Borges: uma vida, por Edwin Williamson | Digestivo Cultural

busca | avançada
26396 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> Mulheres detêm o poder do mundo em eletrizante romance de Naomi Alderman
>>> Comédia Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Municipal Paulo Eiró
>>> Ballet Acadêmico da Bahia apresenta STAR DANCE no TCA, dia 07/06 às 20h
>>> Zé Eduardo faz apresentação no Teatro da Rotina, dia 30.05
>>> Revista busca artigos inspirados no trabalho de professores
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
Últimos Posts
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
>>> Publicando no Observatório de Alberto Dines
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
>>> ZERO ABSOLUTO
>>> Go é um jogo mais simples do que imaginávamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Primavera para iniciantes
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Meu cinema em 2010 ― 2/2
>>> Doente de tanto saber
>>> O último Shakespeare
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Figuras de linguagem e a escrita criativa
>>> Meu Tom Jobim
Mais Recentes
>>> Extraordinario
>>> A teus pes
>>> A Mamãe é Rock
>>> O Papai é Pop 2
>>> Teologia Bíblica do Antigo Testamento. Uma História da Religião de Israel na Perspectiva Bíblico TeológiIca
>>> O terror
>>> Depois da queda
>>> Origem
>>> Os impunes
>>> Mundo dos sonhos realidade e imaginação
>>> A Literatura no Brasil- Volume 4
>>> A Literatura no Brasil- volume 6
>>> Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída...
>>> Asterix Entre os Bretões- Número 4
>>> Apresentação de Jorge de Lima
>>> Rei Negro
>>> A Literatura no Brasil volume 5 Modernismo
>>> Miragem
>>> O Rajá do Pendjab - vol. 1
>>> A Aldeia Ancestral
>>> Inocência Heróica
>>> A Colheita
>>> -Inéditos - Revista volume 2
>>> A Literatura no Brasil Volume 3
>>> A Revolução das Moedas Digitais- Bitcoins e Altcoins
>>> O Menino de Capivari - Volumes I, II e III
>>> Por uma Geografia Nova
>>> Oriundi - os Italianos em Capivari
>>> Filosofia da Realidade e da Projeção
>>> Astrojildo Pereira - in Memoriam
>>> J. Prata - Belas Páginas
>>> Vida, Paixão e Poesia de Rodrigues de Abreu
>>> Vida, Paixão e Poesia de Rodrigues de Abreu
>>> Salomé e Outros Versos
>>> Salomé e Outros Versos
>>> Ensinar a Pensar -Teoria e Aplicação
>>> Na Escola que Fazemos - Uma reflexão interdisciplinar em edução popula
>>> Educação e Mudança
>>> Acompanhantes Terapêuticos e Pacientes Psicóticos
>>> A Beleza da Arte
>>> A Ronda das Ruas
>>> O Combate a Corrupçao Nas Prefeituras do Brasil
>>> Ciencias e Tecnologias Col. Pesquisas e Praticas Em Educacao
>>> Prática Pedagógica Competente: Ampliando os Saberes do Professor
>>> Os Segredos do Gerente 8020
>>> Excelência no Secretariado: A Importância da Profissão nos...
>>> Segurança E Medicina Do Trabalho
>>> Gestão de Investimentos - Pocket
>>> Plano de Negócios
>>> Marinheiros e professores: crônicas simples ade, construtivismo
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Quarta-feira, 28/12/2011
Borges: uma vida, por Edwin Williamson
Julio Daio Borges

+ de 7300 Acessos




Digestivo nº 484 >>> No embalo do relançamento das obras completas de Jorge Luis Borges, a Companhia das Letras traduziu Borges: a life (2004), de Edwin Williamson, professor de literatura espanhola em Oxford. Aparentemente, a vida de Borges, que se dedicou à literatura, não soa tão interessante. Mas um elogio de Harold Bloom, o maior crítico literário vivo, a essa obra sobre a vida do "mestre argentino", talvez nos faça mudar de opinião. Embora tenha reconhecido a genialidade de Machado de Assis, Bloom recusou-se a ler Guimarães Rosa, pois disse que "não tinha mais tempo". O "mestre argentino" ganhou, com Machado, um dos capítulos de Gênio (2003). E é impossível não aproximar o maior crítico contemporâneo do, possivelmente, maior leitor do século XX. E se Bloom "perdeu tempo" com a biografia de Borges, mantendo Guimarães Rosa na espera, é que ela merece ser lida. De fato, se a vida de Borges foi dedicada à literatura, o que lemos, no livro de Williamson, não é uma biografia tradicional, afinal ele busca "correspondências entre o texto literário e o contexto pessoal". Borges: uma vida surpreende, em primeiro lugar, pelas mulheres que habitaram a vida, ou o pensamento, de Borges. Para surpresa geral, declara o próprio: "Como passei a vida pensando em mulheres, ao escrever tratei de pensar em outra coisa". A uma mulher, por exemplo, ele dedicou "O Aleph" (1949). Em "A morte a bússola", um conto de Ficções (1944), Borges conclui que "o intelecto sozinho leva à morte", enquanto "o amor se constitui na bússola que nos levará à salvação". Passou quase a vida inteira lamentando "ter repetidamente sacrificado sua chance de felicidade com uma mulher". E, quando morreu sua mãe, escreveu, num poema: "Eu cometi o pior dos pecados possíveis a um homem. Não ter sido feliz". Leonor Acevedo, aliás, quase centenária, seria outro dos centros de gravidade na vida de Borges. Declararia ela a Bioy Casares (historicamente, o maior amigo de Jorge Luis): "Passei a vida entre dois loucos e às vezes me pergunto se esses dois loucos não tiveram razão". O "segundo louco" era o Doutor Borges, pai de Jorge Luis (na intimidade, Georgie). Tendo fracassado na literatura, e tendo sido acometido pela cegueira mais cedo que o filho, Doutor Borges transmitiu a Jorge Luis a missão de ser realizar como escritor. E "Georgie", além da salvação pelo amor, acreditava, obviamente, na salvação pela literatura. Acreditava, como diz Williamson, que "uma obra-prima autêntica seria suficiente para justificar a vida de um escritor". Nesse sentido, a Divina Comédia forneceu a chave que faltava para conferir sentido à existência de Jorge Luis: se encontrasse sua Beatriz, como Dante encontrou, Borges poderia ser feliz, e realizar-se como homem, e como escritor. Ainda que boa parte do mundo não concordasse, acreditou ter encontrado sua "Beatriz" no fim da vida: era María Kodama, que faria Luisa Valenzuela, uma romancista argentina, definir assim o casal: "O venerável velho e a mulher que tirou o venerável velho de seu encapsulamento e o pôs em contato com a vida". Casaram-se praticamente no leito de morte de Borges. Se o amor quase não chegou a tempo, a consagração também atrasou. E uma das fases mais célebres de Borges, como "mestre oral", teve início quando ele se aproximava do seu cinquentenário: "Assim, aos 47 anos, descobri que se abria diante de mim uma vida nova e emocionante". Conquistou o mundo, nas palavras do escritor norte-americano Richard Burgin: "Quando deu sua última palestra em Harvard, Borges já era o herói literário de Cambridge". Em 1983, recebeu a Legião de Honra do presidente François Mitterand. E só não ganhou o Nobel, pois defendeu as ditaduras, na América Latina, contra populistas como Perón. Williamson conta que, na Itália, Borges passou a definir o que era "o gosto literário" e, mesmo, "a própria ideia de literatura". A verdade é que continua definindo, e não so dentro da Itália, mas fora dela também. Modesto, Borges concluiria, numa entrevista, não ter sido "um pensador": "nunca havia chegado a nada"; era, no máximo, "um homem de letras"... "um tecelão de sonhos". E ainda que se considerasse, como poeta, um "grandiloquente de terceira categoria", criaria, na definição de Bioy Casares, "um novo gênero literário", "entre o ensaio e a ficção", inaugurando "as possibilidades literárias da metafísica". Se a "vida" desse homem não pode ser emocionante, o que pode ser, então? Borges, de Williamson, não só traz de volta a noção perdida de literatura, mas também a noção perdida de uma vida dedicada à literatura.
>>> Borges: uma vida
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Os Brutos Também Amam (Cinema)
02. Papel principal (Imprensa)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CASO DA LATA VAZIA - COLEÇÃO VAMPIRO
ERLE STANLEY GARDNER
LIVROS DO BRASIL LISBOA
(1941)
R$ 19,87



VIVER DE FÉ - SEM A FÉ É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS
PE JUCEMAR MARIA DA CRUZ
PALAVRA E PRECE
(2016)
R$ 10,00



VIDA LITERÁRIA
MÁRIO DE ANDRADE
HUCITEC
(1993)
R$ 50,00



VINHOS - UMA FESTA DOS SENTIDOS
ROGERIO DARDEAU
MAUAD
(2002)
R$ 8,01



WINTERFLIGHT - A NOVEL
JOSEPH BAYLY
MULTNOMAH BOOKS
(1994)
R$ 30,00
+ frete grátis



INDOOR CYCLING
WILLIAM M. DE CARVALHO
LEITURA
(2005)
R$ 32,00



THE ROAD WINDS ON
FRANCENA H. ARNOLD
MOODY PUBLISHERS
(1970)
R$ 40,00
+ frete grátis



101 DICAS ESSENCIAIS - MICROONDAS
SARAH BROWN + CONSULTORIA E ORGANIZAÇÃO
EDIOURO
(1997)
R$ 10,00



ASSASSINATO NO BECO
AGATHA CHRISTIE
NOVA FRONTEIRA
(2003)
R$ 8,00



DIREITO TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
ALIOMAR BALEEIRO
FORENSE
(2008)
R$ 90,00
+ frete grátis





busca | avançada
26396 visitas/dia
708 mil/mês