Em pouco tempo não serás mais o que és | Digestivo Cultural

busca | avançada
71417 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
>>> Campanha Sonhar o Mundo traz diversificada programação elaborada pelos museus paulistas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Entre o corpo e a alma, o tempo
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
>>> Chris Cornell
>>> Nosso Primeiro Periscope
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Contra os intelectuais
Mais Recentes
>>> Psicometria Genética (lacrado) de Sara Pain pela Casa do Psicologo (1995)
>>> Solidão de John T. Cacioppo, William Patrick pela Record (2011)
>>> Coaching de Relacionamentos a Dois (lacrado) de Ritah Oliveira pela Qualitymark (2017)
>>> Mitos e Realidades da Qualidade no Brasil de Marco A. Oliveira pela Nobel (1994)
>>> História Global Ensino Médio Volume Único de Gilberto Cotrim pela Saraiva (2016)
>>> Olhos de Madeira de Carlo Ginzburg pela Companhia das Letras (2001)
>>> A Formação da Professora Alfabetizadora - 6ª Ed. de Regina Leite Garcia pela Cortez (1998)
>>> Cinema Brasileiro no Século 21 de Franthiesco Ballerini pela Summus (2012)
>>> Microsoft Project 2007 Gestão e Desenvolvimento de Projetos de Maurício Moreira pela Erica (2009)
>>> O Dinheiro do Diabo (novo) de Pedro Ángel Palou pela Benvirá (2012)
>>> Fernando Pessoa - Homoerotismo Psicanálise Sublimação (lacrado) de Durval Checchinato pela Companhia de Freud (2012)
>>> Linhas de Fuga (lacrado) de Susana Scramim, Marcos Siscar, Alberto Pucheu pela Iluminuras (2016)
>>> Brandscendência - o Espirito das Marcas (lacrado) de Mario Ernesto René Schweriner pela Saraiva (2010)
>>> Fernando Pessoa - Resposta à Decadência (lacrado) de Haquira Osakabe pela Iluminuras (2013)
>>> A Practical Way to English 2 de Joseph Troster pela Não Encontrada (1982)
>>> Ética Concorrencial (lacrado) de Oscar Pilagallo pela Campus / Elsevier (2014)
>>> Viagem à Palestina - Prisão a Céu Aberto de Adriana Mabilia pela Civilização Brasileira (2013)
>>> Made in Japan: Akio Morita e a Sony de Edwin M. Reingold e Mitsuko Shimomura pela Cultura (1986)
>>> Nunca é Tarde Demais de Amy Cohen pela Best Seller (2009)
>>> O Sujeito Não Envelhece - Psicanálise e Velhice de Ângela Mucida pela Autêntica (2007)
>>> Contabilidade Introdutória de Sérgio de Iudícibus pela Atlas (1994)
>>> Perdidos por Aí (lacrado) de Adi Alsaid pela Verus (2015)
>>> The Picture in the Attic de Richard Macandrew / Cathy Lawday pela Cengage Learning (2014)
>>> Viagens de Gulliver de Jonathan Swift pela Abril Cultural (1971)
>>> Minna - Coleção Premio Nobel de Literatura de Karl Gjellerup pela Delta (1963)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Além do Mais

Sexta-feira, 30/5/2003
Em pouco tempo não serás mais o que és
Julio Daio Borges

+ de 2000 Acessos




Digestivo nº 136 >>> É raro encontrar um artista que, musicalmente, siga uma carreira ascendente. As tentativas são comuns no universo do rock, por exemplo. O "roqueiro" cresce e descobre que não pode mais continuar compondo, cantando e tocando como se tivesse sempre quinze anos. Então migra para um gênero mais elaborado; no Brasil, naturalmente, a MPB. Vide a geração dos anos 80 (que nem sempre foi feliz): Cazuza, Lobão, Herbert Vianna. Todos flertaram com a música brasileira dita séria. Mais recentemente (nos anos 90?), no reino das intérpretes, a nova safra de cantoras se embrenhou no mundo dos acordes com sétima e nona: Cássia Eller, Zélia Duncan e Ana Carolina. Mas, obviamente, alguém começou com tudo isso muito antes. Pode-se apontar Rita Lee, e sua saga pós-Mutantes. Mas... será? O mais certo é falar numa figura quase sempre esquecida nessas ocasiões: Ney Matogrosso. Depois de sair do seu atual show, em que esbanja afinação em canções de Cartola, é quase impossível imaginá-lo num disco dos Secos & Molhados. Mas ele esteve lá. "Rosa de Hiroshima", inclusive, é entoada no bis. Ney vem da escola de cantores-com-voz (segundo a classificação de Nelson Motta), que remonta a Elis Regina, Wilson Simonal e inevitavelmente à era dos festivais (aliás, novo livro de Zuza Homem de Mello). Quem assiste às performances de Marisa Monte (aquela cantora dos Tribalistas...) e não consegue entender de onde vieram aqueles braços e aquelas mãos, deveria se arriscar na temporada de Matogrosso no Tom Brasil. Está tudo lá. Aquela presença cênica que atualmente só pode ser encontrada nas apresentações de Maria Bethânia. O modo de efetivamente encarnar personagens, e conduzir a platéia através de mínimos gestos (calculados). Nada em excesso, nem sequer um sorrisinho de canto de boca - vive-se sob o domínio rigoroso da técnica. O que parece "espontaneidade do momento" pode ser encontrado, exatamente igual, no disco "Ney Matogrosso interpreta Cartola ao vivo" (2003), da gravadora Universal. As surpresas, portanto, foram todas previstas. O espetáculo, no entanto - ao contrário do que possa parecer -, não deixa de ser surpreendente. Matogrosso é seguramente o maior cantor de sua geração (não que nela haja muitos), e perdê-lo é como perder um capítulo da História do canto moderno brasileiro.
>>> Ney Matogrosso interpreta Cartola ao vivo | Tom Brasil
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Fogo muy amigo (Artes)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sujeitos e objetos do sucesso: antropologia do Brasil emergente
Diana Nogueira de Oliveira Lima
Garamond- Faperj
(2008)



O Clima Pós Copenhague Vol 18 N 4
Política Externa
Revista Política Externa
(2010)



Sessão de Terapia
Jaqueline Vargas
Arqueiro
(2013)



Silveira Bueno Minidicionario da Lingua Portuguesa - Revisado
Francisco da Silveira Bueno
Ftd
(2000)



Niquito o Cão Jardineiro
Dill Ferreira
Apedzinha
(2013)



Camilo Castelo Branco Literatura Comentada
Maria Aparecida Santilli
Abril



Homens-Caranguejo
Sérgio Carvalho
Local Foto
(2013)
+ frete grátis



é Agora... Ou Nunca
Marian Keyes
Bertrand Brasil
(2013)



Conhecendo o Cérebro
Luciano Mecacci
Nobel
(1987)



Depois do Escorpião uma História de Amor Sexo e Traição
Samantha Moraes
Seoman
(2006)





busca | avançada
71417 visitas/dia
1,9 milhão/mês