Ainda sobre publicar em papel | Digestivo Cultural

busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOG >>> Posts

Quarta-feira, 18/7/2007
Ainda sobre publicar em papel

+ de 2100 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Internautas estão cruzando alguns textos meus, aqui (1 e 2), com a minha matéria de capa no "Link", do Estadão, e tirando suas próprias conclusões. Parece haver alguma contradição no meu discurso como um todo e, antes que gere mais confusão, resolvi esclarecer - aqui, novamente - alguns pontos.

Em primeiro lugar, a matéria do Estadão. Eu sempre critiquei o mainstream e a imprensa convencional (e continuo criticando...), mas quando o [Alexandre] Matias me chamou - do mesmo jeito que o Daniel [Piza], uma vez, me chamou -, para publicar no jornal, eu não quis perder a oportunidade. (Você perderia?)

Eu confesso que às vezes acho que a grande mídia não tem mesmo solução, mas se eu tiver uma oportunidade (ainda mais, remunerada) de expor meus pontos de vista, por que não vou expor? Por que eu sou "contra" os impressos? Aí é que está: eu não sou contra os impressos, eu apenas acho que eles não são o futuro, portanto, que eles não são a salvação (livros, aí, inclusos).

Voltando ao Estadão. Eu sempre quis contar a história da minha geração - a primeira da internet - em algum grande veículo (ou em algum veículo "tradicional"), à minha maneira. Essa oportunidade surgiu no caderno "Link", do Estadão. E eu aceitei o convite, como aceitaria de novo. Correspondeu, sei lá, a 90% das minhas expectativas (eu acho uma porcentagem alta).

Prosseguindo com o negócio da minha geração. Surgiram críticas, aqui e ali, no sentido de que havia escritores mais novos (ainda) do que aqueles que eu citei na matéria. Claro que havia; sempre há. Eu descobri recentemente, por exemplo, a Gabriela Vargas e ela tem dezesseis (16) anos. E você entra no blog dela e descobre que ela conhece uma outra autora, mais nova ainda, de onze (11!) anos. Ou seja: é infinito.

Eu usei como corte a minha geração, os livros que eu li, ou conheci, e sabia que eram importantes (mesmo não tendo, à época, gostado de todos - basta pesquisar os nomes dos autores citados, nos arquivos do Digestivo, e comprovar). Eu não poderia, por exemplo, citar a Olivia Maia, nem o Luiz Biajoni (que criticou a minha matéria) e nem o Alex Castro, porque não li seus livros e porque não conheço, tanto assim, seus trabalhos.

E o Matias também participou da seleção, sugerindo alguns nomes. Quem me lê com alguma freqüência, sabe exatamente quem eu chamei e quem eu não chamei (ou não chamaria) - eu não chamaria ninguém da Geração 90, por exemplo, porque, no meu entender, eles não surgiram na internet. Mas aí o Matias queria autores com blogs; e alguns da Geração 90 acabaram entrando...

Reclamaram, ainda na Web, de eu "consagrar" livros que encalharam. Não era essa, obviamente, a intenção - mas aconteceu assim por, pelo menos, dois motivos. Primeiro, como eu disse, porque eu queria fazer justiça à minha geração (ao que eu li etc.) - então, como os blogs demoraram cinco (ou mais) anos para serem reconhecidos pela grande imprensa, alguns livros demoraram esse tempo todo para sair no Estadão. Fazer o quê, se me chamaram só agora (e, não, no início dos anos 2000)?

E, segundo, porque eu não tenho culpa se os livros não venderam, se as editoras não continuaram existindo ou, simplesmente, tiraram certos títulos de circulação. Eu estava falando de livros que foram importantes para a literatura e para a internet brasileiras - como a minha geração pegou um pouco do "limbo" do pós-bolha, sofreu com o ostracismo (e com a falta de sucesso material), mas isso não significa que não fez coisas importantes. Então o espírito da matéria, no "Link", era esse.

Vale reforçar - para quem ainda não percebeu - que eu continuo acreditando no conceito de livro. Apenas não acho - e continuo não achando, mesmo depois do "Link" - que publicar em papel, simplesmente por isso, vá resolver a vida de alguém, que vá melhorar alguém como escritor e que vá diferenciar essa pessoa de quem já publica na internet. As últimas reclamações dos novíssimos autores (e seus livros) - vamos dizer assim -, sobre o mercado editorial, só confirmam o que eu já disse antes.

Se eu pudesse tirar portanto uma conclusão, eu diria que a minha geração - a primeira da internet -, com algumas raríssimas exceções (Daniel Galera, talvez?), falhou em publicar em livro (papel). Falhou no sentido de que não "alavancou" a carreira como a Geração 90, por exemplo. E, seguindo meu raciocínio, a geração de meados dos anos 2000 (Olivia, Biajoni, Alex) vai "alavancar" menos ainda (nesse sentido "Geração 90" que antes conhecíamos...).

A grande ironia, contudo, está no fato de que eu acredito - acredito, vejam bem, não posso comprovar ainda - que a literatura brasileira, como um todo, avança, na medida inversa do "sucesso" dos livros. Traduzindo: a Geração 00 (a do início dos anos 2000, a "minha") é melhor do que a Geração 90 - e a Geração "05" (de meados dos anos 2000) tem grandes chances de ser melhor do que a "00". É um feeling; uma aposta - como eu disse, não posso comprovar (ainda).

Outro dia, num Encontro do Digestivo, um amigo me provocou: "Mas e você, Julio, se quiser escrever um livro agora - como é que vai fazer?" E aí vai meu conselho para quem, neste momento, está perdido: quando eu tiver uma boa idéia para um livro, vou realizar, ué. Hello, moçada, o "formato" livro continua - os livros continuarão sendo escritos. Como vamos "publicá-los", ou o que vai acontecer com eles (e com a gente) depois de publicados, é outra questão. E se me chamarem para publicar em papel, eu vou publicar, ué. (Você não publicaria?)


Postado por Julio Daio Borges
Em 18/7/2007 às 09h20


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mensagem de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/7/2007
07h20min
Oi, Julio. Acho que o problema todo se resume em duas palavrinhas: reconhecimento e grana. Reconhecimento quer dizer aqui premiações, leitores, críticas acadêmicas e jornalisticas. De fato, não se premia, nem se consagra (a não ser no mundo internauta) nada que não tenha sido publicado em papel. Quanto a grana, esqueça-se: tá mais que provado (o gosto é amargo, reconheço) que se vive de literatura (boa) tanto quanto se pode viver só de ar. Se vc não tem quem pague a publicação do seu texto (no papel), pior ainda. Acho que o suporte do texto não é secundário, na medida em que ele representa, principalmente, "reconhecimento" (e para algumas pessoas, "grana"). Resta mudar os critérios que norteiam o "reconhecimento" e fazer com que a "grana" role. Mas não me pergunte como. Beijão pra vc!
[Leia outros Comentários de paula mastroberti]
18/7/2007
18h09min
Escritor, jornalista, todos que expõem opiniões pessoais correm risco de incompreensão, Julio, por não se ter controle sobre a interpretação dos outros, assim como quem tenta falar do mesmo assunto por mais de um ângulo pode ser visto como contraditório. Não terá ocorrido isso com você? A mim pareceu que os seus textos pretendiam informar, conscientizar iniciantes de uma dura realidade, que infelizmente é fato, mas eu, em particular, mesmo tendo compreendido, acho absurdo ninguém ajudar a ser diferente, aceitarem que um escritor, por exemplo, não possa viver da sua produção, mesmo quando os livros têm boa vendagem, porque recebe apenas 10% do valor de cada um, porque quando vem a ser reconhecido já está velho, perto de morrer, ou já morreu; os frutos do trabalho, do seu esforço e dedicação vão pra outros. E todos acham que deve ser assim mesmo, aceitam, não fazem nada pra ser diferente. Será que já não é hora disso mudar, de se escrever com a mesma força em defesa desse outro lado? Bjs
[Leia outros Comentários de Cristina Sampaio]
19/7/2007
09h23min
Sabe, mano, parece que há uma grande confusão em tudo isso. Senão, vejamos: reclama-se que há muita "porcaria" sendo publicada, e que, em função disso, o mercado editorial está saturado e contaminado. Mas, por outro lado, reclama-se também de que não há espaço para novas publicações, em função de uma série de questões já bastante discutidas. O que eu penso é o seguinte: quem tem grana, banca sua própria publicação; quem não tem, deve insistir. Uma boa "saída" são os prêmios literários, principalmente para os escritores que ainda não são muito conhecidos e reconhecidos.
[Leia outros Comentários de Américo Leal Viana]
19/7/2007
14h07min
eu confesso que eu mui devagar nem captei muita contradição entre os dois textos, e vi nos dois um tanto de verdades e sensatez, mas acabei esquecendo de conversar com o Biajoni para descobrir o que é que ele tinha visto. e eu por aqui ainda não tenho tanta certeza do que pensar. meu livro publicado está aí, mas a mídia (e a editora, principalmente) não estão nem aí. e eu fico então tentando descobrir o que eu estava querendo com a publicação e cada vez penso uma coisa e nunca chego a nenhuma conclusão. conversando com o evandro affonso ferreira ele comentou que essa era uma crise por qual todos escritores passam. aí resolvi que ia então passar pela minha crise e ver o que acontecia quando ela passasse ;) e continuo escrevendo, porque, buena, acho que eu nem sei como parar.
[Leia outros Comentários de Olivia Maia]
19/7/2007
15h51min
ah, a matéria ficou velha, era pra ter sido publicada em 2000... entendi. :>)
[Leia outros Comentários de Biajoni]
5/8/2007
22h52min
Prezado Julio, a discussão é interminável - porisso mesmo instigante - e aí dou a minha opiniâo: o livro impresso não acabará nunca! Não há como substituir a portabilidade, a facilidade de obtenção, pois não precisa de interface alguma, pode ser lido a qualquer tempo e em qualquer lugar, não precisa de um meio como energia elétrica e tem valor histórico, apenas para elencar algumas vantagens... Isto não quer dizer que a internet não seja boa, mas jamais poderá superar o livro, que é uma das maiores conquistas da humanidade.
[Leia outros Comentários de Fernando Moreira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIVER HOLÍSTICO
PATRICK PIETRONI
SUMMUS EDITORIAL
(1988)
R$ 4,90



COLEÇÃO MODERNA DE ESTUDOS PRIMÁRIOS MATEMÁTICA - 9685
VICENTE KOSIEN
ECLAL
(1969)
R$ 10,00



ENSINO E TREINAMENTO PROFISSIONALIZANTES
STEVE INGLE, VICKY DUCKWORTH
ARTMED
(2015)
R$ 62,00



EDUCAÇÃO E VIDA: UM GUIA PARA O ADOLESCENTE
ANTONIO CARLOS GOMES DA COSTA E OUTROS
MODUS FACIENDI
(2001)
R$ 18,00



PROFETAS E PROFECIAS
ELIANA YUNES; MARIA CLARA LUCCHETTI BINGEMER
LOYOLA
(2010)
R$ 9,50



A ESTRADA AUTOFICCIONAL DE NARCISO
LUIZ GASPARELLI JUNIOR
OPÇÃO
(2015)
R$ 46,00



AMOR NUNCA É DEMAIS
HELEN VAN SLYKE
CÍRCULO DO LIVRO
(1987)
R$ 15,00
+ frete grátis



COPO PELA META
RICARDO NEVES
NEGÓCIO
(2004)
R$ 10,00



MEDITAÇÕES PARA A SAÚDE DO CORPO E DA MENTE
LOUISE L. HAY
SEXTANTE
(2000)
R$ 57,51



SIGNIFICADO E ESTRUTURA
WALLACE L. CHAFE
LIVROS TÉCNICOS E CIENTÍFICO
(1979)
R$ 12,00





busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês