres amam os homens fortes? de Elliott Katz; Andrea Holcbeg pela Sextante (2009)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 13/7/2009
Comentários
Leitores


Pode morrer, TV, já vai tarde
Bem, para mim, a televisão aberta presta um péssimo serviço de entretenimento. Cresci vendo seriados, documentários, filmes, desenhos, noticiários sérios - às vezes mascarados, mas sérios -, tudo feito para consumo rápido e sem delongas. E o que se vê hoje? Programas de auditório, de formato barato e insípidos ocupando a maior parte da programação. Novelas nos trazem problemas que não temos, compostas de heróis ridículos e vilões medonhos entrelaçados em tramas pavorosamente requentadas e que em sua maioria desdenham da inteligência de quem assiste. Aliás, parabéns, novelas! Por causa de vocês, ninguém que tem que trabalhar no dia seguinte vê mais filmes, pois eles começam entre 22:15 e 22:30, e acabam depois da 00:00 e eu tenho que trabalhar no dia seguinte. Os noticiários viraram janela de "serviço público"; entre uma notícia e outra, para amenizar, assistimos historinhas bonitas de cidadania. Pode morrer, TV, eu vou assistir o que quiser pelo DVD ou pelo meu computador!

[Sobre "Agora a morte da televisão"]

por eurandi corvello ant
13/7/2009 às
22h38 201.0.29.216
(+) eurandi corvello ant no Digestivo...
 
É mesmo uma aventura!
Adorei seu texto, Marta. Apesar de não escrever profissionalmente (pelo menos não textos originais, só traduções - os textos originais ficam para o blog), me identifiquei com suas descrições; para escrever bem é preciso gostar de ler e de escrever, e mergulhar na tarefa com prazer. É mesmo uma aventura, ainda que solitária. E escrever é, mesmo, reescrever, assino embaixo. Grande abraço!

[Sobre "Escrever pode ser uma aventura"]

por Cristine
http://www.terracotabolsas.com/rato
13/7/2009 às
19h51 201.13.205.24
(+) Cristine no Digestivo...
 
Além do primeiro parágrafo
Costumo ler mais do que o primeiro parágrafo para me entusiasmar, acredito nas pessoas, dou chance para os parágrafos seguintes. Mas confesso que depois desse artigo vou dar mais valor aos primeiros parágrafos... Fiquei seco para ler Ferreira Gullar e o "O apanhador no campo de centeio". =) Forte abraço.

[Sobre "O primeiro parágrafo"]

por Alex de Miranda
http://aquieafins.blogspot.com
13/7/2009 às
17h53 189.38.240.76
(+) Alex de Miranda no Digestivo...
 
Mais bolos e tortas
Adorei o texto e também adoro os regionalismos e os sotaques. Muitas vezes, dentro da mesma cidade, encontramos falares diferentes. Aqui no Rio há uma certa "rivalidade" entre os adeptos do "sÔtaque", do "cÔncerto", do "tÔmate" e os do "sUtaque", "cUncerto" e "tUmate". Eu na verdade sou do time dos que virou a casaca. Era do segundo time, passei pro primeiro de tanto ser sacaneado por causa disso... E fiquei curioso a respeito da diferença entre torta e bolo, que nunca soube. Aqui no Rio, diferente do RS do Sniffer, torta é molhada e geralmente gelada, e bolo, não, ainda que confeitado e recheado.

[Sobre "Palavras que explodem no chão"]

por Paulo Mauad
13/7/2009 às
17h32 201.18.18.104
(+) Paulo Mauad no Digestivo...
 
Não é uma história de vampiro
Então, ué. Não é uma história de vampiro. É sobre um adolescente sobrenatural e chato que quer ir para a escola para sempre.

[Sobre "Crepúsculo de Stephenie Meyer, o filme"]

por Carolina
13/7/2009 às
15h54 189.120.183.132
(+) Carolina no Digestivo...
 
Sob valores distorcidos
A pior crise é a crise ética agravada pela impunidade. A cada dia os limites são testados e as fronteiras são expandidas. Uma geração está sendo criada sob valores distorcidos e ênfase em interesses particulares doentios. Sobra cada vez menos ao cidadão comum o poder de modificar o estado das coisas numa sociedade contaminada. [Rio de Janeiro - RJ]

[Sobre "Promoção Crash de 1929"]

por Horacio Acosta
13/7/2009 às
14h32 187.15.158.36
(+) Horacio Acosta no Digestivo...
 
Globalização foi essencial
Sem essa de querer ver lado bom e ruim em tudo, acho que a globalização foi essencial para o paí­s. A introjeção de valores culturais e econômicos de origem estrangeira nos obriga a repensar, diariamente, a forma como fazemos polí­tica e negócios. Além disso, pudemos mostrar para o mundo os nossos valores e riquezas; essa relação de troca maravilhosa cria possibilidades incrí­veis de crescimento, que só precisariam ser melhor aproveitadas. [Maringá - PR]

[Sobre "Promoção Mundo Plano"]

por Guilherme Augusto
13/7/2009 às
14h32 189.114.160.43
(+) Guilherme Augusto no Digestivo...
 
Globalização foi inevitável
Eu não acho que a globalização foi boa (ou não) para o Brasil. Ela foi inevitável, isso, sim. Afinal, não globalizar-se é automaticamente desligar-se do contexto mundial. [Uberlândia - MG]

[Sobre "Promoção Mundo Plano"]

por Anna Bernardes
13/7/2009 às
14h31 189.112.215.145
(+) Anna Bernardes no Digestivo...
 
Uma nova chance...
Não acredito em vida após a morte ou vidas passadas. Acho que é só um consolo que temos, para não sentir remorso sobre oportunidades que disperdiçamos, quando, na verdade, sabemos que não podemos redimir de tudo o que fazemos. Às vezes é mais fácil o pensamento de que teremos uma nova chance do que a ação de aproveitar as chances que temos hoje, agora. [São Luís - MA]

[Sobre "Promoção 7 Vidas"]

por Gerusa Silva
13/7/2009 às
14h30 201.4.196.187
(+) Gerusa Silva no Digestivo...
 
Mais lembrada depois
Não, mas acredito que após a morte a pessoa pode ganhar mais vida, pois pode ser que ela seja mais lembrada depois dela. [Curitiba - PR]

[Sobre "Promoção 7 Vidas"]

por Tiago André
13/7/2009 às
14h30 189.34.120.90
(+) Tiago André no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Manual do Prazer
Dr. Paulo Gaudencio
O Dia
(2003)
R$ 8,00



Ivale ! Avanzamos - Guia Didática 4 Acompanha CD
Adda-Nari M. Alves - Angélica Mello
Moderna
(2002)
R$ 50,00
+ frete grátis



Memórias de um Sargento de Milícias
Manuel A. de Almeida
Globo
(1997)
R$ 25,90



A Palavras é Mulher
Machado de Assis e Outros
Ed. Scione
R$ 8,90



Fazendo as Malas
Danuza Leão
Companhia das Letras
(2008)
R$ 10,00



Amor de Salvação - Série Bom Livro
Camilo Castelo Branco
Ático
(1998)
R$ 11,00



Sepp Baendereck - Le Musée de Poche - 10365
Pierre Restany
N/d
(1975)
R$ 42,00



O Urso Teutônico - Terceiro Volume de Em Busca da Paz
Vladimir Malkine
Cátedra
(1979)
R$ 18,00



Roteiro de um gaucho
Herbert childs
Merito
(1952)
R$ 28,88



O Primo Basílio
Eça de Queirós
Abril
(1971)
R$ 6,90





busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês