Gênios e seus Amores Loucos | Andréa Trompczynski | Digestivo Cultural

busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Férias de Julho: Museu Catavento e Teatro Sérgio Cardoso recebem a Cia. BuZum!
>>> Neos firma parceria com Unicamp e oferece bolsas de estudo na área de inteligência artificial
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Os enciclopedistas franceses rolam nos túmulos
>>> Entrevista com Chico Pinheiro
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Vamos sentir saudades
>>> Sexo virtual
>>> The more you ignore me, the closer I get
>>> Padre chicoteia coquetes e dândies
Mais Recentes
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Best Seller (2003)
>>> Só o Amor Constrói de Jose Severino Pessoa pela Edicon (2013)
>>> Seminário Sobre Racismo - Kampala / Uganda 29 Marzo - 8 Abril de Cosec pela Cosec / Cie (1961)
>>> Aborto e Contracepção - Atualidade e Complexidade da Questão de Celso Cezar Papaleo pela Renovar (2000)
>>> A Fascinação pelo Pior de Florian Zeller pela Rocco (2008)
>>> São Paulo Em 1836 - Ensaio Dum Quadro Estatistico da Província de Sp de Marechal D. P. Müller pela Reedição Litteral (1923)
>>> Amor de Natal de Leo Buscaglia pela Record (1987)
>>> Algumas Questões Polemicas do Novo Codigo Civil Brasileiro-2ª. de Marcos Antonio Benasse pela Bookseller (2004)
>>> Território V de Zizzy Ysatis (org.) / Giulia Moon / Cid Ferreira pela Terracota (2009)
>>> A Batalha do Apocalipse de Eduardo Spohr pela Verus (2010)
>>> O segredo de Rhonda Byrne pela Sextante (2015)
>>> Wanderweg de Jack Alain Leger pela Best Seller (1988)
>>> Três Mistérios de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks; Fabiano Morais pela Arqueiro (2012)
>>> Tim de Colleen Mccullough pela Círculo do Livro (1974)
>>> Estrategia - uma Visao Executiva de Cornelis de Kluyver; John Pearce Ii pela Prentice Hall Brasil (2010)
>>> Pequena Abelha de Chris Cleave; Maria Luiza Newlands pela Intrinseca (2010)
>>> A Ponte dos Judeus de Martí Gironell pela Planeta do Brasil (2009)
>>> Compêndio de Biologia, Química e Física de Olentina de Souza Lima e Outros pela Iracema
>>> Os Mistérios das Múmias de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural
>>> Sistemas de Comunicação Popular de Joseph M. Luyten pela Ática (1988)
>>> Dados - Revista de Ciências Sociais - Volume 52 - 1 de Charles Pessanha - Edit. pela Iuperj (2009)
>>> A Death in Brazil - a Book of Omissions de Peter Robb pela Henry Holt
>>> Estórias ao Entardecer de William Netto Candido pela O Autor
>>> Prisioneiro do Caos de Vicente de Paulo Silva pela Via Sette (2001)
COLUNAS

Segunda-feira, 26/7/2004
Gênios e seus Amores Loucos
Andréa Trompczynski

+ de 14000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Lou Andreas-Salomé, Paul Reé e Friedrich Nietzsche

Como as pessoas que assistem televisão e leêm Contigo! para conhecer a vida privada de seus ídolos, nós, leitores, também gostamos de saber a vida pessoal dos nossos. A Vida das Musas, de Francine Prose, é um retrato papparazzi de alguns amados ou odiados artistas. E mesmo assim ou exatamente por isso foi um dos melhores livros que li este ano. São nove histórias, de musas e artistas, dramas, paixões e crises de ciúme. E quase todas de infalível decadência, drama e morte. Ou seja, a fórmula perfeita .

Os mais sórdidos detalhes como as excentricidades do dr. Samuel Jonhnson, sua paixão por algemas, cadeados e sonhos de dominação e o medo de ir para o inferno por isso. Apaixonado pela jovem senhora casada Hester Thrale, sonhava em ser trancado por ela num quarto como um escravo. Seu demorado balé ritual antes de passar por uma porta, devido ao Transtorno Obsessivo-Compulsivo e a necessidade dos Thrale em manter um criado em pé na porta do quarto do excêntrico escritor, segurando uma peruca nova e limpa porque o dr. Jonhnson sempre queimava a sua por ler muito perto da lamparina. Gala e Dalí, e seus delírios de grandeza ("César ou nada!") numa composição de auge na juventude e decadência no fim da vida que faz o leitor sentir medo do tempo. A ninfomania de Gala e o escárnio que faziam dela na velhice, as fobias, voyerismo e obsessões de Dalí. E o horrível (e um perfeito quadro surrealista que Dalí nunca pintaria) translado do cadáver de Gala, num vestido Dior vermelho, encostada no assento de seu Cadillac, para ser transportada até seu castelo. Detalhes, detalhes sórdidos.

Imagine Nietzsche posando para uma foto onde está no lugar do cavalo com o amigo e terceiro lado do triângulo amoroso, Paul Reé, enquanto uma bela jovem russa segura um chicote sentada na carroça (foto acima). Imagine Nietzsche escrevendo cartas desaforadas, de amante desprezado e nadando em auto-comiseração como: "Não se perturbe com as explosões da minha vaidade ferida. Mesmo que eu porventura venha dar fim à minha vida por causa de uma ou outra paixão, não haveria muito o que lamentar. O que minhas fantasias importam para você?". Ou então Freud confessando "Senti sua falta na palestra de ontem à noite (...) Adotei o hábito de dirigir minha palestra para um determinado membro da audiência, e ontem mantive o olhar, como se enfeitiçado, no lugar que havia sido reservado para a senhora." E Rilke, com 22 anos e apaixonado por uma senhora casada de 36, para quem escreveu "Tudo o que sou / desperta por sua causa", alimentando-se de grãos integrais e frutas da floresta para agradar à amada, procurando com ela personagens dostoievskianos e camponeses de Tolstói em viagens à Rússia.

É possível quando a mulher russa em questão for Lou Andreas-Salomé. Lou tinha o poder de fazê-los acreditar em si próprios. Despertava os gênios, criticava, conduzia. Depois os deixava em profundas dores de amor, que era sempre o período mais fértil de suas produções. Romancista e ensaísta famosa, com experimentações na psicanálise, as idéias de Lou estão entrelaçadas nas idéias de seus homens: o "abraçar da solidão", a insistência na auto-superação como analgésico, o ideal de tornar-se um super-homem, a procura do deus interno, o gozo maior na arte, a única satisfação real na arte. Ela era, como disse Freud, "um domingo".

Histórias de amor e drama, quando precisamos ver os antes jovens, belos e sonhadores Rilke, morrendo de leucemia num sanatório na Suíça e importunando os médicos para que consultassem Lou Andreas-Salomé que saberia dar um sentido àquela morte terrível; e Nietzsche, depois de um estressante período de crises sucessivas de mania e euforia crescentes, surtando em uma rua de Turim, abraçado ao pescoço de um cavalo que havia levado uma surra.

Eles não puderam amar convencionalmente. Apaixonaram-se desvairadamente. Não há um caso de amor equilibrado, se é que ele existe. Todos enlouqueceram de amor. Talvez não sejam as mais socialmente bonitas histórias, mas que estão vivas gritando, estão.

No Fundo é Tudo Igual III
Não há mais maneiras de controlar o crack. O que vejo em Downtown é uma cópia perfeita da Av. Cruz Machado, a "cracolândia" de Curitiba. Olhos esbugalhados, lábios queimados, prostitutas esqueléticas. Mas, explicação não tenho, sinto simpatia por eles. Na maioria das vezes não sei onde está o real sentido do acordar-trabalhar-comer-dormir-até-a-morte. Acredito que fujo nos livros da mesma coisa que eles fogem no crack. Somos iguais.

Lucas, 19 anos, praça Tiradentes, Curitiba
Você pode encontrar o Lucas na Praça Tiradentes à noite. É moreno, olhos amendoados e tristes como de um Buendía. Falará com você num português perfeito. Você se espantará com a inteligência e os olhos de poeta. Pode perguntar à vontade, ele adora conversar. Foi morar na rua porque a mãe se "juntou" com um homem desempregado e alcoólatra e o barraco ficou pequeno para dois homens do mundo. Trabalhou como auxiliar de pedreiro e diz fazer isto muito bem. Enquanto estava esperando por algum trabalho, começou a cuidar de carros no Largo da Ordem. Um dia, apareceu um moço que ofereceu um negócio melhor, vender umas "pedras" e tal, coisa fácil. Ganhou algum dinheiro no começo, até alugou um quarto por dez reais a diária. Mas o moço então disse que se ele vendesse três, em troca do pagamento, podia fumar uma. Às vezes, ele conta, ainda nem vendeu as três e já fumou mais do que podia. Aí tem que dar um jeito. Se penso em socialismo quando encontro pessoas como o Lucas? Não sei se o nome é esse, mas creio que é o mais próximo. Um dia me perguntaram se não me venderia por um casarão com piscina, numa praia maravilhosa. Sim, me venderia. Se fosse o Lucas quem a construísse.

Para ir além






Andréa Trompczynski
São Mateus do Sul, 26/7/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lula Já É Um Coitado de Alexandre Soares Silva


Mais Andréa Trompczynski
Mais Acessadas de Andréa Trompczynski em 2004
01. Um conselho: não leia Germinal - 8/11/2004
02. Gênios e seus Amores Loucos - 26/7/2004
03. Em defesa da Crítica - 25/10/2004
04. Escrever para não morrer - 3/5/2004
05. Um Elogio à Loucura - 31/5/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/7/2004
20h48min
Também eu enlouqueci e surgi redivivo dos braços de um louco amor (aliás foi o meu período mais produtivo, então). Todos esses gênios viveram intensamente, caso contrário não nos teriam legado tantos e tão sólidos ensinamentos... Quanto ao Lucas, infelizmente temos tantos iguais a ele por aqui que não há muito o que fazer.
[Leia outros Comentários de Gui]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Eu Chovo, Tu Chove Ele Chove
Sylvia Orthof
Objetiva
(2003)



A Grande Esperança
Ellen G. White
Casa Publicadora Brasileira
(2012)



Ética - Fundamentos Sócio-históricos Volume 4
Maria Lucia S. Barroco
Cortez
(2008)



O Brilho da Estrela
Danielle Steel
Altaya Record
(2001)



As Brumas de Avalon - 4 Volumes
Marion Zimmer Bradley
Imago
(2008)



A Cura de Schopenhauer
Irvin D. Yalom; Beatriz Horta
Harper Collins Br
(2006)



Emergências Cirúrgicas Traumáticas e Não Traumáticas
José Cesar Assef
Atheneu
(2012)



Elementos de Semiologia
Roland Barthes
Cultrix
(1964)



Maria Madalena - a Testemunha da Paixão
José Carlos Leal
Ld
(2009)



A Relíquia
Eça de Queirós
Galex
(1997)





busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês