Aprender ficção | Marília Almeida | Digestivo Cultural

busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
>>> Selo Anonimato Records chega ao mercado fonográfico em agosto
>>> Última semana! Peça “O Cão de Kafka” fica em cartaz até 1º de agosto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
>>> Rogai por nós
>>> Na cacimba do riacho
>>> Quando vem a chuva
>>> O tempo e o vento
>>> “Conselheiro do Sertão” no fim de semana
>>> 1000 Vezes MasterChef e Nenhuma Mestres do Sabor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Amor platônico
>>> 80 (Melhores) Blogs na Época
>>> Nordeste Oriental
>>> Entrevista com Flávia Rocha
>>> Clint: legado de tolerância
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Nicolau Sevcenko & jornalismo
>>> 25 de Julho #digestivo10anos
>>> Hugo Cabret exuma Georges Méliès
>>> Jornais do futuro?
Mais Recentes
>>> Bíblia Sagrada Nova Versão Transformadora de Equipe Nvt pela Mundo Cristão (2016)
>>> A Mão e a Luva - Coleção Prestígio de Machado de Assis pela Ediouro (1987)
>>> Introdução à Teologia Fundamental de Rino Fisichella pela Loyola (2012)
>>> O Mulato - Coleção Prestígio de Aluísio Azevedo pela Ediouro (1987)
>>> Uma Lágrima de Mulher - Coleção Prestígio de Aluísio Azevedo pela Ediouro (1987)
>>> Filosofia Política e Liberdade de Roland Corbisier pela Paz e Terra (1975)
>>> Civilização e Cultura. Volume 1 de Luis da Câmara Cascudo pela Livraria José Olympio (1973)
>>> Antologia do Folclore Brasileiro - 2 Volumes de Luis da Câmara Cascudo pela Martins (1965)
>>> Alguém Que Anda por Aí de Julio Cortázar pela Nova Fronteira (1981)
>>> Revolução na América Latina de Augusto Boal pela Massao Ohno (1961)
>>> Arte de Amar e Contra íbis de Ovídio pela Cultrix (1962)
>>> História Concisa da Literatura de Alfredo Bosi pela Cultrix (1979)
>>> Por Que Almocei Meu Pai de Roy Harley Lewis pela Companhia das Letras (1993)
>>> A Filosofia de Descartes de Ferdinad Alquié pela Presença / Martins Fontes (1969)
>>> A . Comte - Sociologia de Evaristo de Moraes Filho; Florestan Fernandes pela Ática (1983)
>>> The Pedants Return de Andrea Barham pela Bantam Books (2007)
>>> O Ser e o Tempo da Poesia de Alfredo Bosi pela Companhia das Letras (2004)
>>> Thomas Hobbes de Os Pensadores: Hobbes pela Abril Cultural (1979)
>>> Introdução ao Filosofar de Gerd Bornheim pela Globo Livros (2003)
>>> O Caneco de Prata de João Carlos Marinho pela Global (2000)
>>> Berenice Contra o Maníaco Janeloso de João Carlos Marinho pela Global (1997)
>>> Conceptual Issues in Evolutionary Biology de Elliott Sober pela Mit Press (1993)
>>> A History Their Own Women in Europe - 2 Volumes de Bonnie S. Anderson; Judith P. Zinsser pela Harper & Rowpublishers (1988)
>>> Revelações de Uma Bruxa de Marcia Frazão pela Bertrand Brasil (1994)
>>> Eu, Malika Oufkir: Prisioneira do Rei de Malika Oufkir; Michèle Fitoussi pela Companhia das Letras (2000)
COLUNAS

Terça-feira, 29/5/2007
Aprender ficção
Marília Almeida

+ de 3000 Acessos

Em suas oito aulas no curso de Criação Literária na Academia Internacional de Cinema - AIC, em São Paulo, o escritor João Silvério Trevisan foi enfático: o aperfeiçoamento não acontece na ficção e, menos ainda, na poesia, sem repertório. Mas técnicas para aprender a criar e dialogar com outros autores são importantes. E lembra: muitas pessoas acham que escrever cai do céu. "A literatura supõe elaboração e regras. Há necessidade de um projeto", conclui.

João é coordenador de oficinas, que geralmente têm duração de quatro meses, há vinte anos. Dois de seus alunos, Nelson de Oliveira e João Carlos Carrascoza, seguiram carreira literária. Ele revela que já viu muitos aspirantes sofrerem simplesmente por não quererem meter o dedo em suas feridas. "Vejo a literatura como uma maneira de sobreviver. Ajuda na expressão e, como efeito colateral, nos salva", complementando com uma citação do poeta americano Ezra Pound: "A literatura é a linguagem carregada de significado até o máximo grau possível".

Para começar, João coloca muitas perguntas: O que define nosso estilo? O que buscamos? O que é o real? Para ele, a literatura busca expressão inventiva e cita exemplos como Graciliano Ramos, que "era essencialista em captar o real, mas o transformava de acordo com a sua compreensão, assim como Jorge Luis Borges". Além disso, lembrou que cada projeto literário é uma nova literatura. "Já cheguei a demorar dois anos para escrever apenas um conto. Meu livro é uma garrafa a ser lançada no mar do nada, sempre um risco que corro", define.

A base da oficina de João é a crítica de texto, pois ele acredita que "quando fazemos crítica do outro, estamos fazendo de nós mesmos". Ela deve provir do leitor que temos dentro de nós e dizer respeito a aspectos técnicos como estrutura, ritmo, linguagem e construção de personagens. Cada um pode criticar o trabalho lido, que depois é criticado pelo professor e, por fim, o autor tem direito à defesa. Segundo João, o objetivo da oficina é que as pessoas usem as críticas se quiser e não sejam obrigadas a aceitá-las. "Pressiono pela técnica. Não sou um juiz e minha opinião não é determinante. Uma das minhas funções aqui é provocar".

Os exercícios propostos pelo professor consistem em criar cinco contos com temas ou propostas diferentes, base para que fossem criticados. O primeiro deles teve como tema os cheiros da infância, porém, não era permitido nomear o cheiro para "instigar a ficção" e ser inspirados na autobiografia. "Temos que usar nossas experiências como trampolim. E o tema é um desafio, pois, nele, todos esbarram na pieguice". Os outros exercícios visaram trabalhar a intuição e a improvisação, entre outras características.

As maiores críticas aos textos proferidas por João foram alto nível de descrição ("é preciso deixar o leitor imaginar"), superficialidade do enredo, ritmo narrativo heterogêneo ou estagnado, adjetivos pouco eficientes e funcionais ("as imagens podem ser lindas, mas devem ser inseridas em uma estrutura"), verborragia e construção pouco consistente do contexto e personagens. Além disso, ele apontou problemas gramaticais, como pontuação e repetição de palavras. "A gramática, especificamente, precisa ser aprendida em aulas de português e redação. Por isso, não dou muita atenção a ela. Mas, muitas vezes, os problemas se estendem e chegam a dificultar a sensibilidade do ritmo narrativo".

Um grande problema que se verificou durante suas aulas foi a necessidade de se separar a crônica do conto. Para João, a "crônica é o caminho mais fácil e é de sua propriedade ser mais superficial", e complementa: a literatura, ao contrário de roteiros, tese e reportagens, é mais criativa e serve apenas a uma coisa: à escrita, enquanto os outros podem servir também a imagens e são canais. "Um roteiro passa por diversas mãos e contém sugestões. Mas a literatura tem que conter toda significação em si. Ela é capaz de problematizar a realidade mais do que a reportagem".

O ponto mais enfatizado por João nas aulas, além do fato poético (o exercício de buscar fatos durante a semana corrente que, na visão de cada um, poderiam ser transformados em ficção e a viabilidade dessa possibilidade ser analisada pelo grupo), foi o projeto, pois "a literatura deve começar com ele e não pode perdê-lo de vista, não pode deixar que a obra o leve". Nesse item, João assume uma semelhança entre a ficção e o roteiro, que, na sua visão, é apenas um esqueleto que tem a sinopse como referência, assim como a ficção deve ter o projeto como referencial. E dá a dica: descubra um projeto literário, não o abandone e nunca faça apologia a um estilo.

Para impulsionar o diálogo com outros autores, no decorrer do curso João pontuou observações de textos de alunos com exemplos como Clarice Lispector, com suas "falsas rupturas e estrutura reflexiva"; William Burroughs, um "texto estilhaçado de vanguarda" e James Joyce, que "inaugurou o fluxo de consciência em Ulisses, estourando a lógica da gramática de mimetizar a lógica do pensamento". Além disso, leu trechos de livros como O hospício é Deus, de Maura Lopes Cançado, "memória intricada que sai da crônica e chega ao nível da ficção".

João Silvério Trevisan já escreveu livros como Devassos no paraíso, um ensaio sobre a história da homossexualidade no Brasil e Pedaço de Mim, uma compilação de textos sobre cultura, política e homossexualidade. Ele também faz parte da coletânea Os cem melhores contos brasileiros do século, com "Dois corpos que caem". Atualmente, prepara o romance O rei do cheiro, sobre um empresário de uma fábrica de perfumes.


Marília Almeida
São Paulo, 29/5/2007


Mais Marília Almeida
Mais Acessadas de Marília Almeida em 2007
01. Dez obras da literatura latino-americana - 10/7/2007
02. A trilogia da vingança de Park Chan-Wook - 22/5/2007
03. Nouvelle Vague: os jovens turcos - 30/1/2007
04. 10º Búzios Jazz e Blues - 14/8/2007
05. Cinema é filosofia - 28/8/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Princípios de Cariologia
Sérgio Pimentel Storino
Eplitie
(1988)



Édipo Rei - Coleção Reencontro Literatura
Sófocles
Scipione
(2002)



Direito Civil Obrigações
Paulo Lobo
Saraiva
(2015)



Cantoria na Floresta
Cristiane Quintas
Prazer de Ler
(2010)



O Caçador de Pipas
Khaled Hosseini
Nova Fronteira SA
(2003)



Pequeno Dicionário Latino-português
Fernando de Azevedo
Nacional
(1955)



Foi Ele Que Escreveu a Ventania
Rosana Rios
Pulo do Gato
(2017)



Como Fazer do Sucesso um Hábito
Mack R. Douglas
Pro Net
(1994)



Sobre Poças - on Puddles
Marina Saleme
Takano
(2001)



A reprodução da desigualdade
Carmen Cinira Macedo
Vertice
(1985)





busca | avançada
86662 visitas/dia
2,4 milhões/mês