Um romance de terror e de sombras | Luis Eduardo Matta | Digestivo Cultural

busca | avançada
26919 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> Circulação - Residência do Buraco d'Oráculo começa no território do grupo Rosas Periféricas
>>> SOLANO RIBEIRO LANÇA HOJE SUAS HISTÓRIAS DA MPB
>>> Gabriel Gorini apresenta Dorvatro e algumas canções
>>> Val Macambira lança CD Catharina no Brazileria (20/9) e Tendal da Lapa (21/9)
>>> Hospitais de São José dos Campos recebem apresentações de teatro gratuitas no dia 19 de setembro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
>>> Assum Preto, Me Responde?
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> O conservadorismo e a refrega de símbolos
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Em defesa do preconceito, de Theodore Dalrymple
>>> BRASIL, UM CORPO SEM ALMA E ACÉFALO
>>> Meus encontros com Luiz Melodia
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> O testemunho nos caminhos de Israel
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE FINAL)
>>> Os livros sem nome
>>> O mundo era mais aberto, mãe...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> Amizade (1)
>>> Busca em tempo real no Google
>>> Déchirée
>>> Rápidos nas Letras
>>> Rápidos nas Letras
>>> Programação especial de 40 anos da TV Cultura
>>> O Facebook e a Alta Cultura
>>> A origem da dança
>>> Os dez mandamentos do leitor
Mais Recentes
>>> Temporada de Caça de Russell Banks pela Record (1998)
>>> O Movimento Negro e o Estado (1983-1987) de Ivair Augusto Alves dos Santos pela Cone (2007)
>>> Metodo Audio Visual Para: Charango de Mariano Llanos Herrera pela Viva la Musica
>>> Keyword: A Complete English Course de Arnon Hollaender e Sidney Sanders pela Moderna (1996)
>>> Lua Nova de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2008)
>>> Eclipse de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Amanhecer de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Para Sempre Alice de Lisa Genova pela Nova Fronteira (2009)
>>> Toda Luz Que Não Podemos Ver de Anthony Doerr pela Intrínseca (2015)
>>> Chic: Um Guia Básico de Moda e Estilo de Gloria Kalil pela Senac São Paulo (2001)
>>> Pastoral de Nevil Shute pela William Heinemann (1957)
>>> A literatura brasileira através dos textos de Massaud Moisés pela Cultrix (1997)
>>> Interactions 1: Grammar de Elaine Kirn pela McGraw Hill (2002)
>>> Focus on Grammar - Volume B de Irene E. Schoenberg pela Longman (2000)
>>> Mudar de Flávio Gikovate pela Mg Editores (2014)
>>> Dicionário Escolar Latino-Português de Ernesto Faria pela Ministério da Educação e Cultura (1956)
>>> A Última Esperança Sobre a Terra de Richard Matheson pela Francisco Alves (1984)
>>> Imprensa Feminina de Dulcília Schroeder Buitoni pela Ática (1986)
>>> Tempestade Sobre as Multinacionais de Raymond Vernon pela Zahar (1980)
>>> Pensar É Transgredir de Lya Luft pela Record (2005)
>>> Rosinha, Minha Canoa de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1967)
>>> O Crime do Padre Amaro de Eça de Queirós pela Ática (2002)
>>> O Homem que Calculava de Malba Tahan pela Record (2001)
>>> A Imaginação de Marketing de Theodore Levitt pela Atlas (1995)
>>> O Último Merovíngio de Jim Hougan pela Planeta (1998)
>>> A Vida que Vale a Pena Ser Vivida de Clóvis de Barro Júnior e Arthur Meucci pela Vozes (2012)
>>> O Pistoleiro de Stephen King pela Objetiva (2002)
>>> O abraço do Samurai- O desafio Japonês de Dominique Nora pela Paz eTerra (2002)
>>> Você é insubstituível de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Sociologia da Educação de Alberto Tosi Rodrigues pela Dp & A (2002)
>>> Great Expectations de Charles Dickens pela Heinemann (1998)
>>> O Pergaminho de Masada de Paul Block & Robert Vaughan pela Novo Conceito (2007)
>>> 500 Dicas para facilitar seu dia-a-dia de Nenzinha Machado Salles pela Record (1997)
>>> Cartilhas da Dominação de Marlene Rodrigues pela Ufpr (1991)
>>> A Magia dos Grandes Negociadores de Carlos Alberto Júlio pela Negócio (2008)
>>> Desafios da Prevenção de Carmen F e Alexandre do valle pela Idac
>>> Segredos de Família de Barbara Taylor Bradford pela Record (2005)
>>> O Código da Inteligência de Augusto Cury pela Ediouro (2008)
>>> Limites Sem Trauma de Tania Zagury pela Record (2001)
>>> Elucidario para Leitura e Composição de Brant Horta pela J R de Oliveira (1940)
>>> A responsabilidade dos pais para com os filhos de Marcio Rodrigues pela Nova (2000)
>>> Cara nova ou beleza pura. de Pedro bloch pela Do brasil
>>> Língua e Liberdade de Celso Pedro Luft pela Ática (2000)
>>> A cura pelas maos de Richard gordon pela Pensamento
>>> Pais brilhantes, Professores fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2007)
>>> La Parrocchiale Di Orta Dalle Origini ai Restauri del 1941 La Nuova Facciata de Renato Verdina pela Provera (1941)
>>> Amar, Verbo Intransitivo de Mario de Andrade pela Itatiaia (2002)
>>> A arte dos relacionamentos saudáveis e duradouros de José Augusto Lima Goldoni pela Celtic (2004)
>>> Cartas entre amigos--sobre ganhar e perder de Gabriel chalita e fabio d. mello pela Globo
>>> Uma Idéia Toda Azul de Marina Colasanti pela Global (1999)
COLUNAS

Terça-feira, 1/3/2005
Um romance de terror e de sombras
Luis Eduardo Matta

+ de 11900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Certa vez, afirmei - não me recordo exatamente em que circunstâncias - que a leitura era um exercício permeado de sombras; que estas nos acompanhavam durante toda a jornada através das páginas e permaneciam presentes mesmo depois que a leitura acabava, por um tempo que variava de acordo com o impacto causado pelo livro e as suas reverberações pelo interior da alma, que poderiam durar a vida inteira. As sombras da leitura não são, necessariamente, maléficas ou assustadoras, embora tenham o dom de trazer à tona aquilo que, muitas vezes, preferiríamos manter esquecido. Elas vão nos envolvendo à nossa revelia, sem que percebamos e influenciando a maneira com a qual sentimos as nossas pulsações interiores e enxergamos o mundo em movimento à nossa volta. Por vezes, nos escancaram os olhos para o óbvio até então imperceptível; nos mostram a crueza do cotidiano, nos fazem mergulhar no lado escuro do ser humano, tentam nos convencer de que a vida é desprovida de sentido, de que ela é mesquinha, cruel, ilógica, que nada do que acreditamos intimamente tem valor diante do peso implacável da realidade. As sombras da leitura nos provocam, acima de tudo, perplexidade, ao revelar, por meio da ficção, os dilemas de uma realidade que, em geral, contraria o mundo que estamos sempre buscando idealizar de acordo com os nossos anseios e expectativas.

Ao iniciar a leitura do romance Com Quem Está Falando Marie Louise?, de M. L. Wilson (Komedi; 470 páginas; 2004), eu não podia prever, em absoluto que, com apenas algumas páginas viradas, essas sombras começariam a se insinuar sutilmente até um ponto em que envolveriam a leitura por completo. Ora, eu estava diante de um thriller de mistério e terror, com pitadas de paranormalidade e drama familiar. Imaginava que me depararia, basicamente, com cenas de suspense e tensão - algo que, de fato, ocorre. Mas não esperava, em absoluto, que além do suspense, presente em todo o livro e que prende a atenção do leitor de forma intensa, o romance apresentasse uma rica galeria de personagens sombrios e abjetos que têm sua vida, sua conduta e seus desejos mais recônditos e infames trazidos à tona, pondo a nu, sem piedade, o lado mais podre e mesquinho do caráter humano. É raro num thriller identificarmos essa combinação entre suspense e aprofundamento psicológico; quando ela existe, muitas vezes, o autor erra a mão, resvala para a pieguice ou para a reprodução exagerada das suas próprias culpas e obsessões. M. L. Wilson soube dosar os elementos muito bem e o resultado é um livro competente e envolvente, além de primar por uma escrita elegante, rica e, o que é melhor, clara.

Ambientado no cantão de Zurique, na Suíça alemã, Com Quem Está Falando Marie Louise? tem início com a morte trágica do casal de biliardários Stephen e Yvonne Eichenberger, vítimas de um acidente de carro. Stephen e Yvonne tinham uma filha pequena, Marie Louise, de cinco anos, que se torna a órfã mais rica da Suíça e passa a ter a sua fortuna cobiçada pelo meio-irmão de Yvonne, Martin Hutter, seu parente mais próximo, que decide requerer a tutela da menina. Hutter e seus parentes logo se instalam na suntuosa mansão dos Eichenberger, em Itschnach, perto de Zurique. Hutter, sua mulher Eleonore e os filhos constituem uma família gananciosa, de péssimo caráter, devotada aos prazeres hedonistas e que nutrem, acima de tudo, um desejo doentio de recuperar a riqueza e o prestígio que usufruíam no passado, antes de Hutter torrar todo o seu dinheiro. No momento em que eles tomam posse da mansão em Itschnach, porém, coisas estranhas começam a acontecer. A propriedade, antes acolhedora, se transforma num lugar hostil e sombrio. Fenômenos sobrenaturais, assustadores e inexplicáveis vão se sucedendo e, pouco a pouco, conduzem os Hutter ao pânico e ao desespero extremo.

A trama conta, ainda com um núcleo policial, protagonizado pelo simpático Comissário René Honegger, do Departamento de Homicídios, encarregado da investigação da morte dos Eichenberger, uma morte que ele considera suspeita. Embora todos os indícios apontem para uma fatalidade, Honegger desconfia que o casal pode ter sido vítima ou de um atentado político, devido à sua estreita amizade com um proeminente homem público, futuro conselheiro do Cantão de Zurique, ou de um crime perpetrado pelo próprio Martin Hutter, o único potencial beneficiado com o desaparecimento da meia-irmã e do cunhado. O comissário começa a investigar o passado de Hutter e, ao descobrir de quem se trata, passa a temer pela vida da pequena Marie Louise, com quem simpatizara desde a primeira vez em que a encontrou, logo no princípio da história.

Nascida em Minas Gerais e, há anos radicada na Suíça, M. L. Wilson soube captar bem a atmosfera do país que escolheu para viver. Ela nos explica, por exemplo, que, apesar dos imensos avanços econômicos e sociais, de toda a sua notória riqueza e de estar localizada no coração da Europa, a Suíça conserva um discreto, porém enraizado espírito machista nas relações pessoais e de trabalho, fato que eu, por exemplo, desconhecia. O belo Cantão de Zurique, um dos enclaves mais ricos e aprazíveis do mundo, é descrito com perfeição: o comércio rutilante e abastado da Rua da Estação (Bahnhofstrasse), o outono mesclando dias de neve com a exuberância do intenso colorido das folhas enchendo as árvores, a paz eterna nas montanhas onde nada nunca acontece.

Wilson consegue em Com Quem está Falando Marie Louise?, enveredar por uma seara ficcional até então escassa - para não dizer inexistente - na Literatura brasileira. Ainda assim, contudo, não há como enquadrar este livro dentro de um único gênero, já que a complexidade da trama e completude da sua narrativa o colocam além do romance policial, de terror sobrenatural ou de conflitos familiares e de interesses. Mesmo estes três itens reunidos não serviriam para definir a obra e acabariam por reduzir o seu valor literário. Wilson produziu um livro onde podem ser identificadas inúmeras vertentes da tradição romanesca; tentar enquadrá-lo numa categoria de maneira a defini-lo mais facilmente, portanto, é tarefa altamente desaconselhável.

Ainda assim, caso o livro alcance alguma repercussão, a autora deve esperar reprimendas por parte de uma ala de críticos e leitores, sobretudo, com relação à ambientação da história e à escolha de personagens suíço-alemães, algo imperdoável dentro dos círculos culturais nacionais. O brasileiro tem uma tradição de deslumbramento em relação ao continente europeu e, como reação a isso, procura afirmar de forma atrapalhada a própria identidade, renegando neuroticamente as influências externas, como se elas representassem uma ameaça pungente à auto-estima nacional, uma convocação sedutora e permanente a se abandonar a sujeira e o primitivismo dos trópicos e se entregar, de uma vez, à paixão arrebatada e reprimida pelos ares faustosos da Europa civilizada. Logo, um escritor brasileiro que, no lugar de voltar o olhar para dentro das nossas fronteiras no sentido de desvendar o próprio país e magnificar o orgulho nacional, optar por retratar uma terra estrangeira sem enxergá-la através de uma ótica brasileira, será sumariamente acusado de produzir uma obra sem identidade, sem nenhum vínculo com a nossa tradição e, portanto, sem qualquer valor. A Suíça de M. L. Wilson é uma Suíça inteiramente alemã, em todos os sentidos. Wilson encontrou uma maneira alemã de falar sobre uma terra - por que não? - alemã. Nada mais adequado. Seria espantoso e, até mesmo assustador, se ela se valesse de um ponto de vista brasileiro para construir um romance passado numa terra tão diferente da nossa. O que algumas pessoas poderão enxergar como demérito, eu vejo como uma grande qualidade. M. L. Wilson soube se apropriar da tradição e da atmosfera de um povo que não é o seu para escrever um romance que reproduz com fidelidade os costumes, o espírito e a linguagem desse povo e da sua terra. Isso denota um talento inegável. Quantos escritores brasileiros serão capazes de tal façanha?

De qualquer forma, agora, que terminei a leitura de Com Quem está Falando Marie Louise?, pressinto que as sombras dessa história sombria e perturbadora me acompanharão por algum tempo. Não é uma perspectiva propriamente agradável, mas é um sinal de que o livro, pelo menos comigo, cumpriu o seu anunciado objetivo.

Para ir além






Luis Eduardo Matta
Rio de Janeiro, 1/3/2005


Mais Luis Eduardo Matta
Mais Acessadas de Luis Eduardo Matta em 2005
01. Moda e modismos prêt-à-porter - 29/3/2005
02. O discreto charme dos sebos - 11/1/2005
03. Um romance de terror e de sombras - 1/3/2005
04. Henry Moore: o Rodin do século XX - 26/7/2005
05. O primeiro código de Brown - 10/5/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/3/2005
14h39min
Talvez o demerito nao seja da autora, mas sim de quem critica um romance nao pela trama ou pela qualidade da escrita, mas pelas referencias utilizadas... Afinal e ficcao, nao e? Mas acho que no caso, os ardilosos criticos nacionalistas vao gostar do livro. Afinal, e um livro de terror, e com personagens sordidos e mesquinhos, bem diferente do que somos aqui no Brasil...
[Leia outros Comentários de Ram]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DESPERTAR DOS VAMPIROS 03 - MÉXICO
SEBASTIAN ROOK
FUNDAMENTO
(2011)
R$ 25,00



PASSES E RADIAÇÕES - MÉTODOS ESPÍRITAS DE CURA
EDGARD ARMOND
ALIANÇA
(1997)
R$ 15,00



BÓRGIA - SANGUE PARA O PAPA
JODOROWSLY E MANARA
CONRAD
(2010)
R$ 20,00



MEMORIAL DO AMOR & VACINA DE SAPO
ZÉLIA GATTAI
COMPANHIA DAS LETRAS
(2013)
R$ 29,50
+ frete grátis



ONDE O ESPORTE SE REINVENTA: HISTÓRIAS E BASTIDORES DOS 40 ANOS DE PLACAR
BRUNO CHIARIONI, MARCIO KROEHN
PRIMAVERA
(2010)
R$ 11,00



REVISTA SQL MAGAZINE ANO 4 Nº 48 ÍNDICES
EDITORA DEVMÉDIA
DEVMÉDIA
R$ 7,00



GLOBAL PRE-INTERMEDIATE WORKBOOK - SEM CD
JULIE MOORE
MACMILLAN
(2012)
R$ 19,90



08/15 À CASERNA
HANS HELLMUT KIRST
EUROPA-AMÉRICA
R$ 13,00



OS ES DA GESTÃO
DOBSON FERREIRA
SER MAIS
R$ 14,95
+ frete grátis



VISÃO DE TÚNEL
SARA PARETSKY
ROCCO
(2002)
R$ 21,00





busca | avançada
26919 visitas/dia
957 mil/mês