De Passagem e o olhar contemplativo pela periferia | Lucas Rodrigues Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem somos nós para julgar Michael Jackson?
>>> Culture to Digest
>>> Os novos filmes de Iñárritu
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> One-man show
>>> A difícil arte de fazer arte
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
Mais Recentes
>>> O Guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Um Homem de Sorte de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> Noites de Tormenta de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> O Milagre de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2010)
>>> O Melhor de Mim de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> A Escolha de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Um Amor para Recordar de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2011)
>>> A última Música de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> Primeiro Amor de James Patterson pela Novo Conceito (2014)
>>> Pelos Caminhos de Pedras e de Folhas Secas de Maria José Mamede Galvão pela Caravela (2018)
>>> Violetas na Janela de Patrícia Espirita pela Petit (2020)
>>> Divergente Uma Escolha Pode Te Transformar de Verônica Roth pela Rocco (2012)
>>> Traité Clinique Et Pratique des Maladies Puerpérales Suites de Couches de E Hervieux pela Adrien Delahaye Libraire Éditeur (1870)
>>> Commentaires Thérapeutiques du Codex medocamentarius de Adolphe Gubler pela J B Bailliére Et Fils (1868)
>>> A Esperança de Suzanne collins pela Rocco (2012)
>>> Dictionnaire de Medicine de Chirurgie, de Pharmacie de E Littrè & Ch Robin pela J B Bailliére Et Fils (1865)
>>> Os Pensadores - Fichte de Johann Gottlieb Fichte pela Nova Cultural (1988)
>>> Os Grandes Profetas de Nova Cultura pela Nova Cultural (1985)
>>> Reflexões Sobre a Historia Moderna de Hans Kohn pela Fundo de Cultura (1965)
>>> História da América Portuguesa de Rocha Pita pela Senado Federal (2011)
>>> Guia de Conversação Langenscheidt Inglês de Vários Autores pela Martins Fontes (1998)
>>> Dicionário Inglês Português / Português Inglês de Amanda Marques & David Draper pela Ática (1988)
>>> Francês Para Viagem e Dicionário de Vários Autores pela Berlitz (1991)
>>> No Giro do Mundo os Periódicos do Real Gabinete Português de Leitura 1 de Eduardo da Cruz ( Org. ) pela Real Gabinete Português de Leitura (2014)
>>> Dicionário Espanhol Português / Português Espanhol de Vários Autores pela Dcl
>>> RL - Uma Autobiografia de Rita Lee pela Globo Livros (2016)
>>> Minidicionário Ruth Rocha de Ruth Rocha & Hindenburg da Silva Pires pela Scipione (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Abril Cultural (1985)
>>> Comunidades imaginadas de Benedict Anderson pela Companhia Das Letras (2019)
>>> A Segunda Vitória de Morris West pela Abril Cultural (1985)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Rio Gráfica (1985)
COLUNAS

Segunda-feira, 10/5/2004
De Passagem e o olhar contemplativo pela periferia
Lucas Rodrigues Pires

+ de 6500 Acessos

De Passagem, filme de Ricardo Elias, poderia ser apresentado como a versão paulista e atual de Rio 40 Graus, o clássico de Nelson Pereira dos Santos. O filme é o reencontro de dois amigos negros, um envolvido com o tráfico de drogas e o outro cadete da escola militar carioca, num ambiente conhecido nacional - a periferia paulistana. Apesar de se voltar a esse cenário tão visitado ultimamente e em moda no cinema brasileiro, Elias realizou um filme que é o oposto do que se vê quando esses marginais sociais são retratados. De Passagem não mostra violência, não tem trilha sonora de rap ou hip hop, não exibe armas, tiros ou drogas e não apresenta um antagonista físico. Pelo contrário, é um filme reflexivo, contemplativo, intimista, que retrata um retorno à infância dos protagonistas com delicadeza e sutileza, o que o transforma num belo exemplar de filme que retrata uma realidade dura (a vida na periferia) de forma amena e sentimental.

O filme começa com um fim de tarde, quando vemos a silhueta de dois garotos jogando bola e um terceiro a cantar. A câmera é fixa, o garoto cantor está parado e só vemos os outros dois a correr atrás da bola. A cena se alonga até o fim da canção, de forma que já de início temos uma característica do que se verá adiante - planos longos, contemplativos, que nos abrem para refletir e questionar sobre a história. Pois bem, aí temos a apresentação dos personagens - Washington, Kennedy e Jefferson. Logo saberemos que aquela cena é o passado, quando eram crianças, e que o tempo da narrativa se passa aproximadamente dez anos depois, quando Jefferson volta para casa após receber a notícia de que o irmão Washington havia sido assassinado. Temos a ambientação da família e descobrimos que o morto estava envolvido com o tráfico de drogas e que Kennedy continuara seu amigo desde o tempo dos campinhos.

De Passagem se passa durante esse dia, quando os dois amigos, que não têm mais a cumplicidade de outrora, saem de casa numa peregrinação para encontrar e reconhecer o corpo do amigo e irmão. É durante a viagem que atravessa toda São Paulo, de uma periferia a outra, que esses dois seres, amigos e ao mesmo tempo desconhecidos, irão conviver, exteriorizar lembranças da infância (numa narrativa paralela que segue o mesmo trajeto da presente) que, na verdade, servirá como um rito de passagem para a vida adulta. O tema do rito de passagem é clássico no cinema e De Passagem explora essa passagem de várias formas. Jefferson e Kennedy irão pegar ônibus, trem e metrô em busca do irmão, convivendo e reconhecendo aquela realidade de forma melancólica (afinal, o irmão havia morrido e ele era, de certa forma, o elo de ligação entre ambos), mas também de amadurecimento. A imagem do trem em movimento, constante no filme, traz à tona essa idéia de movimento, passagem, transitoriedade, transformação. Antes e depois serão momentos distintos na vida desses dois jovens, e a viagem de trem marcará pela exorcização de um fantasma que rondava os jovens desde a infância.

Como já dito anteriormente, a câmera de Ricardo Elias, um jovem de 35 anos estreante no longa-metragem, é generosa, contemplativa, abre espaço para o interior dos personagens sem se apoiar em efeitos, dramaticidade gratuita ou trilha sonora comovente. Essa opção por uma forma considerada lenta comparada a outros filmes similares possibilitou belos planos-seqüências, seja dentro do ônibus, da periferia ou da emoção dos personagens. Um deles é tocante ao extremo: após ver o corpo do irmão, Jefferson espera que o amigo faça o reconhecimento. Elias prende-se em seu rosto em close, como se ali tivesse esquecido a câmera. À medida que o tempo passa (são longos segundos) vemos a expressão de Jefferson se humanizar, seus olhos se umedecerem. Essa cena é emblemática não apenas pela beleza do seu conteúdo imagético, mas também por nos levar a se emocionar junto a ele sem o artifício do som (trilha). É o momento de transformação interna do personagem, pois até aquele instante ele exibia uma postura rígida, um tanto insensível, digna de sua educação militar. Consciente ou não, Elias definiu claramente essa mudança, a catarse interna do protagonista, que se mostrava fechado às investidas do amigo por crer que este ainda estava envolvido com o tráfico.

No tocante à estrutura, De Passagem apresenta dois tempos distintos que se misturam. Um episódio da infância envolvendo os três garotos - uma entrega de um traficante vizinho - delimita a personalidade de cada um. Essa narrativa com as crianças invoca os meninos de Rio 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos, que descem do morro para o centro da cidade para vender amendoim e se envolvem em pequenas tramas. Em De Passagem, tal ação é narrada paralelamente ao tempo presente, ou seja, quando os dois jovens partem em busca do cadáver do terceiro para poder fazer o enterro. Mas, se olharmos bem, veremos que passado e presente estão fundidos num tempo só. Jefferson e Kennedy carregam em si aquele tempo de infância - um pelo fantasma que o episódio lhe gerou, outro por ter sido um tempo feliz que não volta mais, "o melhor de minha vida", nas palavras de Kennedy - e o revivem como uma forma de resgatar aquela inocência, recuperar algo perdido. Unindo tempo e espaço, Elias não só fez os personagens reviverem aquele episódio da infância no espaço, como também na mente. Essa interação possibilitou a fusão de tempos e de imagens, o que transformou ambas as experiências em uma única e, para os protagonistas, foi uma segunda chance de redenção.

A periferia surge como cenário de saída e chegada. É dela que saem Jefferson e Kennedy em busca do corpo de Washington e é nela que eles terminam. É na periferia que De Passagem começa - os garotos jogam bola e um está a cantar - e é nela que o filme termina. A periferia como espaço de crimes sim, mas também como o espaço onde as amizades florescem e permanecem, desde a infância até o anoitecer.


Lucas Rodrigues Pires
São Paulo, 10/5/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos de Jardel Dias Cavalcanti
02. A melhor Flip de Marta Barcellos
03. A proposta libertária de Gian Danton
04. Shakespeare e as séries na TV de Eugenia Zerbini
05. 90125: o renascimento do Yes de Diogo Salles


Mais Lucas Rodrigues Pires
Mais Acessadas de Lucas Rodrigues Pires em 2004
01. Olga e a história que não deve ser esquecida - 30/8/2004
02. Os narradores de Eliane Caffé - 5/2/2004
03. Quem tem medo de Glauber Rocha? - 19/7/2004
04. As garotas do Carlão - 13/9/2004
05. Cazuza e o retrato do artista quando jovem - 5/7/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SOCIEDADE PÓS-CAPITALISTA
PETER DRUCKER
PIONEIRA
(1999)
R$ 13,00



HUMOR 100% SEXUAL
NANI
DESIDERATA
(2007)
R$ 12,00



NINTENDO WORLD--6--NOS TEMOS A FORÇA!
CONRAD
CONRAD
R$ 18,00



ENFIM SÓS!...
MÁRCIA LEITE
SCIPIONE
(1991)
R$ 5,00



NEOCONSUMIDOR DIGITAL, MULTICANAL & GLOBAL
MARCOS GOUVEA DE SOUZA
GS & MD
(2009)
R$ 20,00



CHICO XAVIER E NOSSO LAR EM CORDEL F. A. LISBOA
F. A. LISBOA
CLARIM
(1994)
R$ 5,00



A SOLUÇÃO VIAGRA A CURA DA IMPOTÊNCIA
DR. STEVEN LAMM
RECORD
(1998)
R$ 26,91



GRANDE ENCICLOPÉDIA LAROUSSE CULTURAL 18
VÁRIOS AUTORES
NOVA CULTURAL
(1998)
R$ 6,90



SENTIDO DINÂMICO DA DEMOCRACIA
ELIAS CHAVES NETO
BRASILIENSE
(1982)
R$ 25,00



O OBSCENO PÁSSARO DA NOITE
JOSÉ DONOSO
CÍRCULO DO LIVRO
(1990)
R$ 21,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês