Digestivo nº 335 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cinema em Atibaia (IV)
>>> Curriculum vitae
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Discutir, debater, dialogar
>>> Eu e o Digestivo
>>> A lei da palmada: entre tapas e beijos
>>> A engenharia de Murilo Rubião
>>> Qualidade de vida
>>> O pior cego é o que vê tevê
>>> Envolturas
Mais Recentes
>>> Teoria Geral Do Processo de Candido Rangel Dinamarco pela Malheiros Editores / Juspodivm (2008)
>>> Chekisty Historia Da Kgb de Dziak, John J, pela Imago (1998)
>>> Principios Basicos Do Saneamento Do Meio de Anesio Rodrigues de Carvalho pela Senac (2005)
>>> Aprenda Inglês Sem Mestre de Maria margarida morgado pela Presença (2009)
>>> Mestre Kim - Cidadão do Mundo de Yong Min Kim e Janir Hollanda pela Daedo (2016)
>>> Livro de Ouro do Yoga de Andre De Rose pela Ediouro (2019)
>>> O homem mais rico da Babilônia de George S Clason pela HarperCollins (2020)
>>> A Mesa com Carybé. O Encantamento dos Sabores e das Cores da Bahia de Solange Bernabó pela Senac Nacional (2007)
>>> Os Contos de Beedle, o Bardo de J. K. Rowling pela Rocco (2008)
>>> Regulamentos de Tráfego Aéreo - Vôo Visual de Plínio Jr pela Asa (1996)
>>> Chronos: Viajantes do Tempo Volume I de Rysa Walker pela Darkside (2017)
>>> Homem-Aranha: Tormento de Todd McFarlane pela Panini Comics (2013)
>>> Os Maiores Clássicos do Homem-Aranha - Vol. 5 de Todd McFarlane pela Panini Comics (2007)
>>> Os Maiores Clássicos do Homem-Aranha - Vol. 6 de Todd McFarlane pela Panini Comics (2007)
>>> Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século de Italo Moriconi (seleção) pela Objetiva (2001)
>>> O Casamento de Nelson Rodrigues pela Nova Fronteira (2016)
>>> O Colecionador de Borboletas de Cecília Mouta pela Novo Século (2012)
>>> O Modelo Toyota: 14 Princípios de Gestão do Maior Fabricante do Mundo de Jeffrey K. Liker pela Bookman (2005)
>>> Ela Que Não Está de Daniel Senise pela Cosac & Naify (1998)
>>> Anjos da Neve de James Thompson pela Record (2013)
>>> Assistentes Virtuais Inteligentes e Chatbots de Leôncio Teixeira Cruz pela Brasport (2018)
>>> Linguagem Do Corpo. Beleza E Saude de Cristina Cairo pela Mercuryo Jovem (2007)
>>> Todos Os Nomes de José Saramago pela Planeta Deagostini (2003)
>>> Oliver Twist de Charles Dickens pela Principis (2019)
>>> Cozinha Mágica de Márcia Frazão de Marcia Frazão pela Prestigio (2007)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 13/7/2007
Digestivo nº 335
Julio Daio Borges
+ de 2400 Acessos




Literatura >>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras
Joaquim Ferreira dos Santos é um dos maiores cronistas brasileiros. Sem exagero e nem clichê. Talvez seja o maior em atividade. Portanto, é esquisito que ele não esteja no volume As Cem Melhores Crônicas Brasileiras, recém-lançado pela editora Objetiva - ainda que ele mesmo tenha organizado. Sendo a crônica um gênero tão livre, e por isso tão perigoso, bem que Joaquim Ferreira dos Santos poderia estar lá (com todas as redundâncias)... Mas essa "falha" não tira o brilho da seleção. Na realidade, estamos diante de um dos melhores volumes dessa coleção (sempre de "Cem [Alguma Coisa]"). Elogiado por Matinas Suzuki Jr., Humberto Werneck, por exemplo, tem insistido na sobrevivência do gênero, com coletâneas mais específicas, pela Companhia das Letras. O que ocorre agora, porém, é provavelmente uma novidade: Joaquim Ferreira dos Santos montou um panorama completo da crônica brasileira, num volume único, desde Machado de Assis e José de Alencar (no século XIX) até alguns cronistas na era da internet, como Xico Sá, Antonio Prata e Ricardo Freire. Passando, claro, pelos mestres dos anos 50 e 60 (Rubem Braga, Paulo Mendes Campos, Antônio Maria e Nélson Rodrigues), sem deixar de fora monstros conhecidos não só por isso, como Millôr Fernandes e Otto Lara Resende. A preocupação com a seqüência também se reflete no fato de que o volume atual de Joaquim Ferreira dos Santos pode ser lido como um livro - pela ordem, sem perder o valor documental, e com a mesma fruição descompromissada de quem antes lia os mesmos textos em jornal, em revista ou até na tela. Na capa, podem assustar nomes "de consenso", que nem sempre têm 100% a ver com literatura brasileira, como Chico Buarque e Caetano Veloso, mas nada que comprometa. Parafraseando o Óbvio Ululante, encerramos a leitura felizes em saber que, por causa da crônica, somos campeões do mundo (de novo), há pelo menos dois séculos, e não mais uma nação de vira-latas literários. [9 Comentário(s)]
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras
 



Música >>> Los Hermanos na Fundição Progresso
O último show do Los Hermanos, na Fundição Progresso, em meados de junho, foi atípico. Em geral, bandas de rock terminam disparando farpas para todos os lados – sem nenhuma possibilidade de reconciliação. No caso do Los Hermanos, foi uma separação amigável, não litigiosa, mas sem que grandes motivos – do por quê – fossem revelados. Assim, a banda encenou o próprio réquiem – como se Mozart, por exemplo, regesse no próprio funeral (ainda que haja as alegorias do filme de Milos Forman – infundadas, de acordo com os historiadores da música). Além do anticlímax do acontecimento em si, no último show do Los Hermanos, houve, claro, o anticlímax de tocar “Anna Julia” (segundo Rodrigo Amarante – sob pressão de um repórter insistente no YouTube – aquela música que... eles “sempre” nunca tocam. Ou, nem sempre). Por mais que fosse uma despedida, Camelo e Amarante se vestiram como para uma noite de gala – o primeiro de paletó preto e o segundo de paletó branco. Com sorrisos contidos e calmos, Marcelo Camelo era aquele da dupla que não estava chateado (de paixão nova? de projetos encaminhados? de vida batendo à porta?). Já Rodrigo Amarante parecia tentar se concentrar na performance, embora se pudesse quase apostar que, a cada novo número, ele estava à beira das lágrimas. Camelo, em algum momento, correu para o lado de Amarante e fez-lhe um afago nas costas, no meio de um solo de guitarra, enquanto os dois tocavam. Como se quisesse resumir todo o sentimento numa frase: “Rodrigo, não fica chateado”. Barba, à bateria, bem possivelmente chorava – mas o público não conseguia alcançar seus olhos. E Bruno estava, como sempre, anestesiado, aos teclados. Ouviram-se promessas de que esses dois últimos shows, no Rio de Janeiro, vão virar CD e DVD, como hoje é automaticamente “de praxe”. Mas a promessa não conseguiu aplacar a sensação de perda no ar; e muito menos dirimiu as dúvidas sobre o futuro dos ex-membros do conjunto. Por enquanto, apenas a pausa. Ou Amarante, brilhando meio opaco, na Orquestra Imperial... [1 Comentário(s)]
>>> Clique aqui para saber o que os integrantes da banda estão fazendo
 



Além do Mais >>> Programa de Democratização Cultural
Entre as recorrentes críticas às leis de incentivo à cultura, que permitem isenção fiscal a empresas patrocinadoras, está o fato de que a produção cultural resultante dessas ações nem sempre beneficia o maior número de pessoas (embora faça uso de dinheiro público). A fim de corrigir essa distorção, o Instituto Votorantim tomou uma atitude ousada nesse âmbito: lançou um programa não só de incentivo à cultura, mas de democratização cultural. Ou seja, seu programa está aberto à seleção de projetos culturais, disponibilizando até R$ 4 milhões, em duas fases (e para realizações em 2008), mas focando em iniciativas que facilitem, ampliem ou simplesmente agilizem o acesso à cultura a populações que, no Brasil, tradicionalmente se encontram fora das estatísticas dos “consumidores” de bens culturais. O Instituto Votorantim se pautou por dados do IBGE, para afirmar que – em 2001, por exemplo – mais de 90% dos municípios brasileiros não tinha sequer uma sala de exibição; e que – em 2004 – 60% dos jovens brasileiros (de 15 a 29 anos) nunca foi ao cinema. No reino da música, o Instituto Votorantim levantou, através do CEBRAP, que, em 2005, mais de 80% dos entrevistados numa pesquisa (de todas as classes sociais) nunca foi a ou viu um show nos 12 meses anteriores; enquanto que, em matéria de música erudita, mais de 97% da classe C e 99% das classes D e E jamais assistiu a uma apresentação (ou teve sequer acesso a uma nos 12 meses anteriores). O Programa de Democratização Cultural é, portanto, exemplarmente inteligente, sem cair no populismo fácil de hoje. As inscrições começaram em abril deste ano e seguem até o dia 3 de agosto; exige-se número de registro no Pronac; e os resultados da seleção, por uma comissão de especialistas na área, serão divulgados em novembro. Outras empresas e entidades patrocinadoras deveriam seguir o exemplo do Instituto Votorantim, enquanto o MinC não encara a espinhosa questão das leis de incentivo à cultura (e seus resultados). [Comente esta Nota]
>>> Programa de Democratização Cultural
 
>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Noites de Autógrafos
* A travessia da terra vermelha - Lucius de Mello
(Qua., 11/07, 18h30, CN)
* A maldição da moleira - Índigo
(Qui., 12/07, 19h00, CN)

>>> Shows
* Kiko Loureiro
(Qua., 11/07, 19h30, VL)
* Traditional Jazz Band
(Sex., 13/07, 20h00, VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** Livraria Cultura Market Place Shopping Center (MP): Av. Chucri Zaidan, nº 902
**** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cálculos do Mecânico Ajustador
Américo Yoshida
Loren
(1979)



Livro - World English 3 Workbook - Com Cd
Kristin Johannsen
National Geographic Learning
(2015)



Discursos Em Tres Congresos
Fidel Castro
Politica
(1982)



Gestão Estratégica na Saúde
Sanmya Feitosa Tajra
Saraiva
(2006)



Hard Times
Charles Dickens
Oxford
(2008)



Uns Papéis Que Voam
Flávio J. Cardozo
Ftd
(2003)



Jean Claude Bernardet - uma Homenagem
Maria Dora Mourão; Maria do Rosário Caetano
Imesp
(2007)



Redação para Concursos (2009)
Vabessa Freitas
Universo dos Livros
(2009)



Os Forasteiros - Volume 1. Coleção Série Deuses e Guerreiros
Michelle Paver
Intrinseca
(2014)



A Democracia Grega 2ª Edição (1989)
Martin Cezar Feijó, Oswaldo Sanches Sequetin
Atica
(1988)





busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês