Infeliz ano novo | Guilherme Conte | Digestivo Cultural

busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 2/3/2007
Infeliz ano novo
Guilherme Conte

+ de 4000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Foto: João Caldas/Divulgação

Vivemos em um mundo anestesiado. Ler um jornal ou assistir a um noticiário na TV tornou-se uma coisa automática. Se foram 20, 200 ou 2000 mortos num atentado a bomba em Bagdá, é a mesma notinha de canto de página, a mesma cena dos sobreviventes chorando nos escombros. Perdemos a capacidade de nos indignar.

Casos como o do recente brutal e grotesco assassinato do menino João Hélio Fernandes, no Rio de Janeiro, mobilizam todas as atenções para a questão da violência. No mesmo minuto chovem especialistas, diretores de entidades, políticos e acadêmicos, cada um com uma receita, uma reivindicação, um olhar.

Historicamente esses momentos de comoção generalizada são pautados por discussões superficiais, muitas vezes falaciosas e contaminadas até a medula por ideologias exacerbadas e, não raro, interesses individuais não muito edificantes. E isso tudo se dilui nos labirintos inexpugnáveis da política. O resultado? Nada, ou pouco, muda.

Nessas horas, nada melhor do que a arte para nos instigar o pensamento, provocar, levantar questões, abalar certezas. Histerias à parte, é fato que viver é uma aventura cada vez mais perigosa. E espetáculos como Hotel Lancaster se tornam, mais do que nunca, necessários.

O dramaturgo Mario Bortolotto traz nesta peça um hotel habitado por traficantes, viciados e criminosos, em uma noite de réveillon. De um lado, gente que, pelas mais diversas razões, busca no mundo das drogas uma maneira de suportar a realidade. De outro, os que vivem dessa busca e que fornecem o passaporte para essa "viagem". Lados, aqui, meramente distintivos ­- todos estão, de alguma forma, no mesmo barco.

Um retrato desprovido de julgamentos

Hotel Lancaster pertence à melhor estirpe dos escritos de Bortolotto. Estão aqui seus diálogos rápidos e cortantes, os personagens marcantes, a tensão dramática constante. Uma obra poderosa, ancorada em esmeradas interpretações e em uma minuciosa e fluida direção de Marcos Loureiro.

Sua poética mais uma vez se detém sobre os que não têm voz, aquelas realidades tão próximas, mas que no dia-a-dia parecem tão invisíveis e distantes. É como se Bortolotto nos abrisse uma janela para este mundo que aparece em letras negras num papel de jornal, no bandido que nos assalta na esquina ou no filho que internamos em uma clínica de reabilitação.

Nasce daí um espetáculo generoso, na medida em que deixa as conclusões para o público. Bortolotto tem a grandeza de não fazer julgamentos ou teorias, não tomar partidos nem buscar explicações. Simplesmente nos convida a partilhar um pouco daquele mundo, sem ser, nem de longe, pretensioso ou taxativo.

É interessante pensar em Hotel Lancaster como uma tragédia - na acepção mais clássica do termo. Por mais que cada um ali busque o seu caminho, todos estão fadados a se encontrar com a violência mais cedo ou mais tarde. Overdose, assassinato, suicídio - o mundo é um lugar cruel para aquelas vidas confinadas no hotel. É uma contagem regressiva, uma implacável bomba-relógio contando o tempo.

Montagem precisa

O texto ganha vitalidade por conta da direção precisa de Loureiro. Com pulso firme, caminha sem titubear num terreno propício a tropeços em excessos e gratuidades, e dá a medida exata de emoção e vigor em cada vírgula, cada gesto. O resultado assusta por ser tão dolorosamente real.

O elenco é coeso e afinado, e sua força reside no conjunto. As marcas bem delineadas resultam em uma dinâmica rápida, algo videoclíptica, que não dá trégua ao espectador. Fique atento à constante tensão dissipada nos olhares, nos gestos, nas palavras e nos silêncios.

Seria injusto, porém, não destacar a ágil e inesquecível participação do parlapatão Henrique "Napão" Stroetter. O versátil ator, com uma longa lista de bons serviços prestados ao teatro, está impagável. Poucas vezes a expressão "roubar a cena" pôde ser usada com tamanha propriedade.

Todos estes aspectos fazem de Hotel Lancaster uma experiência dolorosamente necessária. Um espetáculo direto, que incomoda. Que bom que incomoda.

Para ir além
Hotel Lancaster - Espaço Parlapatões - Praça Franklin Roosevelt, 158 - República - Terça e quarta, 21h - 55 min. - R$ 20 - Até 7/3.

* * *

Pianíssimo

(Foto: Divulgação)

Qualquer pianista que se disponha a embrenhar-se pela majestosa obra de Tom Jobim encontra de saída interpretações-referência no mínimo respeitáveis: o legado de gravações do próprio Tom. Exímio pianista, tinha tamanha familiaridade com o instrumento que criou e executou harmonias que soam, muitas vezes, únicas.

Em comemoração aos 80 anos do falecido compositor chega à praça Piano - Tom Jobim por Fábio Caramuru, álbum duplo com 28 faixas que dão conta de boa parte do fino da produção de Tom. É uma obra que não pode faltar na estante dos entusiastas do instrumento ou de quem deseja ver um novo ângulo de abordagem de canções já extremamente familiares aos nossos ouvidos.

Piano vem revestido de um dado que o torna muito interessante: há um intervalo de dez anos entre os dois CDs. Enquanto o segundo é inédito, o primeiro foi lançado originalmente sob o título de Tom Jobim Piano Solo. Só isso já valeria a curiosidade - a audição permite perceber a evolução artística de um talentoso instrumentista.

O paulistano Fábio Caramuru, de sólida formação clássica, demonstra profunda intimidade com o universo pianístico de Tom (tema, aliás, de sua dissertação de mestrado). Sua multiplicidade de referências, aliada a uma técnica apurada, lhe dá subsídios para transitar em um repertório cosmopolita por excelência.

Tom fez como poucos a ponte entre o popular e o erudito: sua essência bebia em muito desta dicotomia. E Fábio não só tem isso muito claro para si como trabalha em cima deste mesmo pensamento. Basta comparar "Amparo" e "Flor do Mato" para atestar essa dualidade de estéticas.

Talvez por ter trabalhado por uma década como arquiteto Fábio saiba que a função faz a forma. Seus arranjos transpiram vitalidade e frescor, e ressaltam aspectos submersos nas canções. Elegante, conseguiu atingir leituras muito próprias respeitando as concepções de Tom. O segundo disco soa mais solto em relação ao primeiro; sua sonoridade também difere por conta da presença eventual do contrabaixista Pedro Baldanza.

O compositor alemão Karlheinz Stockhausen disse certa vez que os músicos deveriam ser mestres de seu instrumento a tal ponto que seu corpo não seja obstáculos para sua alma. Essa é a relação que Fábio tem com o piano. Podemos ouvir intenções sussurradas por trás de cada nota.

O equilíbrio é a chave de sua interpretação. Fábio consegue imprimir a dose exata de emoção e delicadeza em cada frase. Seu piano canta com refinamento e espontaneidade. "Meditação", "Esperança Perdida", "Desafinado", "Canta, Canta Mais" e "Retrato em Branco e Preto" são alguns dos exemplos mais evidentes. Pequenas jóias dentro de um trabalho de altíssima qualidade. Tom ficaria muito feliz.

Para ir além





Guilherme Conte
São Paulo, 2/3/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você) de Renato Alessandro dos Santos
02. Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda? de Renato Alessandro dos Santos
03. Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba de Renato Alessandro dos Santos
04. O Brasil que eu quero de Luís Fernando Amâncio
05. A falta que Tom Wolfe fará de Rafael Lima


Mais Guilherme Conte
Mais Acessadas de Guilherme Conte em 2007
01. Impressões sobre a FLIP - 20/7/2007
02. O cientista boêmio - 12/1/2007
03. O homem visto do alto - 23/3/2007
04. Rafael Spregelburd e o novo teatro argentino - 11/5/2007
05. E se refez a Praça Roosevelt em sete anos - 13/4/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/2/2007
18h31min
Num mundo e no momento em que as palavras têm sido inúteis para sustentar e viabilizar ações efetivas, pró uma sociedade menos violenta, você nos convida, através de um magnífico texto, a vivenciar um espetáculo "dolorosamente real" e, através dele, refletir. Tentarei me esforçar para poder assisti-lo. Sabe o que mais me estarrece? A buzina que paralisa multidões a um toque e com dois a libera reproduzindo o conto infantil "Pífaro Mágico". Estamos falando da mesma sociedade: aquela que não detém em suas mãos o seu próprio destino e segue... Continue escrevendo e nos presenteando com suas construções instigadoras, inteligentes e plasticamente deliciosas.
[Leia outros Comentários de Vanice]
28/2/2007
22h41min
Perdoa-me a franqueza, não entendi o título e os quatro parágrafos introdutórios. Era para escrever sobre o drama do momento? Para nos convidar ao teatro? Para nos convidar a uma reflexão? Creio que este tipo de tutela não sintoniza com o material que circula no DC. Ainda assim, perdoa, é só a minha opinião.
[Leia outros Comentários de Carlos E. F. Oliveir]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A FACA DE DOIS GUMES
FERNANDO SABINO
RECORD
(1985)
R$ 4,98



SER+ EM EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AO CLIENTE
MÁRCIA RIZZI & MAURICIO SITA
SER MAIS
(2012)
R$ 15,00



OLHAR, ESCUTAR, LER - 1ª EDIÇÃO
CLAUDE LÉVI-STRAUSS
COMPANHIA DAS LETRAS
(1997)
R$ 98,95



CONFERÊNCIAS E DISCURSOS: COM DEDICATÓRIA DO AUTOR
OLIVEIRA E SILVA
AURORA (RJ)
(1965)
R$ 26,82



INGLÊS EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
HELOÍSA LEME G. DE CARVALHO ET AL
EDUCARTE
(1999)
R$ 10,00



A DÉCIMA TERCEIRA HISTÓRIA
DIANE SETTERFIELD
RECORD
(2007)
R$ 14,00



A INFÂNCIA RECUPERADA
FERNANDO SAVATER
PRESENÇA
(1997)
R$ 46,70



CANTO EM MARCHA - MÚSICA FOLK E DIREITOS CIVIS NOS ESTADOS UNIDOS
MARIANA OLIVEIRA ARANTES
ALAMEDA
(2016)
R$ 49,90



COMPREENDER WITTGENSTEIN
KAI BUCHHOLZ
VOZES
(2008)
R$ 40,00



AS MARCAS NO DIVÃ
JAIME TROIANO
GLOBO
(2009)
R$ 11,00





busca | avançada
45185 visitas/dia
1,2 milhão/mês