E Viva a Abolição – a peça | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Frankenstein de Mary Shelley
>>> Christian Barbosa no MitA
>>> Obama e o oba-oba
>>> E se Amélia fosse feminista?
>>> O que é ser jornalista?
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
Mais Recentes
>>> Trotski - O Profeta Banido de Isaac Deutscher pela Civilização Brasileira (1984)
>>> Nos Tempos de Getúlio: Da Revolução de 30 ao Fim do Estado Novo de Sonia de Deus Rodrigues Bercito pela Atual/ Sp. (1995)
>>> De Getulio a Getúlio: o Brasil de Dutra e Vargas (1945 a 1954) de Francisco Fernando Monteoliva Doratioto (e outro) pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1991)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1994)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Código da Vida - Fantástico Litígio Judicial de Uma Família de Saulo Ramos pela Planeta (2008)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1991)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Contabilidade introdutória de Sergio Iudicibus, Stephen e outros pela Atlas (1977)
>>> Language Its Nature - Development and Origini de Otto Jespersen, (Prof. Univ. Coppenhagen)./ pela George Allen & UnwinnLtd/London (1949)
>>> El Espejo y La Lámpara: Teoría Romántica y Tradición Clásica de M. H. Abrams pela Eitorial Nova/ Argentina (1962)
>>> Clause Sauf Encaissement de Casimir Pajot pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1891)
>>> Catolicismo para Leigos de John Trigilio e Kenneth Brighenti pela Altabooks (2008)
>>> Estudos Sobre Sucessões Testamentária de Orosimbo Nonato pela Forense (1957)
>>> Los Caminos Actuales de La Critica (Encadernado) de René Girard/ G. W. Ireland/ Jacques Leenhardt... pela Planeta/ Barcelona (1969)
>>> Instituições de Direito Civil Portuguez de M.A. Coelho da Rocha pela Garnier Livreiro (1907)
>>> Régimen Argentino de la Propiedad Horizontal de José A. Negri pela Arayú (1953)
>>> Enciclopédia de Cultura de Joaquim Pimenta pela Freitas Bastos (1963)
>>> Direitos de Família de Lafayette Rodrigues Pereira pela Freitas Bastos (1945)
>>> Demarcação Divisão Tapumes de Alfredo de Araujo Lopes da Costa pela Bernardo Alves S.A. (1963)
>>> Consultor Civil de Carlos Antonio Gordeiro pela Garnier (1913)
>>> El Derecho de Familia en La Legislacion Comparada de Luis Fernandez Clerico pela Hispano Americana (1947)
>>> Estudos de Direito Civil de Manoel Martins Pacheco Prates pela São Paulo (1926)
>>> Direitos Reaes de Garantia de J.L. Ribeiro de SouSa pela C. Teixeira
>>> Obrigações de Pagamento em Dinheiro (Três Estudos) de Paulo Barbosa de Campos Filho pela Jurídica e Universitária (1971)
>>> Teoria e Pratica dos Testamentos de Manoel Ubaldino de Azevedo pela Saraiva (1965)
>>> Les Groupements D' Obligataires de Albert Buisson pela Librairie Générale de Droit et de Jurisprudence (1930)
>>> Novo Código Civil Anotado Volume II ( Direito das Obrigações) de J.M.Leoni Lopes de Oliveira pela Lumen Juris (2002)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 6 ) Direito das Sucessões de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 5 ) (Direto das Obrigações 2ª parte) de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 4 ) Direito das Obrigações de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (2019)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 3 ) Direito das Coisas de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 2 ) Direito Família de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1992)
>>> Curso de Direito Civil ( Parte Geral) Volume 1 de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Usucapião de Imóveis de Lourenço Mario Prunes pela Sugestões Literárias S/A
>>> Instituições de processo Civil (Volume VI) de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2007)
>>> Direito Civil Volume 6 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2004)
>>> O Pensamento Vivo de Einstein (Edição Ilustrada) de José Geraldo Simões Jr.: (Pesquisa e Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Direito Civil Volume 2 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2002)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1957)
>>> Estudo da Posse e das Acções Possessorias de Leopoldino Amaral Meira pela Livraria Academica (1928)
>>> Acção Possessória de J.M. de Azevedo Marques pela São Paulo (1923)
>>> O Direito de Ação e o Modo de Execê-lo de Ataliba Vianna pela Forense (1969)
>>> O Pensamento Vivo de Darwin (Edição Ilustrada) de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
COLUNAS

Quinta-feira, 1/6/2006
E Viva a Abolição – a peça
Lisandro Gaertner

+ de 21700 Acessos

(Entram em cena dois senhores de bigode, ao som daquela musiquinha da Escrava Isaura. "Lele-lele-lelele". Cada um carrega uma placa no pescoço dizendo Vilão de Novela)

Leôncio: - Barão de Araruna! Que bom vê-lo por aqui!

Barão: - Olá, doutor Leôncio. Como vai a vida?

- Nada bem, Barão. Nada bem. Esses malditos abolicionistas e as suas idéias de libertar os escravos estão tirando o meu sono. Não sei como poderei manter os negócios se eles tiverem sucesso.

- Ora, doutor, relaxe. Quando a abolição vier, ela trará grandes vantagens para todos nós.

- Como, Barão? Vai dizer que o senhor agora comunga com esses ideais abolicionistas?

- De maneira alguma, doutor Leôncio. Mas, devo dizer: acho que a abolição será uma boa e lucrativa mudança. Preste atenção na minha linha de pensamento. Quanto lhe custa manter um escravo hoje em dia?

- Bom, vejamos. Tem a senzala, a alimentação, o feitor, o capitão do mato, as correntes, os chicotes. Hum, cada escravo deve me custar uns 10 contos por mês.

- 10 contos. Por outro lado, um colono lhe custaria, agora, uns 20 contos. Mas, futuramente, depois da abolição, acredite, meu caro, eles custarão bem menos.

- Como?

- Veja só. Digamos que agora tenhamos 100 colonos. Depois da abolição teremos esses mesmos 100 colonos mais 300 escravos libertos, todos eles competindo por uma vaga na lavoura. Isso sem contar com os imigrantes que estão aparecendo por aí.

- E daí, Barão?

- E daí que serão mais de 400 trabalhadores querendo um trabalho que pode ser muito bem feito por 40. Isso quer dizer que, como existem muitas pessoas interessadas na mesma vaga, poderemos pagar muito menos a um colono. É um simples de caso de oferta versus procura. Assim, ao invés dos 20 contos de hoje, ou dos 10 contos que gastamos com os escravos, pagaremos a cada colono algo por volta de 5 contos ao mês.

- Mas isso é genial! Como não pensei nisso antes? Vou lhe dizer: nunca imaginei que o fim da escravidão seria tão proveitoso.

- Você ainda não viu nada, meu caro Leôncio. Os nossos lucros não param por aí. Quando todos forem "livres", ainda precisarão de um lugar para morar. Como não teremos mais as senzalas, planejo oferecer às pessoas moradias um tanto parecidas com as casas dos escravos, mas menos seguras e limpas. Algo que chamarei de conjuntos habitacionais.

- De graça?!

- Claro que não, doutor. O senhor está me estranhando? Como somos donos de todas as terras, eles precisarão pagar a nós uma taxa pela moradia. Algo que eu penso em chamar de aluguel. Para isso eles precisarão nos dar algo por volta de 2 contos.

- Hum, pagaremos a eles 5 contos, ganharemos 2 do tal aluguel. Ainda estaremos lhes pagando 3 contos. Será possível baixar esse valor ainda mais?

- Claro. O senhor esqueceu de algo fundamental: a alimentação. Como qualquer pessoa livre, eles precisarão comprar a sua própria comida. E quem produz comida por aqui?

- Nós mesmos!

- Exatamente. Com a alimentação da família eles acabarão gastando mais 2 contos que irão direto para os nossos bolsos.

- Dois mais dois, quatro. Pagamos cinco, eles ainda terão 1 conto para guardar.

- Para guardar, não. Para gastar.

- Com o quê? Eles já têm moradia e alimentação!

- Eu sei, mas a liberdade vai enlouquecer as pessoas. Todos vão querer parecer melhores do que são. Ter mais coisas do que podem ter. Afinal, eles adoram se sentir ricos, mesmo sendo pobres. Por isso vamos passar a vender besteiras que pareçam conceder status a esses pobres de espírito. Esses produtos serão chamados de supérfluos e com eles, as pessoas gastarão mais 2 contos por mês.

- Espere um pouco. Há algo errado com essa conta. Eles ganham 5. Gastam 2 com aluguel, 2 com comida, 2 com supérfluos. Eles ficarão devendo 1 conto. De onde eles tirarão esse dinheiro?

- Nós lhes daremos esse dinheiro.

- A troco de quê?

- Para cobrar juros. Somos ou não somos os donos dos bancos da região?

- Meu Deus, se eu soubesse disso teria apoiado a abolição antes. Se antes nós gastávamos 10 contos com um escravo, agora ganharemos 1 conto pelo mesmo trabalho.

- 1 conto mais os juros, meu caro Leôncio. Antes nós gastávamos, agora eles pagarão e caro para trabalhar! E não serão apenas os negros. Os brancos, os asiáticos, homens de todas as raças e credos pagarão para trabalhar para nós. Abolir a escravidão será o mesmo que expandi-la. E o melhor de tudo é que, ao contrário desses escravos ingratos, eles pagarão para trabalhar e ainda se sentirão felizes.

- Como isso é possível?

Barão. Simples. Eles pensarão que são livres. E existe algo melhor que a liberdade? Então, meu caro amigo, você ainda acha que a abolição é um mau negócio?

- Pelo contrário, Barão. É um ótimo negócio. Mas algo me passou pela mente. Até agora só tratamos dos homens. Afinal as mulheres ficam em casa para cuidar dos afazeres domésticos. Será possível inclui-las nesse negócio? Os nossos lucros duplicariam.

- Calma, Leôncio. Uma coisa de cada vez. Depois da abolição, daremos um jeito de incluir as mulheres nesse esquema também.

- E como faremos isso?

- Com um novo movimento, meu caro amigo. Um novo movimento para libertar as mulheres. Algo que eu estou pensando em chamar de Feminismo.

Leôncio: - Barão, o senhor é um gênio.

Barão: - Obrigado pelo elogio, doutor Leôncio, mas não sou nenhum gênio. As pessoas é que são ingênuas demais.


Lisandro Gaertner
Rio de Janeiro, 1/6/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eleições Americanas – fatos e versões de Fabio Silvestre Cardoso
02. Deitado eternamente em divã esplêndido – Parte 1 de Luis Eduardo Matta


Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner em 2006
01. E Viva a Abolição – a peça - 1/6/2006
02. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
03. Orkut: fim de caso - 10/2/2006
04. Escritora de Bom Censo - 4/8/2006
05. Um presidente relutante - 18/8/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TOQUE - MÉTODOS E MILAGRES DE CURA
M. A. DOUG HEYES
MADRAS
(2018)
R$ 34,90



INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS
PIERRE JACCARD
LIVROS HORIZONTE
(1977)
R$ 24,82



DO MEU AO TEU CORAÇÃO
PE. PAULO H. MOURA
ED. LOYOLA
R$ 15,00



THE HOLLOW EARTH
RAYMOND BERNARD
ADVENTURES UNLIMITED PRESS
(2009)
R$ 35,00



ORAÇÃO QUE TRANSFORMA
SUELY BEZERRA
FÔLEGO
(2009)
R$ 10,00



A 8 SERIE C
ODETTE DE BARROS
MUNDO JOVEM
(1987)
R$ 11,00



OS TERRITÓRIOS DO REINO DE DEUS:
MARCUS CASTRO FARIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 258,00



O SELF ESSENCIAL
WILL SELF
ALFAGUARA BRASIL
(2014)
R$ 35,00
+ frete grátis



CLARA-COMO-O-SOL, ESCURO-COMO-A-NOITE 2º EDIÇÃO
JOSÉ BORTOLINI
PAULUS
(2005)
R$ 4,00



SÓCRATES ENCONTRA SARTRE
PETER KREEFT
VIDE EDITORIAL
(2013)
R$ 150,00





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês