Meninas eu vi | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
33835 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 26/4/2007
Meninas eu vi
Elisa Andrade Buzzo

+ de 5100 Acessos
+ 3 Comentário(s)


ilustra: Tartaruga Feliz

De fora, ouço o barulho da água caindo e as gargalhadas ressoando ecoadas. O vapor quente embacia o vitrô. Sinto a doçura do cheiro enjoativo de xampu. Sou capaz de entrar lá sem que ninguém me veja, por uma das frestas entre os vidros. Esgueiro-me, depois me dilato de excitação. Sim, aqui é um paraíso intocado pelo homem - as meninas molhadas ensaboam-se amolecidas e com pensamentos perdidos em bolhas de esquecimento.

Contemplo-as de cima, vislumbrando emaranhados de cabelos molhados, pêlos sugados em reviravolta encaracolada pelo ralo. Uma das fileiras de chuveiro tem portas, a outra respira livre. Mas pouco importa a tentativa de se esconder, posso entrar em todos os lugares. Sobrevôo seus corpos açucarados pelo sabonete de chocolate. Se pudesse pousar minhas mãos em seu ombro, beijar sua nuca num ziguezague escaldante, infiltrar-me entre suas coxas como a água que escorre branda, ou ainda recostar-me em seu ventre orvalhado... certamente elas me repeliriam com veemência.

Gotículas de água preenchem os corpos quentes, recém-saídos do banho. Visualizo cada poro, limpo ou sujo, fechado ou aberto. As pequenas sem havaianas coloridas salpicam apenas a pontinha dos dedos no chão embaciado de água preta. Elas não andam, antes deslizam à maneira de românticas heroínas. Enroladas em mínimas toalhas brancas, ou mesmo nuas, percorrem o vestiário até chegar à sua bolsa. Elas tapam o sexo com calcinhas brancas micro. Ainda com os seios desnudos, reviram a bolsa em busca de cremes miraculosos, que espraiam pelos braços estendidos, em massagem vigorosa nas pernas e barriga, numa chacoalhada tremelicante. Ai! Até parece que tem repelente...

O traçado intrincado verde-azul que reveste suas peles alvas é charada invencível. Nem que tateasse com brutalidade suas veias, poderia desvendar o avesso de meticulosa casca. Mapa-múndi cravejado de pintas.

Em balanço circular, faço cócegas em suas pernas e pés descobertos, suave pena sonora que sou. Freio no impulso do amor e mordida. Persigo-as, escondendo-me nos armários semi-abertos, por debaixo dos bancos de madeira molhados. Quero fazer do azulejo frio nossa macia cama invisível, deitá-las em levitação de mágico ilusionista e encruzilhar minhas longas pernas com as delas.

O bico do peito é trampolim rumo a oceano, onde cavalgo em acrobáticos pulos. Quando enfim, me afundo, permaneço em púlpito ao som de seu discurso universitário vazio. Não me importa sua intelectualidade, o que me interessa é a quentura das carnes sanguinolentas. Agora é a hora, lá fora está frio e não as alcançarei mais. Na sala de aula, as meninas estão lacradas, corpo e mente, é noite, a cidade amortece meus sentidos ralos.

A fala entre as meninas é zunzunzum perfazendo o ar irrespirável de vapor d'água. Seu corpo rijo - volutas em que volteiam meus olhos - basta-me para ensandecer meu esqueleto-esponja. Delas, o espelho, espelho, espaço vazio em que se travestem mulheres com delineador, gloss e secador. Dê-me pedaço desta boca brilhosa, desta rosácea que se entorna em cintura perfeita...

Procuro o que não se encontra, o que se depara pelo acaso e, ainda assim, continuo minha busca. O perigo não me desestimula, sei que a vida é curta. Aprendi a conviver de forma pacífica. Opaca. Se me for permitido clareza nesta clandestinidade.

Pois, não tenho medo da morte. Sei que minha vida é fraca e inútil. Sequer elas, as meninas, vão se recordar da minha presença invisível, ou incômoda; apenas fazer o favor de me afundar no esquecimento completo. Repito: não tenho medo... Tenho ganas póstumas. As de agora, carnais. É como o destino se apresenta - amo o que quero comer, mas o que amo também me come, me repisa. Coisas terrenas e comezinhas, as cartas disseram ser meu fraco.

De nenhuma valia são os desejos contidos naqueles corpos enlanguescidos. Tudo será pouco ou nada. Prazer efêmero, como todos. Saudade constante, pois nunca o que se tem parece o suficiente. Não apenas uma, todas. As meninas que também não se satisfazem. As meninas cruas e sós, em estado de dicionário, trazem suas decepções e pesares para a ducha. Vida íntima exposta em vitrine embaciada.

A imagem de uma sobrepondo-se à imagem das outras - complementares imersas no brilho reflexivo -, torna-se uma só. Será minha. Gigante, poderoso, um só ser cintilante oscila. A caça recebe contornos mais indefinidos, e ainda que o alvo figure claro, fito-me, insignificante como a ferrugem grafite impressa na chapa metálica.

Venham uspianas, ao alcance... da minha língua sorverei... sumo escarlate espesso... que o seu cabelo me cubra de mapas de novos lugares, pra que onde eu esteja seja tão bonito quanto o seu cabelo.

Durante um vôo rasante, ela revolve o cabelo molhado. Reflexo lento, a picada se desfaz em vento. Fino chicote afiado me abate. Minhas asas se esfacelam entre as reentrâncias caleidoscópicas no solado de sua sandália.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 26/4/2007


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2007
01. Ecos digitais: poema-em-música - 4/1/2007
02. Casa cor-de-rosa - 8/11/2007
03. A Via Láctea de Lina Chamie - 27/12/2007
04. Meninas eu vi - 26/4/2007
05. A brasileira - 22/2/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/4/2007
15h32min
Elisa, a sensualidade desse seu mosquito é fascinante. Um texto notável. Abraços.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
26/4/2007
15h38min
um insetinho romântico espreitando as uspianas. salivante, ávido por sucções libidinosas. aquele pescocinho alvo ali seria um ótimo alvo... mas não será desta vez que o pobre arrotará sangue nobre e aguado. chinelo no safado, no alado voyeur! parabéns pelo escrito, Elisa, muito bem elaborado!
[Leia outros Comentários de octávio roggiero]
20/5/2007
10h11min
Elisa: estava eu pronta para dizer que só uma mulher poderia descrever a sensibilidade do vôo, que não é do besouro, quando me lembrei de Nelson Rodrigues escrevendo com pseudônimo feminino. É a verve de quem empunha a pena, suponho. Parabéns! Cylene Gama
[Leia outros Comentários de Cylene Gama]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SARA SEM SILICONE
JANICE KAPLAN
RECORD
(2007)
R$ 19,00



RECENSEAMENTO DO BRAZIL VOL 1 INTRODUÇÃO - ASPECTO PHYSICO DO BRAZI...
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
ESTATISTICA
(1922)
R$ 118,45



THE INTERPRETATION OF MURDER
JED RUBENFELD
HEADLINE PUBLISHING (LONDRES)
(2006)
R$ 23,82



MACUNAÍMA - COLEÇÃO CLÁSSICOS DA LITERATURA
MARIO DE ANDRADE
CIRANDA CULTURAL
(2017)
R$ 14,90



TIO PATINHAS, O REI DA LIMONADA
TESOURO DISNEY
TESOURO DISNEY
(1987)
R$ 6,00



FAÇA DAR CERTO 7693
LUIZ ANTONIO GASPARETTO
ESPAÇO VIDA E CONSCIÊNCIA
(1995)
R$ 10,00



PAULO BETTI - NA CARREIRA DE UM SONHADOR
TETÉ RIBEIRO
IMPRENSA OFICIAL
(2005)
R$ 6,90



ARQUIVO X - VOL. 2 - QUANDO A NOITE CAI
CHRIS CARTER
MERCURYO
(1996)
R$ 6,90



SONHO ACORDADO DIRIGINDO - ONIRODRAMA DE GRUPO
C. MOREY HOSSRI
MESTRE JOU
(1974)
R$ 8,91



EMPREENDEDORISMO NA GESTÃO AMBIENTAL -O COMBATE AO TRÁFICO DE ANIMAIS
CAMILA REBOUÇAS SERRA
RENCTAS
(2005)
R$ 50,00





busca | avançada
33835 visitas/dia
1,3 milhão/mês