Leblon | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
27956 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Oficina do diabo
>>> Rosa dos ventos
>>> Pelagem de flor II: NEGRO
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Guinga e sua Casa de Villa
>>> Pascal e a condição humana
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> O Jovem e o Mar
>>> Luz em agosto
>>> Palestra de Guilherme Wisnik
>>> Jobs e o Macintosh
>>> Boa Tarde Às Coisas Aqui Em Baixo, de A L Antunes
>>> Um Furto
>>> A revista Bizz
Mais Recentes
>>> Parcelamento Tributário & Moratória de Fábio Junqueira - Maria Inês Murgel pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2019)
>>> Tratado de Infectologia de Ricardo Veronesi & Roberto Focaccia pela Atheneu (2009)
>>> Otimismo sem Limites: Levante Hoje para Lutar e Vencer! de Ômar Souki pela Landscape (2007)
>>> Otimismo sem Limites: Levante Hoje para Lutar e Vencer! de Ômar Souki pela Landscape (2007)
>>> Estrela da Manhã de Manuel Bandeira pela Global (2012)
>>> El Mito de Faeton en La Literatura Española (ilustrações Fcs. Fora do de A. Gallego Morell pela Madrid (1961)
>>> Vida Otimista de Ômar Souki pela Souki House (2004)
>>> Vida Otimista de Ômar Souki pela Souki House (2004)
>>> Vida Otimista de Ômar Souki pela Souki House (2004)
>>> Pregão Nas Licitações Municipais de Marcelo Palavéri pela Del Rey/ Belo Horizonte (2005)
>>> La Cancion Petrarquista en La Lirica Española del Siglode Oro:... de E. Segura Covarsi pela Madrid (1949)
>>> Evolução Política do Brasil e Outros Estudos de Caio Prado JR. pela Cia. das Letras (2012)
>>> La Transcripcion Castellana de los Nombres Proprios Griecos de Manuel F. Galiano pela Soc. de Estudios Clasicos/ Madrid (1961)
>>> A Condição Espacial de Ana Fani Alessandri Carlos pela Contexto (2015)
>>> Estudo Progressivo da Morfo- Sintaxi Latina de Prof. Oscarino da Silva Ivo pela Edit. da UFMG (1974)
>>> Estudo Progressivo da Morfo- Sintaxi Latina de Prof. Oscarino da Silva Ivo pela Edit. da UFMG (1974)
>>> Manual de Gramática Histórica Española de R. Menéndez Pidal (Ramón) pela Espasa- Calpe/ Madrid (1944)
>>> Um ano para enriquecer - 52 mensagens de otimismo e motivação de Napoleon Hill pela Record (2019)
>>> Controles Internos nas Organizações de Paulo N. Migliavacca pela Edicta (2004)
>>> Dante Vivo de Giovanni Papini pela Editorial Tor/ Buenos Aires (1942)
>>> A nova dependência (dívida externa e monetarismo) de Celso Furtado pela Paz e Terra (1983)
>>> Sans Frontieres 1 - méthode de français de Michele Verdelhan, Michel Verdelhan, Philippe Dominique pela Clé international (1982)
>>> Tom Jones (encadernado.- Completo Em 01 Volume) de Henri Fielding pela Circulo do Livro/ SP. (1985)
>>> Cozinha Prática - Massas de Cristian Muniz pela Pae (2015)
>>> Chico Buarque do Brasil de Rinaldo de Fernandes. Organizador pela Garamond (2004)
>>> A Religiosa/ Capa Dura de Diderot (denis) pela Circulo do Livro (2019)
>>> Sursis/ Classicos Modernos/ Encadernado de Jean- Paul Sartre / Tradução: Sergio Milliet pela Abril (1974)
>>> MacWEEK Guide to desktop video - cd rom included de Erik Holsinger pela ZIff-Davis Press (1993)
>>> Ação Cominatória e Outras Peculiares - Doutrina, Jurisprudência ... de Ulderico Pires dos Santos pela Paumape (1989)
>>> O líder em você. Como fazer amigos, influenciar pessoas e ter sucesso em um mundo em mutação de Stuart R. Levine e Michael A. Crom pela Record (1997)
>>> El Genio Latino de Anatole France pela Ed. Grandes Autores/ B. Aires (1943)
>>> Nacha Regules (novela) de Manuel Galvez pela Editorial Tor/ B. Aires (1933)
>>> O Direito Como Fato Social de José Florentino Duarte pela Sergio Antonio Fabris (1982)
>>> A Tributação Sobre Consumo de Bens e Serviços de Alessandra Machado Brandão Teixeira pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Lições preliminares de direito de Miguel Reale pela Saraiva (1995)
>>> Seguro: Teoria e Prática - Doutrina - Jurisprudência - Prática Forens de João Roberto Parizatto/ Autografado pela Edipa: Ed. Parizatto (2004)
>>> Manual Prático do Horóscopo Chinês de Minami Keizi pela Traço (1988)
>>> Reiki - Amor, Saúde e Transformação de Johnny de Carli pela Alfabeto (2017)
>>> As Novelas de Torquemada de Benito Pérez Galdós pela Paz e Terra (1989)
>>> A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen de Eugen Herrigel pela Pensamento (1990)
>>> Umanesimo Positivo e Emacipazione Marxista de Galvano Della Volpe pela Sugar Editore (1964)
>>> Ciência e Tecnologia Hoje de Nicolas Witkowski pela Ensaio (1995)
>>> Luvas Brancas de John Kotre pela Mandarim (1997)
>>> I-Ching - A Alquimia dos Números de Wu Jyu Cheng pela Objetiva (1993)
>>> Computer Crimes de Maria Helena Junqueira Reis pela Del Rey/ Belo Horizonte (1997)
>>> O Budismo vivo e o mundo contemporâneo de Lama Anagarika Govinda pela Siciliano (1994)
>>> Luxúria. Coleção Sete Pecados Capitais de Simon Blackburn pela Arx (2005)
>>> Mundo, Vida e Esperança de Angela Coutinho ditado por Emmanuel pela Elevação (1999)
>>> O Budismo e o Caminho da Vida de Christmas Humphreys pela Cultrix (1995)
>>> Avareza. Coleção Sete Pecados Capitais de Phillis A. Tickle pela Arx (2005)
COLUNAS

Sexta-feira, 27/6/2014
Leblon
Marta Barcellos

+ de 2200 Acessos

Moro no Leblon - mas, por favor, não tire conclusões apressadas. Estava eu pensando em escrever uma inocente crônica de bairro, das quais um cronista precisa lançar mão vez por outra, quando me dei conta da encrenca.

O Brasil inteiro conhece o Leblon - das novelas, das canções da MPB, do noticiário em que a referência "morador do Leblon" raramente quer dizer apenas que o sujeito tem residência fixa em determinado bairro do Rio de Janeiro. Se "morador do Leblon" em perfil de artista pode até despertar a simpatia do leitor, o mesmo não se pode dizer do comentário do "morador do Leblon" na reportagem sobre o rolezinho no shopping.

A intimidade é nacional, mas são os cariocas que não moram no Leblon (sim, tenho noção de que são a esmagadora maioria) aqueles que mais acreditam conhecer o bairro e, especialmente, seus moradores. "Diga-me onde moras e te direi quem és" parece ser a regra na cidade onde os espaços sempre estiveram divididos entre aristocracia e povão desde os tempos da Corte, apesar da propalada convivência nas praias (há controvérsias). .

Se me perguntarem sobre o estigma que existe no Rio em torno do morador da Barra da Tijuca, saberei dar alguns palpites (algo sobre abrigar novos-ricos). Mas, no caso do Leblon, falta-me distanciamento para uma análise. Morei no Leblon quando era criança e adolescente (o "Leblon" da época era Ipanema) e voltei há pouco mais de uma década, antes das novelas do Manoel Carlos e depois de um pé-de-meia em São Paulo (penso que o "Leblon" de lá eram os Jardins ou a Vila Nova Conceição). .

O fato é que, ultimamente, ando impelida a me explicar quando, acidentalmente, menciono morar no Leblon. Olha, eu moro lá, mas desde pequena, no tempo que o bairro não valia nada (mentira). Olha, eu moro lá, mas sou a favor das cotas e não odeio o Lula (verdade).

Já pensei em trocar a postura defensiva e partir para o ataque: defender o morador do Leblon e acusar a generalização. Mas logo percebi que se tratava de tarefa ingrata. Bastou uma reunião informal dos moradores da rua sobre os transtornos causados pelas obras do metrô para uma leblonense, pronta para ser personagem indignada de uma reportagem contra os rolezinhos (ou cotas, ou bolsa-família), se apresentar como "gente de bem" que "paga um dos maiores IPTUs do país e tem os seus direitos".

No entanto, morar no centro dos holofotes tem suas vantagens: é possível chamar a atenção para os interesses políticos e principalmente privados (que estão por trás dos políticos) que passaram a dominar nas grandes cidades. Primeiro, o Leblon foi uma espécie de vítima de um projeto-gambiarra de metrô, uma extensão de linha que não atende às necessidades da população, apenas à especulação imobiliária na Barra da Tijuca (onde a ocupação tem ares de vale-tudo). No início, fiquei feliz com a notícia do metrô perto de casa, mas depois percebi que meu benefício pessoal se daria à custa da falta de um projeto efetivo de mobilidade urbana.

Como notícia no Leblon sempre ganha destaque localmente (ao contrário de São Paulo, os cariocas dão muita importância ao noticiário da cidade), um novo assunto do bairro começou a repercutir nos últimos dias: a ameaça de fechamento de um dos cinemas de rua mais antigos da cidade. Bastou a rede de cinemas colocar um cartaz na porta avisando/ameaçando o fechamento "em breve", por ser uma operação deficitária, para o bafafá começar. .

E era sobre essa história - o fechamento do Cine Leblon - que eu pretendia escrever, antes de lembrar o quanto isso poderia parecer, digamos, elitista, pelo simples fato de se referir ao Leblon. .

Reza a lenda que o Rio é o berço da crônica justamente pelo olhar generoso e enternecido que seus lendários cronistas reservavam às ruas por onde flanavam. Apesar de se tratar aqui do bairro-elite, com toda a carga negativa da imagem de nossa elite, é dessa maneira "cronista" que me sinto quando saio perambulando (flanar é para afrancesados) e observando as transformações no bairro. Não penso no IPTU alto nem nos meus direitos, juro. .

Adoro o Leblon pelos prosaicos motivos que levam as pessoas a adorar os espaços urbanos onde moram: o burburinho familiar, o comércio das pequenas compras, as pessoas deslocadas e as que se deslocam, os aromas e sabores escondidos e que você acredita serem só seus. Nesta lista, claro, está o Cine Leblon, já que vou ao cinema toda sexta-feira, como algumas pessoas vão à missa aos domingos. .

Apesar da programação mais dedicada a blockbusters - únicos capazes de preencher as duas salas de exibição, grandes para os padrões atuais -, o Cine Leblon merece ser preservado. Em estilo art déco, a construção de 1951 é tombada, e por isso não corre o risco de virar um espigão. A não se que se abra uma exceção. E, prontamente, junto com a repercussão do anúncio, surgiu um projeto para viabilizar a "rentabilidade" do cinema, já rejeitado pelos órgãos públicos, propondo uma exceção à lei que manteria o cinema, na parte de baixo, para fazer subir um pequeno prédio de escritórios em cima.

Nada contra. Nem a favor. Só espero que dessa vez a negociação entre interesses privados e públicos seja pra valer. O que me fez desconfiar disso tudo? Primeiro, virou regra, nas negociações de reajustes dos aluguéis exorbitantes do Leblon, uma notinha plantada no jornal avisar que determinado estabelecimento comercial, querido dos moradores, vai fechar. Nem todos fecham. Segundo, um detalhe que me chamou a atenção no projeto da rede de cinemas para viabilizar seu projeto imobiliário: o apelo de transformar o local em um novo "centro cultural" - só porque, além dos cinemas e escritórios, está prevista uma livraria. .

O Shopping Leblon, vale lembrar, só foi erguido sobre uma formação rochosa preservada, destruindo também o teatro Casa Grande, depois que prometeu incluir no projeto um "centro cultural". Que nunca saiu do papel. E do Casa Grande, que pertencia à rede pública de teatros e foi palco de encenações históricas contra a ditadura, só restou o nome. Anexo ao shopping, ele agora é dedicado a musicais, com certeza rentáveis.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 27/6/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras de Elisa Andrade Buzzo
02. Nos escuros dos caminhos noturnos de Elisa Andrade Buzzo
03. T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você) de Renato Alessandro dos Santos
04. As palmeiras da Politécnica de Elisa Andrade Buzzo
05. Goeldi, o Brasil sombrio de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2014
01. Esquerda x Direita - 24/10/2014
02. Escritor: jovem, bonito, simpático... - 5/9/2014
03. O turista imobiliário - 14/8/2014
04. Quase cinquenta - 14/3/2014
05. Philomena - 7/2/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




14 LIÇÕES DE FILOSOFIA YOGUE
YOGUE RAMACHÁRACA
PENSAMENTO
(1999)
R$ 25,00



VAI COMEÇAR A BRINCADEIRA - MANUAL PEDAGÓGICO-EDUC INFANTIL PRÉ ESCOLA
MARÍLIA CENTURION - ARNALDO RODRIGUES E OUTROS
FTD
R$ 30,00



COACHING - A SOLUÇÃO
ANDRÉ PERCIA E MAURICIO SITA
SER MAIS
R$ 29,45
+ frete grátis



LADRÕES DE PLANETA
DAN KROKOS
V & R
(2013)
R$ 25,00
+ frete grátis



UMA HISTÓRIA DA VERDADE EM MICHEL FOUCAULT
AFRÂNIO TENÓRIO DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



COMPORTAMENTO SOCIAL E ANTI-SOCIAL HUMANO (337)
SANDRO CÉSAR SELL
DIGITAL JURIS
(2006)
R$ 29,00



JURISPRUDÊNCIA, FONTE FORMAL DO DIREITO BRASILEIRO
FERNANDO PINTO
FREITAS BASTOS (RJ)
(1977)
R$ 9,28



VOCAÇÃO CRISTÃ DO HOMEM
JEAN MOURNOUX
FLAMBOYANT
(1961)
R$ 15,00



POR SUA CONTA E RISCO
JOSH BAZELL
ROCCO
(2013)
R$ 24,09
+ frete grátis



CREPÚSCULO O DESPERTAR DOS VAMPIROS
WLADYR NADER
ESCALA
(2010)
R$ 13,39





busca | avançada
27956 visitas/dia
890 mil/mês