A Empulhação Esportiva | André Forastieri

busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Além do mais
>>> Adeus, Orkut
>>> Sabe como é, pode rolar...
>>> Zeitgeist
>>> 9° Festival Internacional do Documentário Musical
>>> Até Faustão apoia os protestos
>>> Zastrozzi
>>> Direita, Esquerda ― Volver!
>>> Como os jornais vão se salvar
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Freud e a Educação - O Mestre do Impossível de Maria Cristina Kupfer pela Scipione (1997)
>>> Freud Antipedagogo de Catherine Millot pela Jorge Zahar (1987)
>>> Formação de professores indígenas: repensando trajetórias de Luis Donizete Benzi Grupioni (Org.) pela Unesco/Secad (2006)
>>> O Freudismo de Mikhail Bakhtin pela Perspectiva (2001)
>>> De Piaget a Freud - A (Psico)Pedagogia Entre o Conhecimento e o Saber de Leandro de Lajonquière pela Vozes (1998)
>>> Uma Breve História do Mundo de Geofrey Blainey pela Fundamento (2007)
>>> Piaget - O Diálogo com a Criança e o Desenvolvimento do Raciocínio de Maria da Glória Seber pela Scipione (1997)
>>> Cem Anos Com Piaget – Substratum Artes Médicas – Volume 1, Nº 1 de Ana Teberosky e Liliana Tolchinsky pela Artes Médicas (1997)
>>> Você e eu- martin buber, presença palavra de Roberto Bartholo Jr. pela Garamond (2001)
>>> Piaget - Experiências Básicas Para Utilização Pelo Professor de Iris Barbosa Goulart pela Vozes (1998)
>>> Revisitando Piaget de Fernando Becker e Sérgio Roberto K. Franco (Org.) pela Mediação (1998)
>>> Eu e Tu de Martin Buber pela Centauro (2001)
>>> Jean Piaget Sobre a Pedagogia - Textos Inéditos de Silvia Parrat e Anastasia Tryphon (Org.) pela Casa do Psicólogo (1998)
>>> Cinco Estudos de Educação Moral de Jean Piaget, Maria Suzana de Stefano Menin, Ulisses Ferreira de Araújo, Yves de La Taille, Lino de Macedo (Org) pela Casa do Psicólogo (1996)
>>> Percursos Piagetianos de Luci Banks-Leite (Org.) pela Cortez (1997)
>>> Piaget e a Intervenção Psicopedagógica de Maria Luiza Andreozzi da Costa pela Olho D'Água (1997)
>>> Fazer e Compreender de Jean Piaget pela Melhoramentos (1978)
>>> Dicionário do Renascimento Italiano de John R. Hale pela Jorge Zahar (1988)
>>> A Tomada de Consciência de Jean Piaget pela Melhoramentos (1978)
>>> Psicologia e Pedagogia de Jean Piaget pela Forense Universitária (1998)
>>> Dicionário Temático do Ocidente Medieval de Jacques Le Goff & Jean-Claude Schmitt pela Edusc (2002)
>>> Como Orientar a Criança Excepcional - vol. 8 - Curso de Orientação Educacional de Jay Aruda Piza pela Pontes (2020)
>>> O Estruturalismo de Jean Piaget pela Difel (1979)
>>> Higiene Mental das Crianças e Adolescentes- vol. 7 - Curso de Orientação e Educacional de Dep. de Instrução Pública de Genebra pela Ponte (1972)
>>> O Pós-dramático de J. Guinsburg e Silvia Fernandes pela Perspectiva (2009)
>>> Poesia soviética de Lauro Machado Coelho pela Algol (2007)
>>> Pétala Soletrada pelo Vento de Mariayne Nana pela Urutau (2018)
>>> Tomidez e Adolescência vol. 6 - Curso de Orientação Educacional de Jean Lacroix pela Pontes (1972)
>>> Ensaios Reunidos (1946-1971), V. 2 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (2005)
>>> Como compreender seu Potencial de Myles Munroe pela Koinonia Comunidade (1995)
>>> Louvai a Deus Com Danças de Isabel Coimbra pela Profetizando Vida (2000)
>>> A missão de Interceder de Durvalina B. Bezerra pela Descoberta (2001)
>>> O Contrabandista de Deus de Irmão André. John e Elizabeth Sherrill pela Betânia (2003)
>>> Ensaios Reunidos 1942 - 1978 Vol. 1 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (1999)
>>> O Dízimo e o Sábado não são Cristãos de Fernando César Roelis Padilha pela Xxxxxxxxxxxx (1995)
>>> Socorro, Temos Filhos! de Dr. Bruce Narramore pela Mundo Cristão (1992)
>>> Fale a verdade consigo mesmo de Willian Backus Marie Chapian pela Betânia (1989)
>>> Como controlar as Tensões no Camento de Bill e Vonette Bright pela Candeia (1990)
>>> Satanás está vivo e Ativo no planeta terra de Hal Lindsey pela Mundo Cristão (1981)
>>> Venha O Teu Reino de David W. Dyer pela Ministério Grão de trigo (1985)
>>> Eu, um Servo? Você está Brincando! de Charles Swindoll pela Betânia (1983)
>>> Que Há Por Trás Da Nova Ordem Mundial? de E. G. White pela Vida Plena (1995)
>>> Cerco de Jericó a caminho da vitoria de Pe. Alberto Gambarini pela Ágape (2005)
>>> Comunicação a Chave para o Seu Camento de H. Norman Wright pela Mundo Cristão (1983)
>>> Princípios de Interpretação da Bíblia de Walter A. Henrichsen pela Mundo Cristão (1983)
>>> Apocalipse versículo por versículo de Severino Pedro da Silva pela Cpad (1985)
>>> Boas Esposas de Louisa May Alcott pela Principis (2020)
>>> O que o Ato Conjugal significa para o Homem de Tim e Beverly LaHaye pela Betânia (2020)
>>> Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski pela Principis (2020)
>>> Satanismo de Daniel e Isabela Mastral pela Xxxxxxxxxxxx (2001)
ENSAIOS

Segunda-feira, 9/5/2011
A Empulhação Esportiva
André Forastieri

+ de 5100 Acessos
+ 4 Comentário(s)

A Copa e as Olimpíadas vêm aí e é hora de confessar aos caros amigos: não tenho espírito esportivo. Não torço para nenhum time, não vejo na TV. Não consigo entender como alguém pode se importar com competições esportivas de qualquer natureza. O mundo dos esportes para mim é um vergonhoso desperdício de energia, uma engambelação, marketing descarado e reacionário.

Olha que passei a infância jogando bola. Meu pai nunca se interessou por esportes, mas lembro que, bem pequeno, eu simpatizava com o Palmeiras ― pensando bem agora, por causa de um tio muito querido que é palmeirense. Em 1977, o Corinthians me seduziu ― toda aquela coisa do time nunca ter sido campeão, ser um time do povão.

Até entendo que adultos possam se interessar por praticar algum esporte ― os homens precisam se agarrar à infância de alguma maneira. O que não entra na minha cabeça é essa coisa de torcer para um time, ou um atleta, e ficar assistindo à coisa toda pela TV, lendo cadernos de esporte, discutir a respeito e não perder um Cartão Verde. É absurdamente chato, estúpido, perda de tempo.

E mesmo assim, em qualquer escritório do mundo, as segundas-feiras são dedicadas à rodada da semana. Nos clubes do planeta, os negócios se fazem e os círculos sociais se fortalecem no bar e na sauna, após o tênis ou o golfe. Nos bairros pobres, os Ronaldinhos, Michael Jordans e Mike Tysons perpetuam a mística da ascensão social pela superioridade física.

Não fazer parte desse mundo me torna um alien instantâneo em qualquer grupo. Como se sabe, esse negócio de não gostar de futebol é coisa de viado. Pra completar, não gosto muito de jogos em geral. Até acho divertido jogar baralho, Quake ou xadrez, mas simplesmente não tenho impulso de ganhar. Não me importo o suficiente.

Os amigos velhos descontam como excentricidade. Com estranhos não toco no assunto, a não ser bêbado ― já me diverti bastante em mesa de bar malhando Ayrton Senna. Para quem está de fora, essa coisa toda de esportes é de um primitivismo surreal.

Inspirado por Tropas Estelares, peguei em vídeo O Triunfo da Vontade, documentário-propaganda nazista de Leni Riefenstahl. Paul Verhoeven cinicamente chupou planos inteiros do filme para sacanear o imperialismo integrado do american way of life. Fez uma farsa alucinada que troca de registros o tempo todo.

Confundiu, irritou e engambelou burros e inteligentes. A reação foi interessante, porque qualquer olimpíada televisiva é muito mais nazi que Tropas Estelares, visualmente e conceitualmente. O esporte mediatizado coloca o culto ao corpo e a vitória a qualquer preço a serviço das megamarcas, que alimentam a palhaçada para vender tênis e Gatorade.

Mantém vivos e fortes valores podres como patriotismo, tribalismo e sobrevivência dos mais fortes (e não dos mais aptos), sob o manto do "espírito esportivo". Curiosamente, com suporte total e interesseiro dos brasileiros bem-pensantes, os mesmos que nos anos 70 garantiam que futebol é "o ópio do povo" e falso equalizador de classes e interesses.

Parece que sempre foi assim. Nossa cultura trata os esportes como se eles fossem uma tradição milenar da humanidade. Mas são uma invenção moderna. Em A Era dos Impérios, Eric J. Hobsbawn dá umas dicas sobre o nascimento da empulhação esportiva.

Foi no centro econômico do final do século 19, a Inglaterra. A industrizalização e urbanização levaram ao aparecimento de uma nova classe média alta e ao crescimento da classe média baixa. Nesta nova sociedade de massas, em que é difícil se destacar individualmente, restou se diferenciar como grupo.

O principal objetivo da nova classe média passou a ser se destacar do povão. Através da educação, do "estilo de vida" (em seu conceito original), da segregação residencial ― e do esporte, onde tudo isso se uniu ― confiram a explicação no livro, que é do cacete. Inicialmente vendida como entretenimento saudável para as massas (melhor que encher a cara de gim), a novidade foi estimulada pelas elites por seu aspecto patriótico e militarista.

Os clubes profissionais de futebol começaram como times de firmas inglesas, tanto na Inglaterra como fora. O ideal do esporte amador, não remunerado (exigindo um tempo de que nenhum trabalhador dispõe), disponibilizou para a classe média alta elementos da nobreza através do mérito. Logo ganhou sua vitrine-símbolo: os Jogos Olímpicos.

A novidade se espalhou organizadamente, do Império para o planeta que comandava. Hobsbawn resume: "Um proletariado industrial e uma nova burguesia, ou classe média, emergiram ao mesmo tempo como grupos autoconscientes, que se definiam um contra o outro por meio de maneiras e estilos de vida e ação coletiva".

Mudou muito?

Aqui do lado de fora, vejo só duas possíveis qualidades redentoras nos esportes. Um, o estabelecimento de ícones mundiais ― e a esta altura qualquer coisa que ajude na unificação do planeta é positiva, mesmo quando for babaca ou repugnante.

Dois, sua versatilidade como passaporte. Percebi isso na África do Sul. Ser brasileiro é ser amado em quase qualquer canto do planeta ― tudo por causa do futebol. Cada sul-africano que sabia que éramos brasileiros abria um sorriso e puxava papo. Devemos isso à Seleção Brasileira e ao futebol.

E a Copa e a Olimpíada que se aproximam? Pessoalmente, quando chegar a hora vou estar na casa de alguém tomando cerveja, comendo batatinha e torcendo pelo Brasil. Passa mais rápido.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista Caros Amigos, em abril de 1998.


André Forastieri
São Paulo, 9/5/2011

Mais André Forastieri
Mais Acessados de André Forastieri
01. A Cultura do Consenso - 10/10/2011
02. Chega de Escola - 31/1/2011
03. Eu nunca fui nerd - 14/3/2011
04. As letras de música de hoje - 6/12/2010
05. Encontro com Kurt Cobain - 11/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/6/2011
08h56min
É isso aí, André, nós os fracos e oprimidos e sem nenhum desejo de vencer o mais fraco - ainda - e levar essa possibilidade aos "píncaros" da "glória" desejamos que continue assim. Podemos até apreciar o esforço "físico" do atleta, mas partir para sofrer, bater e participar fazendo o mesmo, não. Melhor é a cervejinha (não dirija depois) e batatinha, escondendo o fato entre os torcedores. E quando ouvir gritar o gol faça o mesmo, parecendo que prestava atenção e faça parte da mesma torcida. E não precisa, também e necessariamente comprar o que alardeiam como o máximo, seja tenis, relógio e até a cervejinha (muitas) sem loura acompanhando. Abraços!
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
13/6/2011
14h11min
Minha discordância do autor está em uns poucos pontos: 1) Eu pratico Taekwon-do por necessidade de manter o corpo em forma, e por gostar de lutas; 2) Gosto de xadrez porque é um jogo de raciocínio puro, e não apenas jogo, mas uma ciência exata. No mais, acho esportes uma babaquice, torcer para um time e ficar discutindo quem fez o gol ou quem vai para a final é um sinônimo de burrice e o conceito de que "esporte é saúde" tem de ser revisto: já ficou provado por médicos americanos que esforços excessivos são prejudiciais ao coração. Minha terceira discordância: por época da copa e das olimpíadas estarei em casa estudando ou pintando, e torcendo CONTRA o Brasil em todas as provas.
[Leia outros Comentários de Gil Cleber]
22/7/2011
23h12min
Parece que esse texto foi escrito por mim. Também nunca gostei de qualquer esporte (já tive simpatia por vôlei) e muito menos de futebol. E como você disse, sempre sou considerado "estranho" por causa disso. Também não consigo entender todo o fanatismo por trás do futebol e cia. Mas em relação às discussões calorosas até entendo. Se assistir futebol ou qualquer outro jogo é um hobby, a pessoa fica naturalmente interessada por qualquer notícia ou análise acerca daquele tema. Eu, por exemplo, sou fã de séries e perco um tempo gigantesco lendo notícias em blogs e sites, vendo comentários, debatendo e ouvindo podcasts. Uma perda de tempo pra muitas pessoas, mas não pra quem gosta de verdade. O que é estranho é que todo brasileiro parece ser obrigado a gostar de futebol desde quando nasce, ele não escolhe aquilo porque gosta, mas porque é imposto.
[Leia outros Comentários de Guilherme Ferreira]
24/7/2011
13h22min
Triste que o comentarista acima ache que o interesse pelo futebol seja imposto, e ingenuamente não veja que o mesmo se deu com ele. Fazer o quê.
[Leia outros Comentários de Barbara Pollacsek]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O EVANGELHO DA MÃE EDUCADORA
PE. J. ROBALDO
PAULINAS
(1964)
R$ 5,00



O CLUBE DOS ANJOS
LUIS FERNANDO VERISSIMO
OBJETIVA
(1998)
R$ 15,90



REVISTA DO LIVRO 3 - 4
INSTITUTO NACIONAL DO LIVRO
M. E. C.
(1956)
R$ 20,00



SOB OS CÉUS DA EUROPA
OCTAVIO PEREIRA LEITE
NÃO INFORMADA
R$ 20,00



HOTEL ATLÂNTICO
JOÃO GILBERTO NOLL
FRANCISCO ALVES
(2000)
R$ 12,90



UM TELEFONE É MUITO POUCO
SILVIA ESCOREL
BRASILIENSE
(1983)
R$ 25,00



ENCONTRO COM O PASSADO
CELIA FREMLIN
GLOBO
(1976)
R$ 6,90



CRITIQUE AOUT - SEPTEMBRE 1979 NO. 387 - 388 LA LANGUE UNIVERSELLE
NOAM CHOMSKY, MARCELLO DASCAL ET ALLI
MINUIT
(1979)
R$ 25,00



ANTOLOGIA POÉTICA
VINÍCIUS DE MORAES
COMPANHIA DE BOLSO
(2010)
R$ 9,90



INDICADOR POPULAR DE HOMEOPATIA
ALBERTO SEABRA
DO AUTOR
R$ 15,00
+ frete grátis





busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês