A Magia da Pixar, de David A. Price | Digestivo Cultural

busca | avançada
105 mil/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Nélio Silzantov, semifinalista do Jabuti de 2023, aborda geração nos anos 90
>>> PinForPeace realiza visita à Exposição “A Tragédia do Holocausto”
>>> ESTREIA ESPETÁCULO INFANTIL INSPIRADO NA TRAGÉDIA DE 31 DE JANEIRO DE 2022
>>> Documentário 'O Sal da Lagoa' estreia no Prime Box Brazil
>>> Mundo Suassuna viaja pelo sertão encantado do grande escritor brasileiro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> Salve Jorge
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Feliz Natal, Charlie Brown!
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Marketing de cabras
>>> Simplesmente tive sorte
>>> Sete tecnologias que marcaram meu 2006
>>> Maria Helena
>>> Sombras
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Aconselhamentos aos casais ― módulo II
>>> Perfil (& Entrevista)
Mais Recentes
>>> Elas e as Letras de Aldirene Máximo e Julie Veiga (org.) pela Versejar (2018)
>>> América Latina hoje: conceitos e interpretações de José Maurício Domingues e Maria Maneiro pela Civilização Brasileira (2006)
>>> Biblioteca de Ouro da Literatura Universal - O Cortiço - Tomo 1 de Aluísio Azevedo pela Minha (1988)
>>> Encadernado em capa dura: Wolverine - Thor - Camelot 3000 de Chris Claremont. Frank Miller. Walter Simonson. Mike W. Barr e Brian Bolland pela Abril Jovem (1987)
>>> Evolução Sócio-Econômica do Brasil de Otto Alcides Ohlweiler pela Tchê! (1988)
>>> Avenida Presidente Vargas: Um desfile pela história do Brasil de Eduardo Bueno. Paula Taitelbaum. Fernando Bueno e Dudu Contursi pela Arco (2010)
>>> A Mangueira da nossa infância de Alexandre Nobre pela Ficções (2012)
>>> Sobre a universidade de Max Weber pela Cortez (1989)
>>> Em Busca do Tempo Perdido vol 4 de Marcel Proust pela Nova Fronteira (2014)
>>> A relíquia de Eça de Queirós pela Ática (1999)
>>> Acqua Toffana de Patrícia Melo pela Companhia das Letras (1994)
>>> Anjos travados de Zé Elias pela n/d (1984)
>>> Legado de Mateus Ornellas e Lua Costa pela Independente (2016)
>>> Trato de Sara Lambranho pela Fundação Clóvis Salgado (2013)
>>> O Perfume de Patrick Süskind pela Círculo do Livro (1985)
>>> O Mestre de Quéops de Albert Salvaó pela Ediouro (2000)
>>> Garten der Lüste de Hieronymus Bosch pela Prestel (2003)
>>> A Cidade e as Serras de Eça de Queiroz pela Ática (2009)
>>> Inimigo Rumor 20 de Vários autores pela 7 letras/ Cosac Naify (2007)
>>> As Aventuras de Tartufo do Majestoso Mississipi de Phyllis Shalant pela Bertrand Brasil (2008)
>>> Bellini e a esfinge de Tony Bellotto pela Companhia das Letras (1995)
>>> The Black Angel de John Connolly pela Pocket Books International (2005)
>>> Na Casamata de Si de Pedro Tostes pela Patuá (2018)
>>> Cineastas e Imagens do Povo de Jean-Claude Bernardet pela Brasiliense (1985)
>>> Médée de Pier Paolo Pasolini pela Arléa (2007)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Além do Mais

Sexta-feira, 22/1/2010
A Magia da Pixar, de David A. Price
Julio Daio Borges
+ de 15500 Acessos




Digestivo nº 450 >>> Steve Jobs virou uma unanimidade. Atualmente, parece o ser humano mais próximo de ter o Toque de Midas. Mas nem sempre foi assim... Quando as histórias de Jobs e da Pixar se cruzaram, no livro de David Price, Steve havia renunciado à sua posição na Apple - o ar se tornara irrespirável na empresa que fundara -, isolava-se num casarão, apenas com um piano e uma moto, e continuava bilionário, mas estava "sem projeto"... A Pixar, por outro lado, não havia "engrenado" no universo da Lucasfilm; George Lucas se separara, sua ex-mulher o havia espoliado e a Pixar, deficitária, tornara-se "um luxo", apesar dos talentos em animação... Jobs, grande negociador, esperou, durante meses, o preço baixar, e arrematou a empresa por US$ 5 milhões. Mas não acertou a estratégia logo de início. Tentou converter a Pixar numa empresa de hardware, imaginando que os softwares de animação seriam tão revolucionários quanto as impressoras o foram, na época dos primeiros computadores Macintosh. Não funcionou... Jobs sustentou a brincadeira por uma década e US$ 50 milhões, quando, farto dos insucessos da Pixar, decidiu colocá-la, de volta, no mercado. Ofereceu... até para a Microsoft. Por sorte, havia um sujeito igualmente teimoso e talentoso - John Lasseter -, que, depois de sonhar acordado durante anos, convenceu a Disney a distribuir um longa de animação produzido na Pixar. Jobs estava no limite, mas aceitou, embora houvesse confiscado todas as ações dos empregados e retomado o controle da empresa - quando Toy Story despontava no horizonte... Foi um sucesso... E Jobs abriu capital, para depender, cada vez menos, da Disney, de seus financiamentos e de sua estrutura. Vieram outros sucessos: Vida de Inseto, Monstros S.A., Procurando Nemo e Os Incríveis... De repente, ficou claro para a Disney - principalmente depois da saída de Michael Eisner e do ultimato de Jobs (que prometera nunca mais negociar com ele) - que a aquisição da Pixar era inevitável. As animações tradicionais da turma do Mickey haviam perdido o viço, e ninguém melhor que Lasseter - um ex-funcionário (!) - para ressuscitar a Walt Disney Company. Tornou-se COO... E como a Pixar foi parcialmente adquirida com ações da Disney - por um valor de US$ 7,4 bilhões em 2006 -; e como Jobs era dono de 49,8% das ações da Pixar, o mesmo sujeito que refundava a Apple nos anos 2000, tornava-se, subitamente, o maior investidor, pessoa física, da Walt Disney Company... Essas e outras histórias, até Carros, até WALL-E, estão contadas no livro de David A. Price. Que, finalmente, mostra que Jobs errou também, porque é humano - mas que contribui, ainda assim, para sua atual consagração e unanimidade.
>>> A Magia da Pixar
 
Julio Daio Borges
Editor
Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Os Enamoramentos, de Javier Marías (Literatura)
02. Televisão em 2002 (Televisão)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Pareidolia
Luiz Franco
Escape
(2016)



Der Seewolf
Jack London
Deutsche Buch-Gemeinschaft
(1954)



Livro de bolso Guerra Primeira Guerra Mundial Pocket Encyclopaedia 886
Michael Howard
Lpm
(2013)



Invente alguma coisa
Chuck Palahniuk
Leya
(2020)



Automóveis de Ouro para um Povo Descalço
Vasconcelos Torres
Brasília
(1977)



Iniciação ao Estudo da Sociologia
Caroline B. Rose
Zahar
(1976)



A sabedoria do não 334
Mariliz Vargas
Rosea Nigra
(2009)



Curso Completo de Fotografia 1
Diversos
Rio Gráfica
(1981)



Intervalos
Francisco C. Xavier
O Clarim
(1981)



Privatização das Prisões
João Marcello de Araujo Junior
Revista dos Tribunais
(1995)





busca | avançada
105 mil/dia
2,0 milhão/mês