Um quarto com vista | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
Mais Recentes
>>> A Ciência Médica de House de Andrew Holtz pela Best Seller (2008)
>>> Três Mistérios de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> Cure Seu Corpo as Causas Mentais dos Males Físicos... de Louise L. Hay pela Best Seller (1988)
>>> Vinho Tinto para Leigos de Ed Maccarthy pela Mandarim (1998)
>>> Os Direitos Humanos na Sala de Aula - a Ética Como Tema Transversal de Ulisses F. Araújo e Júlio Groppa Aquino pela Moderna (2001)
>>> Radiologia Odontologica de Aguinaldo de Freitas e Outros pela Arte Medicas (1984)
>>> Infinity da Scorlatti de John Mcnally pela Irado (2014)
>>> Quero Viver de Fernando Carraro; Lima pela Ftd (2007)
>>> Vale a Pena Esperar de Tim Stafford pela Vida (1992)
>>> Além dos Marimbus de Herberto Sales pela Aché
>>> Conecte Matematica - 1 - Primeira Parte de Osvaldo Dolce; David Degenszajn; Nilze de Almeida pela Atual Didáticos (2014)
>>> Jack Sparrow - a Espada de Cortés Vol 4 de Rob Kidd pela Melhoramentos (2007)
>>> Mwninas e Meninos de Domingos Pellegrini pela Ática (2011)
>>> Out of This Century: Confessions of An Art Addict de Peggy Guggenheim pela Anchor Books (1980)
>>> Padre Germano- Memórias de Amalia Domingo Soler; Germano; Eudaldo Pages pela Instituto Lachatre (2011)
>>> Reflexoes politica-poeticas de Jose Olinto pela marx (2000)
>>> As Mil e uma Noites - as Paixões Viajantes de Rene Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> Infância de Graciliano Ramos pela Folha de São Paulo (2008)
>>> Shanghai Girls de Lisa See pela Random House (2010)
>>> Larousse Ortografia de Reglas y 4ejercicios pela Larousse (1996)
>>> O Colecionador de Crespúsculos de Anna Maria cascudo Barreto pela Do Autor (2003)
>>> Law of Attraction de Allison Leotta pela Touchstone Books (2010)
>>> Truques, Trotes, Brincadeiras de Robert Nyberg; Lasse Rade pela Callis (1996)
>>> Sociedade dos Pais Mortos de Matt Haig pela Record (2011)
>>> Biologia para um Planeta Sustentável (em Portuguese do Brasil) de Armênio Uzunian pela Harbra (2016)
COLUNAS

Sexta-feira, 17/11/2006
Um quarto com vista
Rafael Rodrigues

+ de 8100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Poucos são os escritores que conseguem êxito tanto na literatura de ficção quanto na crítica literária. Na maioria dos casos, o sujeito é excelente ficcionista, mas um crítico mediano. Ou vice-versa.

(Existem ainda aqueles que não são bons nem em uma área nem em outra, mas isso não vem ao caso agora.)

O britânico E.M. Forster (Edward Morgan) encontra-se no grupo da minoria. Pois, além de ser reconhecido como um grande estudioso da literatura (seu Aspectos do romance é constantemente indicado para iniciantes e estudiosos de crítica literária), é também autor de admiráveis obras de ficção.

Uma delas é o romance Um quarto com vista (Globo, 2006, 228 págs.), recentemente reeditado no Brasil. Escrito em 1903 e publicado em 1908, Um quarto com vista é um livro corajoso. Isso porque, de certa forma, é um incentivador do feminismo.

Antes de continuar com a resenha, um parêntese. O movimento feminista não é fruto do século XX ou XIX, apesar de ter tomado corpo nestes séculos. O início do movimento vem de muito antes, do século XV, quando a escritora francesa Christine de Pizan publica o livro A cidade das mulheres, no qual defendia a opinião de que as mulheres deveriam ter mais poderes e direitos na sociedade. O fato é que o feminismo se consolidou como movimento e conquistou suas maiores vitórias já no século XIX. E, se ainda hoje as mulheres continuam lutando por seus direitos e enfrentam preconceitos, imaginemos então o início do século XX, quando foi publicado o romance de Forster...

Voltando ao livro. Lucy, a protagonista, é uma bela jovem inglesa que faz uma viagem para Florença, na Itália, com sua prima Charlotte. Ao chegarem na pensão em que passariam suas férias, notam que os quartos a elas destinados não foram os quartos a elas prometidos. A dona do estabelecimento prometera quartos com uma bela vista, mas entregou às duas jovens quartos distantes um do outro e com vista para o pátio da pensão.

A discussão entre as duas sobre isso chega aos ouvidos de um dos outros hóspedes, o senhor Emerson, que logo propõe uma troca de quartos com as duas: elas ficariam com os quartos dele e do filho, ambos com vista, e eles ficariam com os quartos delas.

Depois de muita conversa (para Charlotte, fazer a troca com os Emerson faria com que, mais cedo ou mais tarde, elas fossem obrigadas a devolver a gentileza de alguma maneira, e ela não achava prudente ter essa "obrigação"), e da intervenção do senhor Beebe, sacerdote inglês conhecido de Lucy e Charlotte, que também está de férias em Florença, hospedado na mesma pensão que elas, a troca de quartos é realizada.

Esse fato, aparentemente insignificante, é o que torna possível uma série de acontecimentos, que determinarão o desfecho do livro. Mas é claro que isso eu não vou contar.

Os acontecimentos na viagem fazem com que Lucy se deixe ser mais flexível e pense em aceitar o que a sociedade determina. E ela, que havia duas vezes recusado o pedido de casamento do jovem Cecil Vyse, aceita a proposta, na terceira investida do rapaz.

Por obra do acaso (ou não), Cecil também conhece o senhor Emerson e seu filho, George, e acaba sendo o responsável por eles irem morar bem próximos da residência de Lucy. Mal sabe Cecil que, ainda na Itália, algo acontecera entre Lucy e George. Algo que já estava para ser esquecido por Lucy, mas que, por "culpa" de Cecil, será relembrado.

Conviver com Cecil faz Lucy voltar a ser a mulher que era quando foi à Florença: à frente de seu tempo, deseja ser independente, e muitas vezes contraria de propósito as vontades de seu noivo e de sua mãe. A presença de George faz Lucy romper o noivado com Cecil. Mas ao ter de se decidir entre dois pretendentes, a saída mais tentadora é não ficar com nenhum, e assim ser livre de qualquer amarra.

Disfarçado de uma inocente e divertida história de triângulo amoroso, narrado como se uma comédia romântica, Um quarto com vista é bem mais do que isso. E.M. Forster faz uma análise de burguesia inglesa do início do século XX, denunciando suas fraquezas, hipocrisias e dogmas.

Ele se vale dos vários personagens para alfinetar cada segmento da sociedade. A mãe de Lucy, por exemplo, uma mulher que, nos dias de hoje, seria a famosa "perua". Segue todas as regras da alta sociedade e quer que a filha faça o mesmo. Cecil, uma extensão da mãe de Lucy e da burguesia inglesa, sempre achando-se o dono da razão. Já o senhor Beebe, a meu ver, demonstra o ideal que Forster tem do clero. O senhor Beebe é um homem bem-humorado, maleável - quando pode ser -, sensato e de mente aberta. Qualidades difíceis de encontrar, todas elas reunidas, em qualquer ser humano. E há outros personagens menores, mas que também são retratos de uma época (de todas as épocas, eu diria), como a tresloucada senhorita Lavish, uma escritora que está na mesma pensão em Florença e não tem o menor pudor de colocar em seu novo livro, e até de tentar manipular, parte das vivências de Lucy na cidade italiana. O impressionante é que, vistas sob a luz de nossos dias, em pleno século XXI, as críticas de Forster sejam tão atuais e contundentes.

E.M. Forster, pelo escritor que é, pela importância que tem e pelos livros que escreveu, merece mais que uma simples resenha. Merece mesmo é um ensaio. Esta edição de Um quarto com vista não traz um ensaio sobre o autor e sua obra, mas conta com um texto de Luiz Ruffato sobre o livro. O que não deixa de ser, tendo também em vista a importância de Ruffato em nossa literatura, uma bela homenagem ao escritor inglês.

Para ir além


Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 17/11/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Big Brother da Palmada de Daniel Bushatsky


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2006
01. A história do amor - 24/7/2006
02. Livro dos Homens - 7/8/2006
03. O soldado absoluto - 18/9/2006
04. O encontro marcado: 50 anos - 16/10/2006
05. Carta de um jovem contestador - 9/5/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/11/2006
16h41min
Ótima resenha, como um aperitivo: dá vontade de ler o livro. Rafael, sempre antenado para (a boa) literatura. Acredito que a tradução, como tem acontecido ultimamente, com uma nova safra de tradutores craques aparecendo por aí, esteja à altura do original. Rafael, só pra fechar, um pequeno (redundância) hai-kai: Eufemismo/ é chamar de feminino/ o feminismo.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Para Gostar de Ler, Contos Brasileiros 2
Clarice Lispector; Outros
Atica
(2006)



O Segredo do Genesis
Tom Knox; Angela Pessoa
Suma de Letras Brasi
(2010)



O Gatinho Fofo Gueiro
Elaine de Prá
Paulinas
(2017)



Help! Sistema de Consulta Interativa - Língua Portuguesa
Estadão
Klick



Cândido Ou o Otimismo - Série Reencontro
Voltaire / José Arrabal
Scipione
(1991)



Nietzsche para Estressados
Allan Percy
Sextante
(2011)



O Livro de Jó - Saga O Turno da Noite Vol.3
Andre Vianco
Novo Seculo
(2007)



Tudo por um Feriado
Thalita Rebouças
Rocco
(2007)



Elis 1977
Folha de São Paulo
Folha de São Paulo



O Valor Terapêutico do Perdão
Francisco Cajazeiras
Eme
(2010)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês