Cinema e os Direitos Humanos | Digestivo Cultural

busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> De vinhos e oficinas literárias
>>> Michael Jackson: a lenda viva
>>> Gente que corre
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Reinaldo Azevedo no Fórum CLP
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Companheiro dileto
>>> O Vendedor de Passados
>>> Eugène Delacroix, um quadro uma revolução
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOG >>> Posts

Quarta-feira, 6/12/2006
Cinema e os Direitos Humanos

+ de 2800 Acessos

Estado de Miedo

Mostra busca informar população por meio da arte

Com o intuito de apresentar um panorama cinematográfico das lutas pelos direitos essenciais do homem e fomentar a tolerância entre os povos, ocorre até o dia 17 de dezembro a Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul. Em sua primeira edição, a mostra traz 28 filmes inéditos no circuito comercial brasileiro, produzidos em países da América do Sul a partir de 2003. O evento é realizado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) em parceria com o SESC-SP, com curadoria do crítico de cinema Amir Labaki e patrocínio da Petrobrás. O evento acontece nas cidades de São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Recife, sempre com sessões gratuitas.

A idéia de realizar essa mostra é cultivada desde 2005, como explica Marilia Andrade, coordenadora do evento e assessora Especial de Paulo Vannuchi, ministro dos Direitos Humanos. Para Marilia, esse é um momento oportuno, pois a mostra ocorre paralela a VI Reunião de Altas Autoridades em Direitos Humanos do Mercosul, em Brasília. Segundo os organizadores, a intenção é tornar o evento anual, assim como ocorre há 8 anos na Argentina e há 3 anos na Bolívia, por exemplo.

Entre os temas abordados nos filmes estão questões como a discriminação racial, o trabalho escravo ou em condições desumanas, as migrações forçadas, a questão carcerária, a acessibilidade para pessoas com deficiência, a defesa dos direitos políticos, a liberdade de expressão, a exploração sexual de crianças e adolescentes, a homofobia, a segurança pública, o desemprego, entre outros. De acordo com Marilia Andrade, os principais objetivos do evento são divulgar as novas aplicações dos direitos humanos, mais voltados para as necessidades cotidianas da sociedade, e aproximar cultural e socialmente os países da América do Sul, por meio do debate e da troca de experiências.

"Queremos divulgar no Brasil filmes que mostram as novas facetas dos direitos humanos, tecnocraticamente chamados de DESC (Direitos Econômicos, Sociais e Culturais), pois até o fim das ditaduras militares na América do Sul, eles eram mais os direitos dos perseguidos políticos. A idéia agora é ampliar esses direitos na prática, porque na teoria eles já existem desde os iluministas e enciclopedistas franceses do século XVII. E o cinema é uma boa forma de explicar isso para uma população que costuma dizer, como senso comum, que direitos humanos são direitos de bandidos", explica Andrade.

Outra data significante a ser comemorada durante a mostra de cinema é 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Essa data foi escolhida em virtude da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela ONU, em 1948. A partir daí, questões referentes a direitos básicos à existência e a proteção do Estado de direito do cidadão, antes negados ou negligenciados pelo Estado, começam a ser consolidados nos governos democráticos. Para comemorar os 58 anos da Declaração, está previsto um show no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, com a participação do ministro da Cultura, Gilberto Gil e um dia de festa com atividades artísticas na Cinemateca, em São Paulo.

Hotel Gondolín

No Brasil, a Secretaria Especial dos Direitos Humanos possui, desde 2003, status de ministério e é ligada à Presidência da República. Sua forma de atuação se dá pela articulação com órgãos governamentais e parcerias com a sociedade para executar projetos que buscam atender aos anseios e necessidades dos cidadãos. Para atingir o objetivo de popularizar as ações da Secretaria dos Direitos Humanos, a organização pretende promover sessões com públicos específicos, para os quais possui políticas públicas, como grupos de garis, moradores de rua, pessoas que usam cadeira de rodas, entre outros.

Está confirmada uma sessão para deficientes visuais no dia 8 de dezembro, às 20h, na Cinemateca de São Paulo, com a exibição do filme brasileiro Conquista, de Flávia Vilela e Felipe Hansen Hutter. A infra-estrutura para a sessão será montada de acordo com o método utilizado no projeto Cinema em Palavras, o qual consiste na narração das cenas nos intervalos entre os diálogos. Também ocorrerão debates após algumas sessões, no intuito de discutir e refletir sobre os temas abordados nos filmes.

Justiça sim, esquecimento não
Esse é o lema de peruanos que lutam para obterem sua dignidade e seus direitos de cidadãos de volta, após 20 anos de guerra e opressão no país, tanto por parte de grupos terroristas, quanto por abuso de autoridade do Estado. O documentário que retrata esse período da história recente do Peru é Estado de Miedo (2005), dirigido por Pamela Yates, um destaque da Mostra de Cinema e Direitos Humanos.

Estado de Miedo aborda o trabalho da Comissão da Verdade e Reconciliação do Peru, grupo que entrevistou cerca de 17 mil vítimas da violência no país e pesquisou sobre a morte de mais de 69 mil pessoas por conta de ataques terroristas e práticas violentas patrocinadas pelo governo peruano e pelo grupo terrorista Sendero Luminoso, entre 1980 e 2000. Por meio de depoimentos das vítimas, pessoas que vivenciarem os conflitos, arquivos históricos e análise de pesquisadores, o documentário reconstrói um período singular da história do Peru, semelhante ao que foi vivido em outros países da América do Sul. Assim, o documentário é um valioso registro para compreender as relações de dominação e opressão no nosso continente e o trabalho de organizações civis que buscam garantir os direitos humanos dos cidadãos.

As condições precárias de vida, o abandono do Estado, o preconceito e as injustiças históricas cometidas contra a população indígena semearam um terreno fértil para Abimael Guzman, um professor de filosofia que por volta de 1970 fundou o grupo guerrilheiro Sendero Luminoso. Com base na teoria maoísta e marxista, o grupo pretendia fazer a revolução comunista no Peru partindo do campo para a cidade. No entanto, para afirmar seu poder, Guzman comandava seus seguidores com extrema violência, obrigando a população a aderir à sua causa e dizimando os que eram contra; por essas atitudes, o Sendero passa a ser considerado um grupo terrorista.

Estado de Miedo

Sem uma estratégia nítida de ataque, as forças armadas do Peru lutavam em vão contra o Sendero Luminoso, principalmente na região de Ayacucho, nos Andes, onde o grupo nasceu. O Sendero espalhou-se também pelas florestas do Peru, confundindo-se à população e intensificando práticas terroristas, como o seqüestro de crianças com o intuito de aumentar seu exército. A população camponesa passou a ser ameaçada e punida tanto pelo Sendero quanto pelos militares, e a partir de 1990, o grupo terrorista começa a atacar a capital, Lima, com reais chances de dominar o país.

Em meio ao clima de terror instaurado no Peru, Alberto Fujimori, uma figura nunca antes ligada à política, surge para os peruanos como a esperança para se livrar dos ataques terroristas e de um governo injusto e corrupto. Fujimori é eleito presidente em 1990, e em abril de 1992, em nome do combate ao terrorismo, ele fechou o Congresso e assumiu poderes ditatoriais. Cinco meses depois, Guzman, o líder do Sendero Luminoso é preso e Fujimori atribui a si essa vitória. No entanto, em Estado de Miedo, fica claro que o mérito por capturar o terrorista mais procurado do país é da polícia, por suas técnicas de investigação.

Após a prisão de Guzman, os líderes do Sendero Luminoso começam a ser presos e o grupo perde sua força. No entanto, outro poder opressor torna flagelo a população do Peru: a ditadura corrupta de Alberto Fujimori ao lado de Vladimiro Montesinos. A dupla passa a governar por decretos e continuam a perseguir e prender tanto terroristas quanto inocentes, torturando os cidadãos e financiando esquadrões da morte para se manter no poder.

Outra característica marcante da ditadura de Alberto Fujimori é o quase completo controle dos meios de comunicação do país, obtido por meio de suborno. Dessa forma, Fujimori mantinha sua popularidade em alta e aterrorizava a população com possíveis ataques terroristas que não existiam mais. A situação vivenciada pelos peruanos pode ser comparada ao estado de alerta máximo popularizado governo de George W. Bush, nos Estados Unidos, que controla o país por meio de seus "alertas vermelhos contra o terrorismo", mascarando assim sua ineficiência como político.

Estado de Miedo aponta como os anos de terror e abuso de poder deixaram a democracia peruana fragilizada, o povo descrente e amedrontado. No entanto, o trabalho da Comissão da Verdade já foi um primeiro passo para reconstruir a história do país a partir dos fatos reais, uma iniciativa para vencer essa cultura da ignorância e do esquecimento, adotada por governos autoritários e corruptos para se manterem no poder.

Para ir além
Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul


Postado por Fernanda da Silva
Em 6/12/2006 à 00h10


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Censura na Bienal do Rio 2019 de Julio Daio Borges
02. Weezer & Tears for Fears de Julio Daio Borges
03. Jeff Bezos é o mais rico de Julio Daio Borges
04. Mehmari e os 75 anos de Gil de Julio Daio Borges
05. Fórum de revisores de textos de Ana Elisa Ribeiro


Mais Fernanda da Silva no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DECIDA-SE PELO SUCESSO
NOAH ST. JOHN
CULTRIX
(2003)
R$ 29,90



TEEN VILLAGE 1
DAVID SPENCER
MACMILLAN
(2008)
R$ 10,00



DO FUTURO - FATOS, REFLEXÕES, ESTRATÉGIAS
ANTONIO PASQUALI
UNISINOS
(2004)
R$ 7,90



RECIFE DOS HOLANDESES
JULIETA DE GODOY LADEIRA
ÁTICA
(1990)
R$ 4,42



O HÓSPEDE DE DRÁCULA COLEÇÃO MINI BIBLIOTECA
BRAM STOKER
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1996)
R$ 21,78



O CAVALEIRO DOS SETE REINOS HISTÓRIAS DO MUNDO DE GELO E FOGO
GEORGE R.R. MARTIN
LEYA
(2017)
R$ 42,00



A VERDADEIRA HISTÓRIA DE MARIA MADALENA
DAN BURSTEIN J. DE KEIJZER
EDIOURO
(2006)
R$ 74,00



O LAVATER DAS SENHORAS
EDOUARD HOCQUART
IMPRENSA OFICIAL
(2010)
R$ 31,99



O CANTOR PRISIONEIRO
ROGÉRIO BORGES; ASSIS BRASIL
MODERNA
(2004)
R$ 10,00



JUSTIÇA E COMPORTAMENTOS DE CIDADANIA NAS ORGANIZAÇÕES UMA ABORD
ARMÉNIO REGO
SÍLABO
(2000)
R$ 39,70





busca | avançada
38320 visitas/dia
1,3 milhão/mês