Os Ensaios, de Montaigne | Digestivo Cultural

busca | avançada
29667 visitas/dia
949 mil/mês
Mais Recentes
>>> TV Brasil estreia premiada série O Tempo entre Costuras nesta sexta (26)
>>> Baile da Melhor Idade no Pátio Alcântara
>>> Mattel apresenta lançamentos em livros na Bienal de São Paulo
>>> Companhia de Danças de Diadema apresenta "por+vir" na Galeria Olido
>>> Universidade do Livro oferece curso a distância de preparação e revisão
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius
>>> Sobre os três primeiros romances de Lúcio Cardoso
>>> Meu querido mendigo
>>> Na hora do batismo
>>> Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida
>>> Existe na cidade alguém, assim como você...
>>> Eleições nos Estados Unidos
>>> Os dinossauros resistem, poesia de André L Pinto
>>> A que ponto chegamos, EUA!
>>> Caiu na rede, virou social
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
>>> Elon Musk Code Conference 2016
Últimos Posts
>>> Rua da infância
>>> Nada disso estaria acontecendo...
>>> 180°
>>> Espírito Olímpico
>>> O homem nu
>>> Casulo de névoas
>>> 24 de Agosto, um dia na recente historia do Brasil
>>> Ray-Banless
>>> Primeiro Debate dos Candidatos à Prefeitura
>>> Sem palavras
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eleições nos Estados Unidos
>>> Na pior em Parati e em Londres
>>> Quando a vida liquida o espírito
>>> Novos Talentos
>>> Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída...
>>> Obscura paisagem em peça de Mirisola e Oliveira
>>> Pizza leve com massa fina
>>> Ideologia retrô
>>> Paciência e imediatismo
>>> Aden Leonardo Camargos
Mais Recentes
>>> Viagem ao centro da Terra
>>> Cordel para Crianças (Caixinha com 10 Títulos)
>>> 40 Anos de Teatro (Volume 3) - Mario Nunes
>>> 40 Anos de Teatro (Volume 2) Mário Nunes
>>> Curso de Cenografia - Di Cavalcanti
>>> Apolonia Pinto e o seu tempo - Coleção DIONYSOS
>>> Revista DIONYSOS - nº 5 (Fevereiro de 1955)
>>> Revista DIONYSOS - nº 26 (Especial: Teatro Oficina)
>>> Revista DIONYSOS - nº 24 (Especial: Teatro de Arena)
>>> Revista DIONYSOS - nº 22 (Os Comediantes)
>>> Revista DIONYSOS nº 16 (Teatro)
>>> Revista DIONYSOS - nº 25 (TBC - Teatro Brasilerio de Comédia)
>>> Revista DIONYSOS nº 23 (Teatro)
>>> Janeiro de Grandes Espetáculos - Origem e Perspectivas - 2ª Edição Revista e Ampliada
>>> Janeiro de Grandes Espetáculos - Origem e Perspectivas
>>> Incidentes em Antares - Érico Veríssimo
>>> Sabedoria Persa
>>> O Barão nas Árvores - Italo Calvino
>>> Solano Trindade - Poemas Antológicos
>>> A invenção de Hugo Cabret
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras
>>> Cidades Brasileiras - O passado e o presente
>>> Clarice - Uma vida que se conta
>>> Orações Que Deus Gostaria de Ouvir
>>> Paula Pryke Living Colour
>>> Herança Explosiva
>>> A um Passo do Armagedom
>>> O Estudo Bíblico Indutivo
>>> Sigueme Uno Como Crecer Espiritualmente
>>> O Espírito Humano - Vol. 2 da Série Espírito, Alma e Corpo
>>> The Anointing to Heal
>>> Ao Romper da Aurora
>>> Ética do Jovem e a Preparação para a Vida
>>> Você Pode Mudar o Mundo - Ajude as Crianças a Orar pelo Mundo
>>> Ouça o Seu Coração
>>> A Paz Que Excede Todo o Entendimento
>>> Valorize Sua Personalidade - Cultivando as Relações Intra e Interpessoais
>>> Psicologia Infantil Aplicações Educativas
>>> Adoniram Judson Americas First Foreign Missionary Golden Oldies Serie
>>> The Literature of the Bible
>>> I Levantamento Domiciliar Sobre Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil
>>> Pequeno Atlas Bíblico
>>> Pequeno Manual de Personagens Bíblicos
>>> As Epístolas Paulinas 1ª Romanos e Galátas
>>> Alicerces Firmes- da Criação Até Cristo - Com Mapas
>>> Qual o Destino do Homem?
>>> Freud, o Pensador da Cultura
>>> Los Secretos Eternos de la Salud- Medicina de Vanguarda para el siglo XXI
>>> O I Ching e os Mistérios da Vida -As Chaves Ocultas da Vida
>>> O Ser Subconsciente
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Além do Mais

Quarta-feira, 28/3/2012
Os Ensaios, de Montaigne
Julio Daio Borges

+ de 11000 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Digestivo nº 486 >>> Todo mundo que aprecia uma leitura de fôlego já ouviu falar da forma "ensaio". Tantos escritores e pensadores lançaram seus livros de "ensaios" que parece um formato tão antigo quanto, sei lá, as diferenças entre "poesia" e "prosa". Mas o fato é que o "ensaio" foi inventado por um sujeito chamado Michel Eyquem, nascido em 1533, que chegou a ser prefeito de Bordeaux (na França), que não era nobre, mas que detinha posse de terras, e que, nos seus escritos, usou a alcunha de "Michel [Seigneur] de Montaigne". Reza a lenda que em 1569 sofreu uma queda de cavalho séria, que o fez contemplar a possibilidade da própria morte e, assim, nasceu um projeto autobiografico, o dos Ensaios. Também reza a lenda que Montaigne utilizou a palavra "ensaio" porque, na sua abordagem de temas, fazia "tentativas", não tinha a pretensão de ser definitivo e admitia que estava muito longe dos sábios da antiguidade, em quem se inspirava. Foi criado primeiro em latim, por determinação de seu pai, depois em francês. De modo que dominar os clássicos fazia parte do seu dia a dia, não era nenhuma coisa de outro mundo. Justamente por não ser um especialista, apesar de conhecer bastante, Montaigne se revela, no final das contas, um dos sábios mais humildes de toda a História. Dialoga, principalmente, com Sêneca e Plutarco, mas cita desde Sócrates, Platão e Aristóteles até Alexandre, César e Virgílio. Cronologicamente, está próximo da descoberta da América, tendo, aliás, escrito um ensaio mencionando o canibalismo (mas com muito respeito às culturas pré-colombianas). Apesar de ser considerado de fé cristã, praticamente não cita a Bíblia ou nenhum dos Doutores da Igreja. Como bom renascentista, sente-se mais à vontade entre autores gregos e romanos do que entre a literatura da Idade Média. Ainda que esteja, por exemplo, relativamente próximo do Dom Quixote (1605), toda a mitologia de príncipes e princesas, reis e rainhas não está presente na obra de Montaigne, a não ser para desconstruí-la (ocupa-se, insistentemente, com o lado humano, e menos nobre, da coisa toda). É assim, por exemplo, que apresenta seus Ensaios: "Quero que me vejam aqui em meu modo simples, natural e coerente, sem pose nem artifício: pois é a mim que retrato". Mais adiante, define seu projeto: "É um registro de ocorrências diversas e mutáveis, de ideias indecisas, e se calhar, contrárias". Contrariando Maquiavel, aliás, declara: "Mesmo se pudesse me fazer temido, gostaria mais ainda de me fazer amado". Fechando com: "Quem impõe seu discurso como um desafio e um comando mostra que sua razão é fraca". Montaigne varre praticamente todo o escopo de preocupações humanas (a edição original, dos Ensaios, abarca três volumes), tendo se tornado mais conhecido por capítulos como "Que filosofar é aprender a morrer" (uma constatação de Cícero), onde arremeda os estoicos: "Não há nenhum mal na vida para aquele que bem compreendeu que a privação da vida não é um mal". Fala, também, de estética: "É descortês e inoportuno criticar tudo o que não é de nosso gosto". Pondera sobre os limites do conhecimento: "É uma ousadia perigosa de grande consequência desprezar o que não compreendemos". E, citando Heráclides do Ponto, define-se mais um pouco: "Não sei arte nem ciência, mas sou filósofo". Reconhece, aliás, que a filosofia não está mais em alta: "É espantoso que as coisas tenham chegado, em nosso século, ao ponto de a filosofia ser até para as pessoas inteligentes algo vão e fantástico, considerado de nenhuma utilidade e de nenhum valor tanto para a opinião geral como para a prática". Contudo, quando necessário, soa igualmente pragmático: "É obrigado a agir mal no varejo quem quiser agir bem no atacado, e a cometer injustiça nas pequenas coisas quem quiser fazer justiça nas grandes". A nova edição dos Ensaios, lançada na coleção de clássicos da Penguin Companhia, é perfeita para quem deseja adentrar no universo de Montaigne, comprometendo-se, inicialmente, com um volume apenas. A introdução de Erich Auerbach, situando Montaigne na história da literatura, é primorosa. A tradução é fluida e as notas de rodapé são oportunas sem prejudicar a leitura. Conhecer Montaigne, para quem deseja fazer "amizade com a sabedoria" (sentido original da palavra "filosofia"), é, muito mais que uma obrigação, um indescritível prazer. Afinal, como Montaigne, mais uma vez, nos ensina: "Não há nada tão belo e legítmo quanto agir como um homem deve agir, nem ciência tão árdua como saber viver esta vida".
>>> Os Ensaios
 
Julio Daio Borges
Editor

Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/5/2012
13h42min
Caro Julio e leitores, A observação de Montaigne - "É espantoso que as coisas tenham chegado, em nosso século, ao ponto de a filosofia ser até para as pessoas inteligentes algo vão e fantástico, considerado de nenhuma utilidade e de nenhum valor tanto para a opinião geral como para a prática" - continua a ter validade, acho que até maior, nos nossos dias. Abraço,
[Leia outros Comentários de Cesar Barroso]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PERVERSÃO EM CENA
ELIANE CHERMANN KOGUT
ESCUTA
(2004)



CONCEITOS DA PSICANÁLISE- EROS/SADOMASOQUISMO- 2 VOLUMES
NICOLA ABEL HIRSCH, ESTELA WELLDON
RELUME DUMARÁ
(2005)



A INSUSTETÁVEL LEVEZA DO SER
MILAN KUNDERA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1999)



A CULTURA DIGITAL - FOLHA EXPLICA
ROGÉRIO DA COSTA
PUBLIFOLHA
(2002)



A FUGA DO SR. MONDE
GEORGES SIMENON
L&PM
(2010)



CORPO DE DELITO
PATRICIA D. CORNWELL
COMPANHIA DAS LETRAS
(1995)



O OLHO DO FURACÃO ( UM PANORAMA DO PENSAMENTO DO EXTREMO ORIENTE)
MURILO NUNES DE AZEVEDO
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1973)



O VERMELHO E O NEGRO
STENDHAL
ABRIL COLEÇÕES
(2010)



MEMÓRIA ABRACE I - ANAIS DO I CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS
ARMINDO BIÃO (COORD.)
ECA/USP
(1999)
+ frete grátis



OS SKROTINHOS - A FOME E A VONTADE DE COMER
ANGELI- ARNALDO ANGELI FILHO
JACARANDA
(2000)
+ frete grátis





busca | avançada
29667 visitas/dia
949 mil/mês