Digestivo nº 195 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
47877 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Noga Sklar
>>> Tempo vida poesia 2/5
>>> The Social Network ou A Rede Social, o filme
>>> Só notícia boa
>>> Made in China
>>> Para ler o Pato Donald
>>> Prossiga
>>> Mozart 11 com Barenboim
>>> Para amar Agostinho
>>> Discos de MPB essenciais
Mais Recentes
>>> A educação está na moda de Edson Urubatan pela Sabendo (2015)
>>> Exercícios de Bioenergética o Caminho para uma Saúde Vibrante de Alexander Lowen e Leslie Lowen pela Agora (1985)
>>> Uma pária das ilhas de Luiz Fernando de O. Araujo pela Artes ofícios (2016)
>>> Com asas de águia de Michael Korda pela Objetiva (2011)
>>> Curso Elementar de Direito Romano de Thomas Marky pela Saraiva (1995)
>>> Boneco de Neve de Jo Nesbo pela Record (2017)
>>> Batalha Espiritual-seminário Especial de Vitória de Pastor Missionário Joá Caitano pela Cerve-Semit (1997)
>>> Conversações Abolicionistas - uma crítica do sistema penal e da sociedade punitiva de Edson Passetti; Roberto B. Dias da Silva pela Método (1997)
>>> Brasil holandês - 3 volumes de Petrobras pela Index (1999)
>>> Relíquias sagradas de Fred Vargas pela Companhia Das Letras (2009)
>>> O Canto e a Memória de Silvana Peloso pela Ática (1996)
>>> Presença de Maritain - Testemunhos de Lafaiete Pussoli , Jorge da Cunha Lima pela Ltr (1995)
>>> Chagal - O Poeta que Pariu de H. F Bezerra pela Scortecci (1992)
>>> Português no direito de Ronaldo Caldeira Xavier pela Forense (1981)
>>> Bíblia - Histórias Ilustradas - Novo Testamento de Vários Autores pela Abril (1994)
>>> O Código Da Vinci de Dan Brown pela Arqueiro (2004)
>>> Deus, a Força que Cura! de José Trasferetti pela Átomo (2002)
>>> Construindo Vidas de Claudinei Germano dos Santos pela Germanni Group (2007)
>>> Trilogia Para todos os garotos que eu já amei de Jenny Han pela Intrinseca (2017)
>>> As 16 leis do Sucesso de Napoleon Hill pela Faro Editorial (2017)
>>> Cura para o vazio da Alma de Vasti de Souza Viana pela Vanmar (2010)
>>> A Arte da Cura Espiritual de Keith Sherwood pela Siciliano (1989)
>>> Vidas Vinculadas á Tragédia de Hamilton Antunes pela Artes & Textos (2009)
>>> As quatro estações de Sheila Pickles pela Melhoramentos (1995)
>>> A economia da desigualdade de Thomas Piketty pela Intrinseca (2015)
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 6/10/2004
Digestivo nº 195
Julio Daio Borges
+ de 4500 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Música >>> La Valse
A coluna social chamou de “noite erudita”, mas o fato é que não era mais. A Sala São Paulo esteve abarrotada durante três dias (foi aberto um terceiro, já que os dois primeiros não davam conta), para ver Nelson Freire e Martha Argerich “juntos” (a quatro mãos) ou “separados” (em dois pianos). O evento, que foi um verdadeiro “happening” dentro da Temporada 2004 do Mozarteum Brasileiro, mostra a força insuspeitada que o “documentário” de João Moreira Salles teve sobre as figuras de Nelson e de Martha. Pois, ela, sozinha, passaria por uma desconhecida pianista argentina (antes do filme); e ele, embora louvado em prosa & verso, pelos cadernos culturais, alcançou uma notoriedade incomparável, em termos pianísticos, depois da experiência em tela grande (basta comparar com o seu público em outras apresentações, em outros anos). E foi o contrário do que ambos, estrelas discretas de uma constelação fulgurante, apregoam: foi a força do “star system”, tão criticado por Nelson Freire, no agora DVD que leva seu nome, mas que pôde reunir dois dos maiores pianistas vivos, em alguns encontros memoráveis. Afinal, ele e João Moreira Salles conseguiram arrancar Martha Argerich da reclusão, embora antes não faltassem convites a essa mulher sempre tão requisitada... E Martha comandou a noite; e comandou Nelson – digam o que disserem. Como observou Daniel Piza, ela era “o lado forte”. Martha impôs o passo e a velocidade do compasso nas peças principais. Ela deu o tom logo de saída, em Brahms, levou-o por Rachmaninov afora, e encerrou com um Ravel bastante complicado. As sutilezas de Nelson, que parecia buscar espaços onde Martha não os ocupava, com pequenos ornamentos e floreios delicados, assumiram a batuta em Schubert e em Débussy (no bis). E, como notou Lauro Machado Coelho: pareceu um milagre que ambos, tão diferentes, tivessem combinado. Milagre maior, porque, nessa e em outras noites, a grande música (e não os horrores que temos inadvertidamente escutado) tomou conta da cidade, arrastando para a Sala uma pequena multidão. Mostrando, enfim, que é possível. E que a sensibilidade e a inteligência ainda têm lugar. [Comente esta Nota]
>>> Mozarteum Brasileiro
 



Literatura >>> O Mundo é das Mulheres
Ivana Arruda Leite está entre as boas escritoras da “nova geração”. Embora tenha mais de 50 anos, emergiu no recente “boom” que revelou Cíntia Moscovich, entre outras. Ivana é autora do constantemente evocado “Falo de Mulher” (2002, Ateliê Editorial), um título sugerido por Marcelino Freire (que acertou como em nenhum dos livros dele). Ivana confessa no “Rascunho” que sofre de logorréia e que escreve direto no computador. Assume também, como num papo com Ana Elisa Ribeiro, que detesta seu emprego (de funcionária pública) e que sonha viver de seus escritos. É, por último, colunista mal-humorada da “Folha” (pleonasmo?) e acaba de lançar “Eu te darei o céu”, um pequeno livro de memórias, pela Editora 34. Seu estilo é fluido e envolvente, e, como em sua ficção, não conseguimos parar de ler as aventuras da menina (e da adolescente) Titila, em capítulos, nos anos 60, 70 e 80. Ainda que Ivana seja hoje relativamente conhecida, a abordagem que faz de um universo culturalmente tão rico é 100% pessoal, e sempre do ponto de vista de alguém anônimo. Assim, difere completamente das reportagens jornalísticas que temos lido sobre o período, pois, apesar das referências históricas obrigatórias (pelas quais se pauta), desenvolve uma relação de cumplicidade com o leitor. Quando aborda, por exemplo, o fenômeno Roberto Carlos, é pelo prisma de fã – que perseguia-o divertidamente na TV, nas capas de disco e até na rua Albuquerque Lins (onde o Rei morava). Involuntariamente, Ivana traça um belo panorama da São Paulo naqueles anos – graças a refeições no Gigeto (com seus pais), a sessões no teatro Record (para ver a Jovem Guarda) e ao “frisson” de ter passado no vestibular e de ir conferir o resultado na Avenida Paulista. Titila fez FAU, namorou um calouro da Medicina (também da USP) e perdeu a virgindade em meio à final da Copa de 70. Ou seja: mesmo a algumas décadas de distância, é como se estivesse entre nós. “Eu te darei o céu” não tem tido a repercussão que merecia – já que, além de bem escrito, é um livro humano, demasiadamente humano. [Comente esta Nota]
>>> Eu te darei o céu e outras promessas dos anos 60 - Ivana Arruda Leite - 116 págs. - Editora 34
 



Além do Mais >>> Velha Roupa Colorida
Se o mercado fonográfico apresenta hoje baixos sinais vitais, ensaiando alguma recuperação com a venda de faixas (pela internet) e com o bom desempenho (ainda) do formato DVD, o mercado de instrumentos musicais vai de vento em popa. Basta circular pelos corredores da última Expomusic, que chacoalhou a cidade no Expo Center Norte. E pensar que, pouco mais de dez anos atrás, a pioneira Feira da Música se espremia em espaços exíguos no prédio da Bienal, no Parque do Ibirapuera. Um tempo em que, para se adquirir instrumentos importados, era preciso apelar para o contrabando (ou para a uma única loja que importava na Teodoro Sampaio), pois havia poucos fabricantes nacionais e a qualidade deixava muito a desejar. Havia, na verdade, poucos consumidores. Na Expomusic 2004, praticamente todos os principais fabricantes estrangeiros marcavam presença, e os brasileiros disputavam de igual para igual. Se na antiga Feira da Música era preciso aguardar horas para assistir a uma apresentação, num cubículo, de Viper ou Sepultura (ainda com Max, mas, na ocasião, especialmente desfalcado – com Andreas no vocal), atualmente, na Expomusic, são dúzias de clones de Joe Satriani, Jimi Hendrix e Steve Ray Vaughan: gente que sem ser obrigatoriamente virtuose, nesse meio tempo, aprendeu a tocar. E o Brasil não nega sua vocação musical. Além de fabricantes, publicações como a revista “Jazz+”, gravadoras como a Hellion Records e emissoras como a Brasil 2000 FM. E quantidades industriais de visitantes. Na casa dos milhares. A maioria jovem, assistindo às “performances” num misto de admiração e atenção didática. Foi uma revolução silenciosa. E não-televisionada. Principalmente depois dos anos 90, em que o rock foi considerado morto e a era eletrônica ameaçava reduzir toda instrumentação a “pick-ups” e cabines de mixagem. Sem demérito para os DJs, que abriram uma frente completamente nova – e só deles –, os instrumentistas, no sentido clássico (guitarra, baixo e bateria) parece que ensaiam agora uma volta. Será? [Comente esta Nota]
>>> Expomusic
 
>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Noites de Autógrafos
* Os Nascimentos de São Paulo - Eduardo Bueno (org.)
(Seg., 4/10, 18h30, CN)
* Como e por que Ler o Romance Brasileiro - Marisa Lajolo
(Ter., 5/10, 18h30, CN)
* Ateliês Brasil - Bruno Giovannetti e Leila Kiyomura Moreno
(Qua., 6/10, 18h30, CN)
* Regência - Uma arte complexa - Ricardo Rocha
(Qui., 7/10, 19hrs., VL)

>>> Exposições
* Sônia Menna Barreto
(de 1º a 15 de outubro de 2004, CN)

>>> Shows
* Musica das Nações - Lenine Santos (tenor) e Nancy Bueno (pianista) (Seg., 4/10, 20hrs., VL)
* O Jazz no Pós-Guerra - Traditional Jazz Band
(Sex., 8/10, 20hrs., VL)
* Espaço Aberto - Ivan Quintana Trio
(Dom., 10/10, 18hrs., VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/10/2004
15h52min
Gostaria de comentar que tanto Nelson como Marta sempre lotaram casa aqui no Rio. E tambem em Sao Paulo, como ja testemunhei. E Marta, há muitos anos, é conhecida de nosso público. E apreciada. O Documentário de João Moreira Salles veio a tornar público o que sempre foi de conhecimento geral nos meios musicais: a grande afinidade de Nelson e Marta. O filme certamente contribuiu para maior divulgacao do fato, mas nao creio que tenha sido responsavel pelo interesse do publico paulistano pelo duo. Cordialmente, Francisco de Mello
[Leia outros Comentários de Francisco de Mello]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro - Lazer e Educação Física - Textos Didáticos para a Formação de Profissionais
Cinthia Lopes da Silva, Tatyane Perna Silva
Papirus



What are the Odds? From Shark Attack to Lightning Strike
Genevieve Kocienda
Cambridge Discovery Education
(2014)



De Fiesta En Otoño
Clara Villanueva e Josefina Fernández
Del Prado
(1996)



Para Além de Freud e Piaget: Referenciais para Novas Perspectivas
Jean-marie Dolle
Vozes
(1993)



Física Básica Volume Único 4ª Ed.
Nicolau Gilberto Ferraro e Outros
Atual
(2020)



Reinações de Monteiro Lobato: uma Biografia
Marisa Lajolo e Lilia Moritz Schwarcz
Companhia das Letrinhas
(2019)



De Menina a Mulher: Tudo Que Você Precisa Saber para Sobreviver
Drica Pinotti
Gulf Professional Publishing
(2001)



Livro - William Tell and Other Stories -
John Escott
Oxford
(2010)



Um Amor de Gato (2002)
Glenn Dromgoogle
Publifolha
(2002)



The Odyssey the Story of Ulysses - Pocketbook
Homer
Mentor Book
(1960)





busca | avançada
47877 visitas/dia
1,6 milhão/mês