De Passagem e o olhar contemplativo pela periferia | Lucas Rodrigues Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher e de Nancy Chodorow pela Rosa dos Tempos (1999)
>>> O Preço de Uma Vida de Cristiane Krumenauer pela Novo Século (2018)
>>> Revista de História USP Nº 60 1964 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1964)
>>> Kerata O Colecionador de Cérebros de Juliana R. S. Duarte pela Novo Século (2017)
>>> Revista de História USP Nº 50 1962 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1962)
>>> Crepúsculo - Livro de Anotações da Diretora de Catherine Hardwicke pela Intrínseca Ltda (2019)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Segredo e outras Histórias de Descoberta de Lygia Fagundes Tellles pela Companhia das Letras (2012)
>>> Uma Família Feliz de David Safier pela Planeta (2013)
>>> O Enigma da Pirâmide de Alan Arnold pela Circulo do Livro (1985)
>>> Adrienne Mesurat (prefáco Inédito) de Julien Green/ (Nota): Josué Montello pela Nova Fronteira (1983)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes) de Jonathan Swift/ Trad.: Octavio Mendes Cajado pela Globo/ RJ. (1987)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 5 - Praticamente Inofensiva de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Amigos de Todo Mundo: Romance de um Jardim Zoológico de Felix Salten/ Ilustrações: Philipp Arlen pela Edições Melhoramentos (1952)
>>> Lembranças Obscuras de um Judeu Polonês Nascido na França de Pierre Goldman pela Francisco Alves (1984)
>>> El Hombre de Annie Besant pela Glem (1957)
>>> Lo Spiritismo Nella Umanita de Casimiro Bonfiglioli pela Bologna (1888)
>>> Santo Tomas de Aquino de P.J. Weber pela Poblet (1949)
>>> Rumo a Consciência Cómica de Pagina de ouro de Ramasar pela Curitiba (1969)
>>> Reencarnação de J.H. Brennan pela O Hemus
>>> Rezando com o Evangelho de Pe. Lucas Caravina pela Paulus (1997)
>>> Resolução para o novo milênio de Jennifer Fox pela Ediouro (1999)
>>> Los Maestros sus Retratos Meditaciones y Graficos de David Anrias pela Horus (1973)
>>> La Doctrina Cosmica de Dion Fortune pela Luis Cárcamo (1981)
>>> Remotos Cânticos de Belém de Wallace Leal V. Rodrigues pela O Clarim (1986)
>>> Reencarnação e Imortalidade de Alexandra David Neel pela Ibrasa (1989)
>>> Raios de Luz Espiritual de Francisco Valdomiro Lorenz pela Pensamento
>>> Does God Exist? de A.E. Taylor pela The Macmillan Company (1947)
>>> Administração Básica de Adelphino Teixeira da Silva pela Atlas (2011)
>>> Como Resolver Conflitos no Trabalho de Jerry Wisinski pela Campus (1994)
>>> Administração de Investimentos de Peter L. Bernstein pela Bookman (2000)
>>> Sistemas Organização e Métodos de Tadeu Cruz pela Atlas (1998)
>>> Os 100 melhores livros de negócios de todos os Tempos de Todd Sattersten Jack Covert pela Campus (2010)
>>> Propaganda de Plínio Cabral pela Atlas (1980)
>>> Empresa Como Organizar e Dirigir de Antônio Carlos Ferreira pela Ouro
>>> Marketing Cultural ao Vivo de Vários pela Francisco Alves (1992)
>>> A Dose Certa de John C. Bogle pela Campus (2009)
>>> Já tenho idade para saber de Michael W. Smith pela BomPastor
>>> Sobreviver não é o Bastante de Seth Godin pela Campus (2002)
>>> Jesus, o maior psicólogo que já existiu de Mark W. Baker pela Sextante
>>> Aspectos Legais da Documentação em Meios Micrográficos Magnéticos e Ópticos de Ademar Stringher pela Cenadem (1996)
>>> Go Pro de Eric Worre pela Rumo (2019)
>>> Avaliação da aprendizagem - Componente do ato pedagógico de Cipriano Carlos Luckesi pela Cortez (2011)
>>> Pílulas do Bem-Estar de Daniel Martins de Barros pela Sextante (2019)
>>> Trilha de Diversos pela EuBlack
>>> Apostila de Vestibular Semi FGV 2 de Não Informado pela Cpv (2003)
>>> Documentos Maranhenses Pantheon Maranhense 2 Volumes de Antônio Henrique Leal pela Alhambra (1987)
>>> Economia de João Paulo de Almeida magalhães pela Não sei (2019)
COLUNAS

Segunda-feira, 10/5/2004
De Passagem e o olhar contemplativo pela periferia
Lucas Rodrigues Pires

+ de 6200 Acessos

De Passagem, filme de Ricardo Elias, poderia ser apresentado como a versão paulista e atual de Rio 40 Graus, o clássico de Nelson Pereira dos Santos. O filme é o reencontro de dois amigos negros, um envolvido com o tráfico de drogas e o outro cadete da escola militar carioca, num ambiente conhecido nacional - a periferia paulistana. Apesar de se voltar a esse cenário tão visitado ultimamente e em moda no cinema brasileiro, Elias realizou um filme que é o oposto do que se vê quando esses marginais sociais são retratados. De Passagem não mostra violência, não tem trilha sonora de rap ou hip hop, não exibe armas, tiros ou drogas e não apresenta um antagonista físico. Pelo contrário, é um filme reflexivo, contemplativo, intimista, que retrata um retorno à infância dos protagonistas com delicadeza e sutileza, o que o transforma num belo exemplar de filme que retrata uma realidade dura (a vida na periferia) de forma amena e sentimental.

O filme começa com um fim de tarde, quando vemos a silhueta de dois garotos jogando bola e um terceiro a cantar. A câmera é fixa, o garoto cantor está parado e só vemos os outros dois a correr atrás da bola. A cena se alonga até o fim da canção, de forma que já de início temos uma característica do que se verá adiante - planos longos, contemplativos, que nos abrem para refletir e questionar sobre a história. Pois bem, aí temos a apresentação dos personagens - Washington, Kennedy e Jefferson. Logo saberemos que aquela cena é o passado, quando eram crianças, e que o tempo da narrativa se passa aproximadamente dez anos depois, quando Jefferson volta para casa após receber a notícia de que o irmão Washington havia sido assassinado. Temos a ambientação da família e descobrimos que o morto estava envolvido com o tráfico de drogas e que Kennedy continuara seu amigo desde o tempo dos campinhos.

De Passagem se passa durante esse dia, quando os dois amigos, que não têm mais a cumplicidade de outrora, saem de casa numa peregrinação para encontrar e reconhecer o corpo do amigo e irmão. É durante a viagem que atravessa toda São Paulo, de uma periferia a outra, que esses dois seres, amigos e ao mesmo tempo desconhecidos, irão conviver, exteriorizar lembranças da infância (numa narrativa paralela que segue o mesmo trajeto da presente) que, na verdade, servirá como um rito de passagem para a vida adulta. O tema do rito de passagem é clássico no cinema e De Passagem explora essa passagem de várias formas. Jefferson e Kennedy irão pegar ônibus, trem e metrô em busca do irmão, convivendo e reconhecendo aquela realidade de forma melancólica (afinal, o irmão havia morrido e ele era, de certa forma, o elo de ligação entre ambos), mas também de amadurecimento. A imagem do trem em movimento, constante no filme, traz à tona essa idéia de movimento, passagem, transitoriedade, transformação. Antes e depois serão momentos distintos na vida desses dois jovens, e a viagem de trem marcará pela exorcização de um fantasma que rondava os jovens desde a infância.

Como já dito anteriormente, a câmera de Ricardo Elias, um jovem de 35 anos estreante no longa-metragem, é generosa, contemplativa, abre espaço para o interior dos personagens sem se apoiar em efeitos, dramaticidade gratuita ou trilha sonora comovente. Essa opção por uma forma considerada lenta comparada a outros filmes similares possibilitou belos planos-seqüências, seja dentro do ônibus, da periferia ou da emoção dos personagens. Um deles é tocante ao extremo: após ver o corpo do irmão, Jefferson espera que o amigo faça o reconhecimento. Elias prende-se em seu rosto em close, como se ali tivesse esquecido a câmera. À medida que o tempo passa (são longos segundos) vemos a expressão de Jefferson se humanizar, seus olhos se umedecerem. Essa cena é emblemática não apenas pela beleza do seu conteúdo imagético, mas também por nos levar a se emocionar junto a ele sem o artifício do som (trilha). É o momento de transformação interna do personagem, pois até aquele instante ele exibia uma postura rígida, um tanto insensível, digna de sua educação militar. Consciente ou não, Elias definiu claramente essa mudança, a catarse interna do protagonista, que se mostrava fechado às investidas do amigo por crer que este ainda estava envolvido com o tráfico.

No tocante à estrutura, De Passagem apresenta dois tempos distintos que se misturam. Um episódio da infância envolvendo os três garotos - uma entrega de um traficante vizinho - delimita a personalidade de cada um. Essa narrativa com as crianças invoca os meninos de Rio 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos, que descem do morro para o centro da cidade para vender amendoim e se envolvem em pequenas tramas. Em De Passagem, tal ação é narrada paralelamente ao tempo presente, ou seja, quando os dois jovens partem em busca do cadáver do terceiro para poder fazer o enterro. Mas, se olharmos bem, veremos que passado e presente estão fundidos num tempo só. Jefferson e Kennedy carregam em si aquele tempo de infância - um pelo fantasma que o episódio lhe gerou, outro por ter sido um tempo feliz que não volta mais, "o melhor de minha vida", nas palavras de Kennedy - e o revivem como uma forma de resgatar aquela inocência, recuperar algo perdido. Unindo tempo e espaço, Elias não só fez os personagens reviverem aquele episódio da infância no espaço, como também na mente. Essa interação possibilitou a fusão de tempos e de imagens, o que transformou ambas as experiências em uma única e, para os protagonistas, foi uma segunda chance de redenção.

A periferia surge como cenário de saída e chegada. É dela que saem Jefferson e Kennedy em busca do corpo de Washington e é nela que eles terminam. É na periferia que De Passagem começa - os garotos jogam bola e um está a cantar - e é nela que o filme termina. A periferia como espaço de crimes sim, mas também como o espaço onde as amizades florescem e permanecem, desde a infância até o anoitecer.


Lucas Rodrigues Pires
São Paulo, 10/5/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nos tempos de Street Fighter II de Luís Fernando Amâncio
02. O Novo Museu da Estação da Luz: uma Proposta de Heloisa Pait
03. Man in the Arena 100 (e uma história do Gemp) de Julio Daio Borges
04. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti
05. Apresentação - Luís Fernando Amâncio de Luís Fernando Amâncio


Mais Lucas Rodrigues Pires
Mais Acessadas de Lucas Rodrigues Pires em 2004
01. Olga e a história que não deve ser esquecida - 30/8/2004
02. Os narradores de Eliane Caffé - 5/2/2004
03. Quem tem medo de Glauber Rocha? - 19/7/2004
04. As garotas do Carlão - 13/9/2004
05. Cazuza e o retrato do artista quando jovem - 5/7/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AJUDA-TE PELA NOVA AUTO-HIPNOSE
PAUL ADAMS
IBRASA
(1978)
R$ 20,00



ADULTOS SEM FILTRO E OUTRAS CRONICAS
THALITA REBOUCAS
ROCCO
(2012)
R$ 21,87



POR QUE OS HOMENS MENTEM E AS MULHERES CHORAM?
ALLAN E BARBARA PEASE
SEXTANTE
(2003)
R$ 6,00



JUAZEIRO DO PADRE CÍCERO
M. B. LOURENÇO FILHO

R$ 44,00



VAMPIROS EM DALLAS
CHARLAINE HARRIS
ARX
(2010)
R$ 10,00



A MÁSCARA DA MORTE VERMELHA
EDGAR ALLAN POE
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 8,00



O JOVEM FUTEBOLISTA
GARY LINEKER
CIVILIZAÇÃO
(1994)
R$ 11,70



DEVOCIONÁRIO NOSSA SENHORA DA PAZ
MARIA DAS NEVES
SANTA MARIA
(1999)
R$ 3,00



PASSADO E FUTURO DA ERA DA INFORMAÇÃO
RICARDO RANGEL
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,60



PARADOXO GLOBAL
JOHN NAISBITT
CAMPUS
(1998)
R$ 7,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês