Pascal e a condição humana | Pedro Maciel

busca | avançada
39745 visitas/dia
891 mil/mês
Mais Recentes
>>> CRIANÇAS DE HELIÓPOLIS REALIZAM CONCERTO DE GENTE GRANDE
>>> Winter Fest agita Jurerê Internacional a partir deste final de semana
>>> Coletivo Roda Gigante inicia temporada no Jazz B a partir de 14 de julho
>>> Plataforma Shop Sui dança dois trabalhos no Centro de Referência da Dança
>>> Seminário 'Dança contemporânea, olhares plurais'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> É cena que segue...
>>> Imagens & Efeitos
>>> Segredos da alma
>>> O Mundo Nunca Foi Tão Intenso Nem Tão Frágil
>>> João Gilberto
>>> Retalhos ao pôr do sol
>>> Pelagem de flor III: AMARELO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crônica em sustenido
>>> Cadeia Educacional
>>> Bartolomeu não vem jantar
>>> Do inferno ao céu
>>> A valente e polivalente batata
>>> Semana de 22 e Modernismo: um fracasso nacional
>>> Nova Busca do Twitter
>>> Máxima metidez
>>> editors to tell all
>>> Um afro-nordestino tocando para o mundo
Mais Recentes
>>> Rio Adentro Poemas de Jorge Ferreira pela Geração (2011)
>>> Pós-abolição e quotidiano: Ex-Escravos, Ex-Libertos e Seus Descendentes em Campinas (1888-1926) de Kleber Antonio de Oliveira Amancio pela Alameda Editorial (2016)
>>> Muana Congo, Muana Nzambi a Mpungu: Poder e Catolicismo no Reino do Congo Pós-Restauração (1769-1795) de Thiago C. Sapede pela Alameda Editorial (2014)
>>> O adolescente na psicanálise: a aventura da subjetivação de Raymond Cahn pela Companhia de Freud (1999)
>>> Cativos do reino: a Circulação de Escravos Entre Portugal e Brasil, Séculos 18 e 19 de Renato Pinto Venâncio pela Alameda Editorial (2010)
>>> Identidades políticas e raciais na Sabinada: (Bahia, 1837-1839) de Juliana Serzedello Crespim Lopes pela Alameda Editorial (2013)
>>> Psicologia & Educação: acompanhamento à professora de Therezinha Lins de Albuquerque pela Artmed (1986)
>>> Libertas entre Sobrados: Mulheres Negras e Trabalho Domestico em São Paulo (1880-1920) de Lorena Feres Da Silva Teles pela Alameda Editorial (2014)
>>> Quando falha o controle: Crimes de Escravos Contra Senhores - Campinas, 1840/1870 de Maíra Chinelatto Alves pela Alameda Editorial (2014)
>>> No mar e em terra: História e Cultura de Trabalhadores Escravos e Livres de Jaime Rodrigues pela Alameda Editorial (2016)
>>> Escravidão e Liberdade Temas, problemas e perspectivas de análise de Regina Célia Lima Xavier pela Alameda Editorial (2012)
>>> Lágrimas de sangue A saúde dos escravos no Brasil da época de Palmares à Abolição de Alisson Eugênio pela Alameda Editorial (2016)
>>> Die Kinder der Regenmacher de Aniceti Kitereza pela Peter Hammer Verlag (1991)
>>> Revoltas, motins, revoluções homens livres pobres e libertos no Brasil do século XIX de Monica Duarte Dantas (org.) pela Alameda Editorial (2011)
>>> A busca da África no candomblé: Tradição e poder no Brasil de Stefania Capone pela Pallas (2019)
>>> Nova Sistemática Processual Civil (II): Execução Do Título... de José Maria Rosa Tesheiner: Coordenação pela Plenum Edit. / Caxias do Sul (2006)
>>> Origem de Dan Brown pela Arqueiro (2017)
>>> Lembranças de Barbara Taylor Bradford pela Círculo do Livro (1999)
>>> Não Existe Mulher Difícil de André Aguiar Marques pela Hunter Books (2014)
>>> Amor sem igual de Danielle Stell pela Círculo do Livro (1999)
>>> Joint Ventures: Manual Prático das Associações Empresariais de Maristela Basso pela Livr. do Advogado/ Porto Alegre (2002)
>>> Quando o Passado Não Passa de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2011)
>>> O Passado Não Importa de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2012)
>>> Os Espiões de Luis Fernando Verissimo pela Alfaguara (2009)
>>> Nem tudo está Perdido de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2009)
>>> Apenas Começando de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2011)
>>> Jurema das matas de Mônica de Castro pela Vida & Consciência (2011)
>>> Uma História de Rabos Presos de Ruth Rocha (Ilustrações): Carlos Brito pela Salamandra/ RJ. (2005)
>>> Hans Staden de Monteiro Lobato pela Brasiliense/ Sp. (1980)
>>> Narrativas Militares/Encadernado de Ten. Cel. Nelson Werneck Sodré: Org. Sel. Notas pela Biblioteca do Exército Ed. (1959)
>>> A Luta pelo Direito de Rudolf Von Ihering pela Forense/ RJ. (2000)
>>> A Luta pelo Direito de Rudolf Von Ihering pela Centauro (2019)
>>> A Luta pelo Direito de Rudolf Von Ihering pela Centauro (2019)
>>> A Luta pelo Direito de Rudolf Von Ihering pela Centauro (2019)
>>> No Rastro da Subversão de Manoel Hygino dos Santos pela Ed. Autor (1991)
>>> The Collins Italian - Concise Dictionary Italian-English- English- Italian de Giunt Marzocco Collins pela Harper Collins Publishers (1990)
>>> Letra, Música e Outras Conversas de Leoni pela Gryphus (1995)
>>> Preparados para o fim ? de Harold Walker pela Impacto publicações (2019)
>>> Anjo da morte (5ª ed.) de Pedro Bandeira pela Moderna (2017)
>>> História e Verdade de Adam Schaff pela Martins Fontes (1983)
>>> Mitos e Mitologias Políticas de Raoul Girardet pela Companhia das Letras (1987)
>>> As 4 + 1 Condicões da Análise de Antonio Quinet pela Jorge Zahar (1991)
>>> Estilo Avatar: Nestor Macedo e o populismo no meio afro-brasileiro de Petrônio Domingues pela Alameda Editorial (2018)
>>> Como pensam os nativos sobre o capitão cook, por exemplo de Marshall Sahlins pela Edusp (2001)
>>> Escravos daqui, dali e de mais além: o Tráfico Interno de Cativos na Expansão Cafeeira Paulista de José Flávio Motta pela Alameda Editorial (2012)
>>> O Demônio da Teoria de Antoine Compagnon pela UFMG (2014)
>>> Box - O Segundo Sexo de Simone de Beauvoir pela Nova Fronteira (2016)
>>> Raul de Alexandre de Maio pela Elefante (2018)
>>> Educação Personalizada de Victor Garcia Hoz pela Kírion (2018)
>>> Histórias de Tio Alípio e Kauê: O Beabá do Berimbau de Márcio Folha pela Ciclo Continuo Editorial (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 13/1/2003
Pascal e a condição humana
Pedro Maciel

+ de 8000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Blaise Pascal (1623-1662) está inserido na história da ciência como um dos mais notáveis estudiosos de matemática e física. Precoce, aos 12 anos, Pascal escreve um tratado sobre "Acústica" e descobre a geometria até trigésima segunda proposição de Euclides. Aos 17, escreve o "Tratado dos Cones" e, aos 19 anos, descobre a prensa hidráulica. No ano seguinte, inventa a primeira calculadora, a "máquina de aritmética", para ajudar o seu pai no trabalho. Em 1646 reproduz, com Pierre Petit, a experiência de Torriceli e faz experiências sobre o vácuo. É também conhecido como o precursor do cálculo infinitesimal.

Mas "Pensamentos", tradução de Mário Laranjeira; (Ed. Martins Fontes), é o seu trabalho mais genial, uma das obras-primas da literatura francesa. Pascal, admirador de Galileu e idealizador do primeiro sistema de ônibus parisiense, tenta justificar a fé pela razão. Deste livro é a célebre frase: "O coração tem razões que a razão desconhece". O autor de "As Provinciais", obra condenada por Roma em 1657, era militante do jansenismo, doutrina que pregava o rigor moral, e, por isso, manteve uma acirrada polêmica com os jesuítas.

"Pensamentos" é um conjunto de notas e rascunhos que deveria servir para a redação da "Apologia do Cristianismo". Os escritos inacabados foram iniciados por volta de 1657 e só foram recuperados oito anos após sua morte em Port Royal. Ao escrever "Pensamentos", Pascal não renega os seus interesses científicos, ao contrário, lança mão de um método lógico para explicar a fé e as exigências transcendentes da condição humana.

Segundo Gérard Lebrun, a originalidade do método adotado por Pascal surpreende, porque é um "método formado e testado ao nível das ciências exatas". Lébrun, no livro "Blaise Pascal, Voltas, desvios e Reviravoltas", Ed. Brasiliense (1983), relê o pensamento de Pascal e aponta os erros dos interpretadores em relação à obra do autor francês do século 17, interpretadores dos "falsos sentidos", que não viram o "Pascal Moderno, no coração da idade clássica", com seu "deus morto". "E daí se seguiram todos os falsos sentidos. E nesse pensamento, que não é mais do que um circuito na beira dos abismos, só viram piedoso fervor", diz Lébrun.

"Ao ler esses pensamentos fragmentados, temos de entender que estamos diante do grandioso e do provisório. Temos de ser capazes de ver, nos textos incompletos, nas frases interrompidas, na miscelânea dos assuntos, na brevidade das fórmulas, na desordem das citações, a mais profunda meditação que já se fez sobre as tensões que definem as relações entre o homem e a transcendência que o supera pelo terror, pelo temor e pela piedade. Se é inegável que o centro das preocupações de Pascal é a religião, afinal o objeto do livro que pretendia escrever, também é certo que a amplitude de sua reflexão atinge a dimensão da existência humana nos seus mais recônditos e difíceis aspectos, razão pela qual esses fragmentos falam a todos os seres humanos, que partilhem ou não a crença que inspirou Pascal", anota Franklin Leopoldo e Silva no esclarecedor prefácio.

Pascal, ao fazer a apologia cristã, revela muito mais o saber universal e o conhecimento do que os fundamentos da religião. A verdade na língua do pensador é relativa: "Todos erram tanto e mais perigosamente quando seguem cada um uma verdade; o seu erro não está em seguirem uma falsidade, mas em não seguirem outra verdade". Pascal defende que "quando não se sabe a verdade de uma coisa, é bom que haja um erro comum que fixe o espírito do homem..."

"Pensamentos" é um exercício extraordinário sobre a razão humana. Discurso fundamental para compreender o homem e a sua relação com Deus. Filosofia do espírito. Conversa dos deuses cartesianos? "Cada um forja um deus para si". Experimentação do pensamento moderno: "Ao escrever o meu pensamento, ele me escapa às vezes, mas isso me faz lembrar da minha fraqueza de que me esqueço a toda hora, o que me instrui tanto quanto o meu pensamento esquecido, pois só busco conhecer o meu nada". Um pensamento que deixa perplexo qualquer pensador.

"Pensamentos", de Pascal; 47 (172)
Nunca ficamos no tempo presente. Lembramos o passado; antecipamos o futuro como lento demais para chegar, como para apressar o seu curso, ou nos lembramos do passado para fazê-lo parar como demasiado rápido, tão imprudentes que erramos por tempos que não são nossos e não pensamos no único que nos pertence, e tão levianos que pensamos naqueles que nada são e escapamos, sem refletir, do único que subsiste. É que, em geral, o presente nos fere. Escondemo-lo de nossas vistas porque nos aflige e, se ele nos é agradável, lamentamos que nos escape. Buscamos mantê-lo mediante o futuro e pensamos em dispor as coisas que não estão em nosso poder por um tempo ao qual não temos a menor certeza de chegarmos.

Examine cada um os seus pensamentos. Vai encontrá-los a todos ocupados com o passado ou com o futuro. Quase não pensamos no presente, e se nele pensamos é somente para nele buscar a luz para dispormos do futuro. O presente nunca é o nosso fim.

O passado e o presente são os nossos meios, só o futuro é o nosso fim. Assim não vivemos nunca, mas esperamos viver e, sempre nos dispondo a ser felizes, é inevitável que nunca o sejamos.


Nota do Editor
Ensaio gentilmente cedido pelo autor. Publicado originalmente no caderno "Prosa & Verso", do jornal O Globo, a 23 de junho de 2001.


Pedro Maciel
Belo Horizonte, 13/1/2003

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Glenn Gould: caso de amor com o microfone de Luís Antônio Giron
02. Um homem sem profissão nem esperança de Luís Antônio Giron


Mais Pedro Maciel
Mais Acessados de Pedro Maciel
01. Italo Calvino: descobridor do fantástico no real - 8/9/2003
02. A arte como destino do ser - 20/5/2002
03. Antônio Cícero: música e poesia - 9/2/2004
04. Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa - 14/7/2003
05. Nadja, o romance onírico surreal - 10/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/1/2003
22h44min
E incrivel como passamos o tempo tentando encontrar respostas sobre nossas escolhas e renuncias. Somos produto do meio nao importa o tempo e sim onde nos inserimos na sociedade e com quem convivemos .
[Leia outros Comentários de Vinicius Brown]
31/1/2003
21h34min
Isto, entretanto, não quer dizer que devamos deixar que as coisas aconteçam, simplesmente como autômatos. Seríamos guiados pelos sentidos, que seguem ao sabor das variações sociais, antenados que são com percepções físicas. À moral, esse conjunto de normas internas de cada ser humano, é que se poderia perguntar o que se deve ser feito a cada instante e repetida essaa pergunta no instante seguinte, pois tudo pode mudar de um momento para outro. E não por mudarmos de companhia ou posição geográfica, mas por estarmos em ebulição íntima, nessa eterna equação das incógnitas bem e mal.
[Leia outros Comentários de ASSIS SANTOS]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




POTENCIAL DO USO DO ÁCIDO CAFEICO EM FORMULAÇÕES COSMÉTICAS
THAIS STOINOV OLIVEIRA, CAROLINE MAGNANI SPAGNOL UND MARCOS ANTONIO CORRÊA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



REENCONTRO CONSIGO MESMO
OSÓRIO SOARES FREITAS
PAULINAS
(2003)
R$ 4,00



SOB A LUZ DA LUA
ANDREA CREMER
GALERA RECORD
(2011)
R$ 37,00



O MUNDO PÓS-ANIVERSÁRIO
LIONEL SHRIVER
INTRÍNSECA
(2009)
R$ 15,00



PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO
ALBERT O HIRSCHMANN
ZAHAR EDITORES
(1969)
R$ 9,40



IDÉIAS MALUCAS QUE FUNCIONAM
ROBERT I. SUTTON
CAMPUS
(2002)
R$ 14,00



TRÊS CONTOS BIBLIOTECA UNIVERSAL FRANÇA
GUSTAVE FLAUBERT
TRÊS
(1974)
R$ 15,00



O CAMINHO DAS VIRTUDES (6500)
JASON DE CAMARGO
FRANCISCO SPINELLI
(2011)
R$ 25,00



PÃO DIÁRIO UMA MEDITAÇÃO PARA CADA DIA DO ANO VOL 21
ALBERT LEE AMY BOUCHER PYE ET AL ...
PÃO DIÁRIO
(2017)
R$ 10,00



DICIONÁRIO DE PARAPSICOLOGIA METAFÍSICA E ESPIRITISMO VOL I (2899)
JOÃO TEIXEIRA DE PAULA
BANCO CULTURAL
(1970)
R$ 18,00





busca | avançada
39745 visitas/dia
891 mil/mês