Paco de Lucía (1947-2014) | Digestivo Cultural

busca | avançada
42097 visitas/dia
2,9 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Feira de vinis especializada em reggae desembarca no Festival Mucho em dezembro
>>> 9ª Edição do Encontro Internacional de Mulheres Palhaças (EIMPA) recebe dezenas de atrações com mais
>>> Teatro- Cidadão em Construção - Ultima apresentação no CEU
>>> 26º Cirandança reúne 1200 alunos das Oficinas de Dança durante 6 dias no C.C. Diadema
>>> IOLE DE FREITAS NO PAÇO IMPERIAL, RIO DE JANEIRO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
>>> O tipógrafo-artista Flávio Vignoli: entrevista
>>> Deixe-me ir, preciso andar, vou por aí a procurar
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
Colunistas
Últimos Posts
>>> Tucker Carlson no All-In
>>> Keleti: de engenheiro a gestor
>>> LeCun, Bubeck, Harris e a inteligência artificial
>>> Joe Satriani tocando Van Halen (2023)
>>> Linger by IMY2
>>> How Soon Is Now by Johnny Marr (2021)
>>> Jealous Guy by Kevin Parker (2020)
>>> A última canção dos Beatles (2023)
>>> No Time To Die by Meg Mac
>>> Praise You by The Belligerents (2015)
Últimos Posts
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Culpa não tem rima
>>> As duas faces de Janus
>>> Universos paralelos
>>> A caixa de Pandora do século XX
>>> Adão não pediu desculpas
>>> No meu tempo
>>> Caixa da Invisibilidade ou Pasme (depois do Enem)
>>> CHUVA
>>> DECISÃO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Let’s give him the respect he’s giving us
>>> A Pantera Cor de Rosa, com Steve Martin
>>> O Canto de cisne dos Super Heróis
>>> Caí na besteira de ler Nietzsche
>>> País do Carnaval III
>>> Meu cinema em 2010 ― 2/2
>>> Dar títulos aos textos, dar nome aos bois
>>> Recordações da casa dos mortos
>>> Sim, Thomas Bernhard
Mais Recentes
>>> Dominando o Ciclo de Mercado - Aprenda a reconhecer padrões para investir com segurança de Howard Marks pela Alta Books (2020)
>>> Como Chegar ao Sim - Como negociar acordos sem fazer concessões de Roger Fisher; William Ury; Bruce Patton pela Sextante (2018)
>>> Diário de Pilar na Amazônia(Nova edição): Urgente de Flávia Lins e Silva pela Zahar (2023)
>>> Fora de série - Outliers: Descubra por que algumas pessoas têm sucesso e outras não de Malcolm Gladwell pela Sextante (2011)
>>> Foco - A atenção e seu papel fundamental para o sucesso de Daniel Goleman pela Objetiva (2014)
>>> Manual da Traição (02) de Jonathan Spence pela Companhia das Letras
>>> Shan - (02) de Eric Van Lustbader pela Record
>>> Cyclops - (02) de Clive Cussler pela Best Seller
>>> Armagedão - Coleção Século XX - (02) de Leon Uris pela Não Informado
>>> A Rainha do Fogo - Livro 3 da Trilogia `A Sombra do Corvo" (02) de Anthony Ryan pela Leya (2017)
>>> A Ruptura - World Warcraft (02) de Christie Golden pela Galeria (2013)
>>> A Canção do Sangue - Livro 1 da Trilogia "A Sombra do Corvo (02) de Anthony Ryan pela Leya (2014)
>>> O Dilema - (02) de John Grisham pela Rocco (2015)
>>> O Último Tiro, Jack Reacher em... (02) de Lee Child pela Bertrand (2012)
>>> Lz 99 -(02) de C. L. Mohn pela Landscape (2001)
>>> Battlefield 4 - Contagem Regressiva (02) de Peter Grimsdale pela Galera (2014)
>>> Amar e Ser Livre de Sri Prem Baba pela Harper Collins (2017)
>>> Amor & Ajuda de Daniela neves Santos pela BesouroBox (2013)
>>> O Dalai Lama fala de jesus de Dalai lama pela Fissus (2003)
>>> A Cor púrpura - Romance de Alice Walker pela Marco Zero (1982)
>>> A Arte de meditar de Mathieu Ricard pela Globo (2023)
>>> Bhagavad Gita de Krishna pela Martin Claret (2012)
>>> Comer, Treinar, Dormir de Drª Samira Layaum pela Prumo (2012)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Nova Visão (2021)
>>> Cirinéia Iolanda Maffei de Retratos de Nazaré pela Boa Nova
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Música

Segunda-feira, 21/4/2014
Paco de Lucía (1947-2014)
Julio Daio Borges
+ de 6100 Acessos


Digestivo nº 499 >>> Paco de Lucía foi o maior violonista da nossa época. Foi um gênio do violão e é notável que não tenha recebido formação clássica. Seu virtuosismo alçou-o de um ritmo popular da Espanha, o flamenco, aos principais templos da música no mundo. No limite, era um músico popular, mas foi respeitado por instrumentistas de todos os credos e origens, estudado por musicólogos de todas as línguas e reverenciado por eruditos em música. Paco de Lucía foi unânime. Um ídolo entre roqueiros, e guitarristas, tocou, de igual para igual, com músicos de jazz e produziu a sua própria interpretação "flamenca" do Concerto de Aranjuez, que faz parte do cânone para as seis cordas. Sem contar suas releituras de Manuel de Falla. Treinado pelo pai, como Mozart, percebeu muito cedo que não havia limite, em termos de técnica, para o que poderia tocar. O pai, igualmente músico de flamenco, retirou o filho prodígio da escola, porque não conseguia pagar, e mudou a família de Algeciras para Madrid, quando Paco contava 12 anos. Tocando com o irmão violonista, que adotou a alcunha de Ramón de Algeciras, Paco (Lucía era sua mãe, portuguesa) esgotou o cancioneiro hispano-americano já nos anos 60. Ia com seus dedos do México a Cuba, passando pela Argentina e, sim, pelo Brasil. Acelerou o "Tico-Tico", celebrizado por Carmen Miranda, de tal sorte que Zequinha de Abreu não o reconheceria. Venceu, nos EUA, e excursionou, sozinho, com seu violão, sendo um pioneiro em turnês, antes que houvesse qualquer estrutura para isso. Como descreveu um contemporâneo seu, "encantava quem não sabia de música" e "enlouquecia quem sabia": "Paco tinha tudo". Não contente em ser apenas intérprete, aventurou-se pelo reino da composição. E, igualmente, triunfou. Os anos 70 marcam sua independência como artista solo, tornando-se, mais que um embaixador, um revolucionário do flamenco, a exemplo do que fez Piazzolla pelo tango. Basta ouvir "Entre dos aguas" (1973) e "Rio Ancho" (1976) para se convencer de que Paco, como compositor, não deixava nada a dever aos mestres criadores do flamenco. Os anos 80 marcam a consagração planetária, quando se aproximou de John McLaughlin, e, com Al Di Meola, gravaram o multiplatinado Friday Night in San Francisco (1981), um clássico absoluto entre rockers, "jazzistas" e violonistas clássicos. "Era um circo", assim definiu Paco os shows daquela época. Ignorante em matéria de escalas, aprendeu a improvisar nelas com as dicas de McLaughlin e Meola. Paco de Lucía nunca havia improvisado dessa forma, porque nunca havia precisado. Reconhecia os acordes só de olhar e as melodias, só de ouvir. O flamenco, para ele, era como a própria respiração. Tão logo cansou de vender milhões de discos, lançou-se num desafio técnico de volta as raízes, o insuperável Siroco (1987), fora o supracitado Concierto de Aranjuez (1991). Ficou marcado pelo vocalista Camarón de la Isla, seu acompanhante que faleceu precocemente, e chegou a declarar que sua grande ambição era... cantar. Voltou a se reunir em família com seu Sexteto: em 1981, com Pepe de Lucía; e, em 1997, com Ramón de Algeciras. Casou-se duas vezes e deixou cinco filhos. Quando se cansava de "Paco de Lucía", Francisco Gustavo Sánchez Gomes refugiava-se no México, onde mantinha uma residência e pescava. Teve um ataque do coração na Playa del Carmen, em férias com a família. Seu espírito, contudo, foi eternizado em música. Grande música.
>>> Paco de Lucía
 
Julio Daio Borges
Editor
Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Mas o que são os homens maus? (Literatura)
02. Sua marca precisa ser... revista? (Imprensa)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro - Artes Plásticas na Semana de 22
Aracy A. Amaral
34
(1998)



Mentes Ansiosas
Ana Beatriz Barbosa Silva
Principium



O Feudo Sangrento de Alteu
O Feudo Sangrento de Alteu
Marques Saraiva
(1985)



O Novo Estado Industrial 434
John Kenneth Galbraith
Nova Cultural
(1988)



O Médico e o Monstro 290
R. L. Stevenson
L&Pm Pocket
(2010)



Livro Literatura Estrangeira A Confraria
John Grisham
Rocco
(2000)



Mística e Testemunho Em Koinonia
Maria Clara Lucchetti Bingemer
Paulus
(2018)



Projeto e Cálculo de Pontes Em Concreto Armando Vols I, II e III
Antonio Carlos de Areias Neto
Ministério do Exército
(1981)



Hotel do Tempo
Brasigóis Felício
Civilização Brasileira
(1981)



Bolinha Nº 13
Marge's
Pixel
(2012)





busca | avançada
42097 visitas/dia
2,9 milhões/mês