Baixíssima gastronomia | Ricardo Freire

busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> De volta às férias I
>>> Redes e protestos: paradoxos e incertezas
>>> 2005: Diário de bordo
>>> Alfa Romeo e os bloggers
>>> Defesa dos Rótulos
>>> O Jovem Bruxo
>>> Sua Excelência, o Ballet de Londrina
>>> O diabo veste Prada
Mais Recentes
>>> Organize-se num Minuto de Donna Smallin pela Gente (2005)
>>> Assassinato no Expresso do Oriente de Agatha Christie pela Nova Fronteira (2011)
>>> Quatrocentos Contra Um - Uma História do Comando Vermelho de William da Silva Lima pela Vozes (1991)
>>> Confronto pedagógico: Paulo Freire e Mobral de Gilberta Martina Jannuzi pela Cortez & Moraes (1979)
>>> Escravidão, Homossexualidade e Demonologia de Luiz Mott pela Icone (1988)
>>> Socialismo Síntese das origens e doutrinas de Edgar Rodrigues pela Porta Aberta (2003)
>>> Sentença: Padres e Posseiros do Araguaia de Rivaldo Chinem pela Paz E terra (2019)
>>> Pancho Villa O revolucionário Mexicano de Earl Shorris pela Francisco Alves (1983)
>>> México em Transe de Igor Fuser pela Scritta (1996)
>>> Sociologia Política da Guerra camponesa de Canudos - Da destruição do Belo Monte ao aparecimento do MST de Clóvis Moura pela Expressão Popular (2000)
>>> Exclusão Escolar Racializada - Implicações do Racismo na Trajetória de Educandos da EJA de Tayná Victória de Lima Mesquita pela Paco Editorial (2019)
>>> Crítica da Razão Negra de Achille Mbembe pela N-1 Edições (2018)
>>> Esferas da Insurreição - Notas para uma vida não cafetinada de Suely Rolnik pela N-1 Edições (2013)
>>> Arqueofeminismo - Mulheres filósofas e filósofos feministas – Séculos XVII-XVIII de Maxime Rovere (Org.) pela N-1 Edições (2019)
>>> A Doutrina Anarquista ao Alcance de Todos de José de Oiticica pela A Batalha (1976)
>>> Helena de Machado de Assis pela Ática (1994)
>>> A 3° Visão de T. Lobsang Rampa pela Record (1981)
>>> A História Da Indústria Têxtil Paulista de Francisco Teixeira pela Artemeios (2007)
>>> Ciência tecnologia e gênero abordagens Iberoamericanas de Marília Gomes de Carvalho (org.) pela utfPR (2011)
>>> A Jornada de Erin. E. Moulton pela Nova Conceito (2011)
>>> A Melodia Feroz de Victoria Schwab pela Seguinte (2016)
>>> Despertar ao Amanhecer de C.C. Hunter pela Jangada (2012)
>>> Sussurro - Coleção Hush Hush de Becca Fitzpatrick pela Intrínseca (2009)
>>> Holocausto Nunca mais de Augusto Cury pela Planeta
>>> Lusíada (Nº 1): Revista Ilustrada de Cultura.- Arte.- Literatura.- História.- Crítica de Martins Costa/ Portinari/ Texeira Pascoaes (obras de) pela Simão Guimarães & Filhos./ Porto (1952)
>>> Fábulas que Ajudam a Crescer de Vanderlei Danielski pela Ave Maria (1998)
>>> Ninguém é igual a ninguém de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> Você Pode Escolher de Regina Rennó pela Do Brasil (1999)
>>> Apelido não tem cola de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (2019)
>>> Coração que bate, sente de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> A galinha que criava um ratinho de Ana Maria Machado pela Ática (1995)
>>> Pinote, o fracote e Janjão, o fortão de Fernanda Lopes de Almeida pela Ática (2000)
>>> A lenda da noite de Guido Heleno pela José Olympio (1997)
>>> A História de uma Folha de Leo Buscaglia pela Record (1999)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (1999)
>>> O último judeu: uma história de terror na Inquisição de Noah Gordon pela Racco (2000)
>>> Confissões de um Torcedor: Quatro copas e uma Paixão de Nelson Motta pela Objetiva (1998)
>>> Controle de Infecções e a Prática Odontológica em Tempos de Aids de Vários pela Brasília (2000)
>>> A Roda do Mundo de Edimilson de Almeida Pereira e Ricardo Aleixo pela Mazza/ Belo Horizonte (1996)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> A Propagação do Amor: Sobre o Plantio e a Colheita do Bem de Betty J. Eadie pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Auto- Estima: Amar a Si Mesmo para Conviver Melhor Com os Outros de Christophe André - Françoise Lelord pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Os Lusíadas: Reprodução Paralela das duas Edições de 1572 / Ed. Ltd. de Luis de Camões pela Impr. Nac. Casa da Moeda/ Lis (1982)
>>> Administração de Marketing: Desvendando os segredos de: Vendas. Promoç de Stephen Morse pela McGraw Hill (1988)
>>> Obras Completas de Álvares de Azevedo - 02 Tomos ) de Álvares de Azevedo/ Org. Notas: Homero Pires pela Companhia Ed. Nacional (1942)
>>> Obras Completas (Poesia, Prosa e Gramática) de Laurindo José da Silva Rabelo/ Org: O. de M. Braga pela Companhia Ed. Nacional (1946)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
ENSAIOS

Segunda-feira, 23/1/2006
Baixíssima gastronomia
Ricardo Freire

+ de 5500 Acessos

A última onda é a baixa gastronomia praticada em lugares da moda – pratos de botequins populares revisitados por botequins freqüentados pela moçada. Não, obrigado. Baixa gastronomia em boteco de mauricinho é meio-termo demais para o meu gosto.

Prefiro os extremos. Pedir comida nojenta em restaurante de luxo, por exemplo. Desculpe falar isso bem no meio do seu café da manhã, mas a verdade é que eu não consigo resistir a dobradinha em restaurante francês. Se está no cardápio, eu peço. E imediatamente esqueço que esse é um prato que nasceu em Caen, no noroeste da França – para mim, a dobradinha nasceu num desses botecos do Centro onde é servida todas as terças.

Já num botequim eu dificilmente peço o prato do dia. Por um motivo: não chego a ler o cardápio afixado na parede. Meus olhos simplesmente não conseguem desgrudar daquilo que está exposto no balcão. Um virado à paulista é algo totalmente abstrato, quando você tem na sua frente coxas de galinha de carne e osso. Basta comer uma para ter certeza absoluta de que coxa de galinha e peito de frango vêm de integrantes inteiramente distintos do reino animal.

Mas não se preocupe. Você não vai me ver comendo ovos cozidos coloridos em nenhum momento deste artigo. É que eu não sou fã de ovo cozido. Mas se fosse, é lógico que experimentaria um desses – de preferência, cor-de-rosa – que costumam ficar entre os torresmos, as lingüiças e os nuggets de pacote.

O meu fraco por coxas de carne e osso, contudo, não chega perto da minha tara por doce velho de padaria. Fala sério – tem coisa melhor que doce vencido de padoca? Aquele mil-folhas dormido de três noites, que já deu ao creme toda a chance do mundo de penetrar na massa, tornando o conjunto absolutamente inseparável? Ou aquele pudim que se solidificou um pouquinho só, para ficar com aquela consistência própria para a gente pegar um guardanapo e segurar com a mão? Ah, como eu gosto.

Infelizmente, eu não fumo. Porque, se fumasse, teria a chance de entrar com mais freqüência nos verdadeiros antros da baixíssima gastronomia. E poderia comer mais vezes aquele que é o bolo mais gostoso do planeta: o bolo de balcão. Aquele que você não tem a mínima idéia de onde, quando e de que jeito veio, mas que está ali, só esperando você levantar a tampa de plástico transparente e escolher o seu pedaço. Moço! Eu queria também um café. Mas só se for no copo. Já vem com açúcar, né?

Sobre a globalização do café expresso

Ninguém jamais se manifestou contra a globalização do café expresso. A não ser, é claro, as balconistas.

Chegue em algum lugar onde o café expresso seja novidade – basicamente, qualquer cidade fora do Estado de São Paulo – e você vai notar que as meninas do balcão têm dificuldade em entender como é que alguém pode gostar daquilo.

Se você recusa o açúcar, então, elas fazem careta.

– Puro? Ugh! Como o senhor consegue?

A gente dá um golinho e elas se arrepiam, como alguém tivesse arranhado um giz no quadro-negro.

O fenômeno, no entanto, é irreversível. Um dia o café expresso chegará ao sertão, à floresta, ao pantanal. Já tem café expresso em Canoa Quebrada. Já tem café expresso em Ilha Grande. Já tem café expresso até em Fernando de Noronha. (Ao lado do Ibama, para ser mais exato.)

Mesmo assim, ninguém se manifesta contra a globalização do café expresso.

Os agricultores franceses não bloqueiam as estradas em protesto contra a disseminação dos valores culturais italianos. Os nacionalistas brasileiros não escrevem artigos defendendo a resistência cívica e a instituição de incentivos fiscais ao jeitinho caipira de fazer café. Nenhuma confederação de indústrias pede a proibição da importação de máquinas de café expresso para evitar o fechamento das fábricas de coador de papel.

Cada vez mais escritórios instalam máquinas de café expresso do tamanho de geladeiras, mas ainda não apareceu nenhum partido de esquerda a alertar para o desemprego maciço das moças do cafezinho.

A verdade é que o café expresso civiliza povos aonde quer que chegue.

Os americanos só fizeram a revolução tecnológica da informática depois que descobriram o café expresso. Hoje os Estados Unidos são um país dividido visceralmente entre jovens e velhos, modernos e ultrapassados, bacanas e jecas, bebedores de café expresso e consumidores de canecões de água preta rala.

A única grande empresa americana surgida nos últimos 10 anos e que não se chama alguma coisa ponto-com é a Starbucks – uma espécie de McDonald's do café expresso, nascida na mesma Seattle da Microsoft e da Amazon. Mesmo lá, não adianta pedir um café. Eles só atendem se você pedir um piccolo ou um doppio latte. Na Starbucks você é obrigado a não apenas ser específico, mas a ser específico em italiano. Nem por isso os americanos fazem piquete em frente à Casa Branca contra a invasão de expressões estrangeiras ao vernáculo ianque.

Leonel Brizola nunca foi à televisão denunciar a perda internacional do nosso melhor café, que vai até a Itália para voltar em sachês imperalistas, prontos para funcionar apenas em máquinas italianas. Itamar Franco nunca condicionou a venda de Illycaffè em Minas Gerais à instalação de uma fábrica de máquinas em Juiz de Fora. Maria da Conceição Tavares jamais chorou em público por preferirem café expresso até em Portugal.

É incrível: ninguém se manifesta contra a globalização do café expresso. E no entanto só Hollywood penetrou tão insidiosamente nos costumes de todos os povos civilizados ou em processo de civilização. O cigarro pode estar caindo em desuso, mas o expresso nunca experimentou tamanho sucesso. A Coca-Cola perde mercado para as tubaínas, as cervejas ficam mais leves e claras, mas a única concessão do café expresso ao gosto do mercado foi o surgimento da versão descafeinada (ugh).

Só as balconistas são contra a globalização do café expresso.

Elas pegam a nossa ficha com indiferença. Perguntam "puro ou com leite?" com desprezo. Tiram o bocal da máquina com força. Enchem o bocal de pó de café com raiva. Recolocam o bocal na máquina com ódio. Apertam o botão da máquina com tristeza. Esperam o café escorrer com tédio. Depositam a xícara na sua frente com nojo.

Não adianta, meninas. Não há como deter a globalização.

Nota do Editor
Textos gentilmente cedidos pelo autor. Publicados originalmente no Guia do Estadão, em dezembro de 2005, e no Jornal da Tarde, em agosto de 2000. Ricardo Freire é autor dos livros Viaje na Viagem e O Efeito Sanfona: confissões de um dependente químico de comida.


Ricardo Freire
São Paulo, 23/1/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Confissões de um escritor de Charles Kiefer


Mais Ricardo Freire
Mais Acessados de Ricardo Freire
01. Para você estar passando adiante - 23/3/2009
02. Baixíssima gastronomia - 23/1/2006
03. O que é o Twitter? - 24/8/2009
04. Twitter versus Facebook - 21/6/2010
05. iAnta - 8/3/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A SANTA NO POLEIRO
NANI
ZIT (RJ)
(2008)
R$ 21,82



PÉROLAS DE UM POVO
EGON E FRIEDA WOLFF
DO AUTOR
(1987)
R$ 5,07



A CASA DA MADRINHA
LYGIA BOJUNGA
CASA LYGIA BOJUNGA
(2013)
R$ 25,00



A CATÁSTROFE DO PLANETA EBULIDOR
JOÃO CARLOS MARINHO
ED. GLOBAL
(1998)
R$ 9,99



EMAGREÇA COMENDO BATATA SEM CULPA
ADEMIR CARVALHO LEITE
ABRATHER
(2004)
R$ 10,80



A IGREJA PÓS CONCILIAR: DISCURSOS AO POVO DE DEUS
PAULO VI
EDIÇÕES PAULISTAS
(1968)
R$ 16,82



A TURMA DA MÃO PRETA O TESOURO DO LAGO DA BRISA E UM ROUBO ZOOLÓGICO
HANS JURGEN PRESS
ÁTICA
(2002)
R$ 4,00



MANUAL PRÁTICO DE DIREITO DO TRABALHO - PARA CONCURSOS
EDUARDO A. V. FERNANDEZ
BH
(2005)
R$ 32,82



A JUVENTUDE E A VIDA SEXUAL
E. THENN DE BARROS
LIVRARIA LIBERDADE
R$ 7,00



THE HEIST: A NOVEL
JANET EVANOVICH E LEE GOLDBERG
BANTAM BOOKS
(2014)
R$ 19,82





busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês