Os Ensaios, de Montaigne | Digestivo Cultural

busca | avançada
17058 visitas/dia
635 mil/mês
Mais Recentes
>>> TV Brasil apresenta show do Nação Zumbi no programa Todas as Bossas
>>> TV Brasil apresenta final da série O Tempo entre Costuras nesta sexta (13/1)
>>> TV Brasil homenageia Zygmunt Bauman nesta sexta (13/1)
>>> Teatro do Incêndio promove oficina cênica grátis com Kleber Montanheiro
>>> Valadão Muda o Mundo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meshugá, a loucura judaica, de Jacques Fux
>>> O Natal de Charles Dickens
>>> Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso
>>> Gerald Thomas: uma autobiografia
>>> Neste Natal etc. e tal
>>> 'Hysteria' Revisitada
>>> O tremor na poesia, Fábio Weintraub
>>> Lançamento de Viktor Frankl
>>> E por falar em aposentadoria
>>> O quanto podemos compreender
Colunistas
Últimos Posts
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
Últimos Posts
>>> Abraço
>>> Paralamas do Sucesso: Novo álbum e shows em SP
>>> Lô Borges ou a estreia 45 anos depois
>>> Águas abertas ao mito
>>> Arranha-céu
>>> Da população ao empoderamento de Brasília
>>> Belém do Pará, ano um. 401.
>>> Na trilha de um corredor
>>> Entropias
>>> Sigmund Freud, neuroses e ciúme em destaque
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Alguém ainda acredita em Deus?
>>> Eu nunca fui nerd
>>> Um brasileiro no Uzbequistão (IV)
>>> O que querem os homens? Do Sertão a Hollywood
>>> A seguir cenas dos próximos capítulos
>>> A literatura de ficção morreu?
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Mamilos
>>> FHC abrindo a Flip 2010
>>> Semana da Canção Brasileira
Mais Recentes
>>> A executiva
>>> Collins Press (UK
>>> Great Expectations
>>> Obras
>>> As Dimensões e os Extraterrestres
>>> Coração de Diamante - Livro Um- Elementos do Real no Homem e Essência
>>> Meus Antepassados
>>> Pinochio
>>> Como e porque se Faz Arte
>>> Alice no Pais da Mentira
>>> Seu Gentil
>>> O Catador de Papel
>>> O Maior Heroi do Mundo
>>> Senna
>>> Os meninos da rua Paulo
>>> O Som dos Acordes - Exercícios de acodes Para Piano e Jazz
>>> Epistemologias do Século XX-Popper- Kuhn- Lakatos- Laudan Bachelard, Toulmin,FEyerabend, Maturana, Bohm, Bunge, Prigogine, Mayr
>>> A Quem Enviarei? Doze Cestos Cheios- Volume 1
>>> Repertório
>>> Doze Cestos Cheios- Volume 1
>>> O Ateneu
>>> A Caça nos Sertões do Seridó
>>> O Mutirão no Nordeste
>>> A História da Imprensa no Brasil
>>> O Quinze
>>> A dominação ocidental na Ásia Vol. 1
>>> O Mandarim
>>> Revista Fluir Edição 228
>>> Constituicion de la Union de Republicas Socialistas Sovieticas
>>> Violão de Rua Vol. 2
>>> Veja 25 Anos: Reflexões Para O Futuro
>>> Violão de Rua
>>> Sonata de Primavera
>>> National Geographic Brasil Nº 08
>>> Revista Paisagismo E Jardinagem Especial Nº 24: Jardins Comerciais
>>> Poe's Prose Tales
>>> Michaelis Pequeno Dicionário: italiano-português português-italiano
>>> National Geographic Brasil Nº 34
>>> National Geographic Brasil Nº 16
>>> Revista Fluir Edição 159
>>> Tom Jones
>>> Revista Casa E Jardim Nº 537
>>> National Geographic Brasil Nº 05
>>> National Geographic Brasil Nº 23
>>> Encantador de Pessoas
>>> O Navio das Noivas
>>> Como eu era antes de Você
>>> A Garota que você deixou para trás
>>> Baía da esperança
>>> Quando você voltar
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Além do Mais

Quarta-feira, 28/3/2012
Os Ensaios, de Montaigne
Julio Daio Borges

+ de 11100 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Digestivo nº 486 >>> Todo mundo que aprecia uma leitura de fôlego já ouviu falar da forma "ensaio". Tantos escritores e pensadores lançaram seus livros de "ensaios" que parece um formato tão antigo quanto, sei lá, as diferenças entre "poesia" e "prosa". Mas o fato é que o "ensaio" foi inventado por um sujeito chamado Michel Eyquem, nascido em 1533, que chegou a ser prefeito de Bordeaux (na França), que não era nobre, mas que detinha posse de terras, e que, nos seus escritos, usou a alcunha de "Michel [Seigneur] de Montaigne". Reza a lenda que em 1569 sofreu uma queda de cavalho séria, que o fez contemplar a possibilidade da própria morte e, assim, nasceu um projeto autobiografico, o dos Ensaios. Também reza a lenda que Montaigne utilizou a palavra "ensaio" porque, na sua abordagem de temas, fazia "tentativas", não tinha a pretensão de ser definitivo e admitia que estava muito longe dos sábios da antiguidade, em quem se inspirava. Foi criado primeiro em latim, por determinação de seu pai, depois em francês. De modo que dominar os clássicos fazia parte do seu dia a dia, não era nenhuma coisa de outro mundo. Justamente por não ser um especialista, apesar de conhecer bastante, Montaigne se revela, no final das contas, um dos sábios mais humildes de toda a História. Dialoga, principalmente, com Sêneca e Plutarco, mas cita desde Sócrates, Platão e Aristóteles até Alexandre, César e Virgílio. Cronologicamente, está próximo da descoberta da América, tendo, aliás, escrito um ensaio mencionando o canibalismo (mas com muito respeito às culturas pré-colombianas). Apesar de ser considerado de fé cristã, praticamente não cita a Bíblia ou nenhum dos Doutores da Igreja. Como bom renascentista, sente-se mais à vontade entre autores gregos e romanos do que entre a literatura da Idade Média. Ainda que esteja, por exemplo, relativamente próximo do Dom Quixote (1605), toda a mitologia de príncipes e princesas, reis e rainhas não está presente na obra de Montaigne, a não ser para desconstruí-la (ocupa-se, insistentemente, com o lado humano, e menos nobre, da coisa toda). É assim, por exemplo, que apresenta seus Ensaios: "Quero que me vejam aqui em meu modo simples, natural e coerente, sem pose nem artifício: pois é a mim que retrato". Mais adiante, define seu projeto: "É um registro de ocorrências diversas e mutáveis, de ideias indecisas, e se calhar, contrárias". Contrariando Maquiavel, aliás, declara: "Mesmo se pudesse me fazer temido, gostaria mais ainda de me fazer amado". Fechando com: "Quem impõe seu discurso como um desafio e um comando mostra que sua razão é fraca". Montaigne varre praticamente todo o escopo de preocupações humanas (a edição original, dos Ensaios, abarca três volumes), tendo se tornado mais conhecido por capítulos como "Que filosofar é aprender a morrer" (uma constatação de Cícero), onde arremeda os estoicos: "Não há nenhum mal na vida para aquele que bem compreendeu que a privação da vida não é um mal". Fala, também, de estética: "É descortês e inoportuno criticar tudo o que não é de nosso gosto". Pondera sobre os limites do conhecimento: "É uma ousadia perigosa de grande consequência desprezar o que não compreendemos". E, citando Heráclides do Ponto, define-se mais um pouco: "Não sei arte nem ciência, mas sou filósofo". Reconhece, aliás, que a filosofia não está mais em alta: "É espantoso que as coisas tenham chegado, em nosso século, ao ponto de a filosofia ser até para as pessoas inteligentes algo vão e fantástico, considerado de nenhuma utilidade e de nenhum valor tanto para a opinião geral como para a prática". Contudo, quando necessário, soa igualmente pragmático: "É obrigado a agir mal no varejo quem quiser agir bem no atacado, e a cometer injustiça nas pequenas coisas quem quiser fazer justiça nas grandes". A nova edição dos Ensaios, lançada na coleção de clássicos da Penguin Companhia, é perfeita para quem deseja adentrar no universo de Montaigne, comprometendo-se, inicialmente, com um volume apenas. A introdução de Erich Auerbach, situando Montaigne na história da literatura, é primorosa. A tradução é fluida e as notas de rodapé são oportunas sem prejudicar a leitura. Conhecer Montaigne, para quem deseja fazer "amizade com a sabedoria" (sentido original da palavra "filosofia"), é, muito mais que uma obrigação, um indescritível prazer. Afinal, como Montaigne, mais uma vez, nos ensina: "Não há nada tão belo e legítmo quanto agir como um homem deve agir, nem ciência tão árdua como saber viver esta vida".
>>> Os Ensaios
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. 8º Cordas na Mantiqueira, em São Francisco Xavier (Música)
02. O mensalão, 5 anos depois, pelo Valor Econômico (Imprensa)
03. A arte do romance, por Milan Kundera (Literatura)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/5/2012
13h42min
Caro Julio e leitores, A observação de Montaigne - "É espantoso que as coisas tenham chegado, em nosso século, ao ponto de a filosofia ser até para as pessoas inteligentes algo vão e fantástico, considerado de nenhuma utilidade e de nenhum valor tanto para a opinião geral como para a prática" - continua a ter validade, acho que até maior, nos nossos dias. Abraço,
[Leia outros Comentários de Cesar Barroso]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMÉDIAS PARA SE LER NA ESCOLA
LUIS FERNANDO VERISSIMO
OBJETIVA
(2001)
R$ 15,00
+ frete grátis



PRELÚDIO PARA A MORTE
VAL MCDERMID
BERTRAND BRASIL
(2009)
R$ 42,00
+ frete grátis



SEIS PEÇAS DE TEATRO PARA CRIANÇAS - STELLA LEONARDOS (TEATRO INFANTIL)
STELLA LEONARDOS
EDIOURO
R$ 8,00
+ frete grátis



SIMPLESMENTE CHIQUE - RECEITAS PRÁTICAS PARA SEU DIA A DIA
PAULA NASSER
DO AUTOR
(2015)
R$ 10,00
+ frete grátis



A ESTRATEGIA EM AÇÃO BALANCED SCORECARD
ROBERT S. KAPLAN / DAVID P. NORTON
CAMPUS
(1997)
R$ 45,00
+ frete grátis



A TRAMA DOS TAMBORES - A MÚSICA AFRO-POP DE SALVADOR
GOLI GUERREIRO
34
(2000)
R$ 20,00
+ frete grátis



TEM GENTE QUE SÓ SE MATA POR ERRO DE CÁLCULO
TEM GENTE QUE SÓ SE MATA POR ERRO DE CÁLCULO
REDONDEZAS CONTOS
(2013)
R$ 11,00
+ frete grátis



LIBRAS, QUE LÍNGUA É ESSA?
AUDREI GESSER
PARÁBOLA
(2009)
R$ 10,00
+ frete grátis



THE POWER OF GENEROSITY
DAVE TOYCEN
AUTHENTIC MEDIA
(2004)
R$ 12,00
+ frete grátis



REDAÇÃO E INTERPRETÇÃO INSTRUMENTAL
WILSON DE ARAÚJO MELO
RIO
(1980)
R$ 9,00
+ frete grátis





busca | avançada
17058 visitas/dia
635 mil/mês