Escritora de Bom Censo | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
37594 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nova edição da Bailinho terá karaokê, flash mobs, correio do amor e cartomante
>>> Hotel Andronis, na Grécia, promove festival de música e gastronomia
>>> Prêmio Sesc de Literatura anuncia os vencedores da edição de 2023
>>> Omodé: Festival Sesc de Arte e Cultura Negra para a Molecada no Sesc Bom Retiro
>>> Arranha-céus do centro de São Paulo trocam olhares com o público
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Pulp Fiction e seus traços em Cocaine Bear
>>> Rabhia: 1 romance policial moçambicano
>>> Nélio Silzantov e a pátria que (n)os pariu
>>> Palavras/Imagens: A Arte de Walter Sebastião
>>> Rita Lee Jones (1947-2023)
>>> Kafka: esse estranho
>>> Seis vezes Caetano Veloso, por Tom Cardoso
>>> O batom na cueca do Jair
>>> O engenho de Eleazar Carrias: entrevista
>>> As fitas cassete do falecido tio Nelson
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Roberto Vinháes (2023)
>>> Something About You (Cary Brothers & Laura Jansen)
>>> Uma história do Airbnb (2023)
>>> Vias da dialética em Platão
>>> Uma aula sobre MercadoLivre (2023)
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
Últimos Posts
>>> Não esqueci de nada
>>> Júlia
>>> Belém, entre a cidade política, a loja e a calçada
>>> Minha Mãe
>>> Pelé, eterno e sublime
>>> Atire a poeira
>>> A Ti
>>> Nem o ontem, nem o amanhã, viva o hoje
>>> Igualdade
>>> A baleia, entre o fim e a redenção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Enquanto agonizo, de William Faulkner
>>> Do Colunista
>>> A Teoria de Tudo
>>> O criado e o mordomo: homens do patrão
>>> Michael Jackson e a Geração Thriller
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Acho que entendi o Roberto Setubal
>>> A esquerda nunca foi popular no Brasil
>>> Apresentação
>>> Hate keeps a man alive
Mais Recentes
>>> Fundamentals of investments valuation and management 455 de Bradford D. Jordan pela Sem
>>> Contos de 1 Minutos 455 de Contos de 1 Minutos pela Girassol (2004)
>>> Indução da Ovulação 455 de Newton Eduardo Busso pela Sem (2011)
>>> Monstros Lá de Casa 455 de Eleonora Marton pela Peirópolis (2020)
>>> Medicina Alternativa de A a Z 455 de Carlos Nascimento Spethmann pela Natureza (2003)
>>> Bridget Jones no Limite da Razão 455 de Helen Fielding pela Record (2002)
>>> Batman a máscara da morte 455 de Yoshinori Natsume pela Panini Comics
>>> Higiene e conservação de alimentos 455 de Higiene e conservação de alimentos pela Senai SP (2009)
>>> O Líder 455 de Rudolph Giulian pela Campus (2002)
>>> A Próxima Década 455 de George Friedman pela Novo Conceito (2012)
>>> A Casa da Praia 455 de Nora Roberts pela Bertrand Brasil (2016)
>>> Apenas um dia 455 de Gayle Forman pela Novo Conceito (2014)
>>> Garota Exemplar 455 de Gilian Flynn pela Intrínseca (2013)
>>> Fundamentos de panificação e confeitaria 455 de Fundamentos de panificação e confeitaria pela Senai SP (2019)
>>> No seu Olhar 455 de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2016)
>>> Desastres naturais conhecer para prevenir 455 de Lídia Keiko Tominaga pela Sem (2009)
>>> O Preço do consumo 455 de Ivan Jaf pela Ática (2010)
>>> Operação Cavalo de Tróia Kennereth 3 455 de J. J. Benítez pela Mercuryo (1988)
>>> Barriga de Trigo 455 de William Davis pela Martins Fontes (2020)
>>> Lembranças da Meia Noite 455 de Sidney Sheldon pela Record
>>> Livro - Moral da historia... fabulas de Esopo de Rosane Pamplona pela Elementar (2019)
>>> O Médico Jesus 455 de José Carlos de Lucca pela EBm (2009)
>>> Para o dia nascer feliz 455 de José Carlos de Lucca pela Petit (2003)
>>> Culpados sem ter culpa 455 de Harue Arita pela Scortecci (2010)
>>> O Filho de Mil Homens 455 de Valter Hugo Mãe pela Biblioteca Azul (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 4/8/2006
Escritora de Bom Censo
Lisandro Gaertner
+ de 7200 Acessos
+ 11 Comentário(s)

- Bom dia, minha senhora. Sou do IBGE e vim realizar o Censo de 2010. Aqui está o meu crachá.
- Ah, tudo bem. O síndico já havia me falado que o senhor vinha hoje. Além disso, eu vi o cartazinho. Pode entrar, por favor.
- OK.
- O senhor gostaria de tomar alguma coisa? Um café? Um chá? Uns biscoitinhos?
- Não, muito obrigado. Tenho ainda muitos apartamentos para visitar hoje. Será que poderíamos ir direto ao questionário?
- Com certeza. Sente-se, por favor.
- Muito obrigado. Sua idade?
- Não se pergunta isso a uma dama...
- Eu sei, minha senhora, mas eu sou do Censo. Do Cen-So! Preciso saber dessas informações.
- Eu tenho... setenta...
- ...setenta e?
- O senhor me pegou. Setenta e sete.
- OK. Acredito que a senhora seja aposentada.
- Não, não. Eu sou escritora.
- Escritora? A senhora vive disso?
- Claro que não. Quem me dera. Apenas o Paulo Coelho consegue sobreviver de literatura do Brasil. Também, um homem de tanto talento... Dizem que ele até faz chover.
- Tá, sei, já ouvi falar sobre isso. E o que a senhora faz para se manter?
- Ah, eu recebo umas pensõezinhas.
- Umas?
- É, recebo uma do meu pai, que foi militar, e uma do meu marido, com o qual casei apenas no religioso. Além disso, eu fui professora primária.
- OK. Então, que ocupação eu coloco aqui? Sem ocupação ou escritora?
- Põe escritora que é mais bonito.
- Mais bonito... Tá certo. Olha, atualmente o pessoal tá pegando no pé da gente nesse lance de ocupação. Então, eu tenho que fazer umas perguntas para saber se a senhora realmente é escritora segundo os critérios da CBO.
- CB o quê?
- CBO. Classificação Brasileira de Ocupações. A CBO é uma lista que identifica as ocupações existentes no mercado, incluindo áreas de atividade, recursos e competências específicas. Sem isso qualquer um pode dizer que é qualquer coisa e o Censo não vai refletir a realidade. Então, posso perguntar sobre as suas competências de escritora?
- Pode.
- Primeira pergunta: a senhora costuma ler?
- Ler?
- É, ler.
- Tipo o quê?
- Ué, sei lá. Livros, revistas, jornais, esse tipo de coisa.
- Ah, meu filho, eu não leio, não. Quer dizer, hoje em dia, com a minha vista...
- Mas, como a senhora pode escrever se não lê nada?
- Bom, eu já li né. Sabrina, Júlia, essas coisas... ah, e, vez ou outra, no cabeleleiro, eu leio uma Caras, uma Contigo...
- Tá, vamos passar dessa. A senhora domina a língua?
- O que você quer dizer com isso, meu filho?! Tenha respeito! Não vê que eu sou uma senhora?
- Não, a senhora não entendeu. Estou perguntando se a senhora entende bem de português, escreve bem em português, entendeu?
- Ah, o português é uma língua tão complicada, né? Eu erro como todo mundo erra, meu filho. Quando eu era professora ficava com tanta pena dos meus alunos. Eles eram tão burrinhos... mas, vez ou outra, um deles até me corrigia. Isso era tão bonito.
- Tá. Vamos dizer que o seu conhecimento da língua é satisfatório. E sobre criatividade? A senhora é criativa?
- Eu sou muito criativa. Meu último livro, por exemplo, é muito criativo. É a história sobre uma menina que vem do Oriente Médio e se apaixona por um gêmeo. Aí aparece um clone...
- Calma aí. Isso aí não foi uma novela?
- Foi? Eu não lembro direito.
- Tá, vou colocar aqui que a senhora é suuuper criativa!
- Muito obrigado pelo elogio, meu filho.
- Bom, depois dessa, vejo que nem preciso perguntar sobre a sua intuição e senso de observação. Pelo jeito, os dois são ótimos.
- Exatamente. Você também é muito observador.
- OK. Vamos a questões mais práticas. Quando os seus livros foram publicados, a senhora mesma negociou o processo de edição? Entende de direitos autorais?
- Direitos autorais? Não, meu filho. Quem me entendeu errado, agora, foi você. Eu nunca publiquei um livro.
- Nunca?
- Nunca. Pra dizer a verdade, eu nem terminei o meu único livro.
- Não terminou nem um livro?
- Não, para dizer a verdade estou numa encruzilhada. Na minha história uma menina que é apaixonada por um boiadeiro vai para os Estados Unidos procurar fama e fortuna, mas não sei se ela deve ficar com ele no final ou com um americano rico.
- Mas a história não era sobre a menina do Oriente Médio? Deixa pra lá. Vou ser sincero com a senhora. Não acho legal a gente botar que a senhora é escritora. Não condiz muito com a realidade.
- Não dá mesmo? Nem fazendo uma forcinha? Que pena, eu conheço tanta gente que é escritor e não se encaixa nos critérios que o senhor colocou... Alguns até são meio famosos.
- Pois, é. Conheço vários desse tipo. Olha, acho melhor colocar que a senhora simplesmente não tem ocupação.
- Sem ocupação. Que coisa horrível de se dizer. Aposto que deve ser a pior "ocupação" dessa lista.
- Pode ficar tranquila, essa nem chega perto da pior. E olha que tem algumas "escritoras" que se encaixam direitinho nela.


Lisandro Gaertner
Rio de Janeiro, 4/8/2006

Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner em 2006
01. E Viva a Abolição a peça - 1/6/2006
02. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
03. Orkut: fim de caso - 10/2/2006
04. Escritora de Bom Censo - 4/8/2006
05. Um presidente relutante - 18/8/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/8/2006
08h48min
Muuuito bom! Eu já tava dando risada ao longo do texto, mas com o link de "escritoras" final eu juro que desabei. Uma pérola, "Seu" Lisandro!
[Leia outros Comentários de Lívia Santana]
2/8/2006
15h39min
Bem, Lisandro, deixando um pouco de lado a sua ótima observação sobre a escritora, aproveito a oportunidade para levantar uma questão que me irrita na carreira literária. O MTE tem em sua classificação de ocupação "Profissionais da Escrita"; o DPF tem em seu formulário de passaporte o código de profissão "546 ESCRITOR"; no entanto, a profissão de escritor, "profissionalmente", não é reconhecida, assim como a de músicos, atores etc. Eu penso da seguinte forma: antes de ficar reclamando de uma série de fatores que são inerentes à vida de um escritor e se brigar por leis de incentivos, é preciso refletir e tentar fazer "aquilo" que os escritores nunca fizeram, que é o reconhecimento e a profissionalização do escritor. No mais, seu texto tem muita coerência, mas, vale lembrar que vivemos num mundo onde tudo é voltado para o lado comercial e, os oportunistas de plantão, sabem muito bem disso. Sds...Elaine Paiva
[Leia outros Comentários de Elaine Paiva]
2/8/2006
3. !
16h50min
Muito bom!
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
2/8/2006
18h16min
Ó, se não fosse por você, eu nunca, mas nuuuuuunca saberia da existência dessa tal de CBO. Agora, deixa eu ir correeeeendo pra casa porque daqui do trabalho não consegui abrir o último link ("Sr. Usuário, o acesso a páginas não profissionais está indisponível.") Há espaço pro humor no Digestivo, graças a Zeus!
[Leia outros Comentários de Ana Claudia]
3/8/2006
07h32min
Sua finalização matou-me de rir. Você acabou de receber um diploma do censo como membro emérito do bom humor. Beijos. Saudações Poéticas!
[Leia outros Comentários de Versos & Acordes]
3/8/2006
11h28min
Putz, também gostei pra caramba do link no final. Essa foi ótima! Abraços.
[Leia outros Comentários de Janethe Fontes]
4/8/2006
07h39min
O personagem da velhinha (quase) escritora é ótimo.
[Leia outros Comentários de Alvaro]
4/8/2006
10h36min
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk! ótimooooooooo! muito bom! Lisandro, vc está de parabéns... foi impossível não rir dessa crônica sua! boa d+... e olha q eu nunca tinha te "reparado" por aqui, mesmo seu gênero sendo um dos meus preferidos... cbo? eu nunca soube dessa maluquice de requisito do censo...ai ai ai! mas e agora? que porcaria! não vou poder nem mais mentir qdo o moço do censo passar lá em casa... justo esse ano q eu queria me passar por escritora... beijo e mais uma vez, parabéns!
[Leia outros Comentários de janaina sorna]
4/8/2006
16h40min
curioso e muito engraçado, essa profissão louca e sem teto salarial, sem registro, sem cálculos trabalhistas, muito massa a crônica, valeu!!!
[Leia outros Comentários de andré Balbino ]
4/8/2006
17h52min
Em um país onde até mesmo Bruna Surfistinha se julga escritora, eu acho que o censor deveria ter atendido ao desejo da velhinha. Muito bom!
[Leia outros Comentários de Claine Brasília]
5/8/2006
03h03min
Aprecio bastante sua coluna, mas achei o humor deste texto previsível. Talvez seja somente que eu já tenha ouvido muito esse tipo de piada... E parabéns pelos textos anteriores!
[Leia outros Comentários de Junior Martuchelli]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Letter to Maria
Elisabeth Prescher / Eduardo Amos
Moderna
(2002)



Eu sou Charlotte Simmons
Tom Wolfe
Rocco
(2005)



A Captura de Cérbero Os Diários Secretos de Agatha Christie
John Curran
Leya
(2010)



Viver Com Fé - Histórias de Quem Acredita
Cissa Guimarães / Patricia Guimarães
Casa da Palavra
(2012)



Macunaíma: o herói sem nenhum caráter
Mario de Andrade
Folha de São Paulo
(2008)



Livro - Por Todo o Infinito - Col. Dezequilíbrios - Livro 1
Maria Lucia Moyses
Ficções
(2016)



Inovar no Interior da Escola
Monica Gather Thurler
Artmed
(2001)



Pacas e Lobos - (ótimo estado - Autografado)
Fausta Nogueira Pacheco
Scortecci
(2002)



Amor e Fama
June Flaum Singer
Record
(1983)



Muito Mais Que 5inco Minutos
Kéfera Buchmann
Companhia das Letras
(2015)





busca | avançada
37594 visitas/dia
1,8 milhão/mês