As editoras contra o Kindle | Digestivo Cultural

busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FAAP discute Semana de Arte Moderna de 22
>>> Toda Quinta retoma 1ª edição no Teatro Vivo com menção a Dominguinhos
>>> ENSINAR A FAZER - MARCENARIA
>>> O Peso do Pássaro Morto faz duas sessões online dias 30 e 31/10
>>> Exposição recupera a memória da ditadura brasileira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um homem de Oz
>>> 12 de Junho #digestivo10anos
>>> crônica - ou ensaio - à la hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Sobre futebol e hinos nacionais
>>> Zeitgeist
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Silêncio e grito
>>> Sejam Bem-Vindos
>>> A alma boa de Setsuan e a bondade
Mais Recentes
>>> Invisível cativeiro de Roberto De Carvalho pela Aliança (2017)
>>> Putting Peace Into Practice de Nancy Nyquist Potter(editor) pela Rodopi (2004)
>>> Nove Partes do Desejo o Mundo Secreto das Mulheres Islâmicas de Geraldine Brooks pela Gryphus (1996)
>>> Os contos de beedle o bardo de J.K. Rowling pela Rocco (2008)
>>> Saúde Integral de Márcia Regina Colasante Salgado pela Ame (2017)
>>> Iracema em cena de Walcyr Carrasco pela Ática (2008)
>>> A Kabbalah da alma de Leonora Leet pela Madras (2006)
>>> O livro das princesas de Meg Cabot pela Galera Record (2013)
>>> Wicca Para Todos: um Guia Completo Para a Prática da Bruxaria Moderna de Claudiney Prieto pela Alfabeto (2013)
>>> O Acaso Criador- O Poder Criativo do Acaso de Rémy Lestienne pela Edusp (2008)
>>> Prova de fogo de Pedro Bandeira pela Scipione (1999)
>>> Jesus viveu na índia de Holger kersten pela Best Seller (1988)
>>> A mente de Deus de Dr. Jay Lombard pela Cultrix (2018)
>>> Lutando na espanha de George Orwell pela Globo (2006)
>>> Seu universo interior: Você é a história da humanidade de Jiddu Krishnamurti pela Planeta do Brasil (2018)
>>> A História da Filosofia de Anne Rooney pela M.Books (2015)
>>> Carlos Sciliar de Roberto Pontual pela Emanoel Araujo (1983)
>>> Partidos e Modelo Politico de Ismael Gonzalez pela Julex
>>> Dissociação da Sociedade Mercantil de Alberto Gomes da Rocha Azevedo pela Resenha Universitária (1975)
>>> Curso de Direito Penal Volume 1 Parte Geral de Wiliam Wanderley Jorge pela Forense (1986)
>>> Curso de Direito da Criança e do Adolescente de Cristiane Dupret pela Ius (2012)
>>> Osuna de Frente de Alvaro Montoya Gomez pela El Ancora (1983)
>>> Teoria dos Salários de K W Rothschild pela Quadrante (1971)
>>> Sociedades Anônimas 2 Volumes de Aloysio Lopes Pontes pela Forense (1957)
>>> Tutela Especifica de Luiz Guilherme Marinoni pela Resenha Tributária (2001)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Sexta-feira, 1/1/2010
As editoras contra o Kindle
Julio Daio Borges

+ de 5400 Acessos
+ 8 Comentário(s)




Digestivo nº 447 >>> O Kindle, o leitor de livros eletrônicos da Amazon, tem gerado respostas ambíguas. Se em uma semana ficamos sabendo que editoras brasileiras, por exemplo, correm para digitalizar seus títulos, em outra descobrimos que editoras americanas, grandes, seguram títulos novos, no Kindle, para que não "canibalizem" suas respectivas versões em papel (nas livrarias). Como na indústria do cinema, onde um DVD (ou, será?, Blu-ray) só está "liberado" para o comércio depois de meses da estreia nas salas de exibição, a Simon & Schuster quer "segurar" seus lançamentos (em capa dura, nos Estados Unidos) durante quatro meses, antes de disponibilizar suas respectivas versões eletrônicas (a uma fração do preço, evidentemente). A Amazon, embora venda, também, as versões em papel, responde que — meses depois — o leitor do Kindle perderá o interesse, ou adquirirá outro título, talvez de outra editora, que esteja disponível eletronicamente... Blogueiros igualmente acusam editoras como a Simon & Schuster — e outras, como o grupo francês Hachette — de criar uma "falsa escassez", pois "segurar" um livro em versão eletrônica pode, futuramente, equivaler a tentar segurar versões "pirata" de Harry Potter, U2 ou Paulo Coelho, que sempre escapam... E por falar no mago brasileiro, a Veja anuncia que ele foi o "primeiro" autor nacional a suplantar as editoras — e negociar, diretamente, com a Amazon. Não é, obviamente, uma ideia original dele (nem da Veja), é algo que já estava previsto no script: afinal, como escreveu Paul Graham, em setembro, vamos caminhando para um mundo "post-medium" ou, em bom português, "pós-mídia" (física). A Amazon, embora se faça de amiga dos jornais (com o Kindle DX), pode, num futuro, tornar-se, sim, a única editora. Como a mesma Apple pode. E como o Google, também, pode... Para complicar, ainda mais, o raciocínio, surgiu a notícia de que o Kindle ameaça ser "hackeado"... Se os editores, e os autores, brasileiros, em outras épocas, nem sonhavam com a "digitalização", agora terão de pensar em um melhor argumento que o do "cheiro", da "textura", do "gosto"...
>>> Two Major Publishers To Hold Back E-Books
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Como os jornais vão sobreviver na era da internet?, por Hal Varian (Imprensa)
02. Da redemocratização a um sonho (Literatura)
03. Um Jogador (Teatro)
04. Alegre e macilento (Imprensa)
05. Bandido para quem precisa (Além do Mais)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/1/2010
09h32min
O livro em papel não ficando mais caro, por mim, tudo bem. Essa é minha única preocupação. O Kindle ainda não é confortável como o papel e, sinceramente, é um gadget pra quem não estuda, não lê mais que vinte páginas e acredita que a internet é não mais uma mas "a" fonte de informação, entretenimento e cultura.
[Leia outros Comentários de Tarcila Lucena]
1/1/2010
14h25min
As gerações mudam, muita coisa muda, alguns ficam mudos! Chegou o celular, a fotografia digital, a pintura por computador, o Kindle... Poucos conservadores fizeram uso no primeiro momento, mas a nova geração logo se adaptou e aos poucos foram tomando espaço. Empresas produtoras de "filmes" e antigas máquinas fotográficas tiveram que entrar na tecnologia ou entrar em falência. É o caso das Galeiras de Arte, será o caso das Editoras. Não se pode enfrentar o Mar, mas se aliar a ele, navegar por todas as ondas... O que seria do Digestivo Cultural sem a Web? Existem tecnologias que vieram para ficar, as que funcionam, as que trazem melhorias, e ao menos as que atigem boa parte do público, que se renova sempre. Quem for conservador, conservará sua dor, mas quem estiver atento, mostrará seu talento!
[Leia outros Comentários de Celito Medeiros]
1/1/2010
23h26min
Bom, não sei quem escreveu recentemente na Folha de SP, mas concordo: comprar um livro que não é seu... Você compra o livro eletrônico e não pode vendê-lo e ainda corre o risco da Amazon ou da Apple e Cia. simplesmente apagarem o seu livro. O argumento da textura, do cheiro podem não ser tão fortes, mas a propriedade para um bibliófilo é fundamental. E o que dizer dos sinestésicos ou daqueles que necessitam do tato para aprimorar ou ativar a memória? Bem, acho que esta discussão ainda vai longe e não acredito no fim dos livros tão cedo...
[Leia outros Comentários de Claudio de Oliveira]
2/1/2010
19h55min
Imagino os seres humanos, milênios atrás, discutindo o impacto da mudança da escrita, do barro cozido para o papel... A literatura é óbvio que não morre, o que vai morrer é o livro. Vai virar outra coisa: melhor, na minha opinião.
[Leia outros Comentários de Nayara]
3/1/2010
14h37min
Esta situação é, em parte, semelhante ao caso do disco de vinil/CD versus MP3, ou seja, o conteúdo é o mesmo, porém a forma é diferente, e quem valoriza o conjunto da obra defenderá sua opinião. Os comentários aqui presentes são excelentes, pois cada um com uma ótica e pontos pertinentes a serem observados. Mas é fato que a mudança ocorrerá, como provado pela gigante Amazon e seu lucro obtido em 2009 e justamente a partir do referido produto, mas não necessariamente a extinção do livro "físico", ao menos a médio prazo.
[Leia outros Comentários de Roberto Oliveira]
7/1/2010
16h14min
Faça o seguinte experimento: pegue um Kindle com a edição do "Dom Quixote" e um exemplar de papel do mesmo livro. Mergulhe ambos rapidamente numa piscina e os recolha, pondo para secar; depois deixe-os cair de cima de uma mesa no chão de pedra. Esqueça a textura final de ambos, mas depois conversamos sobre a inevitável extinção do livro de papel e sua substituição pelo aparelhinho aí.
[Leia outros Comentários de SLeo]
9/1/2010
23h07min
Isto ia acontecer um dia. Sempre que uma nova tecnologia libertadora ameaça o mercado vigente, os que lucram com a retenção do conhecimento se insurgem. Me lembro que quando cursei a faculdade e, sem dinheiro para pagar os preços absurdos dos livros, recorria a cópias (que já eram proibidas). Nos dias de hoje só compro livros de bolso e edições recicláveis, e consumo livros em TXT que leio numa microtela de um MP4. Fora isso, não dá mais. Posso comprar um livro a cada 6 meses e olhe lá... os livros grandes de preços absurdamente abusivos nem pensar...
[Leia outros Comentários de eurandi corvello ant]
10/1/2010
11h30min
Não adianta choradeira, a transformação tecnológica é diária, quem não lembra das fitas de filmes? Demorou mas chegou o CD, cadê os videocassetes? Agora é para valer, as editoras estão com seus dias contados, acabou o que era doce (para elas) e vai ficar mais fácil para os novos autores brasileiros. Ler na tela é muito bom e tem proteção contra os olhos, não faz mal, já penaram numa biblioteca, de qualquer lugar, enfileirada: as telas e as pessoas lendo, pesquisando; é uma novidade que inexoravelmente temos que aceitar; e o nosso Paulo Coelho... saiu na frente. E não pensem que vai ficar nas mãos de uma empresa só, será disputado... porém mais acessível a todos, sem dizer que muito mais barato...
[Leia outros Comentários de Candido Rubim Rios]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa Ilustrado Vol 1
Victor Civita (editor)
Abril Cultural
(1973)



A Garota no Trem
Paula Hawkins; Simone Campos
Record
(2015)



Se abrindo para a vida
Zibia Gasparetto; Lucius
Vida e Consciência
(2010)



A Semente de Deus
César Romão
Sextante
(2006)



Contos Brasileiros
Benjamin Abdala Júnior
Scipione
(1993)



Sexualidade
Di Quintella, Ary;Dieterich
Saraiva
(1992)



Grande Artistas - Manet: um Novo Realismo
David Spence
Melhoramentos
(1998)



Razão Jurídica e Dignidade Humana
Marcio Sotelo Felippe
Max Limonad
(1996)



Apostilas Polishop
Vários
Polishop
(2012)



Releitura
Senado Federal
Senado Federal
(2019)





busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês