Minha história com Cássia Eller | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
75243 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
>>> Conrado Hubner fala a Pedro Doria
Últimos Posts
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
>>> Cinema: Curtíssimas terá estreia neste sábado (28)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Literatura e cinema na obra de Skármeta
>>> Literatura e cinema na obra de Skármeta
>>> A todos que passem por aqui
>>> João Paulo Cuenca e seu Corpo Presente
>>> Neruda, oportunista fantasiado de santo
>>> VTEX e Black & Decker sobre transformação digital
>>> Apresentação
>>> Fetiches de segunda mão
>>> Em busca do vampiro de Curitiba
>>> Millennials
Mais Recentes
>>> PS, Eu te amo de Cecelia Ahern pela Novo Conceito
>>> A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafon pela Objetiva
>>> Os Milionarios de Brad Meltzer pela Record
>>> O Jogo de Brad Meltzer pela Record
>>> Leviatã de Boris Akinin pela Objetiva
>>> Moquecas de Marido de Betty Mindlin pela Paz & Terra
>>> O Arqueiro de Bernard Cornwell pela Record
>>> O Condenado de Bernard Cornwell pela Record
>>> O Ultimo Reino de Bernard Cornwell pela Record
>>> O Tigre de Sharpe de Bernand Cornell pela Record
>>> O Triunfo de Sharpe de Bernand Cornell pela Record
>>> Sharpe em Trafalgar de Bernand Cornell pela Record
>>> Os Fuzileiros de Sharpe de Bernand Cornell pela Record
>>> A Pedra da Bencao de Barbara Wood pela Best Seller
>>> A vizinha de Barbara Delinssky pela Bertrans Brasil
>>> Desejos - Trilogia da Esperanca - Vol.3 de Barbara Delinssky pela Harlequin
>>> Encantos - Trilogia da Esperanca - Vol.2 de Barbara Delinssky pela Harlequin
>>> Sonhos - Trilogia da Esperanca - Vol.1 de Barbara Delinssky pela Harlequin
>>> O Homem de Montana de Barbara Delinsky pela Harlequin
>>> A felicidade mora ao lado de Barbara Delinsky pela Bertrans Brasil
>>> O Mundo dos Vampiros de Arieni Dissenha Daniel Portes pela Novo Seculo
>>> Os Incas - A Luz de Machu Picchu - Vol.3 de Antonie B.Daniel pela Objetiva
>>> Os Incas - O Ouro de Cuzco - Vol.2 de Antonie B.Daniel pela Objetiva
>>> Os Incas - A Princesa do Sol - Vol.1 de Antonie B.Daniel pela Objetiva
>>> Sangue e Ouro de Anne Rici pela Rocco
COLUNAS

Quarta-feira, 10/5/2006
Minha história com Cássia Eller
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4000 Acessos

Comprei um disco com muitas músicas curiosas. Não nego que a voz quase masculina me deixava fã. Era impressionante ouvir aquele timbre que confundia meus irmãos. Todos podiam jurar que aquele vozeirão não era de mulher. E eu dizia que era. Uma desconhecida, exceto pelo deslize de gravar "Por enquanto", da Legião Urbana. Foi assim que eu conheci Cássia Eller. Foi querendo cantar como um Renato Russo mais melódico.

Mas depois conheci Cássia num disco de vinil de capa clara. "Sonhei que viajava com você" era estupenda para ouvir alto. Aquele crescendo que a banda fazia dava arrepios na coluna. "Rubens" era engraçada, e era ali que eu percebia que Cássia Eller não era apenas uma voz diferente, era quase atriz, interpretava como se o palco fosse do teatro. As vozes não eram apenas canto, eram proeza. E eu me divertia, além de me deleitar, com o que ela fazia com seus personagens. Regravando Rita Lee e Beatles, Cássia apresentava o repertório de uma musa meio macho. E era assim mesmo.

Fui ao show de Cássia com Edson Cordeiro. Num estacionamento de shopping, sequer havia platéia para eles. Fiquei no gargarejo, logo embaixo do palco onde ela pisava pesado. Via Cássia bem de perto e me certificava de que aquilo tudo era mesmo cantado por ela. Cada faixa dos discos soava perfeita ao vivo. Edson Cordeiro se conformava em ter voz de estúdio e em pedir desculpas por não conseguir fazer ao vivo o que vendia no discão.

Até que Cássia caiu no gosto popular. Não digo isso no mau sentido. Com alguma orientação, ela passou a gravar canções que soavam menos estranhas a quem também ouvia rock dos anos 80. Passou a experimentar letras menos embaraçosas para uma camada média de população, passou a dispor de Nando Reis para produzir hits quase instantâneos. Entrou na era MTV, fez clipes, virou musa de capa de CD, contra tudo o que ela inspirava.

Cássia gravou pelo menos dois acústicos, com as mesmas canções de ninar que eu evitava ouvir. Ainda assim, nunca lhe dediquei uma greve ou mesmo jamais a reprovei em meu microsystem. Cássia sempre esteve lá, principalmente quando a descobri cantando que teria saudades da Maria.

Cássia foi minha trilha de muitas manhãs, quando eu queria decorar sua versão da paranóia delirante. Também a ajudei a interpretar as cartas do correio e a fiz cantar repetidas vezes, na mesma manhã, a música da nêga que deveria se casar com o capeta. "Ai, meu Deus, ai meu Deus o que é que há?"

Cássia foi minha trilha de estudos, música de cantar no banho, imitação, trilha de trabalho. Certa vez, numa escola, enquanto os alunos cumpriam uma tarefa de oficina de livro, cantavam, espontaneamente, canções de Cássia. E eu ficava feliz.

Canto junto com ela até hoje, seja nos CDs solo, seja quando regravou o Rei, Roberto Carlos, quando cantou para a Cuca, do Sítio do Picapau Amarelo, quando esteve sambista ou roqueira. Cássia pôde fazer tudo isso porque parecia várias.

Até que um dia Cássia morreu. Vi a notícia nos jornais. Esperei a noite para confirmar a tragédia. Era uma tragédia. Se Cássia morresse, nunca mais eu teria dela um CD novo para conhecer. Teria que me contentar com os existentes. E Cássia morrera mesmo.

Eu chorei. Eu entrei no banheiro e lamentei que Cássia tivesse morrido. Jovem, genial e tão insatisfeita. Chorei e, em homenagem, ouvi os CDs de Cássia naquele dia. Cantei com ela várias canções, como se naquele momento pudéssemos fazer um dueto. E fiquei esperando o segundo sol chegar para realinhar as órbitas dos planetas.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 10/5/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Moro no Morumbi, mas voto em Moema de Julio Daio Borges
02. Assunto de Mulher de Marilia Mota Silva
03. O tempo de Arturo Pérez-Reverte de Celso A. Uequed Pitol
04. O cavalo branco de Elisa Andrade Buzzo
05. Treze Teses sobre Cinema de Humberto Pereira da Silva


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Ze Ninguem Tito na Rua
Alberto Serrano Tito
Janeiro
(2015)



Bar Doce Lar
J. R. Moehringer
Nova Fronteira
(2006)



Vencedor Não Usa Drogas
Edson Ferrarini
Do Autor



Oratória para Advogados e Estudantes de Direito - Lacrado
Reinaldo Polito
Benvira
(2012)



A Voz dos Meninos - Projeto Educação Com Arte: Oficinas Culturais
Ana Maria Cavalcanti Lefevre (org.)
Cenpec
(2014)



Numerologia Cármica: Conhecendo Sua Missao de Vida - 1ª Edição
Sueli Lucchi Di Leo
Nova Senda
(2016)



A culpa é das estrelas
John Green
Intriseca
(2012)



Leituras Complementares de Direito Constitucional
Marcelo Novelino
Podivm
(2008)



Psicologia da Reconciliação
Mario Pereyra
Cedisau
(1990)



Psicologia Escolar
M. Helena Novaes
Vozes
(1972)





busca | avançada
75243 visitas/dia
2,2 milhões/mês