José de Alencar revisitado | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 30/5/2003
José de Alencar revisitado
Gian Danton

+ de 5600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Gustavo Bernardo, organizador da coletânea de textos Novas Seletas José de Alencar, define clássico como a obra que, com o passar do tempo, não cessa de surpreender as sucessivas gerações. Um clássico também pode ser aquela obra que pode ser relida diversas vezes pela mesma pessoa, oferecendo-lhe a cada vez uma nova surpresa e uma nova perspectiva. Para Bernardo, Alencar é e sempre será um clássico e, para demonstrar isso, selecionou 14 textos do autor romântico. O livro, lançado recentemente pela Nova Fronteira, é uma oportunidade para os leitores de hoje conhecerem o escritor que dominou a literatura brasileira no século XIX e conferir se sua mensagem ainda é atual.

O resultado final é muito irregular. Os piores momentos são os capítulos de romances. Esses textos podem ser facilmente encontráveis, na íntegra em coleções populares. Crônica e artigos, por outro lado, apresentam um José de Alencar pouco conhecido e na sua melhor forma.

A crônica Ano Velho, por exemplo, mostra um autor maduro que flerta com o realismo fantástico (que não existia na época). Alencar escrevia para os jornais e era costume dos cronistas ao final de cada ano fazer uma avaliação do período. Em 1854 ele teve a brilhante idéia (não, não estou sendo irônico, antes que me perguntem) de fazer o ano velho visitá-lo na forma de um senhor idoso.

O senhor, sabendo que o escritor irá fazer um balanço do ano que termina, quer convencer Alencar de que foi melhor que os anteriores. E começa a apresentar exemplos de como foi positivo, exemplos logo refutados pelo escritor. O diálogo que se segue é de um humor machadiano e não lembra, nem de longe, Alencar. Ao comentar que foi o responsável pela iluminação a gás das ruas, 1854 ouve do escritor o ponto de vista de alguns críticos, segundo o qual a iluminação tirou da cidade o encanto dos belos luares e privou os namorados daquelas noites escuras "tão favoráveis a uma conversinha de rótula, ou a um passeio na rua do Ouvidor".

O ano-velho, sábio, retruca: "Ora, senhor, esses homens não sabem o que dizem: todo o namorado, toda a mocinha - é coisa sabida - precisa de um pouco de gás".

O humor sagaz não o livra da acusação de que o preço do gás é exorbitante, numa situação semelhante hoje ao preço da energia elétrica. Alencar, que não é acionista da companhia de gás, tira do ano o mérito.

E a conversa continua assim, com um humor fino, até quase o final, quando o escritor perde a mão. Este reclama ao ano que se acaba de ter-lhe causado males, mas um principal: tê-lo feito um ano mais velho. Até aí, nenhum problema, a observação tem espírito, mas vira desculpa para o escritor desandar em suas viagens poético/redundantes: "o que há nesse mundo que valha os nossos sonhos cor-de-rosa, as nossas noites de plácida contemplação, os idílios suaves de nossa imaginação a conversar com alguma estrela solitária que brilha no céu, semelhante a essas amizades santas".

Bernardo diz que o principal defeito apontado pelos críticos ao autor de Iracema é o exagero, e argumenta, citando Kafka, que "quem exagera, super-vê". Mas não dá um pio sobre a mania do escritor de usar dez palavras para dizer algo que poderia ser dito com uma. Um exemplo, entre muitos: "Sobre aquela botina via elevar-se como sobre um pedestal um vulto de estátua, mas vago, indistinto; e contudo esse esboço sem formas sedutoras, aquela sombra sem alma e sem calor, lhe parecia de uma beleza deslumbrante. Não era ela a mulher a que pertencia o mais formoso pé do mundo, o mimo, a obra-prima da natureza". Não contente em dizer que o pé é formoso, Alencar diz que é também um mimo e ainda uma obra-prima.

É essa característica que torna a obra de José de Alencar difícil para o leitor atual. Num tempo em que tudo corre, a redundância do escritor enerva. Ao contrário de Machado de Assis, por exemplo, que é informação em estado puro, até pelas várias possibilidades de interpretação que obras como Dom Casmurro oferecem, Alencar é muito mais redundante que informativo.

Quanto ao palavreado, esse não apresenta problemas, pois o organizador inseriu, em pequenas caixas, textos elucidando palavras ou detalhes pouco conhecidos, apresentando assim, um recurso a mais para o leitor compreender Alencar. Assim, ao ler que o dia de São Silvestre está chegando, o leitor é informado que "Silvestre foi o primeiro papa a ocupar o cargo depois que Constantino I legalizou a Igreja Cristã, em 313 d.c. O dia de São Silvestre é o último do ano, o que explica o nome da corrida de São Silvestre, em 31 de dezembro, no Brasil". O leitor descobrirá também que "ressaibo" é o mesmo que sinal, indício.

Além dos textos pouco conhecidos de Alencar, o livro traz de interessante parte do livro A Pata da Gazela, que certamente interessará aos fetichistas. No século XIX deve ter causado furor a história do homem que se apaixona pelo pé de uma moça. Pelo pé, diga-se, não pela moça. O que viesse junto, era ganho. O interesse do pobre Horácio era apenas o pezinho de número 28. O texto, bem-humorado, é cheio de conotações psicológicas. Primorosa é a seqüência em que ele sente ternura pelos sapateiros por fazerem botinas para tão lindo pé e, logo em seguida, ciúmes por eles manipularem o objeto de sua paixão. Imperdível o momento em que a moça entra no carro e o moço exclama: "Senhor! Por que em vez de homem não me fizeste estribo de um carro! Teria a felicidade de ser pisado por aquele pezinho".

Enfim, Novas Seletas é talvez a melhor forma de entrar em contato com um escritor de uma época totalmente diferente da nossa, em que as pessoas tinham tempo para longos textos repetitivos na essência. O trabalho de seleção, organização dos textos e notas é digno de elogios, assim como a qualidade gráfica.

Para ir além





Gian Danton
Macapá, 30/5/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sombras Persas (IV) de Arcano9


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2003
01. A teoria do jornalismo e a seleção de notícias - 28/2/2003
02. A análise da narrativa - 24/1/2003
03. Os X-men e o fim da infância - 31/1/2003
04. Experiências e Livros - 7/10/2003
05. Demônio maniqueu e demônio agostiniano - 11/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/8/2003
12h57min
Gian, queria te agradecer pelo comentário feito sobre a minha tradução de A Voz do Fogo e pela excelente resenha sobre esse belo livro de Alan Moore lançado pela Conrad.
[Leia outros Comentários de Ludimila Hashimoto B]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PARA SEMPRE - SÉRIE OS IMORTAIS VOLUME 1
ALYSON NOËL
INTRINSECA
(2009)
R$ 16,00



A DERRAMA CONTEMPORÂNEA
FLÁVIO ROCHA
TOPBOOKS
(1992)
R$ 5,00



ÀRE
MARCOS SANTILLI
SVER & BOCCATO
(1987)
R$ 12,00



DECIDE & DELIVER FIVE STEPS TO BREAKTHROUGH PERFORMANCE IN YOUR ...
MARCIA W. BLENKO / MICHAEL C. MANKINS PAUL ROGERS
BAIN & COMPANY
(2010)
R$ 90,00



THE KNOWLEDGE BOOK: EVERYTHING YOU NEED TO KNOW TO GET BY IN THE 21ST
NATIONAL GEOGRAPHIC
NATIONAL GEOGRAPHIC
(2009)
R$ 50,00



O ROMANCE DESASTROSO DE JOSIANO E MARIANA OU A GESTA DO BOI MENINO
FERNANDO LONA
MCGRAW-HILL
(1977)
R$ 24,00
+ frete grátis



ENSAIOS DE HISTORIA DO PENSAMENTO ECONÔMICO
FRANCISCO DA SILVA COELHO; TAMAS SZMERECSANYI
ATLAS
(2007)
R$ 60,00



NOSSAS RAINHAS
AYMARA ARREAZA RODRÍGUEZ
ID
(2010)
R$ 30,00



O PLANETA DESCONHECIDO
PETER KOLOSIMO
MELHORAMENTOS
(1973)
R$ 17,00



CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE POR VIA DE AÇÃO
DIRCÊO TORRECILLAS RAMOS
WVC
R$ 12,00





busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês