Neon Genesis Evangelion | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
78907 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe As Conchambranças de Quaderna de Ariano Suassuna
>>> “Meus bichos do sertão”, da artista mineira Maria Lira, em exposição na AM Galeria
>>> Maurício Limeira fará parte do DICIONÁRIO DO PROFUNDO, da Ao Vento Editorial
>>> Longa documental retrata música e territorialidade quilombola
>>> De Priscila Prade, Exposição Corpo em Quarentena abre dia 4/10
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
Últimos Posts
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hermann Hesse - um caso de amor à primeria palavra
>>> 7 de Julho #digestivo10anos
>>> Artista de Rua - Stand by Me
>>> Você conhece Boogarins? Então venha conhecer!!!
>>> Um lance de escadas
>>> Etapas da criação de uma pintura digital * VÍDEO *
>>> Deus & Filhos Cia. Ltda.
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> SOS: Mar Del Plata Urgente
>>> Freud e a mente humana
Mais Recentes
>>> Cidade no Além de Francisco Cândido Xavier; Heigorina Cunha pela Ide (1989)
>>> Coletânea do Além de Francisco Cândido Xavier pela Feesp (2001)
>>> Os Pilares Da Terra - Volume I e II de Ken Follett pela Rocco (1991)
>>> Os Mensageiros de Francisco Cândido Xavier pela Feb (1990)
>>> Homossexualidade - Da Opressão A Libertação de Hiro Okita pela Sundermann (2007)
>>> Prática da magia - Um Guia Introdutório à Arte de Draja Mickaharic pela E. Roka (1996)
>>> Diálogo dos Vivos de Francisco Cândido Xavier/J. Herculano Pires pela Geem (2018)
>>> Experiências com os florais de Saint Germain na educação de Rosana Souto pela 2019 (2019)
>>> Preconceito Contra a Origem Geográfica e de Lugar de Durval Muniz de Albuquerque Júnior pela Ed. 3 M (2012)
>>> Transgressões - As Ocupações De Reitoria E A Crise de Álvaro Bianchi pela Sundermann (2008)
>>> Mensagens De Inês De Castro de Francisco Cândido Xavier/Caio Ramacciotti pela Geem (2009)
>>> As doze casas de Howard Sasportas pela Pensamento (1985)
>>> Produção de Coelho - Caseira, Comercial e Industrial de Márcio Infante Vieira pela Nobel (1979)
>>> Mundo Paralelo - A Trajetória de Uma Mãe de Vera Lúcia Gonzalez M. da Silva pela Mundo Maior (2013)
>>> Astrologia- uma novidade de 6000 anos de Maria Eugênia de Castro pela Nova Fronteira (2007)
>>> Astrologia sem segredos de Sue Merlyn Farebrother pela Pensamento (2015)
>>> Coleção As Grandes Guerras Mundiais - Completa com 20 vol de Garry Sheffield pela Folha de S. Paulo (2014)
>>> Entrega-te a Deus de Divaldo Franco pela Intervidas (2015)
>>> El zorro- Comienza la leyenda de Isabel Allende pela Sudamericana (2005)
>>> O tarô mitológico de Juliet Sharman-Burke, Liz Greene pela Madras (2016)
>>> Guidelines for Safety de Divaldo P.Franco / J. Raul Teixeira pela Fráter (2003)
>>> Celular, doce lar de Rosana Hermann pela Sextante (2018)
>>> Os Sindicatos e a Luta Contra a Burocratização de José Maria de Almeida pela Sundermann (2007)
>>> The Violet Forest de Foster Perry pela Bear & Company (1998)
>>> Queda de gigantes- Primeiro livro da trilogia o século de Ken Follett pela Arqueiro (2010)
COLUNAS

Terça-feira, 29/11/2011
Neon Genesis Evangelion
Duanne Ribeiro

+ de 4600 Acessos

Desde outubro, o mangá Neon Genesis Evangelion está sendo republicado pela editora JBC - é a chance de conhecer ou redescobrir uma das franquias mais relevantes dos quadrinhos e da animação japonesa. No Japão, a HQ foi lançada em fevereiro de 1995, como um modo de divulgar sua versão em animação, e ainda não foi concluída. O anime, exibido a partir de outubro daquele ano e encerrado em 1996, alcançou sucesso e repercussão; em 2007, foi considerado por uma agência do Ministério de Educação japonês como o melhor de todos os tempos. A série pode ser comparada a Sandman, de Neil Gaiman; Watchmen, de Alan Moore; ou Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller - na medida em que também representa um salto de maturidade dentro de seu gênero.

Como Miller e Moore quanto aos quadrinhos americanos, Evangelion lida com uma forma japonesa típica - enquanto os primeiros releem o conceito de super-herói, a série faz uso do gênero dos mecha, isto é, robôs gigantes, controlados por humanos. Como Gaiman, seu mundo é criado em diálogo com referências culturais diversas - se ele cria sua fantasia a partir de múltiplas mitologias, ela recorre principalmente à tradição judaico-cristã. O núcleo da produção, no entanto, não está ai; além da ficção científica e do fantástico, seu foco está no relacionamento humano, nos abismos da relação do indivíduo consigo e com os outros.

Os principais artistas na produção de Evangelion são Hideaki Anno e Yoshiyuki Sadamoto. Sadamoto fez o design de personagens para o anime e produz a adaptação em mangá. Além disso, é um dos fundadores do estúdio Gainax, responsável pelo desenho animado. Já Anno foi o diretor da animação. Seu talento foi revelado pelo trabalho com Hayao Miyasaki - um diretor conhecido no Brasil para além de nichos, por obras como A Viagem de Chihiro - para o qual foi animador em Nausicaä do Vale do Vento.

A história se dá em um cenário distópico. No ano 2000, a Terra é atingida por um meteoro; a catástrofe, que fica conhecida como "Segundo Impacto", reduz a população mundial pela metade. Quinze anos depois, ainda em processo de recuperação, a raça humana é ameaçada novamente, por imensas criaturas, resistentes a todo tipo de ataque convencional e evidente objetivo de destruição: os "anjos". Para confrontá-los, haviam sido criados os EVAs, andróides que precisam ser pilotados por adolescentes específicos, com características necessárias para a "sincronização" com os robôs. A relação entre o cataclismo, a chegada dos monstros e a prontidão visionária dessas novas "armas" serão depois esclarecidos, assim como a razão do uso de um nome cristão para nomeá-los.

São produzidos três EVAs, cada qual pilotado por uma "criança": o garoto Shinji Ikari e as meninas Rei Ayanami e Asuka Langley Soryu, todos com idade entre 13 e 14. A postura de cada um deles frente à sua "missão" é um dos pontos importantes na série: por que pilotar o EVA? A identificação com os personagens acontece assim que se sente que essa pergunta é, na verdade, mais geral: de onde vem a sua motivação? Por que faz o que faz?

Shinji é o nosso protagonista. Filho de Gendou Ikari, chefe da organização que construiu os EVAs, sempre esteve distante do pai, que o ignorava. Inesperadamente, Gendou o chama à sua cidade. Não se tratava de um reencontro entre familiares, mas de um alistamento. O pai exige que o filho seja um dos pilotos. A tensão entre a necessidade de afirmação de Shinji e a frieza e o calculismo de Gendou é uma das linhas dramáticas principais - e, assim como poderia afastar o garoto da luta a que é chamado, o atrai. Esse conflito exemplifica os temas de Evangelion: o duelo entre afetos distintos, os que se sobrepõem, os que ficam para trás.

Ainda uma última camada se torna evidente logo nos primeiros momentos. Todo o sistema contra o "anjos" parece escamotear outros propósitos da NERV, grupo contratado pela ONU e responsável pela construção dos robôs. Não só a origem e sentido dos ataques é escondida, mas também o Projeto de Instrumentalização Humana, que parece fundamental e do qual, inicialmente, não sabemos nada. Pouco a pouco, os mistérios e farsas vão sendo elucidados, de maneira semelhante a séries como Arquivo X, Lost e Fringe.

Outras Versões, Outros Fins
O mangá é em certa medida independente da animação e possui algumas diferenças. Ainda está sendo produzido no Japão: de 13 volumes previstos, 12 estão concluídos. No Brasil, 10 destes volumes foram publicados pela Conrad, em 20 edições. A partir daí, a publicação foi assumida pela JBC, que publicou outras quatro (referentes aos números japoneses 11 e 12). O que a editora faz agora é republicar a HQ do início, no formato japonês original.

O atraso dos quadrinhos em relação ao anime se deve ao ritmo de produção de Sadamoto, que esteve mais envolvido com o projeto Rebuild of Evangelion, série de quatro filmes que recontam a animação original, também com algumas variações. Já foram lançadas duas das releituras: Evangelion: 1.0 You Are (Not) Alone e Evangelion 2.0 You Can (Not) Advance. O final da história, tanto no mangá quanto nas novas animações, pode ser substancialmente diferente. O anime já possui um duplo fim: pouco após o término dos 26 episódios, o longa The End of Evangelion foi lançado, com uma reinterpretação dos dois últimos capítulos.

Há muitas características de Evangelion que poderiam ser destacadas: o caráter animalesco dos EVAs; a ligação física e mental dos pilotos com seus robôs; os recursos da animação se pensada como cinema: o uso do silêncio e da sugestão; o traço cheio de rachuras, sombras e velocidade da HQ; entre outros elementos. Por sua qualidade, seus detalhes, sua densidade interpretativa, mereceria um texto maior, que desse conta pelo menos dos aspectos críticos da série, sua abordagem da psicologia e da metafísica. Mas esta é uma apresentação - um convite. Assista ou leia, leitor, e volte cá que a gente discute nos comentários.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 29/11/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Coisa mais bonita é São Paulo... de Elisa Andrade Buzzo
02. Brochadas, romance inquietante de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
03. Momento ideal & conciliação de Ana Elisa Ribeiro
04. A Farsa de 2012 de Gian Danton
05. Educação de Verdade de Daniel Bushatsky


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2011
01. Manual para o leitor de transporte público - 29/3/2011
02. Bailarina salta à morte, ou: Cisne Negro - 15/2/2011
03. Frases que soubessem tudo sobre mim - 5/7/2011
04. Dexter Versus House - 4/10/2011
05. A Serbian Film: Indefensável? - 30/8/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tudo Que Voce Precisa Saber
Siro Darlan de Oliveira
Dp&a
(2004)



Nova Enciclopédia Ilustrada Folha Volume 2
Folha de São Paulo
Folha de São Paulo
(1996)



O Dia do Terror
Edgar Wallace
Francisco Alves
(1981)



Ócio do Ofício
Luis Olavo Fontes
Objetiva
(1993)



A Paixão de Lia
Betty Milan
Globo
(1994)



Tudo Valeu a Pena
Zibia Gasparetto
Vida e Consciencia
(2003)



O Menino Narigudo - Walcyr Carrasco (Teatroo Infantil)
Walcyr Carrasco
Moderna
(2003)



Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Infância
Cristina Maria Carvalho Delou e Outros
Iesde
(2010)



Adonis - Nascer. Morrer, Renascer e Progredir Sempre, Tal é a Lei
Zemaide da Luz
Êzito
(2002)



A Decima Segunda Casa
J. Gualberto Rocha
Rocco
(1994)





busca | avançada
78907 visitas/dia
2,2 milhões/mês