Walter Burkert (1931-2015) | Digestivo Cultural

busca | avançada
53965 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Quilombaque acolhe 'Ensaios Perversos' de fevereiro
>>> Espetáculo com Zora Santos traz a comida como arte e a arte como alimento no Sesc Avenida Paulista
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Brotas apresenta 2º Festival de Música Cristã
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O maior banco digital do mundo é brasileiro (2023)
>>> Digestivo empreendedor
>>> Alice no País do iPad
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
>>> Quatro anos de Orkut
>>> O ator e o teatro hoje
>>> Sobre responsabilidade
>>> Chamada a cobrar
>>> História de um papagaio de papel
>>> Soco no saco
Mais Recentes
>>> Onde Tem Bruxa Tem Fada [Capa comum] [2002] Bartolomeu Campos De Queiros de Bartolomeu Campos Queirós pela Moderna (2002)
>>> Quem Mexeu no Meu Queijo? de Spencer Johnson pela Record
>>> Livro História Geral A Itália Fascista Século XX de Marco Palla pela Ática (1996)
>>> Livro História do Brasil Dos Açores ao Brasil Meridional de Vilson Francisco de Farias pela Ufsc (1998)
>>> Livro Infanto Juvenis Home Sweet Home de Amadeu Marques pela Ática (1996)
>>> Os Incríveis - O Incrível Flecha de Dennis Rocket Shealy pela Edelbra (2004)
>>> As Conexões Ocultas de Fritoj capra pela Cultrix (2002)
>>> Natal De Fred, O de Maria Crismanda S. Oliveira pela Paulinas (2010)
>>> Oitenta Nº 2- Revista Literária: o Anarquismo Continua Vivo... de D.h. lawrence pela L e pm (1980)
>>> Pai Sem Terno e Gravata de Cristina Agostinho pela Moderna (2013)
>>> Saci de Monteiro Lobato pela Globo (2007)
>>> Livro Literatura Brasileira Lendas da Amazônia de Zeneida Lima de Araújo pela Ao livro Técnico (2001)
>>> Vovó tem Alzha... O Quê? de Veronique Van Den Abeele; Luís Camargo - trad. pela Ftd (2007)
>>> O Arqueiro - a Busca Do Graal, Vol. 1 de Bernard Cornwell pela Record (2010)
>>> Livro Infanto Juvenis Marcel Goes To Hollywood Com Cd de Stephen Rabley pela Pearson (2008)
>>> O Jogo De Não Jogar - Conforme Nova Ortografia de Miguel Ladeira pela Atual (1994)
>>> Livro Literatura Brasileira Um Detalhe em H de Fernando de Mendonça pela Paés (2012)
>>> Pré-vestibular Sociologia livro único de Sistema de Ensino Poliedro pela Poliedro (2021)
>>> Livro Didático Fundamentos da Biologia Moderna de Amabis e Martho pela Moderna
>>> 1968 O Que Fizemos De Nós + 1985 O Ano em que o Brasil Recomeçou de Zuenir Ventura; Edmundo Barreiros Pedro Só pela Planeta; Ediouro
>>> Livro dos sonetos de Paulo Bomfim pela Amaral gurgel (2006)
>>> Direito Supraconstitucional de Luiz Flávio Gomes pela Revista dos Tribunais (2010)
>>> Dragons - O guia definitivo (todo o que você precisa saber sobre os três filmes) de Dream Works pela Planeta Junior (2019)
>>> Mikaela - O Desencontro de Marcella Brafman pela Da Boa Prosa (2015)
>>> O ratinho do violão de Mata Reis pela Geraçãozinha (2012)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 19/3/2015
Walter Burkert (1931-2015)
+ de 2900 Acessos



Neste último sábado, dia 14, no silêncio que convém aos homens de estudo, faleceu Walter Burkert, um dos maiores helenistas do último século e deste que inicia.

Na verdade, dizer "helenista" não é dar a exata dimensão da relevância de seu trabalho. Não que ser helenista signifique pouco: a questão é que este bávaro nascido em 1931 foi muito mais do que isso. Da mesma forma que Erich Auerbach, Ernst Robert Curtius, Georges Dumézil, Max Muller e tantos outros, Burkert foi filólogo, profissão que desafia os limites que a academia impõe ao pesquisador.

Explico: o filólogo impõe a si mesmo o trabalho de partir do idioma e do texto, sobretudo o literário, para chegar, em última análise, à compreensão de uma civilização inteira. De um trecho da Odisséia, Erich Auberbach extrai conclusões sobre toda a cosmovisão dos gregos; dos nomes que os nórdicos davam a seus deuses, George Dumézil faz inferências sobre toda a organização social e política daqueles povos.

Por isso, o filólogo tem de, por definição, ser um conhecedor de amplos domínios do saber. Não há, a rigor, especialistas em filologia. Talvez por isso não seja uma ciência muito presente nos currículos acadêmicos de hoje, que primam, bem ou mal, pela necessidade imperiosa de especialização.

A obra de Burkert é imensa, em variedade e importância. Em "De Homero aos Magos", abordou a influência oriental na tradição grega, incluindo aí insuspeitas presenças do Gilgamesh. Em "A criação do sagrado", a maneira como o sentido de sagrado se forma na mente humana. E naquela que muitos consideram sua obra prima, "Homo necans", Burkert investiga o processo de transformação da religião em arte. Os leitores de René Girard perceberão aí conclusões semelhantes às presentes em "Violência e o sagrado". E terão razão: Burkert reconhece, já no prefácio de Homo necans, que Girard tem pontos em comum com ele.

Nesta mesma obra Burkert define, em poucas e definitivas palavras, qual a tarefa que lhe coube, e que serve para definir plenamente a atividade de todos os filólogos:

"Sou um filólogo que parte dos antigos textos gregos e tenta encontrar explicações biológicas, psicológicas e sociológicas para os fenômenos religiosos".

Uma tarefa que cumpriu plenamente em seus 84 anos de vida.


Postado por Celso A. Uequed Pitol
Em 19/3/2015 às 11h14

Mais Celso A. Uequed Pitol no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Volta ao Mundo em 80 Dias
Júlio Verne
Martin Claret
(2005)



Estrada para o Sucesso (lacrado)
Laura Colby
Benvirá
(2017)



A Bela Adormecida
Clássicos Disney Para Ler e Ouvir
Abril Coleções
(2008)



Sentindo na Própria Pele
Mônica de Castro - Leonel
Vida e Consciência
(2008)



Diretrizes do Pensamento Filosófico
J. M. Bochenski
Epu
(1977)



A Era Do Escândalo
Mario Rosa
Geração
(2020)



O Velho e o Menino: O Rio
José Carlos Martins
Cria
(2021)



Coisas de Homem - Coisas de Mulher
Laé de Souza
EcoArte
(2008)



Existencialismo e Alienação na Literatura Norte-americana
Sidney Finkelstein
Paz e Terra
(1969)



O Grande Plano do Amor
T. L. Osborn
Graça
(2000)





busca | avançada
53965 visitas/dia
1,8 milhão/mês