A análise da narrativa | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
27782 visitas/dia
955 mil/mês
Mais Recentes
>>> MANU LAFER APRESENTA SHOW NOBODY BUT YOU - TRIBUTO A KIKA SAMPAIO
>>> Sesc Belenzinho recebe a banda E a Terra Nunca me Pareceu Tão Distante
>>> Sesc Belenzinho recebe a atriz e cantora Zezé Motta
>>> Psicólogo lança livro de preparação para concurseiros usando a Terapia Cognitiva-Comportamental
>>> O Sertão na Canção: Guimarães Rosa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
Últimos Posts
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
>>> Nem só de ilusão vive o Cinema
>>> As Expectativas de um Recrutador e um Desempregado
>>> A Independência Angolana além de Pepetela
>>> Porque dizer adeus?
>>> Direções da véspera IV
>>> Direções da véspera IV
>>> A pílula da felicidade
>>> Dispendioso
>>> O mês do Cinemão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Memorial de Berlim
>>> The Good Life
>>> O Natal quase sempre é um problema
>>> O físico que era médico
>>> O historiador das idéias
>>> Maria Antonieta, a última rainha da França
>>> Gentili sobre o 7 a 1
>>> Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> O petista relutante
Mais Recentes
>>> Psicoterapia Aberta: Formas do Encontro de Wilson Castello de Almeida pela Ágora (1988)
>>> A Contorcionista Mongol de Roberto Muggiati (autografado) pela Record (2000)
>>> O Marido Perfeito Mora ao Lado de Felipe Pena pela Record (2010)
>>> O Ciclista da Madrugada de Arnaldo Block pela Record (2009)
>>> Cristal Polonês de Leticia Wierzchowski pela Record (2003)
>>> Sal de Leticia Wierzchowski pela Intrinseca (2013)
>>> A Máquina de Xadrez de Robert Löhr pela Record (2007)
>>> Caça às Bruxas Macartismo: uma Tragédia Americana de Argemiro Ferreira pela L&pm (1989)
>>> Curso De Direito Penal - Parte Especial - Vol. 2 de Fernando Capez pela Saraiva (2013)
>>> Coleção Oab Nacional - Direito Penal de Luiz Antônio de Souza pela Saraiva (2014)
>>> A casa de Hades - Percy Jackson de Rick Riordan pela Intrinseca (2013)
>>> Leituras Indispensáveis 1 de Aziz Ab'Sáber pela Ateliê (2008)
>>> O Tango da Velha Guarda de Arturo Pérez-reverte pela Record (2013)
>>> O Decimo Inferno e Luna Caliente de Mempo Giardinelli pela Record (2003)
>>> Nefrologia de M. Legrain et Al. pela Masson (1983)
>>> Paraíso de Tatiana Salém Levy pela Foz (2014)
>>> A Chave da casa de Tatiana Salém Levy pela Record (2007)
>>> Margarida La Rocque: a Ilha dos Demônios de Dinah Silveira de Queiroz pela Record (1991)
>>> Três famílias: identidades e trajetórias transgeracionais nas classes populares de Luiz Fernando Dias Duarte e Edlaine de Campos Gomes pela FGV (2008)
>>> Crítica da Divisão do Trabalho de André Gorz pela Martins Fontes (2001)
>>> O Mais Belo País é o Teu Sonho de Flávio Moreira da Costa (autografado) pela Record (1995)
>>> O sociologo e o historiador de Pierre Bourdieu e Roger Chartier pela Autentica (2011)
>>> Em defesa da sociologia de Anthony Giddens pela Unesp (2001)
>>> Irmã Morte de Justo Navarro pela Record (2011)
>>> Caos Total de Jean-claude Izzo pela Record (2002)
>>> Medicina Sexualidade e Natalidade de Henrique Augusto Lima (autografado) pela Byk (1999)
>>> Crônicas inéditas 2 de Manuel Bandeira pela Cosac Naify
>>> Adivinhadores de água de Eduardo Escorel pela Cosac Naify (2005)
>>> Flávio de Carvalho: Espaços da Arte Brasileira de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2009)
>>> Cultura e materialismo de Raymond Williams pela Unesp (2011)
>>> O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial de Heitor de Paola pela Observatório Latino (2016)
>>> Marca, Imagem e Reputação: a Trajetória de Sucesso de Pessoas e Empresas de Fernanda de Carvalho e Francisco Britto e Richard House pela Da Boa Prosa (2012)
>>> Clarice, uma Biografia de Benjamin Moser pela Cosac Naify (2015)
>>> Um Barril de Risadas, um Vale de Lágrimas de Jules Feiffer pela Cia das Letras (2008)
>>> Inelegibilidades no Direito Brasileiro de Joel J. Cândido pela Edipro (2003)
>>> Recursos em matéria eleitoral de Tito Costa pela Revista dos Tribunais (2004)
>>> Direito Eleitoral & Questões Controvertidas de Antônio Carlos Martins Soares pela Lumen Juris (2008)
>>> Langage et pouvoir symbolique de Pierre Bourdieu pela Editions Fayard (2001)
>>> Les Règles de l'art de Pierre Bourdieu pela Editions du Seuil (1998)
>>> Princípios Estruturantes das Agências Reguladoras e os Mecanismos de Controle de Alexandra da Silva Amaral pela Lumen Juris (2008)
>>> Homo Academicus de Pierre Bourdieu pela Les Editions de Minuit (2005)
>>> A criança e a mídia: imagem, educação, participação de Cecilia Von Feilitzen; Ulla Carlsson pela Cortez (2002)
>>> Circulação internacional e formação intelectual das elites brasileiras de Ana Maria Almeida; Letícia Canêdo, Afrânio Garcia; Agueda Bittencourt pela Unicamp (2019)
>>> Crimes eleitorais de Suzana de Camargo Gomes pela Revista dos Tribunais (2008)
>>> Delegação e Avocação Administrativas de Regis Fernandes de Oliveira pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> Probidade administrativa. Comentários à Lei 8.429/92 e legislação complementar de Marcelo Figueiredo pela Malheiros (2004)
>>> Inquérito Policial & Competências e Nulidades de Atos de Polícia Judiciária de Anderson Souza Daura pela Juruá (2008)
>>> Agora e Para Sempre Lara Jean de Jenny Han pela Intrínseca (2017)
>>> Michael Kohlhaas de Heinrich Von Kleist pela Grua (2014)
>>> Perícias judiciais de engenharia. Doutrina. Prática. Jurisprudência de Francisco Maia Neto pela Del Rey (1999)
COLUNAS

Sexta-feira, 24/1/2003
A análise da narrativa
Gian Danton

+ de 12400 Acessos

Estamos cercados de narrativas. Das novelas aos grandes romances, passando por lendas e histórias em quadrinhos, as narrativas acompanham o homem há milênios e são um item cultural importante na distinção entre humanos e outros animais. Foi para ajudar a explicar essas histórias que Yves Reuter escreveu A Análise da Narrativa - o texto, a ficção e a narração.

A análise à qual se refere Reuter tem duas características. A primeira delas é interessar-se pelas narrativas como objetos lingüísticos. Assim, a forma como foram construídas ou a sua forma de comunicação não são objetos de análise. A segunda é a idéia de que, apesar da diversidade de histórias, há formas básicas e princípios de composição que podem ser percebidos.

Achar esses núcleos comuns, essas formas nas quais são feitas todas as narrativas foi objetivo de vários pensadores, a começar por Aristóteles em seus textos sobre o teatro grego.

Mas Reuter restringe seu resgate a autores mais modernos, como Umberto Eco, Roland Barthes, Claude Brémond e Vladmir Propp.

A teoria de Propp, por exemplo, parte da idéia de que existem 31 funções que constituem a base comum sobre qualquer história.

Para quem leu os livros de Harry Potter, ou assistiu aos filmes, algumas funções são facilmente identificáveis nessa história:

1 - Afastamento - um dos membros da família parte ou morre (a saga de Potter começa com a morte dos pais).

2 - Marca - o herói recebe uma marca provocada normalmente por um ferimento. Essa marca o ajudará posteriormente (Potter recebe uma marca na forma de raio).

3 - Partida - o herói deixa sua casa (as aventuras de fato começam quando Potter parte do lar dos tios em direção à escola de magia).

4 - Interdição - o herói se defronta com uma ordem ou uma proibição (quem já leu os livros de Potter sabe que sempre há algum tipo de proibição: não entrar em uma sala, ou não andar pelos corredores à noite).

5 - Recepção do objeto mágico - o herói recebe um ou mais objetos mágicos.

6 - Transgressão - a ordem não é atendida (a insistência de Potter em desobedecer proibições e a tendência do diretor da escola de perdoá-lo tem sido, inclusive objeto de crítica. Muitos pais têm dito que o bruxinho é um incentivo à desobediência).

7 - Engano - o agressor tenta enganar a vítima para apoderar-se dela ou de seus bens (Essa é fácil. Valdemort sempre se disfarça de alguém bom para prejudicar Potter).

8 - Cumplicidade - a vítima se deixa enganar e involuntariamente ajuda seu inimigo (se você leu Harry Potter, não há mais o que dizer).

9 - Descoberta - o falso herói é desmascarado.

10 - Vitória - o agressor é vencido.

Claro que pulei 21 funções e tirei outras do lugar, mas é surpreendente como elas se encaixam na história do bruxinho inglês. Das duas, uma: ou Rowling leu toda a obra de Popp e escreveu sua história baseando-se na teoria do narratólogo russo, ou Propp realmente conseguiu alinhavar algumas características comuns a muitas histórias. A primeira hipótese é muito pouco provável. É mais certo que existam certos arquétipos, certos princípios básicos das histórias que sejam compartilhados por nós através do inconsciente coletivo e apareçam nas histórias que lemos ou vemos nas telas do cinema.

Além dos interessantes capítulos sobre a teoria da narrativa, o livro de Reuter ganha fôlego ao falar do texto e suas relações com o mundo e outros textos.

Todo texto remete ao mundo. Por mais ficcional que seja uma narrativa, ainda assim, ela remeterá a categorias e objetos que já conhecemos. Mesmo um escritor de ficção científica, ao descrever um extraterrestre, o fará comparando-o a animais ou objetos por nós conhecidos. Reuter dá como exemplo as descrições de ETs feitas por H.G. Wells, em A Guerra dos Mundos: "Dois grandes olhos sombrios me examinavam fixamente. O conjunto da massa era redondo e possuía, por assim dizer, uma face: sob os olhos havia uma boca, cujas bordas desprovidas de lábios tremiam, agitavam-se e deixavam escapar uma espécie de saliva".

O realismo é uma das formas mais constantes da relação entre o texto e o mundo. Aqui não se fala da escola literária (em específico), mas da tentativa de fazer o leitor acreditar naquilo que está lendo, comum a quase todas as escolas literárias.

A forma de dar realismo ao texto muda de geração para geração e o que é realista hoje pode parecer totalmente irreal daqui a algumas décadas (uma forma de perceber isso é assistir filmes de ficção científica do início do século XX). Mas existem alguns recursos interessantes, levantados por Reuter, para criar o realismo.

Um deles, naturalizar a narração, foi muito usado no século XVIII. Consistia em justificar a origem da história. Geralmente isso era feito com um preâmbulo ao leitor, no qual se explicava que o livro havia sido escrito por outra pessoa e muitas vezes detalhava a forma como se teve acesso aos originais. Umberto Eco usou esse recurso em O Nome da Rosa, ao atribuir a autoria a um monge da Idade Média.

Até mesmo romances da chamada literatura de massa se utilizam desse recurso. J. J. Benitez jura até hoje que os livros da coleção Operação Cavalo de Tróia foram escritos por um militar norte-americano que, teria, realmente, voltado ao passado para se encontrar com Jesus. Lembro de um livro que encontrei na biblioteca da escola quando pequeno que mostrava naves espaciais. As ilustrações eram acompanhadas de textos que tratavam as naves como coisas do passado. Tipo: "Essa nave foi muito usada quando os humanos começaram a se aventurar para fora do sistema solar". Claro que o texto era só uma desculpa para as ótimas ilustrações serem vendidas como livro, mas ele realmente me convenceu e eu acreditava que havia entrado em algum dobra espacial através da qual havia chegado em minhas mãos um livro de um futuro distante.

Mas os textos não fazem só referência ao mundo. Eles também fazem referência a outros textos. Essas referências podem ser caracterizadas, por exemplo, pela intertextualidade. É o que ocorre quando temos um texto dentro do outro. As formas mais comuns são as citações, em que os escritores se divertem fazendo referências a outros autores. O livro O Nome da Rosa, por exemplo, é repleto de referências aos textos de Jorge Luís Borges.

Outra forma de intertextualidade consiste em apropriar-se de aspectos pouco explorados de histórias clássicas. Quem lê quadrinhos conhece muito bem esse recurso. Em Batman Ano 1, Frank Miller se aproveitou das brechas deixadas por Bob Kane para recontar a origem do Homem Morcego. Miller fez o mesmo com o Demolidor. Umberto Eco, aliás, tem um texto excelente em que explica porque os super-heróis da DC nunca envelheciam: suas histórias eram contadas sempre no vácuo deixado por outra aventura. Assim, o personagem ficava preso em um círculo vicioso que o impossibilitava de envelhecer.

Yves Reuter é doutor em letras e professor da Universidade Charles-de-Gaule-Lille III. Em A Análise da Narrativa ele faz um resgate aprofundado da narrativa, sem, no entanto se tornar cansativo. Seu texto é fácil e fluente e vai agradar não só professores de Literatura, mas todos que se interessam por entender um pouco melhor as histórias com as quais convivemos diariamente, seja em livros, em histórias em quadrinhos, nos cinemas, ou até nas páginas de jornais.

Para ir além





Gian Danton
Macapá, 24/1/2003


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2003
01. A teoria do jornalismo e a seleção de notícias - 28/2/2003
02. A análise da narrativa - 24/1/2003
03. Os X-men e o fim da infância - 31/1/2003
04. Experiências e Livros - 7/10/2003
05. Demônio maniqueu e demônio agostiniano - 11/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INTERDISCIPLINARIDADE E PROJETOS DE PESQUISA
JOSÉ LUIZ FABRIS, JOSÉ MAURÍCIO DIASCÂNEO UND MARTA C. DE ESTIGARRIBIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 384,00



O DESEJO DO ANALISTA: NOME DE UM AMOR MAIS DIGNO QUE A SOLIDARIEDADE
PAULA ÂNGELA DE FIGUEIREDO E PAULA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 559,00



TUTELA ESPECÍFICA DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER
ANTÔNIO PEREIRA GAIO JÚNIOR
FORENSE
(2000)
R$ 12,00



JUVENTUDE, RELIGIÃO E ÉTICA
LÚCIA PEDROSA-PÁDUA E ZECA E MELLO (ORGS.)
PUC
(2010)
R$ 17,00



SIMULAÇÃO DO EFEITO DE CAMPOS ELÉTRICOS NA MEMBRANA CELULAR
GIULIA TUCCI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



CONTRATO DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL E NOVAS TECNOLOGIAS
MANOEL J. PEREIRA DOS SANTOS & COORDENADOR
SARAIVA/GVLAW
(2019)
R$ 90,00



SÃO PAULO: NOVOS PERCURSOS E ATORES - SOCIEDADE, CULTURA E POLÍTICA
LÚCIO KOWARICK / EDUARDO MARQUES
34
(2011)
R$ 29,00



SEX & SPIRIT (5968)
CLIFFORD BISHOP
TIME LIFE BOOKS
(1996)
R$ 30,00



ATITUDES QUANDO OS FILHOS ESCOLHEM ESTILOS ALTERNATICOS DE VIDA
MARIANA CAPLAN
MADRAS
R$ 7,00



ESTAMPAS MÁGICAS: LIVRO PARA COLORIR ANTIESTRESSE
JENEAN MORRISON
BAZAR EDITORIAL - EDIPRO
(2015)
R$ 23,86





busca | avançada
27782 visitas/dia
955 mil/mês