Digestivo nº 350 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A difícil arte de fazer arte
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
>>> Cisne Negro
>>> Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
Mais Recentes
>>> História da América Portuguesa de Rocha Pita pela Senado Federal (2011)
>>> Guia de Conversação Langenscheidt Inglês de Vários Autores pela Martins Fontes (1998)
>>> Dicionário Inglês Português / Português Inglês de Amanda Marques & David Draper pela Ática (1988)
>>> Francês Para Viagem e Dicionário de Vários Autores pela Berlitz (1991)
>>> No Giro do Mundo os Periódicos do Real Gabinete Português de Leitura 1 de Eduardo da Cruz ( Org. ) pela Real Gabinete Português de Leitura (2014)
>>> Dicionário Espanhol Português / Português Espanhol de Vários Autores pela Dcl
>>> RL - Uma Autobiografia de Rita Lee pela Globo Livros (2016)
>>> Minidicionário Ruth Rocha de Ruth Rocha & Hindenburg da Silva Pires pela Scipione (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Abril Cultural (1985)
>>> Comunidades imaginadas de Benedict Anderson pela Companhia Das Letras (2019)
>>> A Segunda Vitória de Morris West pela Abril Cultural (1985)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Rio Gráfica (1985)
>>> O Fã Clube de Irving Wallace pela Abril Cultural (1985)
>>> Palavra Desordem de Arnaldo Antunes pela Iluminuras (2002)
>>> A Filha Pródiga de Jeffrey Archer pela Nova Cultural (1986)
>>> Escritos Sobre o Racismo, Igualdade e Direitos de André Costa pela Inst. Afirmação de Direitos (2009)
>>> A Origem da Família, Da Propriedade Privada e do Estado de Friedrich Engels pela Boitempo (2019)
>>> Romântico, sedutor e anarquista -Como e por que ler Jorge Amado de Ana Maria Machado pela Companhia Das Letras (2014)
>>> Easy English - Book One - 6a Edição de Nelsi M. de Jesus pela Eden
>>> Dieta das 8 horas de David Zinczenko - Peter Moore pela Sextante (2014)
>>> Law And Ecology The Rise of The Ecosystem Regime de Richard O. Broks/Ross Jones/Ross A.Virgínia pela Asgate Publishing (2002)
>>> Perguntas Perfeitas, Respostas Perfeitas de A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupãda e Bob Cohen pela Bbt (1999)
>>> The Book Thief de Markus Zusak pela Knopf (2007)
>>> O processo civilizador 2: formação do estado e civilização de Norbert Elias pela Zahar (2019)
>>> O Livro das Coisas Perdidas de John Connolly pela Bertrand Brasil (2006)
>>> O Avesso e o Direito de Albert Camus pela Record (1996)
>>> A Encantadora de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2006)
>>> A Semiologia de Pierre Guiraud pela Editorial Presença (1973)
>>> Os Segredos de Uma Encantado de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2020)
>>> Alta Fidelidade de Nick Hornby pela Rocco (1995)
>>> Fonte Viva de Francisco Cândido Xavier pela Feb (2003)
>>> Cozinha de Estar - Receitas Práticas para Receber de Rita Lobo pela Paralela (2012)
>>> Uma janela em Copacabana de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Companhia das letras (2001)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 28/12/2007
Digestivo nº 350
Julio Daio Borges

+ de 1900 Acessos




Internet >>> O Kindle, da Amazon
A Economist, a melhor revista do mundo, não poupou elogios e decretou: o livro (de papel) acabou. No Brasil, passou meio despercebido — enquanto os brasileiros ainda tentam processar o iPhone (aliás, o último grito em matéria de contrabando). O fato é que o Kindle talvez não seja, mesmo, a solução final para o livro eletrônico. Como tecnologia, responde ao desafio de não precisar de computador (como o iPod), mas fica no meio do caminho entre um browser e o sucessor do livro físico. Ocorre que a tecnologia de Gutenberg não é mais a última fronteira em termos de leitura: hoje se lê tanto na internet quanto no papel (ou mais). Ou seja: qualquer leitor (aparelho) que se preze, não pode se dar ao luxo de resolver o problema dos leitores (ledores) de livro de papel apenas, ele tem de contemplar, igualmente, os leitores de internet (internautas). Parece complicado, mas, conceitualmente, não é. Jeff Bezos, da Amazon, se ocupou, durante anos, com a questão de fazer o livro de papel migrar para o seu "iPod de texto". Essa parte... talvez tenha conseguido. Mas quando tentou integrar a internet — os sites, os blogs (novas fontes de leitura) — ao Kindle, tropeçou no problema de ter de transformar seu leitor eletrônico, que deveria ser simples, num... computador. Quem pensou em Palms, Blackberrys, e até iPhones, acertou. Afinal, onde termina o leitor, puro e simples, e onde começa o computador? Quem for ler a internet, vai querer, também, navegar por ela? E quem for seguir hiperlinks, vai querer enviar e-mails, publicar comentários, consultar o Google? O Kindle dá conta disso tudo? Por que vou preferir ler na sua tela e, não, no meu iPhone, que tira, também, retratos? Por que vou preferir dar forwards através dele se, no meu Blackberry, posso fazer também ligações? Por que vou fazer, nele, anotações, se a minha agenda está sincronizada com o meu Palm? Essas questões têm resposta? O Kindle é a resposta? Não sei, não. [3 Comentário(s)]
>>> Kindle
 



Música >>> Samba Meu, de Maria Rita
Nove entre dez críticas feitas a Maria Rita abordam "o problema do repertório". Talvez a associação sempre inevitável com sua mãe, Elis Regina, gere inconscientemente o desejo de ouvir Maria Rita cantando, de novo, o "cânone" da MPB. Se já é comparada com a mãe por fazer o que faz, imagine o que aconteceria se ela seguisse a receita dos guardiões do nosso cancioneiro. Maria Rita, na verdade, tenta o mais difícil: estabelecer um novo repertório, revelar uma nova geração. Como, aliás, fez sua mãe. Acontece que a indústria, a mídia e o público, às vezes, parecem tão refratários às novidades que, de repente, se esquecem de que o cânone musical dos anos 60 também já foi... lançamento. Seria muito mais cômodo, para Maria Rita, gravar se inspirando nas efemérides (como os 50 anos da bossa nova, logo ali ao lado); posar de musa cool & inacessível (cantando tatibitates superproduzidos); ou até se lançar numa "carreira" no exterior (fingindo intimidade com Nova York, mas implorando pelos nossos espaços de divulgação). Nesse sentido, seu terceiro disco é talvez seu salto mais arriscado. De compositores efetivamente conhecidos, só Gonzaguinha, com a ótima "O homem falou"; o resto, quase totalmente dominado por Arlindo Cruz (e parceiros variados), nas boas "Num corpo só", "Tá perdoado" e "O que é o amor"; e, ainda, grandes momentos com Rodrigo Bittencourt ("Samba Meu"), Serginho Meriti ("Cria") e Edu Krieger ("Maria do Socorro"). A opção pelo samba, neste terceiro registro em estúdio, talvez tenha tido um poderoso efeito de marketing, mas não deve ser esteticamente ressaltado, porque Maria Rita já havia visitado o gênero antes e porque ela não precisa, necessariamente, apoiar-se na sua "versatilidade" como cantora. Se é verdade o que dizia Schopenhauer — que os grandes espíritos devem assumir seu papel de liderança —, então, em vez de reclamar do repertório não ser justamente aquele que já conhecemos, deveríamos agradecer a Maria Rita por tentar nos mostrar novos caminhos, agora, no samba. [7 Comentário(s)]
>>> Samba Meu
 



Literatura >>> O Romance Morreu, de Rubem Fonseca
Embora estivessem na internet — acessíveis no Portal Literal —, as crônicas de Rubem Fonseca não fizeram o mesmo sucesso que seus contos e romances. Também, pudera: um autor tão identificado com a "mídia" livro talvez não tenha tido oportunidade de comunicar que estava igualmente disponível na Web. Enfim: provavelmente pensando nisso, a editora Companhia das Letras transformou as crônicas virtuais de Rubem Fonseca em livro físico, o recente O Romance Morreu. Na internet, quando saíam, pareciam crônicas engraçadinhas, alternando "causos", como o caso de Luma de Oliveira com o bombeiro (essa fora do livro), com histórias ("estórias", se ainda existisse) da literatura e filosofices várias (insights seria melhor?). No livro — na seqüência —, parece que o Rubem Fonseca cronista não pega no tranco: são textos bem escritos, com aquele vocabulário interessante dos demais volumes (contos, novelas, romances), mas: ou o autor desvia do assunto ou não produz uma conclusão 100% satisfatória. No entanto, como que salvando ou justificando o livro, de repente, no final, "José — uma história em cinco capítulos": as memórias despercebidas — pelos resenhistas — de José Rubem Fonseca. É bem possível que o cronista da Web não emplaque a tempo, mas as memórias do escritor Rubem Fonseca deveriam ser continuadas, e concluídas (além desses cinco primeiros capítulos), para o bem da nossa literatura. Nelas estão a vida em família (de origem portuguesa), os primeiros bicos do jovem "José" e, naturalmente, as caudalosas leituras. Aliás, se compararmos com a "formação" de seus colegas escrevinhadores de internet, em termos de literatura, é uma humilhação. Tudo bem que nem tudo que sai, todo ano, tem valor, mas O Romance Morreu merece, nem que seja, uma espiadela discreta na livraria. [3 Comentário(s)]
>>> O Romance Morreu
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COLEÇÃO OBJETIVO - INGLÊS 1 LIVRO 34
ARNON HOLLAENDER
CERED
R$ 5,00



A REBELDE APAIXONADA
FRANK G. SLAUGHTER
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 6,00



CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO- VOL. 2
CELSO D DE ALBUQUERQUE MELLO
FREITAS BASTOS
(1974)
R$ 19,95



DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS
JORGE AMADO
RECORD / ALTAYA
(1995)
R$ 20,00



MANUAL DE DIREITO PÚBLICO - 2 VOLS. - INCLUI CD-ROM
OZÉIAS J. SANTOS
VALE DO MOGI
(2015)
R$ 165,00



PEDRO MÉDIO E RITA DOCE
TELMA GUIMARAES CASTRO ANDRADE
ATUAL
(1994)
R$ 9,99



DEZ DIAS DE CORTIÇO - SÉRIE DESCOBRINDO OS CLÁSSICOS (AC. SUPLEMENTO)
IVAN JAF
ATICA
(2004)
R$ 30,00



CHAPEUZINHOS COLORIDOS
JOSÉ ROBERTO TORERO; MARCUS AURELIUS PIMENTA
ALFAGUARA BRASIL
(2011)
R$ 33,00



CÓDIGO DE MORAL INTERNACIONAL NOVA SÍNTESE - 2826
DIVERSOS
VOZES
(1954)
R$ 15,00



O CARRINHO BRANCO
DANUTA DE RHODES
ROCCO
(2006)
R$ 10,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês