O Google e o negócio da China | Nemo Nox | Digestivo Cultural

busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O centenário do Castor
>>> O comercial do Obama
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> Mininas no Canto Madalena
>>> Quase cinquenta
>>> Bate-papo com Odir Cunha
>>> Entrevista com Sérgio Rodrigues
>>> Leblon
>>> Uma entrevista literária
>>> A ilusão da alma, de Eduardo Giannetti
Mais Recentes
>>> A Música do Tempo Infinito de Tales A. M .Ab'Sáber pela Cosac & Naify (2012)
>>> Poesia e Filosofia de Antonio Cicero pela Civilização Brasileira (2012)
>>> A Estrada da Noite de Joe Hill pela Sextante (2007)
>>> O ornamento da massa de Siegfried Kracauer pela Cosac & Naify (2009)
>>> O Horror Econômico de Viviane Forrester pela Unesp (1997)
>>> Merleau-ponty e a Educação de Marina Marcondes Machado pela Autentica (2010)
>>> Revoluções de Michael Lowy pela Boitempo (2009)
>>> O Anticristo de Friedrich Nietzsche pela Lpm pocket (2008)
>>> E no Final a Morte de Agatha Christie pela Lpm pocket (2010)
>>> Estetica da Emergencia de Reinaldo Laddaga; Magda Lopes pela Martins Fontes (2012)
>>> Pós-produção: Como a Arte Reprograma o Mundo Contemporâneo de Nicolas Bourriaud pela Martins Fontes (2009)
>>> A saga da família Klabin-Lafer de Ronaldo Costa Couto pela Klabin (2020)
>>> Tudo Pelo Amor Dele de Sandie Jones pela Única (2019)
>>> Um Encontro de Sombras de V E Schwab pela Record (2017)
>>> O Vilarejo de Raphael Montes pela Suma das Letras (2015)
>>> Dança da Escuridão de Marcus Barcelos pela Faro (2016)
>>> Pyongyang - Uma Viagem a Coreia do Norte de Guy Delisle pela Zarabatana (2008)
>>> Com a Palavra o Ilustrador - O Que ´e Qualidade em Ilustração no Livro Infantil e Juvenil de Ieda de Oliveira pela Dcl (2008)
>>> Matrizes da Linguagem e Pensamento - Sonora Visual Verbal de Lucia Santaella pela Iluminuras (2009)
>>> Na Tessitura dos Signos Contemporâneos de Maria Zilda da Cunha pela Paulinas (2023)
>>> UM País se Faz Com Tradutores e Traduções de John Milton pela Martins Fontes (2019)
>>> O Tempo na Narrativa de Benedito Nunes pela Loyola (2013)
>>> Atlas De Cirurgia Ginecologica 7ª edição -2012 - de Diethelm Wallwiener pela Artemed (2012)
>>> O Que é ( Ou o Que Pode Ser) Ensino-Aprendizagem de Literatura Infantil de André Luiz Ming Garcia pela Crv (2021)
>>> Avanços Em Reprodução Humana Assistida - Capa Dura -2007- Medicina de Roger Abdelmassih pela Atheneu (2007)
COLUNAS

Segunda-feira, 13/2/2006
O Google e o negócio da China
Nemo Nox
+ de 11000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A expressão "fazer um negócio da China" está ganhando um novo significado. Além de ser um empreendimento lucrativo, agora implica também em curvar-se aos desejos de um governo totalitário em troca da penetração num mercado de tamanho descomunal. Trata-se de uma manobra pouco surpreendente para corporações que colocam o lucro acima de qualquer postura política, mas causa espanto e indignação quando a protagonista do negócio da China é uma empresa que sempre se orgulhou de sua ética e ostenta em sua filosofia corporativa máximas como "democracia funciona bem na rede" ("democracy on the web works") e principalmente "você pode ganhar dinheiro sem praticar o mal" ("you can make money without doing evil"). Sim, o Google foi à China.

Conforme anunciado em 24 de janeiro de 2006 por Andrew McLaughlin, conselheiro da empresa, "para poder operar com base na China, nós retiramos algum conteúdo dos resultados de busca disponíveis em google.cn em resposta a leis e políticas locais". A justificativa? "Apesar da remoção seletiva de resultados ser inconsistente com a missão do Google, não oferecer informação alguma seria mais inconsistente ainda."

A notícia circulou rapidamente pela internet, despertando pelo caminho incontáveis comentários desfavoráveis. Entre as primeiras e mais veementes condenações ao novo contrato do Google está a Repórteres Sem Fronteiras, ONG dedicada à defesa da liberdade de imprensa, que acusou a empresa de hipocrisia e chamou o episódio de "um dia negro para a liberdade de expressão na China".

A resposta do Google não tardou e veio através do weblog oficial da empresa, o Google Blog. "Chegamos à nossa decisão perguntando a nós mesmos que caminho seria o mais eficiente para dar continuidade à missão de organizar a informação mundial e torná-la universalmente útil e acessível. Ou, de forma mais simples: como podemos oferecer o maior acesso à informação ao maior número de pessoas?" Se parece paradoxal achar que a melhor forma de distribuir informação é censurando parte dela, mais curiosa ainda é a completa ausência de qualquer referência ao fator econômico da decisão, como se não estivessem em jogo os lucros gigantescos num mercado que já tem mais de cem milhões de pessoas usando a internet e uma das maiores taxas de crescimento na quantidade de usuários da rede.

Na verdade, o Google está entrando no mercado chinês com algum atraso. Yahoo e Microsoft já estão lá, também censurando resultados de busca. Mas do Google esperava-se um comportamento diferente, afinal a empresa sempre fez questão de enfatizar seu anticonvencionalismo. No documento oficial enviado a Securities and Exchange Comission quando abriram seu capital, afirmavam que "O Google não é uma empresa convencional. Não temos intenção de nos tornarmos uma empresa convencional. Através de toda a evolução do Google como empresa privada, fizemos uma administração diferente. Temos também enfatizado uma atmosfera de criatividade e desafio, que nos tem ajudado a oferecer acesso imparcial, preciso e livre para todos que confiam em nós em todo o mundo." Talvez agora tenham que acrescentar: "menos na China".

Os defensores da postura do Google (entre eles os blogueiros Jason Calacanis, que recentemente vendeu sua empresa Weblogs Inc para o grupo AOL, e David Weinberger, autor do livro Small Pieces Loosely Joined) argumentam que, apesar de não ser uma decisão agradável ou popular, tem potencial para ser a mais eficiente a longo prazo para uma eventual abertura chinesa. Dar um gostinho do que um mecanismo de busca em moldes ocidentais pode oferecer e esperar que a censura governamental vá afrouxando suas restrições. Calacanis chega ao extremo de elogiar a coragem do Google por comprometer sua ética para fincar um pé na China. Mas é exatamente por ter usado essa ética como bandeira por tantos anos que o Google agora se vê vítima de tantas críticas. Sua pureza de intenções parece ter sido útil somente enquanto não se chocou com os interesses econômicos. Até que ponto estariam dispostos a adaptar seus princípios frente a novas exigências do governo chinês? Se a Microsoft censurou o weblog do chinês Zhao Jing, e a Yahoo forneceu informações que contribuíram para colocar o dissidente chinês Shi Tao na prisão, o que podemos esperar do Google? Eles realmente acreditam que "nosso compromisso com a China é a melhor (e talvez a única) maneira de ajudar a levar os tremendos benefícios do acesso universal à informação para todos os usuários de lá" ou estão somente interessados em fazer um negócio da China?

Para ir além
Leia também The Search, John Battelle e a história do Google.

Nota do Editor
Nemo Nox assina o blog Por um Punhado de Pixels.


Nemo Nox
Washington, 13/2/2006

Mais Nemo Nox
Mais Acessadas de Nemo Nox
01. O apanhador no campo de centeio - 8/7/2002
02. Dilbert - 7/6/2002
03. Um Bonde Chamado Desejo - 22/10/2002
04. Os Impossíveis - 11/9/2002
05. Modelos de beleza - 28/10/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/9/2007
13h17min
Repórteres sem fronteiras não é uma ONG dedicada à liberdade de expressão. É antes uma entidade financiada pela CIA, pelo governo estadunidense, pela União Européia, implicada na defesa da tortura, de guerras e conivente com crimes cometidos contra jornalistas quando estes são de um espectro ideológico não neoliberal. Esta entidade se situa num campo extremo do neliberalismo, da direita e do universo ultra-conservador. Não é digna de credibilidade. Convido todas e todos a investigar seu histórico.
[Leia outros Comentários de emerson da silva]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Evangelii Gaudium - a Alegria do Evangelho
Jorge Mario (papa Francisco) Bergoglio
Paulus
(2013)



Querido Diário Otario 3 - Eu Sou a Princesa Ou o Sapo?
Jim Benton
Fundamento
(2012)



Supergigante
Ana Pessoa
Sesi
(2015)



Creative English 3 Sb
Colin Granger
Macmillan Elt
(2013)



Maria
Rodrigo Alvarez
Globo Livros
(2015)



O Moleiro, o Menino e o Burro
Mauricio de Sousa
Girassol
(2014)



Como Surgiram os Seres o as Coisas
Varios
Atica
(1996)



Livro - Dos Delitos e das Penas - Livro de Bolso
Cesare Beccaria
Edipro de Bolso
(2015)



Paixão e Vingança
Armando Fernandes de Oliveira
Mensagem de Esperança
(1992)



Pelas Veias da Selva
Vito Dalessio
Ftd
(1992)





busca | avançada
48473 visitas/dia
1,4 milhão/mês