Wikipedia: fama e anonimato | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
71132 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Wikipedia

Quinta-feira, 3/5/2007
Wikipedia: fama e anonimato
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 4800 Acessos

Na edição do mês de abril, a revista Piauí trouxe em seu primeiro texto uma piada acerca do novo ministério do Governo Lula. Para resumir a piada, e mesmo porque eu acho que o artigo em questão é imperdível, o jornalista Marcos Sá Correa assinala: "a Wikipedia foi a melhor fonte de informações sobre o que não acontece no ministério do presidente Lula" - isso porque o texto na Enciclopédia Livre está carente de dados. O texto de Marcos Sá Correa apareceu num mês particularmente complicado para a Wikipedia. Se esta crônica fosse um texto de media criticism, arriscaria a seguinte análise: a grande imprensa, da Folha de S.Paulo à revista Carta Capital, passando pelo O Estado de S.Paulo, foi unânime em chancelar a mesma crítica à Enciclopédia Livre: faltaria, segundo os críticos, métodos que assegurassem que as informações veiculadas pela Wikipedia fossem confiáveis. E o caso ganhou novas dimensões quando descobriu-se que um dos editores não era um especialista em religião, como aclamava ser, mas, sim, um estudante, que participava do site como Teólogo - tendo, inclusive, escrito inúmeros textos sobre o referido tema. Com efeito, erros e imprecisões são, infelizmente, uma praga comum não só na internet, mas, também, nos jornais. Qual seria, então, o grande problema com a Wikipedia? Para tentar responder a questão a conteto, vou precisar de mais alguns parágrafos. Confira-os logo a seguir.

A princípio, é fundamental louvar os princípios fundadores da Wikipedia. Afinal de contas, é a prova maior do alcance e do poder da internet, uma vez que a página pode, com efeito, disseminar o conhecimento entre os internautas em geral, e para os seus freqüentadores, em específico. O leitor que quiser, por exemplo, conhecer mais acerca do escritor norte-americano John Cheever tem uma bela oportunidade com a Wikipedia. Assim como os interessados em descobrir a trajetória do jornalista inglês Cristopher Hitchens têm à sua disposição o referido verbete no site. Mas a Wikipedia não pára por aí. Com efeito, o leitor que se considerar apto para tanto também consegue, para além de conferir no texto de Hitchens e a bibliografia de Cheever, colaborar para com a enciclopédia. Daí, talvez, a origem de seu grande mote: a enciclopédia livre. Uma vez que você se considerar capaz, é possível ampliar os verbetes de seu interesse/área de atuação; portanto, cada leitor "é potencial colaborador do projeto". As aspas referem-se a um texto da própria Enciclopédia. É um princípio magnífico, pois sim. Entretanto, algumas de suas peculiaridades não têm sido contempladas e o que era para ser um projeto de divulgação do conhecimento tem se transformado em uma triste comédia de erros disponível em dez idiomas.

Por questões de espaço e, também, pela natureza deste texto - que não é de um enciclopedista, mas de um generalista como os editores da própria enciclopédia livre -, pode-se resumir em dois os elementos que descaracterizam o projeto original da Wikipedia. Fama e anonimato. Parece título de livro de jornalista norte-americano, mas, em verdade, essas duas palavras mágicas explicam e dão contundência à teoria desconstrucionista da Wikipedia - calma, calma, não é uma tese -, justamente porque elucidam um fenômeno bastante comum no que tange o livre-pensar e, mais do que isso, o andamento das idéias em terra brasilis. Pois, de um lado, vivemos em uma época que é mais fácil adotar as idéias prontas, ainda que elas sejam fora do lugar, a buscar originalidade em qualquer coisa que seja. Assim, num momento em que os intelectuais se silenciam, a choldra vê o BBB, e os escritores vão passear com dinheiro público, a regra é simples: copiar, colar. De outro lado, como sói ao pós-modernismo livre-cátedra, as referências já pertencem a um discurso mais ou menos comum. Paulo Francis escreveu, no início do Cabeça de Papel: "não reconhecemos mais Drummond". E é verdade. As pessoas não mais se recordam de suas referências. Nesse sentido, se o Saber está morto, tudo é permitido (essa você pode consultar lá, leitor)

Mas, afinal, onde é que está a relação entre fama e anonimato e a Wikipedia? Pois bem. Nada mais simples do que o seguinte teorema. Em busca da fama, estão os colaboradores, os escribas que, grosso modo, padecem da falta de superego e decidem, por que não?, escrever uma Enciclopédia! Tudo estaria OK se, e atenção para essa condição, outros tantos anônimos não levassem isso tão a sério. Como tão a sério? A ponto de copiar trechos inteiros de verbetes e reproduzi-los não só em posts de blogs e/ou artigos de jornais, mas, também, em trabalhos ditos científicos, monografias, dissertações e teses. Os bárbaros chegaram, enfim. Agora, além de não reconhecerem Drummond, não mais sabem distinguir o significado das coisas, porque consultam tão somente na Wikipedia. E acreditam que está tudo certo se pararem por ali. Uma lástima, portanto.

É certo que nem todos os colaboradores da Wikipedia são falsários, assim como nem todos os seus usuários fraudadores intelectuais. O problema da Wikipedia não está em seu princípio, mas, como acontece com o Google, do uso que se faz dela. E é sobre isso que deve existir uma reflexão. Por enquanto, aos mais exaltados, pede-se parcimônia e um pouco de coerência. Se é correto afirmar que a Wikipedia possui informações relevantes sobre os mais diversos conteúdos, sobretudo porque seus colaboradores são pessoas que têm informação atual e podem repelir aquilo que estiver errado, também é justo considerar algo muito simples: a checagem das informações/verbetes em outras fontes, outras enciclopédias (elas existem, pessoal!). Do contrário, sou levado a crer, de acordo com a leitura da Piauí, que, se não está na Wikipedia, não existe...


Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 3/5/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus de Humberto Pereira da Silva
02. Graciliano Ramos, o gigante de Daniel Lopes
03. Um noir cubano de Luiz Rebinski Junior
04. Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti de Jardel Dias Cavalcanti
05. Utopia de Juliano Maesano


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso
01. Orgulho e preconceito, de Jane Austen - 5/5/2006
02. Desonra, por J.M. Coetzee - 21/12/2004
03. Por que quero sair do Orkut (mas não consigo) - 2/2/2006
04. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
05. Teoria da Conspiração - 10/2/2004


Mais Especial Wikipedia
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SUCESSOS DA COZINHA SAUDÁVEL
ELISA BIAZZI
NATUREZA
(1997)
R$ 7,00



A HERDEIRA
HENRY JAMES
CÍRCULO DO LIVRO
(1999)
R$ 8,90



CONTABILIDADE DE CUSTOS
MARCOS FREIRE GUIMARÃES
VESTCON
(2003)
R$ 5,00



A CORAGEM DA DESESPERANÇA LACRADO NOVO
SLAVOJ ZIZEK
ZAHAR
R$ 59,90



CASA DE PENSÃO - 3ª ED. - SÉRIE BOM LIVRO
ALUÍSIO AZEVEDO
ÁTICA
(1981)
R$ 7,00



DEMOGRAFIA BRASILEIRA
PAUL HUGON
ATLAS
(1973)
R$ 11,00



TEX EDIÇÃO HISTÓRICA 89 - FANTASMAS NO DESERTO
G. L. BONELLI
MYTHOS
(2014)
R$ 14,87



O DESAFIO DAS DROGAS E O DIREITO
MENNA BARRETO
RENES
(1971)
R$ 6,00



INTRODUCCION A LA EXPLORACION CLINICA EM PEDIATRIA
PROF. A. GALDÓ
QUESADA GRANADA
(1959)
R$ 15,00



OS ECONOMISTAS - TEORIA DA ECONOMIA POLÍTICA
JEVONS
NOVA CULTURAL
(1996)
R$ 6,90





busca | avançada
71132 visitas/dia
2,6 milhões/mês