Comentários de Cilas Medi | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
Mais Recentes
>>> Fala Sério, Professor! de Thalita Rebouças pela Rocco (2006)
>>> Português Linguagens de William Roberto Cereja Thereza Cochar Magalhães pela Atual (2010)
>>> O Cavalo Em Chamas de Silveira de Souza pela Ática (1981)
>>> Tosco de Gilberto Mattje pela Alvorada (2009)
>>> Cadernos do Ced Nº8 de Org. Maria Conceição de Figueiredo Cardoso Silva pela Ufsc (1986)
>>> Manuale Di Giardinaggio de Peter Mc Hoy pela Fratelli Melita (1991)
>>> Devolver ao Remetente de Fern Michaels pela Lafonte (2012)
>>> Pais e Filhos de Lewis Yablonsky pela Melhoramentos (1990)
>>> A Feast For Crows (book 4) de George R. R. Martin pela Bantam (2011)
>>> Na Casa de Minha Mãe de Kim Chernin pela Imago (1988)
>>> O Quinto Set de Reato Chagas pela Le (1987)
>>> Vivências Empreendedoras -a Prática de Empreendedorismo Em Organização de Edis Mafra Lapolli pela Pandion (2012)
>>> Apuntes Sobre La Teoria de La Música de Maria a Piola pela Da Autora (1958)
>>> Mosaico Social Ano 2 N 2 de Ufsc pela Ufsc (2004)
>>> Consolidação das Leis Tributárias do Município de Florianópolis de Ademar Waterkemper pela Do Autor (1997)
>>> Diálogos Com a Literatura Brasileira I de Marco Vasques pela Movimento Ufsc (2004)
>>> En Defensa del Marxismo: El Derrumbe del Progresismo de Vários pela Rumbos (2001)
>>> Clássicos da Literatura no Vestibular de Carla Mano Paulo Cervi pela Pallotti (1996)
>>> Costela de Adão de Sérgio da Costa Ramos pela Letras Contemporâneas (2007)
>>> Revista Brasileira de Energia Vol 1 Nº 1 de Sociedade Brasileira de Planejamento Energético pela Nova Stella (1989)
>>> Jurisprudência do Cpc Vol Iv de Arruda Alvim Clito Fornaciari Júnior pela Rt (1978)
>>> Crianças sem Problemas de Eduardo Goldenstein; Luiz a S Freitas pela Gente (1994)
>>> Direito Comercial de Dejair Vieira pela Edipro (1993)
>>> O Segredo da Múmia de Molinero Yogakrisnanda pela Mandala (1975)
>>> Paternidade - Investigação Judicial e Coisa Julgada de Glaci de Oliveira Pinto Vargas / Maslova Werlang pela Oab/sc (2004)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Segunda-feira, 16/1/2012
Comentários
Cilas Medi


Aprendi, rindo sobre as man...
Aprendi, rindo sobre as manobras. Vou fazer. Não mais do que disse, mas como praticar. Parabéns!

[Sobre "Como esquecer um grande amor"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
16/1/2012 às
11h09 187.10.146.10
 
Nota-se, em cada palavra es...
Nota-se, em cada palavra escrita, o extremado carinho para com o, podemos dizer, homenageado. Ele, em sua plenitude de alma, sabe disso e recomenda que não se deixe a tristeza ficar junto à sua imagem. Ele se foi. O que deixou, para você, sua leitora, esse espaço entre o "ser" e o "viver". Adorei o ensaio. Maravilhosas as palavras. Parabéns!

[Sobre "Para o Daniel Piza. De uma leitora"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
16/1/2012 às
10h57 187.10.146.10
 
A aventura humana
Que delícia de texto, literalmente. É um começar e não querer que se acabe. E de aventuras também, na gastronomia. Audácia, ou seja, um verdadeiro exemplar (ou parte expressiva) da aventura humana. Desafio a enfrentar. Coragem, coma só mais um pedacinho... Abraços!

[Sobre "Delírios da baixa gastronomia"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
8/10/2011 às
08h54 201.1.221.214
 
Parabéns pela análise
O que é que acontece, Duanne? Quando virá a resposta a essa interrogação? Você não é somente psicopata auxiliar dos dois, é um terrível sádico que nos intima a tentar resolver essa questão. Fora o início e brincadeira, parabéns pela análise. Faça capítulos dos dois e envie para os envolvidos. Quem sabe? Médicos e monstros? Abraços!

[Sobre "Dexter Versus House"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
8/10/2011 às
08h37 201.1.221.214
 
Um encanto ser mãe?
Um encanto ser mãe? Emoção em cada letra dessa crônica. E um sentimento de agradecimento pela sua existência. Esconder a tristeza e melancolia não passa desapercebido por uma criança. E espero que essa estrela se torne guia, permanente, da sua felicidade. E a nossa, ao ler. Abraços!

[Sobre "À primeira estrela que eu vejo"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
8/10/2011 às
08h29 201.1.221.214
 
Não ler as resenhas
Como isso é impossível na atualidade, pensemos que o mais razoável é não ler as resenhas e as "críticas". Passa-se muito bem sem elas. Abraços!

[Sobre "Como resenhar sem ler o livro"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
14/9/2011 às
17h13 201.1.218.201
 
Seco, molhado, inchado
É nas sinopses - quase obrigatórias para se vender os livros e as histórias - que encontramos a maioria das frases e quase a finalização do enredo, quando não o deparamos no título, por exemplo, "A morte da Arara" (porque não só "Arara Azul" - o que vai acontecer com ela? Leia). E assim por diante. Deveria ser proibido contar o que o livro se refere para manter a curiosidade. Para os leitores, um ler a primeira página - para os bons escritores - é suficiente para despertar o interesse. Assim, por questão de precisar fazer a resenha, o digníssimo jornalista estaria obrigado a ler, completamente, todo ele para expressar a sua "humilde" opinião, restringindo-se a comentar sobre os característicos - seco, molhado, inchado no ego, etc. - do autor e seu estilo inconfundível de ótimo, bom, regular ou péssimo. E se quiser apimentar, contar fatos da sua vida pessoal, incluindo o que acha que seria interessante para os seus fãs. Como isso é impossível na atualidade, pensemos que o mais razoável

[Sobre "Como resenhar sem ler o livro"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
14/9/2011 às
17h06 201.1.218.201
 
Ávido leitor e cronista
É realmente estranha a situação do dizer "crítica" para tudo o que se faz. Bem ou mal. A literatura é uma arma que nos faz crer, ver, sentir, colecionar fatos e fotos, conhecimentos mil e um de utilidades ou simplesmente a função "ficção" e nos deixar felizes pelos fatos narrados. É um emaranhado de coisas e situações, ditas pelo escritor e depois "bem" ou "mal" descrito pelo "crítico". Como leitor, sim, ele se compraz. Como crítico não. E você acertou corretamente. Melhor ser um ávido leitor e cronista, do que alimentar o ego demais, sendo um crítico de obra alheia. Nunca se sabe, bem, o que o escritor quis dizer. E se não agrada a um, talvez a dois à seguida o levem ao estrelato. Parabéns pelo artigo e continue assim, coerente. Abraços!

[Sobre "Crítica literária ainda existe?"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
14/9/2011 às
16h46 201.1.218.201
 
O mundo maluco dos escritores
Por essas e outras, a gente compreende o mundo maluco dos escritores. De uma tortilha lá se vai todo o conteúdo de um grande livro e empaca a vontade de ler. Bem, rir sobre isso é mesmo pontual e, talvez, exagerado, mas que é sóbrio e digestivo para quem come outras substâncias nocivas à saúde. Fora o chocolate. Ele faz parte do trivial obrigatório para as pessoas que adoram o prazer da vida. E não tem contra indicação, mesmo sendo com muito açúcar. Prazer duplo. Escrever e saborear o chocolate. Ah, o chocolate... em barras, em cubinhos, em bombons, em grandes lotes de brancos, com crocante, com... bem, chega, não gosto de ser exagerado na defesa do que adoro fazer. Escrever e comer chocolate. Tem vaga para mais um maluco? Onde é a casa que nos autoriza ser internados? Precisa de referências? Abraços!

[Sobre "Pequenos combustíveis para leitores e escritores."]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
14/9/2011 às
10h14 201.1.218.201
 
Drogas para quem precisa
Perfeito. O argumento e as drogas, para quem as quer ou precisa. Destruição de um entre bilhões de seres é pouco. A guerra acaba com milhares todos os dias, e outros se acabam com a fome. Portanto, uma só, coitadinha, não vai fazer falta a não ser para os seus fãs, durante um tempo. Depois tudo é esquecido. Concordo com a argumentação. E mais, com a moralização do setor, fazendo a legislação vitimar de vez os "viciados" com a regularização, pagamento de impostos (como o cigarro e as outras drogas atualmente "lícitas") e permitir o usuário "plantar e colher" a sua maconha de todos os dias. Acabou a polícia atrás de traficantes e a consequente perda da sua influência na política e outros envolvidos (não precisamos enumerar) e malefício do seu contágio. Problema resolvido. Parabéns pelo artigo. Abraços!

[Sobre "Sermão ao cadáver de Amy"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
14/9/2011 às
09h58 201.1.218.201
 
Mães até na ausência
Quanta homenagem e singelas palavras para nós, os filhos. Que mães que vocês são, todo o tempo, até na ausência. Adorei!.

[Sobre "Ninho vazio"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
26/7/2011 às
13h05 201.1.213.158
 
Tudo é rotina, salve a rotina
Mulher apaixonada está sempre em dúvida de querer mudar e ficar no mesmo. Não sabe se a primeira escolha da paixão é a melhor, mas quando parte para a segunda, fica com medo e retorna. E assim, também, é rotina (em espaços de tempos maiores). Tudo é rotina. Até escrever sobre ela. Mas que é ótima relembrar a rotina dos bons momentos, não resta dúvida. Salve a rotina. Parabéns, "Aninha". Viu só, uma novidade. Quanta intimidade?! Beijão estalado, quente, carinhoso e de muitos afagos!

[Sobre "Rotina, por que não?"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
18/7/2011 às
12h07 201.1.213.158
 
Um texto eterno
Um texto eterno, de compreensão e incentivo. E de alívio, para aqueles que querem mudar e tem coragem para fazer o que gostam. Parabéns!

[Sobre "Como começar uma carreira em qualquer coisa"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
18/6/2011 às
18h04 201.92.172.48
 
Copiar o que é bonito
Será fácil resolver o problema. Já que Matisse não pode requisitar os seus "direitos", o dinheiro ganho por quem "criou" a logomarca das Olimpíadas seja devolvido ou entregue para uma "obra" e tem que ser "real" e "autêntica" de "caridade". Não foi assim, com esse espírito de caridade que norteou a "cópia", "lembrança", etc. Será um bom exemplo para o futuro e evitará novos "criadores" de algo já existente. E não venham dizer que se trata de "criatividade" copiar o que é bonito. Abraços!

[Sobre "Plágio"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
11/6/2011 às
12h08 201.92.177.157
 
Nós, os fracos e oprimidos
É isso aí, André, nós os fracos e oprimidos e sem nenhum desejo de vencer o mais fraco - ainda - e levar essa possibilidade aos "píncaros" da "glória" desejamos que continue assim. Podemos até apreciar o esforço "físico" do atleta, mas partir para sofrer, bater e participar fazendo o mesmo, não. Melhor é a cervejinha (não dirija depois) e batatinha, escondendo o fato entre os torcedores. E quando ouvir gritar o gol faça o mesmo, parecendo que prestava atenção e faça parte da mesma torcida. E não precisa, também e necessariamente comprar o que alardeiam como o máximo, seja tenis, relógio e até a cervejinha (muitas) sem loura acompanhando. Abraços!

[Sobre "A Empulhação Esportiva"]

por Cilas Medi
http://www.cilasmedi.com.br
11/6/2011 às
08h56 201.92.177.157
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Interlinear: Hebraico-português
Enih Gilead
Clube de Autores
(2018)



A Criança e a Violência na Mída
Ulla Carlsson/ Cecília Von Feilitzen (orgs.)
Cortez
(1999)



A Treatise on the Design and Construction of Roofs (1912)
N Clifford Ricker
Chapman & Hall
(1912)



Como Falar de Deus a Meu Filho (iniciação à Vida Cristã) / 4ª Ed
Pierre Ranwez
Loyola
(1987)



Livro - Garimpo
Beatriz Bracher
34
(2013)



No Tribunal de Meu Pai - Confira !!!
Isaac Bashevis Singer
Companhia das Letras
(2008)



Amor de Perdição
Camilo Castelo Branco
Ática
(1995)



Jesus o Evangelho- Em Quadrinhos
Casa Publicadora Paulista
Casa Publicadora Paulista
(2010)



Cómo Hacer y Manejar Marionetas - Guia Sencilla de La Técnica..
Diversos
Plesa
(1975)



Jurisprudência dos Alimentos
Limongi França
Revista dos Tribunais
(1980)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês