Textos movediços | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
48247 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 21/4/2011
Textos movediços
Carla Ceres

+ de 3600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Vou te contar uma piada: Um cowboy e seu cavalo entram num bar. O cavalo pede um uísque e o cowboy pede um copo de leite. Espantado, o barman comenta: "Que estranho! Cavalo bebendo uísque e cowboy tomando leite!" O cavalo responde: "Eu posso beber à vontade. É ele que está dirigindo."

Quando nos contam uma piada, podemos gostar ou não, por uma série de motivos. Gostamos porque foi bem contada, porque surpreendeu, porque se refere a algo especialmente significativo para nós... Deixamos de gostar porque contaram mal, porque adivinhamos o final, porque nos ofendeu...

Dizem que ter senso de humor é sinal de inteligência. Nem sempre. Há bobos alegres que riem de qualquer coisa a ponto de tornar-se inconvenientes. No outro extremo, algumas pessoas têm especial dificuldade para entender piadas. Em geral, parecem estúpidas ou ranzinzas. Desconfio, no entanto, que exista mais um possível motivo: a inabilidade para interagir com o texto.

Todo texto, seja escrito, narrado ou encenado, exige a participação do leitor/espectador para completar-se. O texto propõe uma viagem. Ao leitor cabe embarcar. Se alguém nos diz que vai nos contar uma piada, ficamos preparados para aceitar afirmações inverossímeis como se fossem verdadeiras. Tudo bem, cavalos não pedem uísque em bares, mas, como é uma piada, aceitamos essa informação e esperamos o desfecho, tentando adivinhá-lo. O texto é nosso guia. Ele nos conduz. Nós o acompanhamos. O bom texto é desafiador, sem ser indecifrável. O leitor experiente aceita as verdades do texto e as acompanha passo a passo.

Quem não entende piadas também costuma ter problemas com textos relacionados à fantasia. Se gostar de um filme em que aparecem fantasmas, é porque acredita que eles existem no mundo real. Um dos sujeitos mais sem senso de humor que conheci estranhava que seus amigos se assustassem com o filme Sexta-Feira 13, mas morria de medo de O Exorcista. Seu comentário era: "Eu não consigo sentir medo do que não existe. O Jason não existe, mas o demônio existe sim." Em outras palavras, ele não conseguia embarcar na ficção.

É na infância que aprendemos, gradualmente, a separar fantasia de realidade. É também nessa fase que contos fantásticos nos ensinam a suspender voluntariamente a descrença para acompanhar uma história interessante. Adultos que só se interessam por documentários e não-ficção talvez não tenham praticado a suspensão da descrença o suficiente quando crianças.

Suspensão da descrença é uma expressão bem conhecida entre estudantes de literatura, mas deveria ser explicada aos estudantes de primeiro grau. Só assim formaríamos adultos capazes de compreender textos complexos. Um texto simples, por mais fantasioso que seja, estabelece claramente quais são as leis que regem seu universo. Podemos confiar nesse texto. Seus personagens são coerentes e as dúvidas se resolvem no fim.

Nos textos complexos, precisamos confiar desconfiando e seus conflitos talvez jamais se esclareçam. Dom Casmurro é um bom exemplo. O leitor despreparado reduz o romance a uma questão típica de telenovela: traiu ou não traiu? Ainda insatisfeito com a dúvida, escolhe a alternativa mais provável de acordo com seus conhecimentos e experiência de vida. Jamais lhe ocorreria duvidar da imparcialidade do narrador, questionar seus preconceitos e motivações inconscientes.

Por falar em inconsciente, o que acontece quando o texto acompanha a história de um personagem oscilante entre realidade e alucinação? Em geral, o leitor/espectador se livra da incerteza, escolhendo em que acreditar mesmo sem motivos suficientes para isso. A maioria dos espectadores de Cisne Negro, por exemplo, acredita até o fim que a mãe da bailarina Nina Sayers é terrível com a filha. Poucos levam em conta que a moça é doente mental e que a mãe nos é apresentada do modo como a filha a vê. Sem dúvida, é mais fácil recorrer ao batido tema da bruxa má perseguindo a princesinha. Mais fácil do que admitir que aquela mulher sofrida talvez esteja apenas tentando proteger a filha de uma doença que poderia levá-la à morte.

Textos complexos podem ser interpretados de várias formas, de acordo com a experiência do leitor. Porém a leitura também depende da época. A Volta do Parafuso, de Henry James, foi lido por muito tempo, apenas como a história de uma jovem governanta que vai trabalhar em uma casa mal assombrada. Levou décadas para os leitores desconfiarem de que a moça talvez sofresse de alucinações. Hoje em dia, causa espanto que alguém leve a sério a interpretação sobrenatural para os acontecimentos do livro. Por essas e outras, podemos concluir que os textos também nunca sabem se podem confiar nos leitores.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 21/4/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Aqui sempre alguém morou de Elisa Andrade Buzzo
02. Era uma vez um inverno de Elisa Andrade Buzzo
03. Os contistas puros-sangues estão em extinção de Luiz Rebinski Junior
04. Bibliotecas públicas, escolares e particulares de Ana Elisa Ribeiro
05. O livro de Dave e seu tradutor de Rafael Rodrigues


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2011
01. Nerdcast e seu toque de Midas - 22/12/2011
02. Frankenstein e o passado monstruoso - 13/1/2011
03. Ilustres convidados - 19/5/2011
04. Lendas e conspirações do 11 de setembro - 24/11/2011
05. Viagens e viajantes - 10/2/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/4/2011
17h44min
Livros-Piadas Por que será que as melhores piadas, as universais, simplesmente sucumbem nas bocas de certas pessoas? Não sei ao certo a razão. Mas há uma regra. Se alguém deseja estragar a piada do início, comece com a frase: - Vocês vão morrer de rir com essa piada! Não, não! Mil vezes não! Quando ouço essa frase e suas variações já começo a pensar - Devo encontrar meus sentimentos mais altruístas e compassivos no íntimo, para corresponder às expectativas. Devo morrer de rir -. Quanto mais penso assim, mais deprimido fico e não posso oferecer mais que a esmola de um sorriso amarelo. Talvez o ritmo tenha papel decisivo na destruição de uma piada. Meu Deus, quanta piada já foi para o ralo por uma sincopação de mau gosto, por o final dito na hora errada ou pelo enredo ser tão lento que não sobra paciência para o desfecho. Essa última situação é agravada, quando o final fica evidente no começo. Piada assim é tortura!
[Leia outros Comentários de Abdalan da Gama]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O FIM DO SILÊNCIO NA VIOLÊNCIA FAMILIAR - TEORIA E PRÁTICA - 4ª EDIÇÃO
DALKA C. A. FERRARI / TEREZA C. C. VECINA
ÁGORA
(2002)
R$ 87,95



EDUCAÇÃO, IGREJA E SOCIEDADE
CNBB
PAULINAS
(2003)
R$ 6,90



MARIE SALOPE
GISÈLE BIENNE
DES FEMMES
(1976)
R$ 12,00



CAMINHO NAO MUITO SUAVE
CÁSSIO MURILO DIAS DA SILVA
ALÍNEA
(2012)
R$ 39,00



AS PUPILAS DO SENHOR REITOR
JULIO DINIS
EDIOURO / FOLHA
(1997)
R$ 5,00



LITERATURA ESTRANGEIRA
PORTUGAL RECORDAÇÕES DO ANO 1842 VOL 24 DA COL. TESTEMUNHOS CON..
ALFA
(1990)
R$ 39,08



COMO VENCER O SOFRIMENTO
PAIVA NETTO
ELEVAÇÃO
(2002)
R$ 39,00



ARGENTINA E REGIONALISMO ABERTO
ALIETO ALDO GUADAGNI
QUARTET
(1995)
R$ 26,00



SEM TEMPO PRA NADA
EDWARD M. HALLOWELL
NOVA FRONTEIRA
(2007)
R$ 5,00



CLARÕES
JOSÉ A. MACHADO FILHO
RIO DE JANEIRO
(1957)
R$ 20,00





busca | avançada
48247 visitas/dia
1,4 milhão/mês