Digestivo nº 303 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 10/11/2006
Digestivo nº 303
Julio Daio Borges

+ de 2700 Acessos
+ 4 Comentário(s)




Imprensa >>> Todo mês será assim?
Não era bravata, a Rolling Stone brasileira chegou. Mais de trinta anos separada de sua antecessora, que tratava sobretudo de MPB, sob a chuva ácida da ditadura. A RSB de agora chega meio contaminada pelas pautas comportamentais que a MTV Brasil introduziu no jornalismo musical brasileiro, desde os anos 90, quando ascendeu enquanto a Bizz antiga declinou. Então, é sintomático que a capa da Rolling Stone atual seja dedicada a Gisele Bündchen – segundo a chamada, a “nossa maior popstar” – e, não, a um músico, seja de MPB, seja de rock ou do que sobrou. Em tempos menos “monolíticos”, conforme colocou Philip Gourevitch na Flip, fica cada vez mais difícil eleger um “ídolo” que mereça uma capa de revista. Melhor apostar na capa de todas, ou quase todas, as publicações estreantes: Gisele (quando dá pra pagar o cachê) Bündchen. No aspecto musical propriamente dito, uma boa mistura entre o consagrado (“Bob Dylan”, “Jack Nicholson”...) e o “novo” (“Mariana Ximenes”, “Cansei de Ser Sexy”...). E o pessoal da Bizz reloaded deveria se preocupar, porque a sensação é de que há muito mais matéria pra ler – mesmo considerando-se que 50% da RSB vem de fora, de tradução. Dentro da nova moda das reportagens, e de “contar boas histórias” (alguém aí falou em jornalismo literário?), Claudio Tognolli foi escalado para “cobrir” Brasília e Marcelo Rubens Paiva, para perfilar a eterna musa de O Invasor. Fora isso, resenhas de discos meio em cima do muro (resquício do tempo das majors?), o mesmo “formatão” (e o mesmo papel) que consagrou a publicação, e alguns “heróis” musicais da cena brasuca de décadas atrás, como New Order e Slayer (!). O desafio de emplacar é o mesmo da versão recauchutada da Bizz: ultrapassar os 5 mil pagantes que a última vem angariando mensalmente. Pouco para um país musical como o Brasil. E nenhuma das duas está pensando em internet a sério ainda... [Comente esta Nota]
>>> Rolling Stone Brasil
 



Música >>> Construção de um sonho
O apogeu das temporadas de concertos em 2006 tem, pelo menos, um antecedente: as temporadas de concertos da Sociedade de Cultura Artística. A SCA, na abreviatura, começou suas atividades em 1912. Já em 1916, os 650 sócios estouravam a cota de convites e acenavam com a necessidade de uma sede. Do terreno, em 1919, até os concertos de estréia com Villa-Lobos e Camargo Guarnieri, em 1950, a Sociedade de Cultura Artística atravessou uma grande guerra, uma crise do café (outra de 29) e uma revolução (a de 32), para chegar ao teatro que todos, em São Paulo, conhecemos, na rua Nestor Pestana. Quem conta essa história é Gioconda Bordon, que, além de comandar o Estação Cultura (na rádio Cultura FM), é diretora artística da SCA. No livreto de encerramento da temporada 2006, o melômano ainda contava com os comentários de J. Jota de Moraes – isso se não trombasse, na platéia, com Arthur Nestrovski (e sua Inês), e com Hélio Goldsztejn (do literariamente badalado Entrelinhas, na TV Cultura). Por ser a mais tradicional, a temporada da Sociedade de Cultura Artística é a única considerada imperdível pelo who’s who da música (e da crítica de música) na capital paulista. Em 2006, fechou-se com chave de ouro graças a Les Musiciens du Louvre (de Grenoble), sob a direção de Marc Minkowski, tocando Mozart. Muito brilho na execução do balé final da ópera Idomeneo e muito fôlego (e músculo) na execução das Sinfonias 40 e 41 (Júpiter). Para quem sempre associou o Teatro Cultura Artística ao teatro propriamente dito, e a campeões de bilheteria como Marco Nanini, Marieta Severo e Paulo Autran, o som de uma sinfônica a todo vapor poderia, de início, estranhar um pouco. Na verdade, era apenas um “choque de realidade”, pois Minkowski e Les Musiciens du Louvre estavam devolvendo o teatro da SCA à sua vocação original. Que as próximas temporadas continuem servindo assim de referência para as demais. [Comente esta Nota]
>>> Sociedade de Cultura Artística
 



Internet >>> Naked Conversations
Depois de uma ediçãozinha mixuruca sobre a Web 2.0, a maioria das publicações nacionais abandonou o assunto. Não porque a Web 2.0 – ou o que quer que ela seja – tenha perdido o fôlego, mas porque – como todos sabemos – os jornalistas brasileiros não acompanham o que acontece na internet (mesmo quando, teoricamente, estão nela). Enfim: se Michael Arrington já tinha o melhor blog do mundo para quem queria acompanhar as start-ups que surgem todos os dias, no embalo do novo boom, agora ele se superou. Do TechCrunch, o blog, Arrington derivou o TalkCrunch, um podcast. São mais de seis meses de investidas em áudio, em mais de quinze programas, fazendo o trabalho que nem os jornalistas dos Estados Unidos estão fazendo mais: reportando o que acontece – hoje – na internet. Pelos microfones do TalkCrunch, já passaram o pessoal do Digg (na época, ultrapassando o New York Times na Web), o CEO do novíssimo Wikia (disponibilizando, amplamente, a tecnologia da Wikipedia) e a turma do Google Calendar (mais uma investida, junto com o Gmail, para dar cabo do Outlook, da Microsoft). A diferença das entrevistas de Michael Arrington – para a cobertura burocrática que um jornalista normal faria – é que ele participa do processo ativamente, como blogger. Arrington talvez seja criticado por não ter isenção, e por se colocar radicalmente em algumas discussões, mas jamais pode ser acusado de não cumprir com sua obrigação de entrevistador. Na venda do Reddit, inquiriu incansavelmente sobre o valor da negociação; no bate-papo com os idealizadores do Pageflakes, não sossegou enquanto não obteve números aproximados dos usuários; e na controversa idéia por trás do PayPerPost, levantou considerações éticas com as quais os blogueiros brasileiros ainda nem sonham... Ninguém precisa esperar mais a cobertura sensacionalista das revistas de informática, nem o tom de auto-ajuda dos cadernos de tecnologia dos jornais, Michael Arrington está disponível em nova versão: falada. [Comente esta Nota]
>>> TalkCrunch
 
>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA

O Viandier, Casa de Gastronomia, convida, nesta semana, os Leitores do Digestivo Cultural para o curso "Descobrindo os Sabores do Brasil", com Ricardo Maranhão, professor de história da gastronomia, da USP, que acontece nos dias 7, 9 e 14 de novembro, sempre às 19h30. (O Viandier fica na alameda Lorena, nº 558, nos Jardins e o telefone, para reservas, é: 11 3057-2987 ou 3887-2943 – ou ainda pelo e-mail).



>>> Palestras
* O Grande Jogo: política, cultura e idéias em tempo de barbárie
Heródoto Barbeiro, Demétrio Magnoli, Roberto Romano e Gilson Schwartz
(Sáb., 11/11, 15h00, VL)
* O ano em que meus pais saíram de férias (making-off)
Cao Hamburger
(Ter., 14/11, 19h30, VL)

>>> Autógrafos
* Moderno de Nascença: figurações do Brasil
Benjamin Abdala Jr. e Salete de Almeida Cara (org.)
(Seg., 13/11, 18h30, CN)
* Sushi: sabor milenar - Sergio Neville Holzmann
(Seg., 13/11, 19h00, MP)
* Cultura e Vida Cotidiana no Jornal - Terezinha Tagé
(Qui., 16/11, 18h30, CN)
* Diário de um Cavaleiro Templário - Orlando Paes Filho
(Sáb., 18/11, 15h00, VL)

>>> Shows
* Luz da Lua - Alex Buck
(Qui., 16/10, 19h30, MP)
* Rock - Debate
(Dom., 19/10, 18h00, VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** Livraria Cultura Market Place Shopping Center (MP): Av. Chucri Zaidan, nº 902
**** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/11/2006
00h27min
A Rolling Stone passou a ser sinônimo de estilo de vida, de mundo. E Gisele, nesse estilo, é simplesmente demais. Valeu mesmo!Sobre o site: chic demais.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
11/11/2006
10h54min
Estava na expectativa da revista nas bancas... como seria? Quando vi a Gisele e olhei dentro... fiquei decepcionada. Não é impactante, nem vale a grana que custa. Entre as inúmeras publicações expostas nas bancas atualmente - eu pelo menos acho - tem sido difícil levar alguma coisa pra casa que realmente valha a pena.
[Leia outros Comentários de Camaleoa]
18/11/2006
18h20min
Rolling Stone brasileira... Será que no Brasil não temos jornalistas capacitados para criar uma nova revista, com identidade própria? Temos que viver sempre à sombra de alguém?
[Leia outros Comentários de noe ferreira borges ]
23/11/2006
21h42min
Acredito que a Rolling Stone seja uma revista capaz de experimentar uma nova linguagem. Mas o problema é quando isso acaba virando clichê, o modo com as matérias são construídas não passa de frugalidade... Eu acredito na revista. Particularmente gosto de revistas que misturam Maisntream, Pop, Rock... Espero mais da revista brasileira e gostei da Gisele na capa. Sem dúvida. ela é a maior Pop Star Brasileira. Pop... gosto dessa palavra =)
[Leia outros Comentários de Camila Martucheli]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




GLOBALIZAÇÃO - ESTADO NACIONAL E ESPAÇO MUNDIAL - 10ª IMPRESSÃO
DEMÉTRIO MAGNOLI
MODERNA
(1999)
R$ 7,00



COMMEMORATING PUSHKIN
STEPHANIE SANDLER
STANFORD UNIVERSITY PRESS
(2004)
R$ 260,00



QUESTÕES DO CORAÇÃO 7792
EMILY GIFFIN
NOVO CONCEITO
(2011)
R$ 13,00



OBRA COMPLETA (VOLUME 1: POESIAS E ENSAIOS)
JORGE DE LIMA
JOSÉ AGUILAR
(1958)
R$ 90,00



O VALE DAS ROSAS
LUCIEN BODARD
NOVA FRONTEIRA
(2018)
R$ 9,00



NOS BASTIDORES DO PINK FLOYD
BLAKE, MARK
EDITORA ÉVORA
(2012)
R$ 79,90



TRIÂNGULO
KEN FOLLETT
RECORD
R$ 6,00



PARIS LEGAL
CYNTHIA CAMARGO
BEST SELLER
(1998)
R$ 4,90



NO AR: PRK-30 - (COM CD )
PAULO PERDIGÃO
CASA DA PALAVRA
(2003)
R$ 25,00



O MANUSCRITO DE MEDIAVILLA
ISAIAS PESSOTTI
34
(2005)
R$ 16,11





busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês