Millôr no IMS Paulista | Julio Daio Bløg

busca | avançada
28252 visitas/dia
851 mil/mês
Mais Recentes
>>> Sidney Rocha lança seu novo livro, A Lenda da Seca
>>> Oficina de Alegria encerra o mês das crianças com a festa Bloquinho na Praça - 27 de outubro
>>> EMP Escola de Música faz apresentação gratuita de alunos e professores
>>> Miami Ad School Rio promove curso sobre criatividade que desmistifica o padrão do que é ser criativo
>>> Exposição destaca figura feminina com a leveza da aquarela
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> O artífice do sertão
>>> De volta à antiga roda rosa
>>> O papel aceita tudo
>>> O tigre de papel que ruge
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Por um triz
>>> Sete chaves a sete cores
>>> Feira livre
>>> Que galho vai dar
>>> Relâmpagofágico
>>> Caminhada
>>> Chama
>>> Ossos perduram
>>> Pensamentos à política
>>> A santidade do pecado em Padre António Vieira
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um defeito de cor, um acerto de contas
>>> Cuidado: Texto de Humor
>>> O Oratório de Natal, de J. S. Bach
>>> My fair opinion
>>> Hitler e outros autores
>>> A alma boa de Setsuan e a bondade
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Queijos
>>> A trilogia da vingança de Park Chan-Wook
Mais Recentes
>>> Um Sopro de Vida de Clarice Lispector pela Rocco (1999)
>>> Grego Prático - o 1 Passo de Rivaldir Avelino dos Santos pela Do Autor (2005)
>>> Tò Thaumastón: o Maravilhoso. Introdução ao Pensamento Grego Arcaico de Fabricio Possebon pela Ideia/ufpb (2008)
>>> Rig-veda. a Sabdoria das Estrofes de Fabricio Possebon pela Ideia/ufpb (2006)
>>> Obra Completa Volume II de Leão Tolstoi pela Aguilar (1961)
>>> Obra Completa Volume I de Leão Tolstoi pela Aguilar (1960)
>>> As Partes dos Animais Livro I de Aristóteles pela Centro de Logica - Unicamp (1999)
>>> Intermezzo Lírico-filosófico 7 Parte de Ernani Reichmann pela Do Autor (1963)
>>> Projeto de Salvação de Ernani Reichmann pela Artes e Textos (2006)
>>> A Passagem de Ernani Reichmann pela Artes e Textos (2006)
>>> O Sumo Sacerdote, o Publicano e a Pecadora de Soren Kierkegaard pela Do Autor (2001)
>>> Dois Discursos Edificantes de 1844 de Soren Kierkegaard pela Do Autor (2001)
>>> Quatro Discursos Edificantes de 1843 de Soren Kierkegaard pela Do Autor (2001)
>>> Dois Discursos Edificantes de 1843 de Soren Kierkegaard pela Do Autor (2001)
>>> Attack Upon Christendom de Soren Kierkegaard pela The Beacon Press (1956)
>>> Soren Kierkegaard (1813-1955) Padre del Existencialismo de Peter Rohde pela Ministério de Relações da Dn (1983)
>>> Soren Kierkegaard. Il Filósofo Danés de Peter Rohde pela La Seccionde Prensa
>>> Post-scriptum Aux Miettes Philosophiques de Soren Kierkegaard pela Puf (1949)
>>> Estética do Matrimónio de Soren Kierkegaard pela Presença
>>> Estética y Ética En La Formación de La Personalidad de Soren Kierkegaard pela Editorial Nova (1955)
>>> Budismo claro e simples de Steve Hagen pela Pensamento (2009)
>>> Budismo de Richard A Gard pela Jorge Zahar (1964)
>>> Introdução ao Tantra de Murillo Nunes de Azevedo pela Pensamento (1989)
>>> A Sabedoria do Sutra de Lótus I de Daisaku Ikeda pela Brasil Seikyo (2004)
>>> Cristianismo Zen de William Johnston pela Cultrix (1989)
>>> The Pure Land, N 5 de Vvaa pela Journal of Pure Land Buddhism (1988)
>>> Le Traité de Bodhidharma de Bodhidharma pela Le Mail (1986)
>>> NgelSo Autocura Tântrica III de Lama Gangchen Rimpoche pela Gaia (2003)
>>> NgelSo Autocura Tântrica II de Lama Gangchen Rimpoche pela Gaia (2003)
>>> Uma Jovem ideia de Paz de Lama Michel Rinpoche pela Sarasvati Multimidia (1996)
>>> O Monge e o Lama. Diálogo entre Budismo e Cristianismo de Dom Robert Le Gall, Lama Jigme Rinpoche pela Bertrand do Brasil (2003)
>>> Budismo História e Doutrina de Dennis Gira pela Vozes (1992)
>>> Atenção Plena em Linguagem Simples de Bhante Henepola Gunaratana pela Gaia (2017)
>>> Oito Passos atentos para a felicidade de Bhante Henepola Gunaratana pela Gaia (2014)
>>> A Vida do Buddha e o Caminho de Puhulwelle Vipasi pela Sociedade Budista Brasileira (1991)
>>> Transformando Problemas em Felicidade de Lama Zopa Rinpoche pela Mauad X (2009)
>>> Práctica del Budismo Tibetano de Kalu Rinpoche pela Editorial Barath (1984)
>>> Tantra no Tibete de Tsong-Ka-Pa pela Pensamento (1998)
>>> Grande Amor Um objetivo de vida de Lama Michel Rinpoche, Bel Cesar pela Gaia (2015)
>>> A Expansão da Mente de Tarthang Tulku pela Cultrix (1992)
>>> A Mente Oculta da Liberdade de Tarthang Tulku pela Cultrix (1998)
>>> Reflexões sobre a Mente de Tarthang Tulku pela Cultrix (1990)
>>> Tibete fé e conflito de Cynthia Marcucci pela Desatino (2012)
>>> O Budismo do Buda de Alexandra David-Neel pela Ibrasa (1985)
>>> A Doutrina de Buda de Buda pela Bukkyo Dendo Kyokai (1998)
>>> Um Olhar. Dois Tempos de Carlos Nejar pela José Olympio (1985)
>>> Livro de Gazeis de Lygia Fagundes Telles pela Record (1984)
>>> Antes do Baile Verde de Josué Montello pela Nova Fronteira (1986)
>>> A Luz da Estrela Morta de David R Slavitt pela Nova Fronteira (1981)
>>> Alice aos 80 de Millôr Fernandes pela Rocco (1986)
BLOGS >>> Posts

Segunda-feira, 24/9/2018
Millôr no IMS Paulista
Julio Daio Borges

+ de 100 Acessos

Saí de casa com a ideia de fazer a “ronda” das exposições. Iria começar pelo IMS, iria seguir para a Fiesp, Casa das Rosas e Itaú Cultural.

Peguei o metrô orgulhoso - na contramão dos torcedores do São Paulo -, desci na Paulista, subi as escadas do Moreira Salles, mas, quando entrei na exposição do Millôr, e vi aqueles murais enormes, comecei a chorar e fui de olhos marejados até o final.

Nem visitei o resto do Instituto Moreira Salles. Desisti do Itaú Cultural, da Casa das Rosas e dispensei até o Rafael - aquele, da turma do Leonardo -, preferi não diluir o impacto do Millôr.

Por que chorei? Não sei; emoção. Quando estive com Millôr, há 15 anos, ele vinha de uma homenagem protocolar, aborrecida... Ao mesmo tempo, sentia-se pouco reconhecido no Brasil - o que parece uma contradição; mas não é, não.

Millôr era muito grande. Difícil receber uma homenagem à altura. Ainda mais no Brasil; ainda mais em vida.

Mas quando entrei na exposição do Moreira Salles e vi aqueles murais enormes, senti, em nova dimensão, o grande artista que ele foi - e que o reconhecimento havia chegado, de alguma forma. Mais de 5 anos depois de sua morte? Sim; mas é a vida! E, no Brasil, antes tarde do que nunca...

“A ideia de um projeto estético tradicional sempre foi estranha a Millôr Fernandes[...] ele dizia-se antes de tudo um jornalista e via o impresso, sobretudo em revistas e jornais, como a realização plena de sua obra”, diz o texto de abertura da exposição.

“Dos autorretratos à visão desencantada do Brasil, passando pelas reflexões sobre a condição humana e pelo prazer puro e simples das formas, ‘Millôr: obra gráfica’ propõe uma visão de conjunto de um dos maiores artistas brasileiros do século XX” - acho que foi quando as lágrimas rolaram...

Estava emocionado pelo Millôr - porque, de fato, ele *foi* um dos maiores artistas brasileiros do século XX. Artista no sentido plástico do termo. Além de escritor; além de intelectual; além de pensador. Sem contar o humorista; o dramaturgo; o tradutor de Shakespeare. O inventor do frescobol! Millôr teve tantas facetas que estamos sempre nos esquecendo de alguma...

Quando estive com ele, havia saído a sua edição do célebre “Cadernos de Literatura” do Instituto Moreira Salles. Daquele seu jeito descontraído, ele me disse em seu estúdio: “Esse pessoal do Moreira Salles esteve aqui... E fez um bom trabalho, viu? Estiveram aqui; pegaram algumas coisas... Foram lá atrás, na minha carreira...”

E hoje temos de reconhecer: foi louvável que o IMS assumiu o acervo de mais de 7 mil desenhos do Millôr. Pois, quantos acervos não se desfizeram quando seus donos se foram? Eu vi alguns. Do Daniel Piza, por exemplo, eu nem tive tempo de ver - quando soube, já havia sido desmembrado...

Ao mesmo tempo, é irônico - porque Millôr olhava com uma certa desconfiança para os Moreira Salles... Por causa do Walter Moreira Salles, o “rico” de sua época.

“Qual a diferença entre eu e o Walter Moreira Salles?”, Millôr se comparava. “Eu moro de frente para a mesma praia que ele” (no Rio, obviamente). “Ele pode viajar... mas eu também posso! Eu posso ficar, sei lá, 10, 20 dias fora... Não; 20 dias é muito!”, o próprio Millôr se emendava...

Sua versão de “Guernica”, de Picasso, na exposição, não é uma escolha aleatória. Tanto quanto o gênio do cubismo, Millôr produziu muito. Ia ao estúdio todos os dias; inclusive sábados e domingos. E foi longevo - quando conversamos tinha, aproximadamente, 80 anos, parecia lépido e fagueiro: com um discurso fluente, bem-humorado e brilhante, o mesmo desde os tempos de “O Cruzeiro”.

Me emocionei com as fotos do estúdio, em Copacabana; principalmente no catálogo da exposição. Me sentei naquele sofá vermelho e Millôr se sentou na poltrona amarela, em frente. Tentei espiar sua biblioteca ao longe e avistei pastas etiquetadas: “Pif Paf” - uma das alas da exposição...

Claro que nem tudo são flores no IMS. Senti um viés “político” ao se colocar os desenhos da época da ditadura militar (1964-1984) logo na entrada. Como um lembrete - de tempos que podem voltar... Talvez por causa de algum candidato militar nas próximas eleições?

Lembrando que Millôr foi um crítico feroz de Fernando Henrique Cardoso, cujos livros “clássicos” não perdia a oportunidade de mostrar que eram intragáveis. E, naturalmente, foi crítico de Lula - sobre quem, afirmava, “a ignorância havia subido à cabeça”. A ignorância.

Ao contrário da turma do Pasquim21, que não quis fazer “humor a favor”, quando Lula assumiu, em 2004 encomendei uma capa, ao Millôr, para a revista do Digestivo com a FGV/SP, e ele não foi nada econômico na legenda: “Os governantes proclamam: Bananas pra nossa cultura” - em pleno governo do PT, em plena gestão de Gilberto Gil, no MinC.

Millôr era da geração do Paulo Francis, que tem uma citação famosa: “Os baianos invadiram o Rio para cantar: ‘Ah, que saudade eu tenho da Bahia’... Se é por falta de adeus, PT saudações”. Caetano brigou com Francis mais de uma vez. E no Pasquim, os invasores baianos eram chamados de “baihunos”, em referência aos bárbaros que invadiram a Europa nos estertores do Império Romano...

O desenho que Millôr fez para o Digestivo está lá, na primeira ala da exposição. Foi selecionado entre os 7 mil de seu espólio. Mas está sem a legenda. Aos organizadores, deve ter parecido familiar... Afinal, eu o divulguei, à época, a torto e a direito... Mas os organizadores não conseguiram se lembrar o suficiente - e, sem a legenda, ele ficou meio fora de contexto... Mas me senti vingado, de alguma forma ;-)

“Daio, cuide da minha glória - antes que ela seja póstuma”, Millôr me escreveu, num e-mail, quando já estava mais pra lá do que pra cá. Não lembro o que respondi na época, mas hoje eu diria que:

“A sua glória está garantida, Millôr. Você não precisa se preocupar. A exposição está linda! Que grande brasileiro você foi... Estou ainda mais honrado de tê-lo conhecido.”

Para ir além
"Meu encontro com o Millôr"


Postado por Julio Daio Borges
Em 24/9/2018 às 09h55


Mais Julio Daio Bløg
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?
SPENCER JOHNSON
RECORD
(2005)
R$ 4,00



OLD TESTAMENT AND THE FINE ARTS
CYNTHIA PEARL MAUS
HARPER AND ROW
(1954)
R$ 49,90



SEM VESTÍGIOS - REVELAÇÕES DE UM AGENTE SECRETO DA DITADURA
TAÍS MORAIS - 1ª EDIÇÃO
GERAÇÃO
(2008)
R$ 15,00



LÁGRIMAS PERDIDAS - TROVAS
RUY MENEZES / AL DE AZEVEDO
NOVA FRIBURGO
(1962)
R$ 43,46



MULHERES DE AÇO E DE FLORES
PE FÁBIO DE MELO
GENTE
(2008)
R$ 15,00



GUIA DO ESTUDANTE CURSO PREPARATÓRIO ENEM 2010 HISTÓRIA I
ABRIL COLEÇÕES
ABRIL COLEÇÕES
(2010)
R$ 10,00



TEATRO DE SANTA ISABEL GUIA FOTOGRÁFICO
RILDO MOURA
RILDO MOURA
(2008)
R$ 39,20



OS LIMITES DO SENTIDO
EDUARDO GUIMARÃES
PONTES
(1995)
R$ 45,00



EM VERDADE VOS DIGO
SALOVI BERNARDO
CONVICÇÃO
(2012)
R$ 30,00



ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA
SCOTT TUROW
RECORD
(2011)
R$ 24,90





busca | avançada
28252 visitas/dia
851 mil/mês