Sobre viver em qualquer lugar | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
44557 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 29/8/2007
Sobre viver em qualquer lugar
Lisandro Gaertner

+ de 2600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Nunca fui um grande entusiasta de mudanças. Acredito que alguns poderiam até discordar de mim devido ao grande número de vezes em que troquei de apartamento (cinco) e emprego (oito) desde os meus 21 anos. Aos que discordam, esclareço: não gosto de mudanças, sofro de instabilidade.

Mudança é um movimento consciente em prol de atingir um determinado objetivo. Instabilidade, o mal ou bem de que sofro, é a incapacidade de se manter na mesma situação, lugar ou ocupação por muito tempo. Uma mudança sempre implica num compromisso e na intenção de permanecer no próximo estágio por tempo suficiente para criar algumas raízes. A instabilidade te faz girar e girar em volta do mesmo ponto sem que você consiga, ou queira, se ligar a nada. Mudança é natural. Instabilidade? Um pequeno sinal de neurose.

Apesar dessa minha psicopatologia, nos últimos tempos a idéia de mudar do Brasil tem me perseguido. Talvez seja obra da exacerbação de brasilidade que o país vem experimentando desde o início do governo Lula, ou, simplesmente, da constatação de que minha carreira (se é que posso chamar disso) chegou onde poderia chegar. O fato é que, dentro da minha instabilidade funcional, acho que aqui já deu o que tinha que dar. Aliado a isso, tenho visto amigos indo e/ou fugindo para o exterior a 3 por 4. Alguns atrás oportunidades de emprego. Outros simplesmente correndo na frente de algo que querem evitar. Em suma, também não quero ser o proverbial caboclo que vai apagar a luz. Literalmente.

Sem saber onde começar, deixei a cargo do destino - outro vício da instabilidade - me mostrar sinais de onde devia ir. Nisso chega, através do Digestivo, a oportunidade de resenhar um livro chamado Como é viver nos Estados Unidos? (Gazeta, 2007, 111 págs.). Ciente de que meus prováveis destinos são os países de língua inglesa, já que o meu francês só dá pra ler Asterix e o meu espanhol não me permite nem cantar a "Macarena", egoisticamente assumi a função.

O livro chegou rapidamente, com uma dedicatória escrita em letra miúda me convidando a ser inspirado por "(...)este livro de cultura e emoção(...)". A leitura foi também rápida, mas, confesso, pouco agregou.

Aline Tonini, a autora, relata, num misto de biografia e guia, a experiência de fazer a América, ou seja, ir aos Estados Unidos para trabalhar que nem um cavalo e fazer dinheiro. Passando pelos empregos de praxe para os imigrantes, cadeias de fast-food, mercearias e tal, ela explica como efetivamente sobreviver na terra do tio Bush. Sobreviver? Exatamente. Sobreviver.

Acho que aí reside o primeiro grande problema do livro. Ao invés de se chamar Como é viver nos Estados Unidos, o título deveria ser "Como é sobreviver nos Estados Unidos". Desde os horários horripilantes de trabalho, até as agruras emocionais sofridas devido à distância da família e à frieza dos WASPs, passando por mini-aulas do idioma local, o livro se apresenta como um manual para o imigrante que não deseja aprender mais do que o inglês funcional, ralar que nem um louco e voltar para o Brasil com a conta bancária um pouco mais gorda. Em momento algum, Aline faz menção a qualquer descoberta interessante sobre o novo país. Seu espanto e admiração seriam os mesmos se ela tivesse vindo de um país de quarto mundo para cá sem saber o português. Visitas a shoppings, pequenos passeios turísticos e o convívio com a comunidade brasileira local recheiam suas esparsas e aparentemente tediosas folgas. Nada de novo. Nada que ela não pudesse fazer numa grande cidade brasileira.

Acredito que um livro bastante interessante de mesmo teor poderia ter sido escrito sobre os nossos migrantes chegando a São Paulo na década de 60. No último capítulo, fica claro que o propósito dela ao sair do Brasil não era ir para qualquer lugar que fosse, mas, sim, voltar, em melhores condições financeiras, mas simplesmente voltar. Para a sua família e para a cidade em que diz se sentir tão bem e segura. Voltar para o lugar de onde ela, de certa maneira, nunca saiu.

Pensei no que escreveria numa resenha, e fiquei empacado. O livro é razoavelmente interessante e bem escrito, mas não era para mim. E para fazer um artigo frio em que corria o risco de malhar algo que não merecia ser malhado, me calei.

O tempo passou, uma crítica sobre o livro foi lançada aqui no Digestivo e, apesar de discordar dela em diversos pontos, me senti um pouco mais liberado dessa obrigação. No entanto, ainda me passava pela cabeça, ainda mais depois do famigerado acidente da TAM, sair do país. Então, semana passada, como o desenganado que vai buscar uma segunda opinião para a sua evidente doença terminal, comprei o novo livro do Polzonoff.

Em A face oculta de Nova York (Globo, 2007, 128 págs.) lemos sobre um outro país. Não um país de trabalho duro e acumulação, mas um ambiente curioso e de descobertas. Apesar da racionalidade aparente, Polzonoff, quando discorre sobre pequenos e interessantes detalhes que propositadamente busca em suas andanças, incute nos textos uma emoção sincera e, por que não dizer, quase infantil. As inevitáveis comparações com o Brasil, que no livro da Aline são focadas em questões familiares, no livro do Polzonoff servem para nos mostrar com mais clareza quem somos e para onde estamos indo. Se o primeiro livro trata de como sobreviver na América, o segundo fala despudorada e deliciosamente de como vivenciá-la.

Apesar de ter adorado o livro, ele também não respondeu as minhas questões. E, pensando bem, não deveria ser esse o objetivo de livro algum. Tanto Aline quanto Paulo me serviram apenas como interlocutores, atiçando ainda mais a minha dúvida: vale realmente a pena sair do país?

Aline me contou o lado prático da questão, esclarecendo como é a segurança, a saúde e a alimentação. Polzonoff me falou dos prazeres estéticos e das oportunidades de auto-realização da cidade que nunca dorme. Cada um na sua respectiva extremidade da pirâmide de Maslow.

Quando comecei a fazer essa comparação, não pude deixar de pensar num comentário que ouvi recentemente de outro viajante contumaz: Rafael Lima. Discutindo com ele se a Austrália, seu atual pouso, é um bom lugar de se viver, recebi a seguinte resposta:

- Só se você estiver disposto a mudar e tiver a cabeça aberta para repensar o que é e o que quer ser. Assim qualquer lugar vale a pena.

Olhando dessa maneira, tanto Aline quanto Polzonoff estariam, em seus livros, apenas se projetando em seus ambientes, mostrando quem realmente são, ao invés de expor simples considerações sobre seus destinos de viagem. Cada um, óbvio, na sua própria visão da realidade.

Pensando bem, isso aconteceria com qualquer um. Se fosse eu a visitar e falar da América, aposto que me concentraria nos subúrbios de Nova Jersey, nos nerds que circulam pelas Gen-Cons da vida, nas esquisitices cotidianas e acabaria encontrando pouso numa cidade no interior do Texas onde a cerveja fosse barata e a vida corresse da mesma e desesperante maneira todo santo dia. Que papel eu teria lá? O mesmo daqui: bufão local. Instável, sempre girando, agora, em outro lugar.

Como eu disse, não sou chegado a mudanças, contudo, a instabilidade gerada pela troca de cenário relatada nos dois livros me pareceu divertida. Mesmo que as visões alheias não se encaixem exatamente na minha. Afinal, ao contrário do que dizem, carregar o gueto dentro de você, Deus me perdoe por parafrasear Marcelo D2, é uma das melhores maneiras de mudar o mundo à sua volta. Para isso, não precisa muito. Basta dar uma olhada ao seu redor.

Para ir além











Lisandro Gaertner
Rio de Janeiro, 29/8/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Super-heróis ou vilões? de Cassionei Niches Petry
02. Viagem através da estepe de Celso A. Uequed Pitol
03. Nos brancos corredores de Mercúrio de Elisa Andrade Buzzo
04. A grama do vizinho de Adriane Pasa
05. Discutir, debater, dialogar de Duanne Ribeiro


Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner
01. E Viva a Abolição – a peça - 1/6/2006
02. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
03. A História das Notas de Rodapé - 3/1/2002
04. Orkut: fim de caso - 10/2/2006
05. Blogueiros vs. Jornalistas? ROTFLOL (-:> - 23/4/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/9/2007
11h15min
Oi, Lisandro. Sou o André, autor da outra resenha de "Como viver..". Apesar de minha análise positiva do livro tenha lhe dado uma maior tranquilidade para exprimir sua própria opinião sobre o livro, digo que concordo com seu texto. Assim como você, confesso que esperava algo diferente quando abri o livro da Aline, e senti logo no primeiro parágrafo que o mesmo tampouco "era para mim". Mas percebi que o livro podia não ser para mim, mas era para a autora e uma parcela imensa de nossos conterrâneos. Parcela essa com certeza muito maior daquela em que estamos inseridos. Para eles, os percalços e aventuras que a autora narra em suas páginas não são meramente sobrevivência, pelo contrário: são a exata realização do sonho que imaginavam enquanto juntavam suas economias para seguir rumo ao "sonho americano". Talvez, por culpa do mensageiro (Digestivo) estivéssemos esperando algo diferente. Mas, relativizando um pouco, o livro é perfeito no que se propõe e se coloca muito acima de seus similares!
[Leia outros Comentários de André Pires]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ONDE ESTIVESTE ADÃO?
HEINRICH BOLL
EXPRESSÃO E CULTURA
(1973)
R$ 10,00



GUIA DE CONVERSAÇÃO INGLÊS
HUNTER BOOKS (ORG)
HUNTER
(2014)
R$ 20,00



SEM MEDO DE TER MEDO
TITO PAES DE BARROS NETO
CASA DO PSICOLOGO
(2000)
R$ 90,00



RICK E A GIRAFA
CARLOS DRUMOND DE ANDRADE
ÁTICA
(2012)
R$ 5,00



É TUDO VERDADE - ITS ALL TRUE 2001
AMIR LABAKI (ORG.)
CCBB
(2001)
R$ 8,11



CARNAVAL E SAMBA EM EVOLUÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO
MARIA APPARECIDA URBANO
PLÊIADE
(2006)
R$ 23,00



UM MEDO POR DEMAIS INTELIGENTE, AUTOBIOGRAFIAS PESSOAIS
AMERICO LINDEZA DIOGO E ROSA SIL MONTEIRO
ANGELUS NOVUS
(1994)
R$ 33,07



CAVERNA DOS MONSTROS
STELLA CARR
MELHORAMENTOS
(1993)
R$ 5,00



JOGOS E BRINCADEIRAS
VARIOS
VOZES
(2018)
R$ 26,95



DA GORDURA À FORMOSURA EM QUALQUER IDADE
SARÍ HARRAR ALISA BAUMAN
PLÁTANO
(2000)
R$ 77,00





busca | avançada
44557 visitas/dia
1,2 milhão/mês