Digestivo nº 197 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 20/10/2004
Digestivo nº 197
Julio Daio Borges

+ de 6100 Acessos
+ 3 Comentário(s)




Televisão >>> Feliz aniversário, envelheço na cidade
Se o VMB é a maior premiação (ou festa) da música brasileira, – como diria Caetano, em outras épocas – estamos feitos. Se havia alguma espectativa por conta dos 10 anos do Video Music Brasil, ela foi completamente frustrada. O material de arquivo da Music Television tupiniquim foi acessado apenas na base da catalogação de gafes, no estilo Vídeo Show. E a promessa de antigos VJs, que compareceriam para reforçar a apresentação, não foi igualmente cumprida. Parece que o canal ignorou o fato de que havia uma história pré-Cazé e pré-Marcos Mion. Onde estavam, por exemplo, Gastão, Cuca e Astrid? Tudo bem que a última regrediu muito desde então, e que a segunda praticamente abandonou o showbiz, sobrando apenas o primeiro (num esforço para [re]erguer o MusiKaos – ainda existe?). Enfim, a emissora já não é o que era há muito tempo – e as esperanças já estavam mortas mesmo antes do VMB 2004. Mas e a música? A música brasileira “oficial” vive um de seus piores momentos: a todo instante, era clara a tentativa de elevar a auto-estima dos “músicos” desse universo pop rock brasileiro. E reuniu-se uma constelação de falsas e verdadeiras celebridades. Era uma mistura de Marisa Monte com Sandy & Júnior, José Serra (sim, o candidato) com João Gordo, Maria Rita com Preta Gil – e por aí vai. A quem ainda tinha (ou tem) alguma valor, cabia perguntar: “Por que você se mistura com esse povo?” Soou como imposição das majors (e das minors) que não vêem outra solução se não jogar todo mundo dentro do mesmo caldeirão. E se o tom geral era retrô (vamos “relembrar” esses 10 anos...), o resultado não poderia ser mais conservador. As grandes atrações musicais eram covers, ou, mais grave, artistas interpretando a si próprios (depois, é claro, da degradação). O mais triste é que a renovação da música brasileira (de verdade) vem acontecendo há anos – mas, certamente, ela não passa mais pelo palco do VMB. A impressão é de que as grandes vitrines do main stage vão ruindo uma a uma, e que quem fazia parte do “sistemão” vai afundando junto com o Titanic simbólico das antigas gravadoras. Não há bote salva-vidas para as cabeças envelhecidas, apenas para as novas – que já nascem sabendo nadar. [Comente esta Nota]
>>> VMB 2004
 



Internet >>> Diarius ininterruptus
Apoiado no entusiasmo de Paulo Markun, Mario Prata, prefaciando “O meu Pipi” (Ediouro), afirma que o futuro da literatura está nos blogs. Ele – que não entende muito de literatura, muito menos de internet, talvez um pouco de televisão – deu um belo de um chute, mas canhestramente pode ter razão. Na verdade, os blogs não estão “formando” escritores, mas na falta de um espaço para expor seus trabalhos em público, os últimos estão fazendo a fama dos primeiros, indevidamente. Ou seja: o blog como ferramenta é algo à beira da indigência, mas estamos vivendo uma época tal, de inversão de valores (principalmente artísticos), que os escritores (até mesmo os de verdade) estão apelando para a “blogosfera” para poder publicar. Aí aparece alguém como esse “Pipi”, cujo livro, uma reunião de posts, nos chega de Portugal com “tradução” de Prata. O tema é apelativo até não poder mais: o sujeito se diz especializado em “conas” (é preciso traduzir ou o sentido vocês conseguem pegar?) e desfila uma série de peripécias ao longo dos meses enquanto durou o blog. É um reality show sexual – e por escrito. São camareiras, estudantes do segundo grau, universitárias, mulheres casadas – todas passam pelo seu controle de qualidade, e Pipi faz a “crítica” da performance. É lógico que a maioria das histórias foi inventada e, mesmo que houvesse um fundo de verdade, não é aí que reside a graça. O que impressiona, na sua coletânea de barbaridades, é o fato do Pipi escrever bem demais – e ter de usar um expediente tão baixo para chamar a atenção (primeiro, o blog; depois, a temática; por último, o pseudônimo). Como vendeu 40 mil exemplares na terra de Camões, levantam-se suspeitas sobre sua identidade. Evidente que é escritor, ou jornalista, ou similar. Inclusive parodia Saramago e Lobo Antunes, habilmente, em algumas passagens. Não se consegue prever o seu “sucesso” no Brasil, é claro. Comparando com o blog na internet (ainda está no ar), longos trechos acabam lost in translation. Como verter, por exemplo, “zé tolas” (esse vocês sabem)? Não vai ser, tampouco, nossa “leitura de verão”. Mas fica como mais uma prova de que a literatura atual (seja de qual nível for) clama por urgente renovação. [Comente esta Nota]
>>> O meu Pipi - Pipi - 212 págs. - Ediouro
 



Música >>> The more you ignore me, the closer I get
Há muito tempo que o mundo não dava atenção a Morrissey. Há muito tempo, também, que ele não emplacava uma declaração polêmica ou, mais prosaicamente, um hit. Com You Are The Quarry, na velocidade da publicidade, as provocações estão todas nos títulos: “America is not the world”; “I have forgiven Jesus”; “I’m not sorry”; “The world is full of crashing bores” etc. Como uma seqüência assim, a espera é por um álbum, no mínimo, bombástico. Mas não é o que acontece. A elaboração, sobretudo verbal, de um Vauxhall and I (1994) e mesmo de um Maladjusted (1997; considerado verborrágico) fica aqui em segundo plano. Claro que entre um verso da nova geração e um do quilate de “Let me kiss you”, por exemplo, ficamos com o último: “So, close your eyes/ And think of someone you physically admire”. (A geração Acústico MTV seria incapaz desse “physically admire”.) Na parte instrumental, também: a preferência é por batidas conhecidas e pela quase ausência de invenção. Nem sombra de Johnny Marr (sim, o fantasma ainda ronda). Em que pese a introdução de “Irish blood, english heart” (aliás, uma bela sacada política), a guitarra anda apagada, servindo apenas de base para acompanhamento. Bolando uma teoria da conspiração: é como se Morrissey se visse obrigado, pelo que restou das majors, a descarregar todo o seu witty de uma vez, num formato despojado e econômico – principalmente em termos de banda. Afinal, Morrissey, por mais que tenha posado de alternativo nos anos 90, é um dos últimos príncipes do pop. E do jeito que as gravadoras estão desorientadas, de repente pareceu um bom negócio ressuscitá-lo – como astro. Incluindo, até, verbas para marketing, entrevistas e capas de revista. O que dificulta bastante a crença nas idiossincrasias do ex-líder dos Smiths (não seria tudo uma lucrativa jogada para angariar novos e resgatar velhos fãs?). Na dúvida, a abertura de “I’m not sorry”, com uma pinta de “em busca do talento perdido”, surge como uma esperança para o futuro (ou não): “On returning/ I can’t believe this world is still turning/ The pressure’s on/ Because the pleasure hasn’t gone...”. [Comente esta Nota]
>>> Morrissey
 
>>> O CONSELHEIRO TAMBÉM PUBLICA N'O GLOBO

clique aqui e leia

A convite de Manya Millen (via Pedro Maciel), editora do caderno "Prosa&Verso" do jornal O Globo, o Editor do Digestivo Cultural destilou sua verve sobre os famigerados... blogs! Foi no sábado, dia 9 de outubro, sob o título "Dos diários íntimos aos blogs" (confira na internet).

>>> ENQUANTO ISSO, NA FOLHA DE S. PAULO...

clique aqui e leia

O Digestivo Cultural foi indicado como referência em matéria de "literatura nacional" na internet. Junto com outros sites, para a Folha, o Digestivo "é um prato cheio para fãs ou vestibulandos que precisam estudar (...) as obras obrigatórias das listas dos exames". Foi na quarta-feira, dia 14, sob o título "Mundo digital acolhe literatura do Brasil".

>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Cafés Filosóficos
* Os árabes antes de Maomé - Alberto Mussa
(Ter., 19/10, 19h30, CN)
* Monogamia e fidelidade - Flávio Gikovate
(Qui., 21/10, 19h30, CN)

>>> Noites de Autógrafos
* A ignorância custa um mundo: O valor da educação no desenvolvimento do Brasil - Gustavo Ioschpe
(Seg., 18/10, 18h30, CN)
* O Sapo e o Príncipe - Paulo Markun
(Ter., 19/10, 18h30, VL)
* Dez conversas: Diálogos com poetas contemporâneos - Fabrício Marques (Qua., 20/10, 18h30, CN)
* Poemas Espararadrápicos - Doutores da Alegria
(Sáb., 23/10, 16hrs., VL)

>>> Shows
* Musica das Nações - Antonio Vaz Lemes (pianista)
(Seg., 18/10, 20hrs., VL)
* Hello, Dolly! - Traditional Jazz Band
(Sex., 22/10, 20hrs., VL)
* Espaço Aberto - Cássia Machado
(Dom., 24/10, 18hrs., VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/10/2004
17h21min
Uma vez assisti a palestra do autor Nelson de Oliveira, e ele fazia essa mesma afirmativa de que, talvez, o futuro da literatura estivesse na WEB...
[Leia outros Comentários de Carolinne]
25/10/2004
10h23min
Francamente, se vmb fosse realmente palco da música brasileira, nao seria esse show cançoes comerciais, limitando a extensa lista de talentosos artistas que existem Brasil a fora. Para variar, são aqueles mesmos Globo-alizados. E assim entopem a maioria dos meios de comunicaçao com toda essa "musica", ainda tem alguns que vendem "atitude", seria comico se nao fosse tragico, pois toda essa problematica que acaba por guiar as idéias que estarao em pauta, e continuar influenciando a sociedade de acordo com interesses economicos egoístas. Mas enfim, o mundo é muito antigo, e como as coisas vao indo nao parecem mudar. os governantes abrem mao da educaçao (sinonimo de um Futuro) para promover e preservar nossa dependencia (foi de portugal - inglaterra- e agora eua). A sociedade civil, que poderia ser atuante numa engrenagem consciente, nao de conflitos ingenuose ignorantes, na experença de mudança, mas crescendo no campo intelectual e construindo uma naçao brasileira. ver uma das mais fortes expressoes da nossa cultura imersa nisso tudo é como estar lendo -america é dos americanos (q sao eles lá de cima e nós os cucarachas).
[Leia outros Comentários de beatriz]
14/6/2006
22h37min
Penso que o VMB decepcionou como a MTV: emissora que, em seu inicio, trazia uma proposta de uma TV diferete, moderna e com uma linguagem jovem, caiu na mesmice das outras, entrou de vez no mercado e não passa de mais uma de emissora que vende de tudo. O VMB foi para o mesmo caminho, a ideia inicial era bem interessante, e simples: uma premiação da musica brasileira no qual o telespectador tinha voz de decisão. Mas o que vemos hoje é uma clara venda de artistas, o jabá rola solto! Vence quem as gravadores querem. O que resta de interessante nas apresentações é a performace do convidado "mestre de cerimionias", o ultimo deles, selton melo.
[Leia outros Comentários de Mário Lucas]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




QUAL É A COR DO AMOR
PATRÍCIA SENNA E EMERSON PONTES
PRAZER DE LER
(2011)
R$ 20,00



MENTES E MANIAS
ANA BEATRIZ BARBOSA SILVA
FONTANAR
(2011)
R$ 25,00



CANTARE ESTÓRÍAS
JOSÉ ALAERCIO ZAMUNER
PLÊIADE
(2011)
R$ 4,00



CADERNOS PAGU 29
CLAUDIA FONSECA ORGANIZADORA
PAGU
(2007)
R$ 35,00
+ frete grátis



CATÁLOGO GERAL DE SELOS DO BRASIL - 1980
ASCAT
FIRT -
(1980)
R$ 9,90



AS NOVAS REALIDADES
PETER F DRUCKER
PIONEIRA
(1989)
R$ 10,00



A VOLTA PARA CASA (NOVA ORTOGRAFIA)
BERNHARD SCHLINK
RECORD
(2009)
R$ 13,90



AMERICAN PSYCHOLOGIST VOLUME 64 Nª 8
PIERRE-AUGUSTE RENOIR
DECADE OF BEHAVIOR
(2009)
R$ 20,00



DICIONARIO OXFORD-ESCOLAR PARA ESTUDIANTES BRAS.
OBRA DA EDITORA
OXFORD DO BRASIL
(2016)
R$ 65,00



O QUE REALMENTE IMPORTA ?
ANDERSON CAVALCANTE
SEXTANTE
(2009)
R$ 9,90





busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês