Borges: uma vida, por Edwin Williamson | Digestivo Cultural

busca | avançada
80637 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
>>> Museu de Arte Sacra de São Paulo - Imagens de ROCA e de VESTIR
>>> Mostra de Teatro de Ipatinga comemora os 15 anos do Grupo 3 de Teatro com espetáculo online
>>> Live: Como a cultura nos livros didáticos influencia a formação da criança
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O que não fazer em época de crise
>>> Pizzaria Brasil
>>> Os superestimados da música no Brasil
>>> Passeata Contra o eBook
>>> Sendo Humano
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jazz caricato
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> Música instrumental brasileira
>>> If God is Brazilian
Mais Recentes
>>> Sonetos de Luís Vaz de Camões pela Ciranda Cultural (2019)
>>> A ilha do Tesouro de Robert Louis Stevenson pela Companhia Nacional (2005)
>>> A ilha do tesouro de Robert Louis Stevenson pela Companhia Nacioanl (2005)
>>> Efésios N Testamento Coleção Lições De Vida de Max Lucado pela Mundo Cristão (2014)
>>> Os Condenados - Obras Completas 1 de Oswald de Andrade pela Civilização Brasileira (1970)
>>> Ponta de Lança - Obras Completas 5 de Oswald de Andrade pela Civilização Brasileira (1972)
>>> A Insustentável Leveza do Ser de Milan Kundera pela Nova Fronteira (1986)
>>> A Divina Comédia de Dante Alighieri pela Nova Cultural (2002)
>>> A Luz da Estrela Morta de Josué Montello pela Nova Fronteira (1981)
>>> Quem Foi? Albert Einstein de Jess Brallier pela Dcl (2009)
>>> As Impurezas do Branco de Carlos Drummond de Andrade pela José Olympio (1974)
>>> As Filhas de Rashi de Maggie Anton pela Rocco (2008)
>>> Drummond o Gauche no Tempo de Affonso Romano de Santanna pela Lia (1972)
>>> Traição Em Família de David Baldacci pela Arqueiro (2012)
>>> Bichos de Lá e de Cá de Lia Neiva pela Ediouro (1993)
>>> O Fogo de Katherine Neville pela Rocco (2011)
>>> Desvirando a Página - a Vida de Olavo Setubal de Ignácio de Loyola Brandão; Jorge J. Okubaro pela Global (2008)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Saraiva (2013)
>>> Dom Casmurro - Obras Completas de Machado de Assis pela Globo (1997)
>>> The Elegance of the Hedgehog de Muriel Barbery pela Penguin Usa (2008)
>>> O Direito à Privacidade na Internet de Sidney Guerra pela América Jurídica (2004)
>>> Em Busca de Cézanne de Peter Mayle pela Rocco (2000)
>>> Nono Descobre o Espelho de José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta pela Objetiva (2007)
>>> Nós, Mulheres - Edição Especial de Silvia Bruno Securato pela Oficina do Livro (2012)
>>> Autant En Emporte Le Vent - Tomes I et II de Margaret Mitchell pela Gallimard (1938)
>>> Memória de Minhas Putas Tristes de Gabriel Garcia Marquez pela Record (2005)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (2002)
>>> Um Dia "daqueles" - um Lição de Vida para Levantar o Seu Astral de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2001)
>>> Seis Suspeitos de Vikas Swarup pela Companhia das Letras (2009)
>>> Nós, Mulheres - Vol. 10 de Silvia Bruno Securato pela Oficina do Livro (2011)
>>> Minhas Rimas de Cordel de César Obeid pela Moderna (2005)
>>> Negociações Espetaculares de Harvard Business School pela Campus (2004)
>>> Em Nome de Anna de Rudi Fischer pela Primavera Editorial (2015)
>>> De Volta às Estrelas de Erich Von Däniken pela Melhoramentos (1970)
>>> Umbanda Espírita Cristã de Norevaldo C. M. Souza pela Ideia Jurídica (2014)
>>> Entre Árabes e Judeus - uma Reportagem de Vida de Helena Salem pela Brasiliense (1991)
>>> O Poder Psíquico das Pirâmides de Bill Schul e Ed Pettit pela Record (1976)
>>> Sade, Fourier e Loyola de Roland Barthes pela Brasiliense (1990)
>>> O que é Ceticismo de Plinio Smith pela Brasiliense LTDA (2021)
>>> A Odisséia dos Essênios de Hugh Schonfield pela Mercuryo (1991)
>>> Introdução à Psicologia Fenomenológica//Agressão no Homem e nos Animais de Ernest Keen e Roger N. Johnson pela Interamericana (1979)
>>> O que é Psicanálise de Fábio Hermann pela Abril (1983)
>>> Como Administrar Conflitos Profissionais de Peg Pickering pela Market Books (1999)
>>> A Aventura Prodigiosa do Nosso Corpo de Jean Pierre Gasc pela Universo da Ciência (1981)
>>> As Mulheres Francesas Não Engordam de Mireille Guiliano pela Campus (2005)
>>> Das CPI's de Hélio Apolinário Cardoso pela Bookseller (2002)
>>> A Mulher do Viajante no Tempo de Audrey Niffenegger pela Suma de Letras Brasil (2009)
>>> O estudante II: Mamãe querida de Adelaide Carraro pela Global (1988)
>>> O Lado Bom dos Seus Problemas EAN: 9788536416199 de Maurício Horta pela Abril (2013)
>>> Julie e Julia de Julie Powell pela Record (2009)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Quarta-feira, 28/12/2011
Borges: uma vida, por Edwin Williamson
Julio Daio Borges

+ de 9100 Acessos




Digestivo nº 484 >>> No embalo do relançamento das obras completas de Jorge Luis Borges, a Companhia das Letras traduziu Borges: a life (2004), de Edwin Williamson, professor de literatura espanhola em Oxford. Aparentemente, a vida de Borges, que se dedicou à literatura, não soa tão interessante. Mas um elogio de Harold Bloom, o maior crítico literário vivo, a essa obra sobre a vida do "mestre argentino", talvez nos faça mudar de opinião. Embora tenha reconhecido a genialidade de Machado de Assis, Bloom recusou-se a ler Guimarães Rosa, pois disse que "não tinha mais tempo". O "mestre argentino" ganhou, com Machado, um dos capítulos de Gênio (2003). E é impossível não aproximar o maior crítico contemporâneo do, possivelmente, maior leitor do século XX. E se Bloom "perdeu tempo" com a biografia de Borges, mantendo Guimarães Rosa na espera, é que ela merece ser lida. De fato, se a vida de Borges foi dedicada à literatura, o que lemos, no livro de Williamson, não é uma biografia tradicional, afinal ele busca "correspondências entre o texto literário e o contexto pessoal". Borges: uma vida surpreende, em primeiro lugar, pelas mulheres que habitaram a vida, ou o pensamento, de Borges. Para surpresa geral, declara o próprio: "Como passei a vida pensando em mulheres, ao escrever tratei de pensar em outra coisa". A uma mulher, por exemplo, ele dedicou "O Aleph" (1949). Em "A morte a bússola", um conto de Ficções (1944), Borges conclui que "o intelecto sozinho leva à morte", enquanto "o amor se constitui na bússola que nos levará à salvação". Passou quase a vida inteira lamentando "ter repetidamente sacrificado sua chance de felicidade com uma mulher". E, quando morreu sua mãe, escreveu, num poema: "Eu cometi o pior dos pecados possíveis a um homem. Não ter sido feliz". Leonor Acevedo, aliás, quase centenária, seria outro dos centros de gravidade na vida de Borges. Declararia ela a Bioy Casares (historicamente, o maior amigo de Jorge Luis): "Passei a vida entre dois loucos e às vezes me pergunto se esses dois loucos não tiveram razão". O "segundo louco" era o Doutor Borges, pai de Jorge Luis (na intimidade, Georgie). Tendo fracassado na literatura, e tendo sido acometido pela cegueira mais cedo que o filho, Doutor Borges transmitiu a Jorge Luis a missão de ser realizar como escritor. E "Georgie", além da salvação pelo amor, acreditava, obviamente, na salvação pela literatura. Acreditava, como diz Williamson, que "uma obra-prima autêntica seria suficiente para justificar a vida de um escritor". Nesse sentido, a Divina Comédia forneceu a chave que faltava para conferir sentido à existência de Jorge Luis: se encontrasse sua Beatriz, como Dante encontrou, Borges poderia ser feliz, e realizar-se como homem, e como escritor. Ainda que boa parte do mundo não concordasse, acreditou ter encontrado sua "Beatriz" no fim da vida: era María Kodama, que faria Luisa Valenzuela, uma romancista argentina, definir assim o casal: "O venerável velho e a mulher que tirou o venerável velho de seu encapsulamento e o pôs em contato com a vida". Casaram-se praticamente no leito de morte de Borges. Se o amor quase não chegou a tempo, a consagração também atrasou. E uma das fases mais célebres de Borges, como "mestre oral", teve início quando ele se aproximava do seu cinquentenário: "Assim, aos 47 anos, descobri que se abria diante de mim uma vida nova e emocionante". Conquistou o mundo, nas palavras do escritor norte-americano Richard Burgin: "Quando deu sua última palestra em Harvard, Borges já era o herói literário de Cambridge". Em 1983, recebeu a Legião de Honra do presidente François Mitterand. E só não ganhou o Nobel, pois defendeu as ditaduras, na América Latina, contra populistas como Perón. Williamson conta que, na Itália, Borges passou a definir o que era "o gosto literário" e, mesmo, "a própria ideia de literatura". A verdade é que continua definindo, e não so dentro da Itália, mas fora dela também. Modesto, Borges concluiria, numa entrevista, não ter sido "um pensador": "nunca havia chegado a nada"; era, no máximo, "um homem de letras"... "um tecelão de sonhos". E ainda que se considerasse, como poeta, um "grandiloquente de terceira categoria", criaria, na definição de Bioy Casares, "um novo gênero literário", "entre o ensaio e a ficção", inaugurando "as possibilidades literárias da metafísica". Se a "vida" desse homem não pode ser emocionante, o que pode ser, então? Borges, de Williamson, não só traz de volta a noção perdida de literatura, mas também a noção perdida de uma vida dedicada à literatura.
>>> Borges: uma vida
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Para sempre teu, Caio F., por Paula Dip (Literatura)
02. O perfeito cozinheiro das almas deste mundo (Literatura)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Paulo e Estevão
Francisco Cândido Xavier
FEB
(1941)
R$ 10,00



At Risk
Patricia Cornwell
Little Brown And Company
(2006)
R$ 10,00



Select Arte e Cultura Contemporânea Ano 4 Edição 19 Ago/Set 2014
Mirik Milan et alli
Select
(2014)
R$ 10,00



Prece por Você - Conversa de Pai para Filho
Hans Georg Winter
Scortecci
(2008)
R$ 10,00



Le Trés Bas
Christian Bobin
Folio
R$ 10,00



O Direito de Ser Criança Problemas da Criança Pressada
David Elkind
Efeb
(1982)
R$ 10,00



Dicionário de Economia e Administração - 1151
Paulo Sandroni
Nova Cultural
(1996)
R$ 10,00



Mini Dicionário Escolar - Inglês/português Português/inglês
Outros
Wkids
R$ 10,00



Psicodramatizar - Ensaios
Alfredo Naffah Neto
Agora
(1980)
R$ 10,00



Prosperidade Profissional
Luiz Antonio Gasparetto
Vida e Consciencia
(1997)
R$ 10,00





busca | avançada
80637 visitas/dia
2,4 milhões/mês