Perseguindo o Código Da Vinci | Sérgio Augusto

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone
>>> 2007 e os meus CDs - Versão Nacional 2
>>> Between the Acts
>>> O luto e o luto de Valter Hugo Mãe
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
Mais Recentes
>>> Balada na praia dos cães de José Cardoso Pires pela Círculo do livro (1987)
>>> Os amantes do ano 3050 de Phillip Jose Farmer pela Francisco Alves (1981)
>>> O Estrangeiro de Albert Camus pela Record (2005)
>>> Dias e noites de amor e de guerra de Eduardo Galeano pela Paz e Terra (1979)
>>> Lutando na Espanha e recordando a Guerra civil de George Orwell pela Globo (1986)
>>> Estética e Política de Oswald de Andrade pela Globo (1992)
>>> O inverno da nossa desesperança de John Steinbeck pela Civilização Brasileira (1972)
>>> História da riqueza do homem de Leo Huberman pela Zahar editores (1978)
>>> O encandalo Modigliani de Ken Follett pela Record (1985)
>>> A noite dos generais de José Meirelles Passos pela Brasiliense (1986)
>>> História da psiquiatria de Franz G. Alexander & Sheldon T. Sellesnick pela Ibrasa (1966)
>>> O cartaginês de Nauaf Hardan pela Edicon (1985)
>>> Marguerite Yourcenar - A invenção de uma vida de Josyane Savigneau pela Nova Fronteira (1991)
>>> A Neblina do Passado de Leonardo Padura pela Benvirá (2012)
>>> O livro de ouro do Carnaval brasileiro de Felipe Ferreira pela Ediouro (2004)
>>> A ilha do dia anterior de Umberto Eco pela Círculo do livro
>>> O despertar dos mágicos de Louis Pauwels & Jacques Bergier pela Círculo do livro (1989)
>>> A utopia antropofágica de Oswald de Andrade pela Globo (1990)
>>> Machenka de Vladimir Nabokov pela Companhia das letras (1995)
>>> Livro do desassossego de Fernando Pessoa pela Brasiliense (1986)
>>> O livro da tradição de Jean-Michel Angebert pela Difel (1976)
>>> Memórias encontradas numa banheira de Stanislaw Lem pela Francisco Alves (1985)
>>> Auto subversão de Albert O. Hirschman pela Companhia das letras (1996)
>>> Estratégias da ilusão - A revolução mundial e o Brasil de Paulo Sérgio Pinheiro pela Companhia das letras (1992)
>>> Uma caixa de curiosidades de Allen Kurzweil pela Companhia das letras (1993)
>>> Um cemitério para lunáticos de Ray Bradbury pela Best Seller (1990)
>>> Liberalismo - Teoria e prática de Theodore Meyer Greene pela Ibrasa (1983)
>>> Cultura e Imperialismo de Edward W. Said pela Companhia das letras (1995)
>>> Os Intérpretes de Wole Soyinka pela Edições 70 (1986)
>>> Roger Bastide de Maria Isaura Pereira de Queiroz pela Ática (1983)
>>> O testamento de Oscar Wilde de Peter Ackroyd pela Globo (1987)
>>> D. Sancho na América Latina de Pedro Álvares Cabral pela Uni Latium (1977)
>>> Ben-Hur Uma História dos Tempos de Cristo Coleção obra prima série Ouro 43 de Lew Wallace pela Martin Claret (2008)
>>> Poemas de Augusto dos Anjos pela Paz e Terra (2002)
>>> O Homem que Amava Mulheres de François Truffaut - Apresentação de Otavio Frias Filho pela Imago (1995)
>>> Fábulas de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Folclore. Entre a Prática e a Teoria, Entre o Fazer e o Poder de Eduardo Antonio Bonzatto pela Ícone (2017)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Record (1985)
>>> As Areias do Tempo de Sidney Sheldon pela Record (1989)
>>> O Ditador de Sidney Sheldon pela Record (1998)
>>> A Outra Face de Sidney Sheldon pela Record (1970)
>>> Um Capricho dos Deuses de Sidney Sheldon pela Record (1987)
>>> Lannée Du Tennis 2000 de Jean Couvercelle - Gay Barbier pela Calmann-Lévy (2000)
>>> A Perseguição de Sidney Sheldon pela Record (1994)
>>> O Outro Lado da Meia-Noite de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro (1973)
>>> Introdução à Manufatura - Série Tekne de Michael Fitzpatric pela Bookman (2013)
>>> Administração Educacional - Teoria, Pesquisa e Prática - 9ª Ed. de Wayne K. Hoy, Cecil G. Miskel pela Penso (2015)
>>> O Plano Perfeito de Sidney Sheldon pela Record (1997)
>>> Eletrônica II - Série Tekne - 7ª Ed. de Charles Schuler pela Bookman (2013)
>>> Multinacionais Brasileiras de Moacir de Miranda Oliveira Junior pela Bookman (2010)
ENSAIOS

Segunda-feira, 13/6/2005
Perseguindo o Código Da Vinci
Sérgio Augusto

+ de 6500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Quando as atenções do mundo inteiro estavam voltadas para o Vaticano, as minhas não podiam estar voltadas para Meca ou Jerusalem. Mas, enquanto os católicos mais fervorosos choravam e rezavam pelo papa, implorando a Deus para que ele não tivesse um final de vida semelhante ao de Terri Schiavo, eu me preocupava com duas outras agonias pontificais: a sucessão de João Paulo 2º e a cruzada da Santa Sé contra O Código da Vinci.

As duas estão interligadas, pois o cardeal Tarcisio Bertone, a autoridade esclesiástica incumbida de desacreditar o best-seller de Dan Brown, tinha sido apontado como um dos prováveis sucessores de João Paulo 2º. Se o arcebispo de Gênova tinha prestígio bastante para ser papabile, sua recente escolha como sumo templário na cruzada contra Dan Brown é um sinal de que a Igreja considera O Código Da Vinci uma espécie de Saladino com lombada; ou seja, uma questão da maior gravidade.

Tenho pena do cardeal Bertone. Suspeito, mesmo, que qualquer ação dele contra o romance só consiga ampliar-lhe as vendas, inclusive ou sobretudo entre os católicos que ainda não o compraram.

Torquemada já teria dado um jeito nesse imbróglio, mas sem a Inquisição o Vaticano perdeu seu poder para queimar livros. Restou-lhe apenas a ascendência moral sobre o seu rebanho. A cada dia, menor: O Código Da Vinci já vendeu mais de 25 milhões de exemplares, foi traduzido para 44 línguas e ainda não deu mostras de que esteja em fim de carreira. Daqui a menos de um ano, chegará aos cinemas a versão dirigida por Ron Howard e estrelada por Tom Hanks, empurrando-o de volta à lista dos best-sellers, se é que dela irá sair nos próximos meses. O livro, esclareço aos que não o leram, explora a hipótese de Jesus ter sido um simples mortal, que com Maria Madalena se casou e teve filhos, legando descendentes até para a casta dos merovíngios, na França.

Não dá para entender por que o Vaticano demorou tanto tempo —dois anos— para iniciar esta cruzada. Ou melhor, dá, sim. A Santa Sé era rápida quando reprimia, mas sempre tartarugou para rever velhos conceitos e fazer mea-culpa. Levou mais de 350 anos para absolver Galileu e quatro séculos para desculpar-se pela Inquisição. Só no pontificado de João Paulo 2º reconheceu os crimes das Cruzadas e arrependeu-se do silêncio dos católicos no Holocausto. Só em abril passado, os bispos norte-americanos anunciaram que se posicionariam com mais vigor contra a pena de morte. Nesse ritmo, só daqui a muitas décadas ou séculos a Igreja irá desculpar-se dos abusos sexuais cometidos por seus pastores e reconsiderar sua dogmática posição contra o aborto, a eutanásia e o fim do celibato sacerdotal.

O thriller religioso de Dan Brown, centrado nas peripécias de um professor de simbologia de Harvard, chamado Robert Langdon, uma espécie de Harry Potter bíblico a quem uma criptóloga da polícia francesa, Sophie Neveu, ajuda a desvendar o verdadeiro segredo do Santo Graal (não era um cálice, mas a prova das relações conjugais entre Jesus e Madalena), já motivou reações as mais iradas de autoridades evangélicas, notadamente nos EUA. Irritados com as mesmas heresias que impeliram o reverendo Erwin W. Lutzer a publicar A Fraude do Código Da Vinci, o pastor James L. Garlow e o professor Peter Jones escreveram a quatro mãos Desmascarando o Código Da Vinci. Para eles, o romance, além de fantasioso em excesso, anticlerical e abusivamente feminista, celebraria algumas formas pagãs de veneração.

O busílis é a afirmação de que a Igreja teria suprimido 80 evangelhos que negavam a divindade de Jesus, elevavam Madalena à categoria de líder entre os apóstolos e reverenciavam a sabedoria e a sexualidade femininas. Tais especulações circulam por aí há pelo menos 50 anos, desde a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto. Supostos evangelhos, atribuídos a Maria, Pedro, Felipe, Tomás e Q, teriam sido barrados no Novo Testamento, 17 séculos atrás, por ordem do imperador Constantino, politicamente interessado em manter indiscutível a divindade de Jesus e intocável o patriarcalismo cristão.

O reconhecimento de que Madalena não era prostituta, mas o mais influente dos apóstolos, constrangiria a Igreja a rever a campanha de expiação e difamação contra ela movida nos últimos 20 séculos, e admitir a ordenação de mulheres, proibida pela alegada inexistência de uma figura do sexo feminino entre os apóstolos de Cristo. Madalena, dizem, estaria na Santa Ceia, de Leonardo, disfarçada de São João, e foi retratada por alguns pintores renascentistas recebendo de Jesus a missão de levar adiante os seus ensinamentos. Já está fazendo oito anos que alguns teólogos levantaram a tese de que Jesus entregou a liderança da Igreja a Madalena, tão logo ressuscitou. Na época, o Vaticano não saiu dos seus cuidados. No começo da década passada, também com base nos Manuscritos do Mar Morto, a teóloga australiana Barbara Thiering escreveu o biográfico Jesus the Man, no qual Jesus se casava duas vezes, tinha três filhos e vivia até os 65 anos. Como não virou best-seller, a Santa Sé ficou na dela.

O casamento de Jesus com Madalena, a paradigmática rameira, foi considerado uma dupla heresia. Infundado ou não, o fato é que a Igreja tem uma tradição misógina e um farto acervo de vergonhas e tabus mantidos em segredo com o mesmo zelo facultado ao o Santo Graal do Código Da Vinci. Nunca se esclareceu direito se, entre os papas Leão 4º e Benedito 3º, ocupou o trono de Pedro uma papisa de nome Joana, não bastasse, engravidada durante o seu pontificado por um companheiro alemão. E o que dizer do lúbrico papa João 12, morto, no século 10, por um marido que o pegara em flagrante com sua mulher? E do não menos indócil Alexandre 6º, que era papa quando o Brasil foi descoberto e dez filhos pôs neste mundo?

Quem sabe, um dia, o Vaticano desmentirá, cabalmente, todas essas histórias ou as admitirá, altaneiro, como verdadeiras e há séculos irrelevantes. Mas convém não demorar muito, já que pelas profecias de São Malaquias a Igreja está com os dias contados. Morto há 857 anos, São Malaquias predisse que só restaria uma divisa de papa após segundo João Paulo (Gloriae Olivae, A Glória da Oliveira), e que no papado de um novo Pedro, a Igreja, perseguida por ímpios indefinidos, seria destruída, sobrevindo o Juízo Final. Que, lá do Céu, Karol Woytila nos proteja.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no caderno "Aliás", do jornal O Estado de S. Paulo, a 3 de abril de 2005.


Sérgio Augusto
Rio de Janeiro, 13/6/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um coração de mãe de Cintia Moscovich
02. Diálogo com pastinha de hadoque de Sérgio Rodrigues
03. Fim da Web como Terra Prometida de Tiago Dória
04. Uma baby boomer no Twitter de Eugenia Zerbini
05. Villa-Lobos tinha dias de tirano de Luís Antônio Giron


Mais Sérgio Augusto
Mais Acessados de Sérgio Augusto
01. Para tudo existe uma palavra - 23/2/2004
02. O frenesi do furo - 22/4/2002
03. Achtung! A luta continua - 15/12/2003
04. O melhor presente que a Áustria nos deu - 23/9/2002
05. Filmes de saiote - 28/6/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
16/6/2005
12h29min
Olá, Sérgio Augusto, excelente o seu artigo! Li o Código Da Vinci e adorei. O autor tem uma técnica narrativa que deixa o leitor alucinado para ler mais. Quanto ao pessoal do Vaticano e suas cruzadas contra o livro, concordo que só vão aumentar-lhe as vendas. A discussão sobre a possibilidade de Jesús ter se casado com Maria Madalena é tão árida como o sexo dos anjos. Existe uma história na Bíblia e existe a História da Humanidade. Algumas vezes as duas coincidem, outras não. A própria História com "H" não consegue apurar detalhes ocorridos em fatos recentes, que dirá há dois mil anos! A técnica narrativa de Dan Brown é tão especial que faz com que o leitor acredite em tudo o que ele diz! É como aqueles filmes de ação contínua (007, Indiana Jones e outros) que enquanto você está no cinema você acredita no que o filme está mostrando. Depois... Bem, depois, só o pessoal, que tomou uma lavagem cerebral e encaixou a história da Blíblia como o único acontecimento do mundo, consegue mover uma cruzada contra qualquer modo de pensar que não seja exatamente o seu!
[Leia outros Comentários de Vera Carvalho]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ELABORAÇÃO E ORIENTAÇÃO DE PROJETOS
NILSON HOLANDA
APEC
R$ 10,00



MONSTRO
JONATHAN KELLERMAN
MANDARIM
(2000)
R$ 9,00



PESCOÇO E BRAÇO
RENE CAILLIET
MANOLE - SP
(1976)
R$ 5,31



HORÓSCOPOS COM PREVISÕES ATÉ O ANO 2001 - LEÃO
LORELEY SOMMA E MARCO NATALI
EDIOURO
R$ 6,90



AS PSICOTERAPIAS HOJE ALGUMAS ABORDAGENS
ALFREDO NAFFAN NETO
SUMMUS
(1982)
R$ 12,00



OUVINDO VOZES: HISTÓRIAS DO HOSPÍCIO E LENDAS DO ENCANTADO
EDMAR OLIVEIRA
VIEIRA & LENT
(2009)
R$ 18,00



CARLOS HEITOR CONY
O PIANO E A ORQUESTRA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1996)
R$ 5,90



CUIDANDO DE MIM: ENSINAMENTOS MILENARES E RITOS TIBETANOS
ENEIDA MAGALHÃES CAETANO
LEITURA
(2011)
R$ 15,00



TWIST
TOM GRASS
HARPER COLLINS BR
(2015)
R$ 12,00



BARBIE BUTTERFLY E A PRINCESA FAIRY
CIRANDA
CIRANDA CULTURAL
R$ 5,00





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês