Vide bula e vire cult | Luís Antônio Giron

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Breve História do Cinismo Ingênuo
>>> Minha cartomante não curte o Facebook
>>> Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os olhos brancos de Deus
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Mais Recentes
>>> Contabilidade de Custos de Osni Moura Ribeiro pela Saraiva (2013)
>>> Cachaça artesanal. Do alambique à mesa de Atenéia Feijó & Engels Maciel pela Senac Nacional (2001)
>>> Pirâmides E Soberanos Do Egito de Sérgio Pereira Couto pela Escala (2015)
>>> O Velho Monge do Castelo de Lauro Trevisan pela Mente (2010)
>>> Dinâmica do Desejo de Frei Carmelo Surian pela Vozes (1982)
>>> Testemunho Sem Medo Como Partilhar sua Fé com Segurança de Bill Bright pela Candeia (1988)
>>> Cachaça. The Authentic Brazilian Drink de Diversos Autores pela Abrabe (2010)
>>> Natal a Humanidade e a Jovialidade de Nosso Deus de Leonardo Boff pela Vozes (2000)
>>> Blitzkrieg 1940 de Ward Rutherford pela Bison (1985)
>>> Cantores do Rádio. A trajetória de Nora Ney e Jorge Goulart e o meio artístico de seu tempo de Alcir Lenharo pela Unicamp (1995)
>>> Titeres y marionetas en alemania de Hans R. Purshke pela Neue Darmstädter Verlagsanstalt Darmstadt (1957)
>>> Aritmética da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Caçadas de Pedrinho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias Diversas de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Emilia no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias de tia Nastácia de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Saci de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Picapau amarelo de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Os 13 Porquês de Jay Asher pela Ática (2009)
>>> Só o Amor é Real de Brian Weiss pela Sextante (2012)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Ciranda Cultural (2017)
>>> O clamor do Mundo de Oswaldo Smith pela Vida (2009)
>>> DVD Coleção Mazzaropi Tristeza do Jeca vol. 3 de Direção, Amácio Mazzaropi / Milton Amaral pela Pam filmes (1961)
>>> A Cinco Passos de Você de Rachael Lippincott pela Alt (2019)
>>> O Poço do Visconde de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Peter Pan de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Memórias da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Minotauro de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> História do Mundo para Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Dom Quixote das Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> As Aventuras de Hans Staden de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> A chave do Tamanho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> viagem ao Céu de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Serões de dona Benta de Monteiro Lobato pela Ciranda cultural (2019)
>>> Go Down Together The true Untold story of Bonnie and Clyde de Jeff Guinn pela Simon & Schuster (2009)
>>> Fbi--43--o grande golpe--105--41--67 de Monterrey pela Monterrey
>>> Hh--epopeias de guerra--375--furia e odio--6--160--146--153--158-- 23--141 de Peter kapra pela Monterrey
>>> Rpg--29--anjos e demonios--58--temporada de caça. de Trama pela Trama
>>> Egw--100--call of duty--black ops de Tambor pela Tambor
>>> A Saga dos Cristãos Novos de Joseph Eskenazi Pernidji pela Imago (2005)
>>> Uma Técnica de Viver de Leonard A. Bullen pela Pensamento (1988)
>>> Avaliação de Programas - Concepções e Práticas de Blaine R. Worthen, James R. Sanders e Jody L. Fitzpatrick pela Gente (2004)
>>> Concentração de Mouni Sadhu pela Pensamento (1984)
>>> O Melhor Livro Sobre Nada de Jerry Seinfeld pela Frente (2000)
>>> A República de Platão pela Nova Cultural (2000)
>>> Condenados da Terra de Frantz Fanon pela Edição Popular (1961)
>>> Com Olhos de Criança de Francesco Tonucci pela Instituto Piaget (1988)
>>> Revista Neuro Educação – Nº 4 – Dormir Bem Para Aprender Melhor de Vários Autores pela Segmento (2015)
>>> de Jorge Carvalho do Nascimento pela Criação (2018)
>>> Revista Ciência & Vida Psique – Ano 1 – Nº 2 – Psicopedagogia Pra Que? de Vários Autores pela Escala
ENSAIOS

Segunda-feira, 26/12/2005
Vide bula e vire cult
Luís Antônio Giron

+ de 5600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Os seres humanos não vêm ao mundo com um manual de instruções. Deus deveria fornecer pelo menos um livreto explicativo, pois as pessoas gastam boa parte de suas vidas e energias procurando entender em que mundo vivem e de que forma devem viver. À medida que crescem, precisam recorrer a supostos "guias de operação". Daí a importância da literatura de auto-ajuda.

Hoje as pessoas não encontram mais o apoio da família. Perdeu-se alguma coisa importante nessa liberação dos costumes do século XXI: o conhecimento, os princípios básicos da polidez e do contato humano, a noção de hierarquia no trato e coisas básicas como se portar à mesa, dizer "por favor", "obrigado" e "com licença". A gente sente isso dentro de casa. A figura dos pais deixou de ter tanta importância e, nas escolas, as crianças são deixadas ao sabor de sua falta de referenciais. A garotada é obrigada, assim, a criar códigos de conduta. E estes não têm uma ligação real com o mundo. Vivem em um universo à parte, com falas e comportamentos os mais bizarros. Nas empresas, a mesma coisa: a horizontalização dos processos criaram uma cultura corporativa livre, em que todo mundo se acha no direito de fazer e dizer o que quiser. É claro que, na prática, esse tipo de liberdade dá com os burros n'água. Eta mundinho sem noção!

Com toda a inversão de valores da sociedade, e com a saída de cena da figura do ancião conselheiro, dos orientadores, dos chefes que usavam pedagogia e mesmo dos pais, só restam mesmo os livros de etiqueta. Um número expressivo de títulos nessa área invade o mercado. Há cursos nesse tema em todo canto do planeta. E, para quem ainda não reparou, etiqueta deixou de ser exclusividade das moçoilas de elite. Atualmente, o público masculino busca em cursos de boas maneiras inglesas (chamadas finishing schools) uma forma de ascender socialmente e se comportar no ambiente de trabalho. Quase toda as obras e palestras de auto-ajuda corporativa servem atualmente como desculpa para ensinar padrões de comportamento. São obras curiosamente necessárias, especialmente no mundo corporativo. Por que se tornaram tão importantes? Vivemos ainda em um mundo hipócrita? Ou é a sociedade sem noção que quer se agarrar em alguma base, mesmo que inconsistente? Que imagem de mundo é esta vendida pelos manuais?

Para responder às perguntas, vamos dar uma passada de olhos nos livros recém-lançados. Isso para não entrar na amazônia de títulos semelhantes que transformam o mercado num cipoal intransponível. A Arte da Guerra, de Sun Tzu, é o manual de gerentes mais usado como guia de boas maneiras, mesmo que ensine como aniquilar inimigos da forma mais rápida possível. As boas maneiras estenderam suas ventosas para áreas impensáveis, como guerra, cultura, vida corporativa e até ioga.

No Brasil, cultura, por exemplo, virou um item de luxo, e é usada para impressionar um possível cliente, um empregador, um contato. O engraçado é que o consumidor não quer usar o método mais difícil e efetivo para virar um homem de bem e educado: a educação. Mesmo porque ser educado não abre exatamente portas. Adquirir boas maneiras e uma cultura de verniz é mais útil e ajuda o profissional a subir com maior rapidez.

Cultura e Elegância (Editora Contexto, 290 págs.), organizado pelo livre-docente em História Jaime Pinsky e com apresentação da psicanalista e socialite Eleonora Mendes Caldeira, traz o subtítulo: "O que se deve fazer e o que é preciso conhecer para ser uma pessoa culta e elegante". O volume cumpre a função de instrumentalizar a cultura como elemento essencial da elegância e das boas maneiras. O livro traz um elenco de especialistas em diversos assuntos, como literatura, música, cinema, moda. Em todos, há bulas para o remédio de se transformar em um ser cult. Para Eleonora, cultura e elegância são sanguessugas que se exploram mutuamente. Diz ela: "Um homem ou uma mulher elegante quer – e precisa – saber o que se passa no mundo das artes, da literatura, da música, dos espetáculos, das viagens, da gastronomia. Cultura, pois, entendida como produção humana para deleite próprio. A Cultura tida, então, como alimento do espírito". O que, em outras palavras, o volume pretende é reduzir a cultura em ferramenta para o sorriso da sociedade. Fácil, não? Vide bula e vire cult.

No âmbito corporativo, é ainda mais hilariante o manual O Negócio é o Seguinte - Hábitos e costumes dos povos e sua influência na vida empresarial (Ibradep, 490 págs.). As autoras paulistanas são a advogada Maria Eliza de Araújo Barros e a consultora e comunicóloga Gilda Fleury Meirelles. O volumão é um guia para os efusivos brasileiros evitarem gafes internacionais nos negócios. Ensina que japonês se curva, europeu aperta a mão e as mulheres dos países árabes estão em posição inferior. O profissional precisa saber umas poucas instruções, pois a globalização está colocando todo mundo no mesmo nível. Antigamente, por exemplo, trocar cartões no Brasil soava estranho. Hoje nos comportamos como perfeitos japoneses. O maior defeito do gerente brasileiro é ser "dado" demais. Nem sempre os estrangeiros gostam de sorrisos e gargalhadas, confissões e piadas. Eu pergunto: quem não sabe isso de cor? É que as gerações se seguem e se perdem as vivências, não se passam experiências de uma para outra.

A jornalista gaúcha Célia Ribeiro lança Etiqueta Século XXI - Um guia prático de boas maneiras para os novos tempos (LP&M, 290 págs.). O livro é uma bula de como se comportar na era do celular e da internet. Célia aconselha os aspirantes a conquistar um estilo, olhando-se no espelho para examinar defeitos e tiques nervosos, dá dicas sobre como manter a postura ereta, o nós da gravata, o tipo de minissaia para executivas. No chá das cinco, pode-se aproveitar o mesmo sachê em mais de uma xícara sem fazer vexame. As mulheres modernas e maduras podem ser ousadas e até convidar o homem para sair. Cheques-presentes não fazem feio. E na academia é preciso ser elegante, sim. Viu como é fácil?

Tem etiqueta para todas as tribos. Os iogues, por exemplo, ganham agora Boas Maneiras no Yôga (Nobel, 146 págs.), de Mestre De Rose. Leva o subtítulo de "Uma coletânea bem-humorada de observações sobre etiqueta, aplicáveis dentro e fora do Yôga". Além de abordar códigos para os relacionamentos animados entre os iogues, Mestre De Rose dá conselhos sobre liberdade, alimentação (ele abomina proteína animal, que chama de "cadáveres") e até mesmo como evitar que outros ouçam os barulhos que o ser bem-educado produz no banheiro. Escreve: "é imperdoável produzir aqueles ruídos hediondos que pessoas menos educadas fazem com a garganta sistematicamente todas as manhãs, como se estivessem sendo sufocadas pelo catarro e precisassem livrar-se dele urgentemente".

Aquilo que deveria ser bem sabido por todos virou repertório desses manuais. O mundo tem seu componente de hipocrisia na convivência social e um pouco de modos não faz mal a ninguém. O fato é que esses novos manuais de século XXI fazem uma imagem do mundo como um território hostil, em que as pessoas devem manter as aparências e mentir para si próprias a fim de conquistar algum lugar. O público-alvo desses livros não parece ser o homem, mas o rato. Isso porque tudo o que esses sábios aconselham se rege por mecanismos de estímulos e respostas. A civilização pode ser regida por um manual de instruções para se comportar como camundongos numa caixa. O bom senso não entra nesses experimentos. Deus, por favor, passe a enviar seres à Terra com as instruções, OK?

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Este artigo foi publicado originalmente na revista eletrônica da AOL, em 7 de novembro de 2005.


Luís Antônio Giron
São Paulo, 26/12/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Críticos em extinção? de Mauricio Stycer
02. 20 anos do Dois de Alexandre Matias


Mais Luís Antônio Giron
Mais Acessados de Luís Antônio Giron
01. Paulo Coelho para o Nobel - 21/11/2005
02. Villa-Lobos tinha dias de tirano - 3/11/2003
03. JK, um faraó bossa-nova - 6/2/2006
04. Francisco Alves, o esquecido rei da voz - 5/8/2002
05. A blague do blog - 11/8/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/12/2005
16h53min
Ao invés de "daí a importância da literatura de auto-ajuda", eu pensaria na Filosofia e em outras literaturas... Enfim, os argumentos não me convenceram.
[Leia outros Comentários de isa fonseca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PARIS: AMERICAN EXPRESS
CHRISTOPHER MCINTOSH
GLOBO
(1992)
R$ 5,00



O SEGREDO DE EMMA CORRIGAN (EDIÇÃO DE BOLSO)
SOPHIE KINSELLA
BESTBOLSO
(2015)
R$ 29,88



ESCRITORES DO BRASIL
APARICIO FERNANDES (ORG.)
FOLHA CARIOCA
(1983)
R$ 6,90



AMOR DE PERDIÇÃO
CAMILO CASTELO BRANCO
KLICK
(1997)
R$ 5,00



BASTIDORES O LIVRO OFICIAL DA SÉRIE ARQUIVO X
BRIAN LOWRY
MERCURYO
(1996)
R$ 24,90



SINAIS DE ESPARANCA UMA LEITURA SUPREENDENTE DOS ACONTECIMENTOS ATUAIS
ALEJANDRO BULLON
CASA PUBLICADORA
(2008)
R$ 5,00



O ENIGMA DO OITO
KATHERINE NEVILLE
BESTSELLER
R$ 26,00



MANUAL DE PROCESSO PENAL BRASILEIRO VOL II
JOSÉ LISBOA DA GAMA MALCHER (CAPA DURA)
FREITAS BASTOS (RJ)
(1980)
R$ 26,82



COVER GUITARRA JOE SATRIANI - 5951
DIVERSOS
COVER GUITARRA
R$ 10,00



ATE QUANDO ?
JACK SIQUEIRA
S D
(1990)
R$ 6,90





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês