Um romance de terror e de sombras | Luis Eduardo Matta | Digestivo Cultural

busca | avançada
30221 visitas/dia
773 mil/mês
Mais Recentes
>>> Segundas de julho têm sessões extras do espetáculo À Espera
>>> Circo dos Sonhos, do ator Marcos Frota, desembarca no Shopping Metrô Itaquera
>>> Startup brasileira levará pessoas de baixa renda para intercâmbio gratuito fora do país
>>> Filho de suicida, padre lança livro sobre o tema
>>> LANÇAMENTO DO LIVRO "DIALÓGOS DE UM RABINO REFLEXÕES PARA UM MUNDO DE MONÓLOGOS" DE MICHEL SCHLESI
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sob o mesmo teto
>>> O alívio das vias aéreas
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES II
>>> Honra ao mérito
>>> Em edição 'familiar', João Rock chega à 17ª edição
>>> PATÉTICA
>>> Presságios. E chaves III
>>> Minha história com Philip Roth
>>> Lars Von Trier não foi feito para Cannes
>>> O brasileiro e a controvérsia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Onde fica o interruptor?
>>> Era uma vez
>>> The Ultimate Ozzy 1986
>>> Cognição Estética contra o Logos (Parte I)
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> A política e os retrocessos sociais
>>> Visões Fugitivas
>>> Um parque de diversões na cabeça
Mais Recentes
>>> Direito Penal - Parte Geral ( V. 7)
>>> O Exército de Cavalaria
>>> The Golden Treasury
>>> Surdez e linguagem- Aspectos e implicações neurolinguísticas (Nova Ortografia)
>>> El Libro Supremo de Todas las Magias - Magia Blanca - Negra - Roja
>>> Rituais e Egrégoras para a Era de Aquário
>>> O Despertar da Consciência
>>> Sic Questões Comentadas
>>> Sic Questões Comentadas
>>> Código Civil - 7ª Edição Atualizada
>>> Fonética e Ortografia - Coleção Linguagem Jurídica vol. 1
>>> Dicionário Jurídico
>>> Introdução Ao Direito
>>> Debate Sobre a Constituição de 1988
>>> Noções de Prevenção e Controle de Perdas Em Segurança do Trabalho 7ª edição revista e atualizada
>>> Vire a Página - Estratégias para Resolver Conflitos 6ª edição
>>> Tópicos de Administração Aplicada à Segurança do Trabalho 9ª edição
>>> Doenças Profissionais Ou do Trabalho 10ª edição
>>> Epidemiologia
>>> Cipa - Comissao Interna de Prevençao de Acidentes uma Nova Abordagem 14ª edição
>>> Prevenção e Controle de Risco Em Máquinas, Equipamentos e Instalações 3ª edição
>>> Os 10 Mandamentos: Princípios Divinos para Melhorar seus Relacionamentos
>>> Mini Código Saraiva Civi
>>> Mini Aurélio da Língua Portuguesa 7ª Edição
>>> Guia da Sexualidade - Reedição Ampliada e Ilustrada
>>> A Rosa do Povo
>>> Quando o Sofrimento Bater à Sua Porta
>>> Cura das Emoções Em Cristo
>>> A Terapia das Histórias Porque Todos Têm Direito a um Final Feliz
>>> Administrar a Própria Vida - o Negócio Mais Urgente
>>> A Luta Contra a Depressão
>>> Os Anjos e Eu
>>> Cura das Feridas Interiores
>>> O Papa Francisco Chaves de Seu Pensamento
>>> Vocação:inicio de Conversa
>>> Receitas da Dieta de South Beach
>>> Espana Contemporanea Historia Economia y Sociedad
>>> Northstar: Reading and Writing advanced 2ª edição
>>> Northstar : Listening and Speaking Advanced
>>> New Cambridge Advanced English - Student's Book
>>> Cake Design
>>> Nada é por Acas- Edição de Bolso
>>> Como Treinar Seu Dragão
>>> Cidadão Policial
>>> 7 Segredos da Vida Sentimental 2ª edição
>>> O Dom da Colheita:Dom de Adquirir Riquezas
>>> A Unção
>>> Batalha Espiritual
>>> O Anjo Caído e Seus Brinquedos
>>> Palavras para a Salvação e a Vida Próspera
COLUNAS

Terça-feira, 1/3/2005
Um romance de terror e de sombras
Luis Eduardo Matta

+ de 11700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Certa vez, afirmei - não me recordo exatamente em que circunstâncias - que a leitura era um exercício permeado de sombras; que estas nos acompanhavam durante toda a jornada através das páginas e permaneciam presentes mesmo depois que a leitura acabava, por um tempo que variava de acordo com o impacto causado pelo livro e as suas reverberações pelo interior da alma, que poderiam durar a vida inteira. As sombras da leitura não são, necessariamente, maléficas ou assustadoras, embora tenham o dom de trazer à tona aquilo que, muitas vezes, preferiríamos manter esquecido. Elas vão nos envolvendo à nossa revelia, sem que percebamos e influenciando a maneira com a qual sentimos as nossas pulsações interiores e enxergamos o mundo em movimento à nossa volta. Por vezes, nos escancaram os olhos para o óbvio até então imperceptível; nos mostram a crueza do cotidiano, nos fazem mergulhar no lado escuro do ser humano, tentam nos convencer de que a vida é desprovida de sentido, de que ela é mesquinha, cruel, ilógica, que nada do que acreditamos intimamente tem valor diante do peso implacável da realidade. As sombras da leitura nos provocam, acima de tudo, perplexidade, ao revelar, por meio da ficção, os dilemas de uma realidade que, em geral, contraria o mundo que estamos sempre buscando idealizar de acordo com os nossos anseios e expectativas.

Ao iniciar a leitura do romance Com Quem Está Falando Marie Louise?, de M. L. Wilson (Komedi; 470 páginas; 2004), eu não podia prever, em absoluto que, com apenas algumas páginas viradas, essas sombras começariam a se insinuar sutilmente até um ponto em que envolveriam a leitura por completo. Ora, eu estava diante de um thriller de mistério e terror, com pitadas de paranormalidade e drama familiar. Imaginava que me depararia, basicamente, com cenas de suspense e tensão - algo que, de fato, ocorre. Mas não esperava, em absoluto, que além do suspense, presente em todo o livro e que prende a atenção do leitor de forma intensa, o romance apresentasse uma rica galeria de personagens sombrios e abjetos que têm sua vida, sua conduta e seus desejos mais recônditos e infames trazidos à tona, pondo a nu, sem piedade, o lado mais podre e mesquinho do caráter humano. É raro num thriller identificarmos essa combinação entre suspense e aprofundamento psicológico; quando ela existe, muitas vezes, o autor erra a mão, resvala para a pieguice ou para a reprodução exagerada das suas próprias culpas e obsessões. M. L. Wilson soube dosar os elementos muito bem e o resultado é um livro competente e envolvente, além de primar por uma escrita elegante, rica e, o que é melhor, clara.

Ambientado no cantão de Zurique, na Suíça alemã, Com Quem Está Falando Marie Louise? tem início com a morte trágica do casal de biliardários Stephen e Yvonne Eichenberger, vítimas de um acidente de carro. Stephen e Yvonne tinham uma filha pequena, Marie Louise, de cinco anos, que se torna a órfã mais rica da Suíça e passa a ter a sua fortuna cobiçada pelo meio-irmão de Yvonne, Martin Hutter, seu parente mais próximo, que decide requerer a tutela da menina. Hutter e seus parentes logo se instalam na suntuosa mansão dos Eichenberger, em Itschnach, perto de Zurique. Hutter, sua mulher Eleonore e os filhos constituem uma família gananciosa, de péssimo caráter, devotada aos prazeres hedonistas e que nutrem, acima de tudo, um desejo doentio de recuperar a riqueza e o prestígio que usufruíam no passado, antes de Hutter torrar todo o seu dinheiro. No momento em que eles tomam posse da mansão em Itschnach, porém, coisas estranhas começam a acontecer. A propriedade, antes acolhedora, se transforma num lugar hostil e sombrio. Fenômenos sobrenaturais, assustadores e inexplicáveis vão se sucedendo e, pouco a pouco, conduzem os Hutter ao pânico e ao desespero extremo.

A trama conta, ainda com um núcleo policial, protagonizado pelo simpático Comissário René Honegger, do Departamento de Homicídios, encarregado da investigação da morte dos Eichenberger, uma morte que ele considera suspeita. Embora todos os indícios apontem para uma fatalidade, Honegger desconfia que o casal pode ter sido vítima ou de um atentado político, devido à sua estreita amizade com um proeminente homem público, futuro conselheiro do Cantão de Zurique, ou de um crime perpetrado pelo próprio Martin Hutter, o único potencial beneficiado com o desaparecimento da meia-irmã e do cunhado. O comissário começa a investigar o passado de Hutter e, ao descobrir de quem se trata, passa a temer pela vida da pequena Marie Louise, com quem simpatizara desde a primeira vez em que a encontrou, logo no princípio da história.

Nascida em Minas Gerais e, há anos radicada na Suíça, M. L. Wilson soube captar bem a atmosfera do país que escolheu para viver. Ela nos explica, por exemplo, que, apesar dos imensos avanços econômicos e sociais, de toda a sua notória riqueza e de estar localizada no coração da Europa, a Suíça conserva um discreto, porém enraizado espírito machista nas relações pessoais e de trabalho, fato que eu, por exemplo, desconhecia. O belo Cantão de Zurique, um dos enclaves mais ricos e aprazíveis do mundo, é descrito com perfeição: o comércio rutilante e abastado da Rua da Estação (Bahnhofstrasse), o outono mesclando dias de neve com a exuberância do intenso colorido das folhas enchendo as árvores, a paz eterna nas montanhas onde nada nunca acontece.

Wilson consegue em Com Quem está Falando Marie Louise?, enveredar por uma seara ficcional até então escassa - para não dizer inexistente - na Literatura brasileira. Ainda assim, contudo, não há como enquadrar este livro dentro de um único gênero, já que a complexidade da trama e completude da sua narrativa o colocam além do romance policial, de terror sobrenatural ou de conflitos familiares e de interesses. Mesmo estes três itens reunidos não serviriam para definir a obra e acabariam por reduzir o seu valor literário. Wilson produziu um livro onde podem ser identificadas inúmeras vertentes da tradição romanesca; tentar enquadrá-lo numa categoria de maneira a defini-lo mais facilmente, portanto, é tarefa altamente desaconselhável.

Ainda assim, caso o livro alcance alguma repercussão, a autora deve esperar reprimendas por parte de uma ala de críticos e leitores, sobretudo, com relação à ambientação da história e à escolha de personagens suíço-alemães, algo imperdoável dentro dos círculos culturais nacionais. O brasileiro tem uma tradição de deslumbramento em relação ao continente europeu e, como reação a isso, procura afirmar de forma atrapalhada a própria identidade, renegando neuroticamente as influências externas, como se elas representassem uma ameaça pungente à auto-estima nacional, uma convocação sedutora e permanente a se abandonar a sujeira e o primitivismo dos trópicos e se entregar, de uma vez, à paixão arrebatada e reprimida pelos ares faustosos da Europa civilizada. Logo, um escritor brasileiro que, no lugar de voltar o olhar para dentro das nossas fronteiras no sentido de desvendar o próprio país e magnificar o orgulho nacional, optar por retratar uma terra estrangeira sem enxergá-la através de uma ótica brasileira, será sumariamente acusado de produzir uma obra sem identidade, sem nenhum vínculo com a nossa tradição e, portanto, sem qualquer valor. A Suíça de M. L. Wilson é uma Suíça inteiramente alemã, em todos os sentidos. Wilson encontrou uma maneira alemã de falar sobre uma terra - por que não? - alemã. Nada mais adequado. Seria espantoso e, até mesmo assustador, se ela se valesse de um ponto de vista brasileiro para construir um romance passado numa terra tão diferente da nossa. O que algumas pessoas poderão enxergar como demérito, eu vejo como uma grande qualidade. M. L. Wilson soube se apropriar da tradição e da atmosfera de um povo que não é o seu para escrever um romance que reproduz com fidelidade os costumes, o espírito e a linguagem desse povo e da sua terra. Isso denota um talento inegável. Quantos escritores brasileiros serão capazes de tal façanha?

De qualquer forma, agora, que terminei a leitura de Com Quem está Falando Marie Louise?, pressinto que as sombras dessa história sombria e perturbadora me acompanharão por algum tempo. Não é uma perspectiva propriamente agradável, mas é um sinal de que o livro, pelo menos comigo, cumpriu o seu anunciado objetivo.

Para ir além






Luis Eduardo Matta
Rio de Janeiro, 1/3/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro de Jardel Dias Cavalcanti
02. Bates Motel, o fim do princípio de Luís Fernando Amâncio
03. Noel Rosa de Fabio Gomes
04. A fotografia é um produto ou um serviço? de Fabio Gomes
05. Retratos da ruína de Elisa Andrade Buzzo


Mais Luis Eduardo Matta
Mais Acessadas de Luis Eduardo Matta em 2005
01. Moda e modismos prêt-à-porter - 29/3/2005
02. O discreto charme dos sebos - 11/1/2005
03. Um romance de terror e de sombras - 1/3/2005
04. Henry Moore: o Rodin do século XX - 26/7/2005
05. O primeiro código de Brown - 10/5/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/3/2005
14h39min
Talvez o demerito nao seja da autora, mas sim de quem critica um romance nao pela trama ou pela qualidade da escrita, mas pelas referencias utilizadas... Afinal e ficcao, nao e? Mas acho que no caso, os ardilosos criticos nacionalistas vao gostar do livro. Afinal, e um livro de terror, e com personagens sordidos e mesquinhos, bem diferente do que somos aqui no Brasil...
[Leia outros Comentários de Ram]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




4 TRAGEDIES- HECUBA, ANDROMACHE, THE TROJAN WOMEN, ION.
EURIPIDES
CHICAGO
R$ 25,00



REVISTA CGU ANO II - Nº 3
CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO
CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO
(2007)
R$ 8,75



O AMANTE - MARGUERITE DURAS (LITERATURA FRANCESA)
MARGUERITE DURAS
RIOGRÁFICA
(1986)
R$ 6,00



MANUAL DE QUÍMICA FISIOLÓGICA - 5ª EDIÇÃO
HAROLD A. HARPER E OUTROS
ATHENEU
(1982)
R$ 10,00



OS MELHORES CONTOS DE NATAL
VARIOS
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 33,00
+ frete grátis



MANUEL DE L'UNESCO POUR L'ENSEIGNEMENT DES SCIENCES
AUTOR UNESCO
UNESCO
(1964)
R$ 10,00



CONTOS FANTÁSTICOS
THEOPHILE GAUTIER
IMAGINÁRIO
(1999)
R$ 35,00



TERRITÓRIO, SEXO E PRAZER: OLHARES SOBRE O FENÔMENO DA PROSTIUIÇÃO NA GEOGRAFIA BRASILEIRA
ORG: MIGUEL ANGELO RIBEIRO E RAFAEL DA SILVA OLIVEIRA
GRAMMA
(2011)
R$ 30,00



DICIONARIO DE PORTUGUES - SCHIFAIZFAVOIRE
MARIO PRATA
GLOBO
(1993)
R$ 7,00



KANELA, UM ETERNO CAMPEÃO!
TOGO RENAN SOARES
EDUARDO MONTEIRO
(1992)
R$ 12,00





busca | avançada
30221 visitas/dia
773 mil/mês