A Empulhação Esportiva | André Forastieri

busca | avançada
41334 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> YouTube, lá vou eu
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bar azul - a fotografia de Luiz Braga
>>> Eu + Você = ?
>>> Virtudes e pecados (lavoura arcaica)
>>> Pela estrada afora
>>> A vida sem computador
>>> Sobre os blogs de jornalistas
>>> Pink Floyd 1972
>>> A mulher madura
Mais Recentes
>>> Coleção Os Pensadores de Vários pela Abril Cultural (1973)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Passando a Limpo: a Trajetória de um Farsante: História Completa... de Pedro Collor de Mello/ Coord. Dora Kramer pela Record (1993)
>>> Um Diplomata da Regeneração - O 1º Conde de Villa Franca do Campo de Fernando Abecassis pela Tribuna da Historia (2007)
>>> Inspeção do Trabalho de Nelson Mannrich pela LTr (1991)
>>> Jurupari - Estudos de Mitologia Brasileira de Silvia Maria S. de Carvalho pela Ática (1979)
>>> Sport in the 21st Century de John Mehaffey & Reuters pela Thames & Hudson (2007)
>>> Matemática para economistas de Alpha Chiang pela Unesp (1982)
>>> Memórias do cárcere 3º volume Colônia Correlaccional de Graciliano Ramos pela José Olympio (1954)
>>> As hortaliças na medicina doméstica de A. Balbach pela Edel
>>> Caderno de teses vol.2 28ºCongresso Nacional procuradores Estado de Helena Maria Silva Coelho pela Metropole industria gráfica ltda (2002)
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos de Gustavo Cerbasi pela Gente/ SP. (2004)
>>> Ordem Juridico-econômica e trabalho de Ricardo Antonio Lucas Camargo pela Sergio antonio fabris (1998)
>>> Capo Verde. Una storia lunga dieci isole de Marzio Marzot & Maria de Lourdes de Jesus et alii pela D'Anselmi (1989)
>>> Investimentos Inteligentes: Para Conquistar e Multiplicar o seu Primeiro Milhão de Gustavo Cerbasi pela Thomas Nelson do Brasil (2008)
>>> Esquecidos e Renascidos - Historiografia Acadêmica Luso-americana de Iris Kantor pela Hucitec (2004)
>>> Nova York anos 40 de Andreas Feininger pela Museu Lazar Segall (2011)
>>> O Intelectual e o Poder de Eduardo Portella pela Tempo Brasileiro/ RJ. (1983)
>>> Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento de Ernest Cassirer pela Martins Fontes (2001)
>>> Fundamentos Culturales de Civilizacion Industrial de John U. Nef pela Editorial Paidós/ Buenos Aires (1964)
>>> Noções Preliminares de Direito Previdenciário de Wagner Balera pela Quartier Latin (2004)
>>> Salvador Negro Amor de Sérgio Guerra pela Maianga (2007)
>>> Ensaios de Biologia Social - Encadernado de Josué de Castro pela Brasiliense/ SP (1957)
>>> A imprensa na História do Brasil & Fotojornalismo no século XX de Oswaldo Munteal & Larissa Grandi pela Desiderata/PUC (2005)
>>> Roteiro de Macunaíma (Encadernação de Luxo) de M. Cavalcanti Proença/ Autografado pela Ahembi/ SP. (1955)
>>> Alferes Teófilo Olegário de Brito Guerra -Um Memorialista Esquecido de Raimundo Soares de Brito pela Coleção Mossoroense (1980)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 2 + A Volta do Camelo de Barro de Lee Falk pela Globo (1989)
>>> Lugar de Fala de Djamila Ribeiro pela Polen (2019)
>>> Administração Financeira Internacional de David K. Eiteman, ArthurStonehill, e Michael Moffett pela Bookman (2002)
>>> HQ Os Grandes Inimigos do Mandrake Nº 1 + o Retorno do Cobra de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> História da Literatura Portuguesa/ Encadernado de Antonio José Saraiva e Oscar Lopes pela Porto Ed.
>>> Cortez -A Saga de Um sonhador de Teresa Sales -Goimar Dantas pela Cortez (2010)
>>> HQ Os grandes inimigos do Mandrake Nº 4 + Os Oito Tentáculos da Morte de Lee Falk pela Ebal (1989)
>>> HQ Rastros de ódio - Revista Cinemin Nostalgia 3 de Diversos Autores pela Ebal (1989)
>>> Regulamento do ICMS do Rio de Janeiro de Ana Cristina Martins Pereira pela Lex (2006)
>>> A cidade do sol de Khaled Hosseini pela Nova froteira (2007)
>>> HQ Revistsa Elipse nº 1 + Crepúsculo dos Super-heróis de David Campiti & Kevin Juaire & Bart Sears pela Ebal (1992)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> As mil e uma noites- os corações desumanos de René Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> HQ Quem foi? Os prisioneiros de Sulma de Diversos Autores pela Ebal (1982)
>>> Autoritarismo e Participação Política da Mulher de Fanny Tabak pela Graal/ RJ. (1983)
>>> Cartas entre amigos - sobre os medos contemporâneos de Fábio de melo e Gabriel chalita pela Ediouro (2009)
>>> A Civilização Romana de Pierre Grimal pela Edições 70 (2001)
>>> Centenário de José Bezerra Gomes de Joabel R. de Souza pela Fcjbg (2011)
>>> Alienação na Univesidade - a Crise dos Anos 80 de Paulo L. Hoffmann pela Edit. da UFSC (1985)
>>> O castelo da intriga de Paulo Stewart pela Scipicione (1996)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1993)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1996)
>>> As asas do joel de Walcir Carrasco pela Quinteto Editorial (2019)
>>> No Tempo dos Faraós (Crianças Na História) de Ginette Hoffmann - Françoise Lebrun pela Scipione (1998)
ENSAIOS

Segunda-feira, 9/5/2011
A Empulhação Esportiva
André Forastieri

+ de 4700 Acessos
+ 4 Comentário(s)

A Copa e as Olimpíadas vêm aí e é hora de confessar aos caros amigos: não tenho espírito esportivo. Não torço para nenhum time, não vejo na TV. Não consigo entender como alguém pode se importar com competições esportivas de qualquer natureza. O mundo dos esportes para mim é um vergonhoso desperdício de energia, uma engambelação, marketing descarado e reacionário.

Olha que passei a infância jogando bola. Meu pai nunca se interessou por esportes, mas lembro que, bem pequeno, eu simpatizava com o Palmeiras ― pensando bem agora, por causa de um tio muito querido que é palmeirense. Em 1977, o Corinthians me seduziu ― toda aquela coisa do time nunca ter sido campeão, ser um time do povão.

Até entendo que adultos possam se interessar por praticar algum esporte ― os homens precisam se agarrar à infância de alguma maneira. O que não entra na minha cabeça é essa coisa de torcer para um time, ou um atleta, e ficar assistindo à coisa toda pela TV, lendo cadernos de esporte, discutir a respeito e não perder um Cartão Verde. É absurdamente chato, estúpido, perda de tempo.

E mesmo assim, em qualquer escritório do mundo, as segundas-feiras são dedicadas à rodada da semana. Nos clubes do planeta, os negócios se fazem e os círculos sociais se fortalecem no bar e na sauna, após o tênis ou o golfe. Nos bairros pobres, os Ronaldinhos, Michael Jordans e Mike Tysons perpetuam a mística da ascensão social pela superioridade física.

Não fazer parte desse mundo me torna um alien instantâneo em qualquer grupo. Como se sabe, esse negócio de não gostar de futebol é coisa de viado. Pra completar, não gosto muito de jogos em geral. Até acho divertido jogar baralho, Quake ou xadrez, mas simplesmente não tenho impulso de ganhar. Não me importo o suficiente.

Os amigos velhos descontam como excentricidade. Com estranhos não toco no assunto, a não ser bêbado ― já me diverti bastante em mesa de bar malhando Ayrton Senna. Para quem está de fora, essa coisa toda de esportes é de um primitivismo surreal.

Inspirado por Tropas Estelares, peguei em vídeo O Triunfo da Vontade, documentário-propaganda nazista de Leni Riefenstahl. Paul Verhoeven cinicamente chupou planos inteiros do filme para sacanear o imperialismo integrado do american way of life. Fez uma farsa alucinada que troca de registros o tempo todo.

Confundiu, irritou e engambelou burros e inteligentes. A reação foi interessante, porque qualquer olimpíada televisiva é muito mais nazi que Tropas Estelares, visualmente e conceitualmente. O esporte mediatizado coloca o culto ao corpo e a vitória a qualquer preço a serviço das megamarcas, que alimentam a palhaçada para vender tênis e Gatorade.

Mantém vivos e fortes valores podres como patriotismo, tribalismo e sobrevivência dos mais fortes (e não dos mais aptos), sob o manto do "espírito esportivo". Curiosamente, com suporte total e interesseiro dos brasileiros bem-pensantes, os mesmos que nos anos 70 garantiam que futebol é "o ópio do povo" e falso equalizador de classes e interesses.

Parece que sempre foi assim. Nossa cultura trata os esportes como se eles fossem uma tradição milenar da humanidade. Mas são uma invenção moderna. Em A Era dos Impérios, Eric J. Hobsbawn dá umas dicas sobre o nascimento da empulhação esportiva.

Foi no centro econômico do final do século 19, a Inglaterra. A industrizalização e urbanização levaram ao aparecimento de uma nova classe média alta e ao crescimento da classe média baixa. Nesta nova sociedade de massas, em que é difícil se destacar individualmente, restou se diferenciar como grupo.

O principal objetivo da nova classe média passou a ser se destacar do povão. Através da educação, do "estilo de vida" (em seu conceito original), da segregação residencial ― e do esporte, onde tudo isso se uniu ― confiram a explicação no livro, que é do cacete. Inicialmente vendida como entretenimento saudável para as massas (melhor que encher a cara de gim), a novidade foi estimulada pelas elites por seu aspecto patriótico e militarista.

Os clubes profissionais de futebol começaram como times de firmas inglesas, tanto na Inglaterra como fora. O ideal do esporte amador, não remunerado (exigindo um tempo de que nenhum trabalhador dispõe), disponibilizou para a classe média alta elementos da nobreza através do mérito. Logo ganhou sua vitrine-símbolo: os Jogos Olímpicos.

A novidade se espalhou organizadamente, do Império para o planeta que comandava. Hobsbawn resume: "Um proletariado industrial e uma nova burguesia, ou classe média, emergiram ao mesmo tempo como grupos autoconscientes, que se definiam um contra o outro por meio de maneiras e estilos de vida e ação coletiva".

Mudou muito?

Aqui do lado de fora, vejo só duas possíveis qualidades redentoras nos esportes. Um, o estabelecimento de ícones mundiais ― e a esta altura qualquer coisa que ajude na unificação do planeta é positiva, mesmo quando for babaca ou repugnante.

Dois, sua versatilidade como passaporte. Percebi isso na África do Sul. Ser brasileiro é ser amado em quase qualquer canto do planeta ― tudo por causa do futebol. Cada sul-africano que sabia que éramos brasileiros abria um sorriso e puxava papo. Devemos isso à Seleção Brasileira e ao futebol.

E a Copa e a Olimpíada que se aproximam? Pessoalmente, quando chegar a hora vou estar na casa de alguém tomando cerveja, comendo batatinha e torcendo pelo Brasil. Passa mais rápido.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista Caros Amigos, em abril de 1998.


André Forastieri
São Paulo, 9/5/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Só é louco quem não é de Claudia Lage
02. Pierre Seghers: uma exposição de Manoel de Andrade
03. Allen Stewart Konigsberg de André Forastieri
04. Aquarela de um Brasil sem cor de Túlio Henrique Pereira
05. Por um jornalismo mais crítico de André Forastieri


Mais André Forastieri
Mais Acessados de André Forastieri
01. A Cultura do Consenso - 10/10/2011
02. Chega de Escola - 31/1/2011
03. Eu nunca fui nerd - 14/3/2011
04. As letras de música de hoje - 6/12/2010
05. Encontro com Kurt Cobain - 11/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/6/2011
08h56min
É isso aí, André, nós os fracos e oprimidos e sem nenhum desejo de vencer o mais fraco - ainda - e levar essa possibilidade aos "píncaros" da "glória" desejamos que continue assim. Podemos até apreciar o esforço "físico" do atleta, mas partir para sofrer, bater e participar fazendo o mesmo, não. Melhor é a cervejinha (não dirija depois) e batatinha, escondendo o fato entre os torcedores. E quando ouvir gritar o gol faça o mesmo, parecendo que prestava atenção e faça parte da mesma torcida. E não precisa, também e necessariamente comprar o que alardeiam como o máximo, seja tenis, relógio e até a cervejinha (muitas) sem loura acompanhando. Abraços!
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
13/6/2011
14h11min
Minha discordância do autor está em uns poucos pontos: 1) Eu pratico Taekwon-do por necessidade de manter o corpo em forma, e por gostar de lutas; 2) Gosto de xadrez porque é um jogo de raciocínio puro, e não apenas jogo, mas uma ciência exata. No mais, acho esportes uma babaquice, torcer para um time e ficar discutindo quem fez o gol ou quem vai para a final é um sinônimo de burrice e o conceito de que "esporte é saúde" tem de ser revisto: já ficou provado por médicos americanos que esforços excessivos são prejudiciais ao coração. Minha terceira discordância: por época da copa e das olimpíadas estarei em casa estudando ou pintando, e torcendo CONTRA o Brasil em todas as provas.
[Leia outros Comentários de Gil Cleber]
22/7/2011
23h12min
Parece que esse texto foi escrito por mim. Também nunca gostei de qualquer esporte (já tive simpatia por vôlei) e muito menos de futebol. E como você disse, sempre sou considerado "estranho" por causa disso. Também não consigo entender todo o fanatismo por trás do futebol e cia. Mas em relação às discussões calorosas até entendo. Se assistir futebol ou qualquer outro jogo é um hobby, a pessoa fica naturalmente interessada por qualquer notícia ou análise acerca daquele tema. Eu, por exemplo, sou fã de séries e perco um tempo gigantesco lendo notícias em blogs e sites, vendo comentários, debatendo e ouvindo podcasts. Uma perda de tempo pra muitas pessoas, mas não pra quem gosta de verdade. O que é estranho é que todo brasileiro parece ser obrigado a gostar de futebol desde quando nasce, ele não escolhe aquilo porque gosta, mas porque é imposto.
[Leia outros Comentários de Guilherme Ferreira]
24/7/2011
13h22min
Triste que o comentarista acima ache que o interesse pelo futebol seja imposto, e ingenuamente não veja que o mesmo se deu com ele. Fazer o quê.
[Leia outros Comentários de Barbara Pollacsek]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




QUEBRANTOS E SORTILÉGIOS
IVO BENDER
TERCEIRO SELO
(2015)
R$ 31,84



INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO
EUNICE LACAVA KWASNICKA
ATLAS
(1989)
R$ 5,90



O HORROR DA GUERRA
NIALL FERGUSON
PLANETA
(2018)
R$ 69,00



A BOCA NO MUNDO 100 CR?NICAS DE FERNANDO BONASSI
FERNANDO BONASSI
NOVO S?CULO
(2007)
R$ 5,00



DICIONÁRIO DA TERRA E DA GENTE DO BRASIL
BERNARDINO JOSÉ DE SOUZA
COMPANHIA NACIONAL
(1961)
R$ 40,00



TROVA
ANDREW KAGAN
HARRY N. ABRAMS
(1988)
R$ 66,93
+ frete grátis



CONFISSÕES DE UMA GAROTA EXCLUÍDA, MAL-AMADA, E (UM POUCO) DRAMÁTICA
THALITA REBOUÇAS
ARQUEIRO
(2016)
R$ 20,00



O COMPROMISSO
HOWARD FAST
BEST SELLER
(1988)
R$ 4,17



MUNCHAUSEN
LUCIA VILANOVA
COBOGO
(2015)
R$ 22,00



3 LINHAS E 4 VERDADES - O JORNALISMO DE OSWALD DE ANDRADE
VERA M. CHALMERS
DUAS CIDADES
(1976)
R$ 17,00





busca | avançada
41334 visitas/dia
1,0 milhão/mês