Digestivo nº 76 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> O Homem Eterno de G. K. Chesterton pela Mundo Cristão (2010)
>>> O Observador no Escritório de Carlos Drummond de Andrade pela Record (1985)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2004)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2019)
>>> Nada a perder volume 3 de Edir Macedo pela Planeta (2014)
>>> Campinas no início do século 20: percursos do olhar de Suzana Barretto Ribeiro pela Annablume (2006)
>>> A privataria tucana de Amaury Ribeiro Júnior pela Geração Editorial (2012)
>>> Campinas: visões de sua história de Lília Inés Zanotti de Medrano pela Átomo (2006)
>>> Direito Romano - Vol. II de José Carlos Moreira Alves pela Forense (2003)
>>> Divinas Desventuras: Outras Histórias da Mitologia Grega de Heloisa Prieto pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Le Nouveau Sans Frontières 1 - Méthode de Français de Philippe Dominique e Jacky Girardet e Michele Verdelhan e Michel Verdelhan pela Clé International (1988)
>>> Sobrevivência de Gordon Korman pela Arx Jovem (2001)
>>> Ética Geral e Profissional de José Renato Nalini pela Revista dos Tribunais (2001)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Abril (1982)
>>> O Menino no Espelho de Fernando Sabino pela Record (2016)
>>> Labirintos do Incesto: O Relato de uma Sobrevivente de Fabiana Peereira de Andrade pela Escrituras-Lacri (2004)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Círculo do Livro (1975)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Patersin pela Salamandra (2006)
>>> O Desafio da Nova Era de José M. Vegas pela Ave-Maria (1997)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1970)
>>> Trabalho a Serviço da Humanidade de Escola Internacional da Rosa Cruz Áurea pela Rosacruz (2000)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ensinando a Cuidar da Criança de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Ensinando a Cuidar da Mulher, do Homem e do Recém-nascido de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Luxúria Encadernado de Judith Krantz pela Círculo do Livro (1978)
>>> Fundamentos, Conceitos, Situações e Exercícios de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Personality: How to Unleash your Hidden Strengths de Dr. Rob Yeung pela Pearson (2009)
>>> Um Mês Só de Domingos de John Updike pela Record (1975)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Caravanas de James Michener pela Record (1976)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Deus Protege os Que Amam de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1977)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> O Quarto das Senhoras de Jeanne Bourin pela Difel (1980)
>>> Beco sem Saída de John Wainwright pela José Olympio (1984)
>>> Casais Trocados de John Updike pela Abril (1982)
>>> O Hotel New Hampshire Encadernado de John Irving pela Círculo do Livro (1981)
>>> As Moças de Azul de Janet Dailey pela Record (1985)
>>> Amante Indócil Encadernado de Janet Dailey pela Círculo do Livro (1987)
>>> A Rebelde Apaixonada de Frank G. Slaughter pela Nova Cultural (1986)
>>> Escândalo de Médicos de Charles Knickerbocker pela Record (1970)
>>> A Turma do Meet de Annie Piagetti Muller pela Target Preview (2005)
>>> O Roteiro da Morte de Marc Avril pela Abril (1973)
>>> Luz de Esperança de Lloyd Douglas pela José Olympio (1956)
>>> Confissões de Duas Garotas de Aluguel de Linda Tracey e Julie Nelson pela Golfinho (1973)
>>> Propósitos do Acaso de Ronaldo Wrobel pela Nova Fronteira (1998)
>>> Olho Vermelho de Richard Aellen pela Record (1988)
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 10/4/2002
Digestivo nº 76
Julio Daio Borges

+ de 4900 Acessos
+ 2 Comentário(s)




Imprensa >>> A alegria do palhaço
Na escola, aos professores de política internacional, jamais interessa que os conflitos contemporâneos se resolvam. À imprensa, que vive de vender jornais e revistas, igualmente não interessa que as desgraças cessem e que a paz mundial seja instalada. O que dizer, então, dos maiores fabricantes de armas e dos belicistas chefes de estado, que existem e vão continuar existindo, do homem de Neanderthal até à raça que se espalhará pelas galáxias? O caso agora, do Oriente Médio, entra também na ordem do dia porque, depois do 11 de setembro, o Ocidente aprendeu que querelas milenares podem reverberar em paragens até então insuspeitadas. E dá-lhe opiniões desinformadas; e dá-lhe palpites infelizes. Estudiosos, religiosos, e até curiosos pela matéria, clamam para si o direito divino de tirar as conclusões que o momento exige. Esquecem-se, porém, que um dos maiores ignorantes no assunto está decidindo, na Casa Branca, em nome do planeta inteiro. Uma lição duríssima para se convencer de que atos ainda valem infinitamente mais que palavras. Ao mesmo tempo que um sujeito lá do Texas pode apertar o botão e explodir com tudo, os dois principais líderes, de israelenses e palestinos, nada podem contra as iniciativas solitárias e altruístas (!) de seus homens e mulheres-bomba. Hobsbawm errou feio quando disse que o século XX havia se encerrado e que, junto como ele, a Era dos Extremos: contra as maiores superpotências de que se tem notícia estão opondo o terrorismo do faça-você-mesmo, do ready-made, do self-made man. Quer contradição mais espantosa? E desanimadora? [Comente esta Nota]
>>> Conta para o Império
 



Música >>> Bem-vinda Amizade
O Jairzinho mudou de nome; agora assina “Jair Oliveira”. A mudança tem uma razão de ser; e, antes de numerológica, é musical. Não à toa, o CD que assinala essa mudança veio a se chamar “Outro”, e acaba de ser lançado pela Trama. Quem ainda guardava aquela imagem do tempo “superfantástico” da televisão, ou mesmo do filho de Jair Rodrigues que foi estudar nos Estados Unidos e fazia a ronda dos bares da moda paulistanos, vai se espantar. Lô Borges tem razão no elogio que lhe dedicou: Jair Oliveira ainda djavaneia um pouco (o que para ele pode ser uma honra), não obstante encontra seu lugar ao sol, dentro da estética samba & soul, forjada em álbuns anteriores pelos filhos de Simonal e por ele próprio. Ainda nesse gênero, vai topar com outro entusiasta e modernizador do som dos anos 70: Ed Motta. Jair e Ed compõem juntos “Amor e Saudade”, a quinta faixa de “Outro”. Embora com um pé firme na eletrônica, e nas lições de Max de Castro (vide “Sou Teu Nêgo”), Jair Oliveira não esquece os ensinamentos de Jair Rodrigues e mostra que o morro também tem vez no seu disco: “Dor de Ressaca”, uma autêntica ode ao malandro e à malandragem, é um de seus pontos mais altos. Além da música, ou por causa dela, há uma grande preocupação em despertar a atenção do ouvinte: seja através de vinhetas; seja através de minutos de silêncio; seja através de falas escondidas aqui e acolá. O recurso vai irritar os puristas, mas na era da interatividade até que faz muito sentido. O tempo, como sempre, dirá. Fica, contudo, o fato incontestável: tem compositor novo na praça. [Comente esta Nota]
>>> Outro - Jair de Oliveira
 



Além do Mais >>> Verklärte Nacht
Dando continuidade à Temporada 2002 do Teatro Alfa, passou por São Paulo a Orquestra de Câmara Filarmônica de Viena. A visão dos jovens músicos, ocupados com suas madeixas, seus sorrisos e sussurros, executando Mozart, Haydn, Bruckner e Schoenberg, não deixa de ser alentadora (ainda mais num tempo em que a norma é propagar a morte da cultura, de preferência aos quatro ventos). Por mais que insistam os detratores da urbe, deve ser motivo de satisfação, poder contar com o desempenho corretíssimo da nata musical vienense, em pleno processo de formação. (Afinal, quantas cidades no mundo têm esse privilégio?) Obra consagrada da maturidade de Mozart, a Sinfonia nº 29, soou leve e respeitosa, com alguns poucos momentos enérgicos. Já o Concerto para Piano nº 4, de Haydn, que trouxe a participação do pianista Andreas Frölich, foi o ponto alto lírico do programa, exigindo do executante concentração e alguma cota de virtuosismo. Já o estranhamento (para o bem) e o completo “descolar” da realidade foram provocados pela Noite Transfigurada, de Arnold Schoenberg. Todos os movimentos num só movimento; as quebras e inflexões alternando sentimentos na platéia; a impressão de que não havia mais o tempo – enfim, características e sensações intransmissíveis que marcaram quem viu e ouviu. Por essas e por outras que a Temporada do Teatro Alfa não deixa nada a dever às demais temporadas. Todas elas elevando a “Vila de São Vicente” a novos patamares de civilização. [Comente esta Nota]
>>> Orquestra de Câmara Filarmônica de Viena
 



Gastronomia >>> O Conselheiro também come (e bebe)
O dia-a-dia na metrópole é opressivo e duas das possíveis saídas para o paulistano (quando não aquela pelo aeroporto internacional de Guarulhos) são: ou a saída pelo litoral; ou a saída pela montanha. Assim, um restaurante que, logo de início, está localizado fora dos limites da selva de pedra, transmitindo a nítida impressão de se estar numa casa de campo, já merecia ser visitado pela troca de ares que proporciona. Se, ainda assim, esse mesmo restaurante oferecesse um menu franco-italiano de primeira linha e, para completar, mantivesse os preços abaixo da média dos praticados por estabelecimentos de mesmo nível, então esse restaurante seria impossível. Mas ele existe e se chama “Felix Bistrot”. Estrategicamente bem posicionado na Granja Viana, oferece ambientes muito vivos e multicoloridos, em que a vegetação reina soberana ao lado do bom gosto na decoração. Além do irresistível terraço, junto ao jardim e à piscina, o visitante pode escolher entre o aconchegante salão principal e o salão de festas (ideal para comemorações e eventos). Os destaques gastronômicos ficam por conta da “Salade Printemps” (flores, frutas e queijo brie) e da “Crostine de Fromage de Chèvre” (queijo de cabra com tomate picado no pão italiano), como entradas; em seguida, a “Pedrix Mariné au Porto” (perdiz marinada ao porto com risoto), o “Magret de Carnard à la Purée de Pomme” (peito de pato com purê de maçã e repolho roxo) ou o “Ravioli de Mozarrèle aux Cèpes” (ravioli de mussarela de búfala ao funghi), como pratos principais; e, para terminar, a “Coupe Tropicale Sauce d’Orange Parfumée au Curação” (frutas, sorvete de limão, molho de laranja e curação) ou a “Délice au Chocolat” (terrine de chocolate com molho de framboesa), como sobremesas. Tudo isso a 15 minutos da capital. A qualidade de vida e a qualidade na cozinha estão, afinal, mais próximas do que se poderia imaginar. [Comente esta Nota]
>>> Felix Bistrot - Rua José Felix de Oliveira, 555 - Granja Viana (acesso pelo km 23,5 da rodovia Raposo Tavares) - Tels.: 4612-2339 e 4702-3555
 



Cinema >>> Are you in or out?
“Onze Homens e Um Segredo” foi virtualmente ignorado (o que, às vezes, é pior do que ser escorraçado) pela crítica, embora esteja há um bom tempo em cartaz e tenha sido apontado, nos salões privados, como uma boa opção de entretenimento. Claro, o filme é hollywoodiano in extremis: povoado por uma constelação de astros e estrelas, pega carona naquela mistura de cassino com glamour e foras-da-lei, requentando a fórmula (de 1960) com tecnologia de ponta e uma trama original o suficiente para agüentar até o próximo mês. Mesmo assim, é divertido e vale à pena ser assistido. Afinal, é isso que as pessoas (afugentadas pelo cinema nacional, pelas reestréias pós-Oscar e pelos alternativos europeus) querem ver. Se faltam argumentos para convencer os mais recalcitrantes, não custa lembrar que a direção fica a cargo de Steven Soderbergh, o mesmo do mundialmente celebrado “Traffic” (de 2000). O elenco conta ainda com Matt Damon, o precoce e sobrevalorizado “Gênio Indomável” (de 1997, apesar de um pouco obscurecido desde então). Óbvio que é necessário atravessar os clichês que, ano a ano, rendem milhões a Julia Roberts, Brad Pitt e George Clooney, mas suas performances não aborrecem os mais exigentes (até porque eles aprenderam alguma coisa com Guy Ritchie e os Irmãos Cohen). Andy Garcia, que não chegou a latin lover (como Antonio Banderas) e que andava meio fora do circuito mainstream, encarna o “bad boy” (contra o qual todos devem torcer). Frank Sinatra, Dean Martin, Sammy Davis Jr. continuam insuperáveis, mas há que se considerar que, em 50 anos, os objetivos da sétima arte e das platéias mudaram muito. [Comente esta Nota]
>>> Ocean's Eleven
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/4/2002
15h33min
Há ainda quem seja platéia deste tipo de filme , mas o cinema hollywoodiano sofre boicote da crítica. Este grupo fechado com mínimo de tempo para analisar obras despreza cultura inútil. Facilmente notável em Onze homens e um segredo.
[Leia outros Comentários de Leandro]
14/4/2002
10h53min
Fui assistir a Onze homens, apesar de não me identificar com o trabalho de George Clooney, mesmo não me entusiasmando com os desempenhos de Brad Pitt, e ainda que decididamente não seja fã de Julia Roberts. E querem saber do melhor? O filme é excelente, bem dirigido, bom roteiro, belas cenas e muitas emoções. Vou certamente anotar o nome do diretor. Se me fosse possível diria a ele que da próxima vez não precisa contratar um elenco tão estelar. Do jeito que ele entende do ofício de fazer filmes imagino que até com iniciantes essa película sairia bem.
[Leia outros Comentários de Toni]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMPLEMENTOS DE CASAS, CHALÉS, PALACETES E MANSÕES
FEDERICO ULSAMER
MEC
(1977)
R$ 22,97



O RELATÓRIO POPCORN
FAITH POPCORN
CAMPUS
(1993)
R$ 10,00



GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA HISTÓRIA DO BRASIL
LEANDRO NARLOCH
LEYA CASA DA PALAVRA
(2009)
R$ 20,00



UNITED STATES OF AMERICA
PATRIZIA RAFFIN
TIGER BOOKS INTERNAT
(1996)
R$ 21,00



MATEMÁTICA PARA ELETRÔNICA
JOHN J DULIN E VICTOR VELEY
HEMUS
R$ 169,00



A FELICIDADE DE CADA UM
HELEN VAN SLYKE
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 12,00
+ frete grátis



BOLETIM DA SOCIEDADE DE ESTUDOS FILÓGICOS ANO 1 N. 1 TOMO 1
SOCIEDADE DE ESTUDOS FILÓGICOS
SOCIEDADE DE ESTUDOS FILÓGI
(1945)
R$ 111,65



CINCO DIAS EM PARIS
DANIELLE STEEL
ALTAYA/RECORD
R$ 7,00



A CIDADE INTEIRA DORME E OUTROS CONTOS
RAY BRADBURY
BIBLIOTECA AZUL
(2019)
R$ 14,90



ARTE PARA SENNA 6288
PAULO SOLARIS
PIBLIHAUS
(2004)
R$ 20,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês