A teoria do jornalismo e a seleção de notícias | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
35004 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fernanda Young (1970-2019)
>>> Estratégia das Privatizações
>>> Estratégia Econômica Governo
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A polêmica da leitura labial
>>> A ousadia de mudar de profissão
>>> O assassinato e outras histórias, de Anton Tchekhov
>>> O Livro dos Insultos, de H.L. Mencken
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Sobre o Ronaldo gordo
>>> Do inferno ao céu
>>> Para entender Paulo Coelho
>>> O amor que choveu
Mais Recentes
>>> Veda: Segredo do Oriente. Uma Antologia de Artigos e Ensaios de A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada pela The Bhaktivendanta Book Trust (2013)
>>> O Livro Da Transformação de Osho pela Sextante (2003)
>>> O Futuro Chegou  de Domenico de Masi pela Casa da Palavra (2014)
>>> Você é Inteligente o Bastante para Trabalhar no Google?  de William Poundstone pela Zahar (2012)
>>> A Prosperidade do Vicio - uma Viagem (inquieta) pela Economia  de Daniel Cohen; Wandyr Hagge pela Zahar (2010)
>>> Mitos Sobre a Fundação dos Estados Unidos  de Ray Raphael pela Civilização Brasileira (2006)
>>> A Startup Enxuta - Inovação Contínua para Criar Empresas Bem-sucedidas  de Eric Ries; Carlos Szlak pela Leya (2012)
>>> O Estilo Startup-empresas Modernas Usam o Empreendedorismo para Cresce  de Eric Ries pela Leya (2018)
>>> Como Se Tornar Inesquecível  de Dale Carnegie pela Companhia Nacional (2012)
>>> O Naturalista da Economia  de Robert H. Frank pela Best Business (2009)
>>> A Prisão da Fé  de Lawrence Wright; Denise Bottmann; Laura Motta pela Companhia das Letras (2013)
>>> A Escola da Liderança - Ensaios Sobre a Política Externa  de Sérgio Danese pela Record (2009)
>>> A Força da Convicção - Em Que Podemos Crer?  de Jean Claude Guillebaud; Maria Helena Kühner pela Bertrand Brasil (2007)
>>> A Beira do Abismo Financeiro - a Corrida para Salvar a Economia Global  de Henry M. Paulson Junior pela Elsevier (2010)
>>> O Fim da Vantagem Competitiva - Novo Modelo de Competição  de Rita Mcgrath pela Elsevier (2013)
>>> Risco Digital na Web 3. 0  de Leonardo Scudere; Scudere Soluções pela Elsevier (2014)
>>> A Disneyzação da Sociedade  de Alan Bryman pela Ideias e Letras (2007)
>>> Governança Ativa - Vantagens de uma Liderança Compartilhada  de Michael Useem; Ram Charan; Dennis Carey pela Elsevier (2014)
>>> As Novas Regras do E-commerce  de Hiroshi Mikitani pela Elsevier (2013)
>>> Imprensa na Berlinda - a Fonte Pergunta  de Norma S. Alcântara & Manuel Carlos Chaparro pela Celebris (2005)
>>> Bem-vindo ao Clube - o Poder dos Grupos  de Tina Rosenberg pela Elsevier (2012)
>>> A Roleta Global - Aposta de Washington para Dominação do Mundo  de Peter Gowan pela Record (2003)
>>> A Fórmula da Felicidade - Equação do Bem-estar e da Alegria Duradoura  de Mo Gawdat pela Leya (2017)
>>> Newsonomics - 12 Novas Tendências e o Seu Impacto na Economia Mundial  de Ken Doctor; Claudia Gerpe Duarte pela Cultrix (2011)
>>> A Hora da Geração Digital -  de Don Tapscott pela Agir Négocios (2010)
>>> Aprenda Liderança Com La Casa de Papel  de Angela Miguel pela Lafonte (2018)
>>> Os Fatos São Subversivos - Escritos Políticos de uma Década sem Nome  de Timothy Garton Ash pela Companhia das Letras (2011)
>>> A Força do Absurdo - o Que Faz as Pessoas Tomarem Atitudes Irracionais  de Ori Brafman; Rom Brafman pela Objetiva (2009)
>>> A Boa Luta - os Desafios de Ser um Lider Responsável  de Joseph L. Badaracco pela Elsevier (2014)
>>> Apontamentos para a História do Cariri  de João Brígido pela Expressão Gráfica (2007)
>>> Ufo Fenômeno De Contato de Pedro De campos pela Lúmen (2005)
>>> Universo profundo de Pedro De campos pela Lúmen (2003)
>>> Como Trabalhar Para Um Idiota de John Hoover pela Saraiva (2010)
>>> Não Tenha Medo De Ser Chefe de Bruce Tulgan pela Sextante (2009)
>>> Fui Promovido! E Agora? de Roberto Ruban pela M. Books (2010)
>>> Faça O Que Tem De Ser Feito de Bob Nelson pela Sextante (2003)
>>> Deixar de Fumar O que Você Precisa Saber de Jorge Schemes pela Dpl (2004)
>>> Casamento Blindado de Renato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson Brasil (2012)
>>> Pai Rico Pai Pobre de Robert T. Kiyosaki pela Campus (2000)
>>> De Volta Ao Mosteiro de James C. Hunter pela Sextante (2014)
>>> Ufo Os Códigos Proibidos de Alfredo Lissoni pela Madras (2007)
>>> 12 Meses Para Enriquecer. O Plano da Virada de Marcos Silvestre pela Lua de Papel (2010)
>>> O Flagelo de Hitler de Albert Paul Dahoui pela Lachâtre (2012)
>>> Comunicação Global:A Mágica da Influência de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> Comunicação Global:A Mágica da Influência de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> Comunicação Global: Aumentando Sua Inteligência Interpessoal de Dr. Lair Ribeiro pela Rosa dos tempos/ RJ. (1992)
>>> Temperamento forte e bipolaridade de Diogo Lara pela Do autor (2004)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ.
COLUNAS

Sexta-feira, 28/2/2003
A teoria do jornalismo e a seleção de notícias
Gian Danton

+ de 29400 Acessos

A questão central do jornalismo é porque as notícias são como são.

Dentre as várias teorias que tentaram responder a essa pergunta, três se destacam: a teoria do espelho, a teoria do gatekeeper e a teoria organizacional.

A teoria do espelho diz que as notícias são como são porque a realidade assim o determina.

Esse ponto de vista surge influenciado pela invenção da fotografia. O jornalista deveria ser como um fotógrafo: simplesmente relatar a realidade da maneira como ela se apresenta, sem qualquer intervenção subjetiva. Essa visão ganhou seu bordão com uma declaração de um correspondente da Associated Press, em 1856: "O meu trabalho é comunicar os fatos: as minhas instruções não permitem qualquer tipo de comentário sobre os fatos, sejam eles quais forem".

Era a idéia-chave da separação entre as opiniões e os fatos. Ou, como diziam os ingleses, "a opinião é livre, mas os fatos são sagrados".

A teoria do espelho surge em um momento de vitória do paradigma positivista, que pretendia expurgar a subjetividade da ciência, criando metodologias totalmente racionais. Essa preocupação positivista se refletiu no jornalismo na forma de contraposição ao jornalismo literário, em que o jornalista era o porta-voz de uma ideologia. Também foi uma reação contra os excessos do chamado jornalismo sensacionalista.

Segundo José Marques de Melo, no final do século XIX o jornalismo norte-americano havia deixado de ser um serviço para tornar-se um negócio altamente lucrativo. A diretriz passou a ser o sensacionalismo e os princípios éticos mais elementares foram esquecidos. Na ânsia de conseguir a atenção dos leitores, muitos jornais passaram até mesmo a criar notícias. A existência do fato, fator essencial do jornalismo, passou a ser irrelevante.

Na teoria do espelho, o bom jornalista é um observador desinteressado, que relata com honestidade e equilíbrio tudo que vê, cauteloso para não emitir opiniões pessoais.

A teoria do espelho é a bússola norteadora dos manuais de redação e das regras de conduta dos jornais. Parte-se do princípio de que seguir as regras do bom jornalismo (escrever a matéria de forma impessoal, ouvir os dois lados da questão) era garantia de se ter um retrato fiel da realidade.

De todas as teorias que se ocuparam da notícia, essa é talvez a mais criticada. Para começo, suas bases são frágeis. A analogia com a fotografia só demonstra a abertura para a subjetividade, pois mesmo a fotografia pode ser veículo de subjetividade. O semiólogo francês Roland Barthes já demonstrou que a fotografia não é só denotação, mas é também conotação. Processos conotativos, como a escolha das fotos (por que determinado jornal coloca a pior foto do candidato X, enquanto outro jornal publica a melhor foto desse mesmo candidato), a pose e os processos de fotomontagem demonstram que a fotografia não é um retrato fiel da realidade.

Ademais, teorias cognitivas demonstram que o ser humano não consegue captar a realidade em toda as suas facetas e a escolha dos fatos que serão memorizados obedece a padrões subjetivos.

Por outro lado, o filão de investigação que concebe as notícias como construção rejeita as notícias como espelho por diversas razões. Em primeiro lugar, argumenta que, num mundo em que tudo gira ao redor dos meios de comunicação de massa, é impossível separar a realidade da realidade que é mostrada pela mídia. A teoria do agenda setting, por exemplo, diz que as pessoas só discutem aquilo que está na mídia. Em segundo lugar, defende a posição de que a própria linguagem não pode funcionar como transmissora direta de significado inerente aos acontecimentos, porque a linguagem neutra é impossível. Embora o fato seja fator fundamental do jornalismo, sem o qual o mesmo não existe, há uma certa subjetividade e essa subjetividade se encontra na escolha dos fatos. Na escolha das notícias.

Duas outras teorias vão tratar desse processo de escolha de notícias.

A teoria do gatekeeper, originalmente surgida no campo da psicologia e adaptada à análise comunicacional por David Manning White no anos 50, dá ênfase à ação pessoal. White acompanhou durante uma semana o processo de escolha de notícias por parte de um jornalista de meia-idade de um jornal médio norte-americano. A cada escolha, o jornalista, denominado Mr. Gates, deveria anotar as razões pelas quais aceitava ou não uma notícia vinda de uma agência.

White concluiu que o processo de seleção é arbitrário e subjetivo. Assim, de acordo com a teoria resultante do estudo, o jornalista é um gatekeeper, um porteiro, que abre e fecha a porta para as notícias. Aquelas que parecem mais interessante para o jornalista são publicadas, as resultantes são esquecidas.

Generalizando, pode-se dizer que todo jornalista, a todo momento, é um gatekeeper, pois, além das escolhas das pautas que mais interessam, cabe também a escolha dos detalhes que serão publicados. Um profissional pode abrir o portão para determinada informação em uma notícia e fechar para outros. Além disso, há profissionais, como os editores, que têm como função abrir ou fechar o portão para os fatos que serão divulgados, configurando verdadeiros gatekeepers.

A teoria gatekeeper foi duramente criticada por apresentar uma explicação puramente psicológica para a questão das escolhas das notícias e esquecer aspectos sociais. O enfoque sobre a ação social seria dado pela teoria organizacional. Criada por Warren Breed, essa teoria insere o jornalista no seu contexto mais imediato: a organização para a qual trabalha.

Breed dá destaque para os constrangimentos organizacionais pelos quais passam os jornalistas e considera que estes obedecem muito mais as normas e a política editorial/política da empresa, do que seus impulsos pessoais na hora da escolha das notícias.

Como exemplo disso, em estudo realizado em Portugal por José Luís Garcia, 90,6% dos jornalistas daquele país revelaram já ter sofrido algum tipo de pressão no exercício de sua profissão. Essas pressões eram de origem externa e interna. Entre as pressões externas, a maioria provinha de grupos interesse político-partidário (85,8%), seguidos por grupos empresariais e governamentais. Essa pressão, entretanto, não é direta. Ao jornalista inexperiente não é informado o que ele deve ou não deve fazer. Ele o aprende aos poucos, através de um sucessão sutil de recompensas e punições. Assim, o jornalista aprende a antever aquilo que se espera dele, a fim de obter recompensas e evitar penalidades.

São raros os jornalistas que se colocam contra a linha política/editorial da empresa. A maioria se conforma com ela em decorrência de vários fatores. Entre eles: as punições e recompensas; o sentimento de estima para com os superiores e o medo de magoá-los; a vontade de crescer profissionalmente (jornalistas que se adequam à linha política/editorial da empresa têm mais chance de chegar a cargos de chefia); o prazer da atividade (os jornalistas, apesar de não perceberem altos salários, estão geralmente satisfeitos com sua atividade e sentem que estão contribuindo de alguma maneira para a melhoria da sociedade).

Um outro tipo de pressão é o tempo. Quanto menor for tempo de escolha do jornalista, quanto mais próximo ele estiver do deadline, maior será a influência da organização sobre ele. O fator tempo, portanto, transcende a ação pessoal do jornalista e pode ser inserido nos constrangimentos organizacionais que assimilam o jornalista à política organizacional.

As teorias organizacional e gatekeeper não pregam uma volta ao sensacionalismo anterior à teoria do espelho, mas demonstram que toda notícia é apenas uma versão dos fatos, e nunca a versão definitiva dos mesmos.

Para ir além
BARTHES, R. A Mensagem fotográfica. In: LIMA, L. C. Teoria da Cultura de Massa. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

SOUSA, J. P. Teorias da notícia e do jornalismo. Chapecó: Argos, 2002.

TRAQUINA, N. O estudo do jornalismo no século XX. São Leopoldo: Unisinos, 2001.


Gian Danton
Macapá, 28/2/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O melhor de Dalton Trevisan de Marcelo Spalding
02. Cantei parabéns para o Tom de Vitor Nuzzi
03. As 8 mulheres de François Ozon de Clarissa Kuschnir


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2003
01. A teoria do jornalismo e a seleção de notícias - 28/2/2003
02. A análise da narrativa - 24/1/2003
03. Os X-men e o fim da infância - 31/1/2003
04. Experiências e Livros - 7/10/2003
05. Demônio maniqueu e demônio agostiniano - 11/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A RESPEITO DOS DONS ESPIRITUAIS
KENNETH E. HAGIN
GRAÇA
(2009)
R$ 14,90



PRIVATIZAÇÃO VS. DESESTATIZAÇÃO
FELIPE ROSA DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



EU FICO LOKO
CHRISTIAN FIGUEIREDO DE CALDAS
NOVAS PAGINAS
(2015)
R$ 9,90



A INTERVENÇÃO ESTATAL NAS TELECOMUNICAÇÕES - A VISÃO DO DIREITO ECONÔMICO
LEONOR AUGUSTA GIOVINE CORDOVIL
FÓRUM
(2005)
R$ 27,49



MINISTRO EDUARDO ESPÍNOLA (CENTENÁRIO DO SEU NASCIMENTO)
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
STF
(1975)
R$ 17,28



TERRA ALHEIA - EDUARDO CABALLERO CALDERÓN (ROMANCE COLOMBIANO)
EDUARDO CABALLERO CALDERÓN
BRASILIENSE
(1968)
R$ 5,00



CONSULTÓRIO DE BRINQUEDO
DENISE ESPIÚCA MONTEIRO
HP COMUNICAÇÃO
(2011)
R$ 37,50



ENSAIOS DE HISTORIA DIPLOMÁTICA DO BRASIL NO REGIME REPUBLICANO
A. G. DE ARAUJO JORGE
RIO DE JANEIRO
(1912)
R$ 1.000,00



A NOVA ECONOMIA BRASILEIRA
MARIO HENRIQUE E ROBERTO DE OLIVEIRA
BIBLIOTECA DO EXÉRCITO
(1975)
R$ 39,90
+ frete grátis



CÂMBIOS NO BRASIL: AS PERIPÉCIAS DA MOEDA NACIONAL E DA POLÍTICA
EMILIO GAROFALO FILHO
CULTURA EDITORES ASSOCIADOS
(2000)
R$ 9,82





busca | avançada
35004 visitas/dia
1,0 milhão/mês