De fato e ficção | Daniel Piza

busca | avançada
60272 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Dublinenses
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> A Lógica do Cisne Negro, de Nassim Nicholas Taleb
>>> Villa-Lobos tinha dias de tirano
>>> Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo
>>> White Blues Boys
>>> 21º de Mozart: Pollini e Muti
>>> Mentiras diplomáticas 1: a Copa do Mundo é nossa
>>> Separar-se, a separação e os conselhos
Mais Recentes
>>> Os Lusíadas de Luís de Camões pela Abril (1979)
>>> Os Trabalhadores do Mar de Victor Hugo pela Abril (1979)
>>> Decamerão (2 volumes) de Giovanni Boccaccio pela Abril (1981)
>>> Relações entre a Igreja e o Estado de Rafael Llano Cifuentes pela José Olympio (1989)
>>> A Interpretação do Homem de Renato Kehl pela Francisco Alves (1951)
>>> Envelheça Sorrindo de Renato Kehl pela Francisco Alves (1949)
>>> O Milagre de Lourdes de Ruth Cranston pela Melhoramentos (1955)
>>> Diário de um pároco de aldeia de Georges Bernanos pela Agir (1964)
>>> A Doutrina Social da Igreja de G. C. Rutten, O. P. pela Agir (1947)
>>> Maria e o Evangelho de Jean Galot pela Aster (1961)
>>> O que sobrou do paraíso? de Jean Delumeau pela Companhia das letras (2003)
>>> Senhores de engenho, judeus em Pernambuco colonial 1542-1654 de José Alexandre Ribemboim pela 20-20 Comunicação (2002)
>>> Os magnatas do tráfico negreiro de José Gonçalves Salvador pela Pioneira, Edusp (1981)
>>> A comunidade judaico-cristã de Mateus de Anthony J. Saldarini pela Paulinas (2000)
>>> A Formação da Terra - Biblioteca Salvat de Grandes Temas de Vários Colaboradores pela Salvat (1979)
>>> As origens do Novo Testamento de C. F. D. Moule pela Paulinas (1979)
>>> Mártires do coliseu romano de Emma Leslie pela Aeebar (1984)
>>> Filosofia para entender teologia de Diogenes Allen e Eric Springsted pela Paulus, Academia cristã (2011)
>>> Nigella Bites de Nigella Lawson pela Ediouro (2019)
>>> Minidicionário da Língua Portuguesa de Francisco da Silveira Bueno pela FTD (1996)
>>> Desenho Técnico de Thomas E. French pela Globo (1958)
>>> Métodos de Ensaios nas Indústrias de Celulose e Papel de Alfred Halward e Outro pela Brusco
>>> Minha Vida na Estrada de Gloria Steinem pela Bertrand Brasil (2017)
>>> Quantitative Analysis de V. Alexeyer pela Mir
>>> Pulp Technology and Treatment For Paper de James d'A. Clark pela Miller Freeman (1978)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 47 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 46 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 43 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 41 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 40 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 39 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 38 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Ciranda Cultural / W. Bucb (2009)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 37 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 36 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 35 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 34 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Fim de Fernanda Torres pela Companhia das Letras (2013)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 33 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 32 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 31 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2002)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 30 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 29 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Cardiologia Baseada em Relatos de Casos de Carlos V. Serrano Jr.; Flávio Tarasoutchi; Outros pela Manole (2006)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 28 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 27 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> A Bíblia mais Bela do Mundo 26 de Pe. Antônio Charbel pela Abril (1965)
>>> Um Encontro Inesperado de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasil (2003)
>>> Temas de Marcapasso de Celso Salgado De Melo; Oswaldo Tadeu Greco; Outros pela Leitura Médica (2011)
ENSAIOS

Segunda-feira, 11/1/2010
De fato e ficção
Daniel Piza

+ de 5800 Acessos


Rational exploration of the
undersea: the contact
, de Philippe Ramette

No mundo inteiro, inclusive no Brasil, hoje são lidos mais livros de não-ficção do que de ficção. Ou seja, há mais exemplares e títulos de biografias, ensaios, reportagens, história, autoajuda, didáticos, científicos e outros do que de romances e contos. Mesmo com sucessos como os da série Crepúsculo, histórias românticas de vampiros adolescentes escritas por Stephenie Meyer, o predomínio já não é da novelística. Houve um tempo, como se sabe, em que a narrativa ficcional ocupava o centro da cultura, era a espinha e medula da troca de valores e costumes. No século XIX, por exemplo, o grande romance, que mesclava panorama histórico e análise psicológica, como em Tolstói, Balzac ou George Eliot, dava a medida de uma civilização. Hoje, não mais. Curiosamente, tal mudança não se restringe ao mundo literário. É claro que há mais filmes de ficção, por exemplo, mas o número de documentários no cinema e na TV só tem aumentado (e influenciado até mesmo filmes não documentais). Nas salas brasileiras, um quarto dos filmes em cartaz pertence ao gênero.

O que explica isso? Num arco de tempo mais curto, pode-se pensar que há relação com um mundo cada vez mais globalizado, de notícias que correm na velocidade da luz (ou das trevas), e fatos como os atentados de 11 de setembro de 2001 provocam nas pessoas uma necessidade de entender melhor a realidade que as afeta de modos tão imprevisíveis. Indo um pouco mais atrás, pode-se atribuir a perda de importância da ficção à explosão de outros meios e linguagens, à concorrência de formatos audiovisuais, internet, novas tecnologias etc., que, além de consumir tempo e dividir atenção, têm uma eloquência mais direta; não exigem o grau de concentração que os clássicos exigem. E, num recuo ainda maior, até a virada para o século XX, a ficção tem enfrentado também a ascensão de uma série de disciplinas antes vagas, sem método nem consistência, e que hoje usam e abusam de ferramentas como a estatística - a exemplo da sociologia, da psicologia e da economia.

Eu arrisco outra hipótese adicional, que tem a ver com os rumos tomados pela própria ficção. Talvez porque pressionados por essa multiplicação das fontes de conhecimento e entretenimento, os romances abandonaram parcialmente aquilo que mais os distinguia até a geração modernista de Proust, Mann, Joyce e Kafka: a força dos personagens. Pense em qualquer grande obra literária e pensará num (a) protagonista, não raro citado (a) já no título: Hamlet, Anna Karenina, Bovary, Fausto, Dom Quixote, Pai Goriot, Dom Casmurro... Mas depois dos anos 30 parece que a ficção optou pela metalinguagem, pelo chororô do autor, ou então pelas crônicas policiais ou fantásticas que são lidas para diversão no verão, quando queremos escapar da chatice da rotina. E ainda não querem perder a "briga" para as biografias de figuras históricas e complexas? Mesmo assim, confesso minha nostalgia pelos grandes romances, com seus personagens fortes e suas ambições estéticas. Romances medianos podem facilmente ser substituídos por histórias reais. Obras-primas, não.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista OceanAir, edição nº 13.


Daniel Piza
São Paulo, 11/1/2010

Mais Daniel Piza
Mais Acessados de Daniel Piza
01. Arte moderna, 100 anos - 10/9/2007
02. Como Proust mudou minha vida - 15/1/2007
03. Saudades da pintura - 16/5/2005
04. A pequena arte do grande ensaio - 15/4/2002
05. André Mehmari, um perfil - 20/11/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OPEN WATER DIVER MANUAL
VÁRIOS
PADI
(2005)
R$ 6,90



ADOLFO
BENJAMIN CONSTANT
EDIOURO
R$ 9,00



SHERLOCK HOLMES EM: UM ESTUDO EM VERMELHO
SIR ARTHUR CONAN DOYLE
L&PM POCKET
(2005)
R$ 7,00



O NOVO MARKETING
MARCOS COBRA-ROBERTO BREZZO
ELSEVIER
(2010)
R$ 39,00



O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO 2 4833
DOUGLAS ADAMS
SEXTANTE
(2004)
R$ 10,00



OS ARGONAUTAS DA CIDADANIA - A SOCIEDADE CIVIL NA GLOBALIZAÇÃO
LISZT VIEIRA
RECORD
(2001)
R$ 18,00



PORTUGUÊS SÉRIE NOVO ENSINO MÉDIO VOLUME ÚNICO
JOÃO DOMINGUES MAIA
ÁTICA
(2000)
R$ 10,00



SANTO AFONSO: UMA ESPIRITUALIDADE PARA HOJE
LUÍS KIRCHNER
SANTUÁRIO
(2000)
R$ 5,00



A LIBERTAÇÃO DA BELA
ANNE RICE ESCREVE COMO A. N. ROQUELAURE
ROCCO
(2012)
R$ 23,00



HERMENÊUTICA JURÍDICA E PARADIGMAS INTERPRETATIVOS: PERSPECTIVAS
HARADJA LEITE TORRENS
LETRA LEGAL
(2004)
R$ 28,82





busca | avançada
60272 visitas/dia
2,0 milhões/mês