A Empulhação Esportiva | André Forastieri

busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 2005: Diário de bordo
>>> Alfa Romeo e os bloggers
>>> Defesa dos Rótulos
>>> O Jovem Bruxo
>>> Sua Excelência, o Ballet de Londrina
>>> O diabo veste Prada
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Daniel Piza by Otavio Mesquita
>>> The Making of A Kind of Blue
>>> Dirty Dancing - Ritmo Quente
Mais Recentes
>>> Lusíada (Nº 1): Revista Ilustrada de Cultura.- Arte.- Literatura.- História.- Crítica de Martins Costa/ Portinari/ Texeira Pascoaes (obras de) pela Simão Guimarães & Filhos./ Porto (1952)
>>> Fábulas que Ajudam a Crescer de Vanderlei Danielski pela Ave Maria (1998)
>>> Ninguém é igual a ninguém de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> Você Pode Escolher de Regina Rennó pela Do Brasil (1999)
>>> Apelido não tem cola de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (2019)
>>> Coração que bate, sente de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> A galinha que criava um ratinho de Ana Maria Machado pela Ática (1995)
>>> Pinote, o fracote e Janjão, o fortão de Fernanda Lopes de Almeida pela Ática (2000)
>>> A lenda da noite de Guido Heleno pela José Olympio (1997)
>>> A História de uma Folha de Leo Buscaglia pela Record (1999)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (1999)
>>> O último judeu: uma história de terror na Inquisição de Noah Gordon pela Racco (2000)
>>> Confissões de um Torcedor: Quatro copas e uma Paixão de Nelson Motta pela Objetiva (1998)
>>> Controle de Infecções e a Prática Odontológica em Tempos de Aids de Vários pela Brasília (2000)
>>> A Roda do Mundo de Edimilson de Almeida Pereira e Ricardo Aleixo pela Mazza/ Belo Horizonte (1996)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> A Propagação do Amor: Sobre o Plantio e a Colheita do Bem de Betty J. Eadie pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Auto- Estima: Amar a Si Mesmo para Conviver Melhor Com os Outros de Christophe André - Françoise Lelord pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Os Lusíadas: Reprodução Paralela das duas Edições de 1572 / Ed. Ltd. de Luis de Camões pela Impr. Nac. Casa da Moeda/ Lis (1982)
>>> Administração de Marketing: Desvendando os segredos de: Vendas. Promoç de Stephen Morse pela McGraw Hill (1988)
>>> Obras Completas de Álvares de Azevedo - 02 Tomos ) de Álvares de Azevedo/ Org. Notas: Homero Pires pela Companhia Ed. Nacional (1942)
>>> Obras Completas (Poesia, Prosa e Gramática) de Laurindo José da Silva Rabelo/ Org: O. de M. Braga pela Companhia Ed. Nacional (1946)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Os Anos 80: Contagem Regressiva para o Juízo Final de Hall Lindsey pela Record/ RJ.
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> O Fator Psicológico na Evolução Sintática (Encadernado) de Cândido Jucá (filho)/ Autografado pela Organização Simões/ Rio (1958)
>>> Príncipe das Trevas, Ou Monsieur - o Quinteto de Avignon- I de Lawrence Durrell pela Estação da Liberdade (1989)
>>> Pare de Engordar- Obesidade: um Problema Psicológico de Dr. Nelson Senise pela Record/ RJ.
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires (autografado) pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Catálogo dos Editores Brasileiros de Affonso Romano de Sant Anna: Presidente pela Biblioteca Nacional/INL (1994)
>>> Fontes do Latim Vulgar : o Appendix Probi de Serafim da Silva Neto/ Autografado pela Livr. Academica/ RJ. (1956)
>>> Camões e Fernão Lopes de Thiers Martins Moreira/ Autografado pela Rio de Janeiro (1944)
>>> Ver- o- Peso: Estudos Antropológicos no Mercado de belém (Vol. II de Wilma Marques Leitão (organização) pela Paka- Tatu Ed. (2016)
>>> O Pensamento Vivo de Montaigne de André Gide/ Tradução: Sérgio Milliet pela Livr. Martins Ed. (1953)
>>> Na Beleza dos Lírios de John Updike pela Companhia das Letras (1997)
>>> O Nariz Detetive de Stella Carr/ Ilustrações: Avelino Guedes pela Scipione (2019)
>>> Bouvard e Pécuchet: Dois Patetas Iluminados de Gustave Flaubert pela Scipione (1988)
>>> Bouvard e Pécuchet: Dois Patetas Iluminados de Gustave Flaubert pela Scipione (1988)
>>> A Filha da Noite de Marion Zimmer pela Imago/ Rio de Janeiro (1986)
>>> Família e Mudança: O Familismo Numa Sociedade Arcaica em Transformação de C. A. Medina pela Vozes/ Ceris (1974)
>>> Quando Meu Pai Perdeu o Emprego de Wagner Costa pela Moderna/ SP. (1993)
>>> Fernão Lopes: Suas Crónicas Perdidas e a Crônica Geral do Reino... de A. de Magalhães Basto pela Livr. Progredir/ Lisboa (1943)
>>> Decifrar pessoas de Jo-Ellan Dimitrius e Mark Mazzarella pela Alegro (2000)
>>> Como fazer sabões e artigos de toucador de Ribeiro de mello pela Icone (1987)
>>> Pokémon extreme Batalha épica no mundo de dentro de Venom Extreme pela Sextante (2016)
ENSAIOS

Segunda-feira, 9/5/2011
A Empulhação Esportiva
André Forastieri

+ de 4700 Acessos
+ 4 Comentário(s)

A Copa e as Olimpíadas vêm aí e é hora de confessar aos caros amigos: não tenho espírito esportivo. Não torço para nenhum time, não vejo na TV. Não consigo entender como alguém pode se importar com competições esportivas de qualquer natureza. O mundo dos esportes para mim é um vergonhoso desperdício de energia, uma engambelação, marketing descarado e reacionário.

Olha que passei a infância jogando bola. Meu pai nunca se interessou por esportes, mas lembro que, bem pequeno, eu simpatizava com o Palmeiras ― pensando bem agora, por causa de um tio muito querido que é palmeirense. Em 1977, o Corinthians me seduziu ― toda aquela coisa do time nunca ter sido campeão, ser um time do povão.

Até entendo que adultos possam se interessar por praticar algum esporte ― os homens precisam se agarrar à infância de alguma maneira. O que não entra na minha cabeça é essa coisa de torcer para um time, ou um atleta, e ficar assistindo à coisa toda pela TV, lendo cadernos de esporte, discutir a respeito e não perder um Cartão Verde. É absurdamente chato, estúpido, perda de tempo.

E mesmo assim, em qualquer escritório do mundo, as segundas-feiras são dedicadas à rodada da semana. Nos clubes do planeta, os negócios se fazem e os círculos sociais se fortalecem no bar e na sauna, após o tênis ou o golfe. Nos bairros pobres, os Ronaldinhos, Michael Jordans e Mike Tysons perpetuam a mística da ascensão social pela superioridade física.

Não fazer parte desse mundo me torna um alien instantâneo em qualquer grupo. Como se sabe, esse negócio de não gostar de futebol é coisa de viado. Pra completar, não gosto muito de jogos em geral. Até acho divertido jogar baralho, Quake ou xadrez, mas simplesmente não tenho impulso de ganhar. Não me importo o suficiente.

Os amigos velhos descontam como excentricidade. Com estranhos não toco no assunto, a não ser bêbado ― já me diverti bastante em mesa de bar malhando Ayrton Senna. Para quem está de fora, essa coisa toda de esportes é de um primitivismo surreal.

Inspirado por Tropas Estelares, peguei em vídeo O Triunfo da Vontade, documentário-propaganda nazista de Leni Riefenstahl. Paul Verhoeven cinicamente chupou planos inteiros do filme para sacanear o imperialismo integrado do american way of life. Fez uma farsa alucinada que troca de registros o tempo todo.

Confundiu, irritou e engambelou burros e inteligentes. A reação foi interessante, porque qualquer olimpíada televisiva é muito mais nazi que Tropas Estelares, visualmente e conceitualmente. O esporte mediatizado coloca o culto ao corpo e a vitória a qualquer preço a serviço das megamarcas, que alimentam a palhaçada para vender tênis e Gatorade.

Mantém vivos e fortes valores podres como patriotismo, tribalismo e sobrevivência dos mais fortes (e não dos mais aptos), sob o manto do "espírito esportivo". Curiosamente, com suporte total e interesseiro dos brasileiros bem-pensantes, os mesmos que nos anos 70 garantiam que futebol é "o ópio do povo" e falso equalizador de classes e interesses.

Parece que sempre foi assim. Nossa cultura trata os esportes como se eles fossem uma tradição milenar da humanidade. Mas são uma invenção moderna. Em A Era dos Impérios, Eric J. Hobsbawn dá umas dicas sobre o nascimento da empulhação esportiva.

Foi no centro econômico do final do século 19, a Inglaterra. A industrizalização e urbanização levaram ao aparecimento de uma nova classe média alta e ao crescimento da classe média baixa. Nesta nova sociedade de massas, em que é difícil se destacar individualmente, restou se diferenciar como grupo.

O principal objetivo da nova classe média passou a ser se destacar do povão. Através da educação, do "estilo de vida" (em seu conceito original), da segregação residencial ― e do esporte, onde tudo isso se uniu ― confiram a explicação no livro, que é do cacete. Inicialmente vendida como entretenimento saudável para as massas (melhor que encher a cara de gim), a novidade foi estimulada pelas elites por seu aspecto patriótico e militarista.

Os clubes profissionais de futebol começaram como times de firmas inglesas, tanto na Inglaterra como fora. O ideal do esporte amador, não remunerado (exigindo um tempo de que nenhum trabalhador dispõe), disponibilizou para a classe média alta elementos da nobreza através do mérito. Logo ganhou sua vitrine-símbolo: os Jogos Olímpicos.

A novidade se espalhou organizadamente, do Império para o planeta que comandava. Hobsbawn resume: "Um proletariado industrial e uma nova burguesia, ou classe média, emergiram ao mesmo tempo como grupos autoconscientes, que se definiam um contra o outro por meio de maneiras e estilos de vida e ação coletiva".

Mudou muito?

Aqui do lado de fora, vejo só duas possíveis qualidades redentoras nos esportes. Um, o estabelecimento de ícones mundiais ― e a esta altura qualquer coisa que ajude na unificação do planeta é positiva, mesmo quando for babaca ou repugnante.

Dois, sua versatilidade como passaporte. Percebi isso na África do Sul. Ser brasileiro é ser amado em quase qualquer canto do planeta ― tudo por causa do futebol. Cada sul-africano que sabia que éramos brasileiros abria um sorriso e puxava papo. Devemos isso à Seleção Brasileira e ao futebol.

E a Copa e a Olimpíada que se aproximam? Pessoalmente, quando chegar a hora vou estar na casa de alguém tomando cerveja, comendo batatinha e torcendo pelo Brasil. Passa mais rápido.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista Caros Amigos, em abril de 1998.


André Forastieri
São Paulo, 9/5/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Harold Ramis (1944-2014) de Marcel Plasse
02. Joey e Johnny Ramone de André Barcinski
03. A Cultura do Consenso de André Forastieri
04. De Kooning em retrospectiva de Sonia Nolasco
05. Só é louco quem não é de Claudia Lage


Mais André Forastieri
Mais Acessados de André Forastieri
01. A Cultura do Consenso - 10/10/2011
02. Chega de Escola - 31/1/2011
03. Eu nunca fui nerd - 14/3/2011
04. As letras de música de hoje - 6/12/2010
05. Encontro com Kurt Cobain - 11/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/6/2011
08h56min
É isso aí, André, nós os fracos e oprimidos e sem nenhum desejo de vencer o mais fraco - ainda - e levar essa possibilidade aos "píncaros" da "glória" desejamos que continue assim. Podemos até apreciar o esforço "físico" do atleta, mas partir para sofrer, bater e participar fazendo o mesmo, não. Melhor é a cervejinha (não dirija depois) e batatinha, escondendo o fato entre os torcedores. E quando ouvir gritar o gol faça o mesmo, parecendo que prestava atenção e faça parte da mesma torcida. E não precisa, também e necessariamente comprar o que alardeiam como o máximo, seja tenis, relógio e até a cervejinha (muitas) sem loura acompanhando. Abraços!
[Leia outros Comentários de Cilas Medi]
13/6/2011
14h11min
Minha discordância do autor está em uns poucos pontos: 1) Eu pratico Taekwon-do por necessidade de manter o corpo em forma, e por gostar de lutas; 2) Gosto de xadrez porque é um jogo de raciocínio puro, e não apenas jogo, mas uma ciência exata. No mais, acho esportes uma babaquice, torcer para um time e ficar discutindo quem fez o gol ou quem vai para a final é um sinônimo de burrice e o conceito de que "esporte é saúde" tem de ser revisto: já ficou provado por médicos americanos que esforços excessivos são prejudiciais ao coração. Minha terceira discordância: por época da copa e das olimpíadas estarei em casa estudando ou pintando, e torcendo CONTRA o Brasil em todas as provas.
[Leia outros Comentários de Gil Cleber]
22/7/2011
23h12min
Parece que esse texto foi escrito por mim. Também nunca gostei de qualquer esporte (já tive simpatia por vôlei) e muito menos de futebol. E como você disse, sempre sou considerado "estranho" por causa disso. Também não consigo entender todo o fanatismo por trás do futebol e cia. Mas em relação às discussões calorosas até entendo. Se assistir futebol ou qualquer outro jogo é um hobby, a pessoa fica naturalmente interessada por qualquer notícia ou análise acerca daquele tema. Eu, por exemplo, sou fã de séries e perco um tempo gigantesco lendo notícias em blogs e sites, vendo comentários, debatendo e ouvindo podcasts. Uma perda de tempo pra muitas pessoas, mas não pra quem gosta de verdade. O que é estranho é que todo brasileiro parece ser obrigado a gostar de futebol desde quando nasce, ele não escolhe aquilo porque gosta, mas porque é imposto.
[Leia outros Comentários de Guilherme Ferreira]
24/7/2011
13h22min
Triste que o comentarista acima ache que o interesse pelo futebol seja imposto, e ingenuamente não veja que o mesmo se deu com ele. Fazer o quê.
[Leia outros Comentários de Barbara Pollacsek]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS MESTRES DA INTERCOIFFURE MODA, ESSA ESPECIE DE VIRUS, MUTANTE FUGAZ
FERNANDO NATIVIDADE
ORANGE STAR
(2005)
R$ 30,00



REDES MÓVEIS - TECNOLOGIAS E ESPECTRO DE FREQÜENCIAS
VINÍCIUS OLIVEIRA CARAM GUIMARÃES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



A DAMA E O UNICÓRNIO
TRACY CHEVALIER
BERTRAND BRASIL
(2006)
R$ 15,00



QUERIDO DIÁRIO OTÁRIO 8 - NÃO É MINHA CULPA SE EU SEI DE TUDO
JIM BENTON
FUNDAMENTO
(2015)
R$ 34,00



PENSADORES
MARIO VITOR SANTOS
REALEJO
(2015)
R$ 54,90



BIBLIOTECA DA MATEMÁTICA MODERNA - VOLUME 5
ANTÔNIO MARMO DE OLIVEIRA E AGOSTINHO SILVA
LISA
(1976)
R$ 15,00



UM CERTO SUICÍDIO
PATRICIA HIGHSMITH
BEST SELLER
R$ 15,00



POLUIÇÃO DO AR: SAMUEL MURGEL BRANCO, EDUARDO MURGEL
SAMUEL MURGEL BRANCO; EDUARDO MURGEL
MODERNA
(1995)
R$ 8,00



MEMÓRIAS DE ADRIANO
MARGUERITE YOURCENAR
NOVA FRONTEIRA
(1985)
R$ 4,90



OBSTETRÍCIA VOLUME 1 - DIAGNÓSTICO DE GRAVIDEZ
EQUIPE MEDCURSO
MEDCURSO
(2012)
R$ 4,99





busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês