Tropa de Elite 2: realidade como osso duro de roer | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
22513 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FÁBRICA DE CALCINHA, PARTE DA MOSTRA CENA SUL, EM TRÊS APRESENTAÇÕES NO SESC BELENZINHO
>>> PROJETO MÚSICA EXTREMA, DO SESC BELENZINHO, TRAZ EM MARÇO A BANDA REFFUGO, DE DEATH METAL
>>> ESPETÁCULO DE DANÇA ENCHENTE, COM DIREÇÃO DE FLAVIA PINHEIRO (PE), EM TRÊS DATAS NO SESC BELENZINHO
>>> EU e MÁRIO DE ANDRADE Livro de Anotações para Viagens Reais e Imagin
>>> Atom Pink Floyd Tribute retorna ao Rio Grande do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> Prefácio
>>> Descendências
>>> Nem mais nem menos
>>> Profissão de fé
>>> Direções da véspera III
>>> Mirante
>>> In Albis
>>> Mulher, ontem hoje e sempre
>>> Amor, entre o céu e o fardo
>>> O Estranho Mundo Atual que Julgamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O cinema brasileiro em 2002
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Festival da Mantiqueira
>>> Eleições
>>> Portal dos Livreiros: 6 meses!
>>> Por que ler poesia?
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> Os superestimados da música no Brasil
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
Mais Recentes
>>> La Sexualité et Sa Répression Dans les Sociétés Primitives de B. Malinowski pela Payot (1932)
>>> Meteorologia para Aviação Vol I de Ronaldo Gomes Brandão Naviglio Tasoniero pela Kolex (1974)
>>> A Atmosfera de R. Argentiere pela Pincar (1957)
>>> Karl Marx e os Marismos de Iring Fetscher pela Paz e Terra (1970)
>>> Consultations Pour les Maladies des Voies Digestives de Gaston Lyon pela Masson et Cie. (1920)
>>> Os Caracteres de La Bruyère pela Athena (1937)
>>> De La Nature de Dieux de Cicéron Charles Appuhn Tradutor pela Garnier Frères
>>> Noveau Dictionnaire Italien - Français et Français - Italien de G. Ferrari pela Garnier Frères
>>> Il Violoncello Il Violoncellista Ed Violoncelisti de L. Forino Manuali Hoepli pela Ulrico Hoepli (1905)
>>> Anatomie et Physiologie Végétales de D. Cauvet pela J. B. Baillière et Fils (1885)
>>> Histoire Naturelle des Religions 2ª Parte de Eugène Veron pela Octave Doin (1885)
>>> Tratado de las Oraciones Latinas de Manuel Pérez Jorge pela Del Amo (1897)
>>> Vocabulaire Latin - Familles et Groupements de Mots de L. Clédat pela Armand Colin (1924)
>>> Grégoire de Nysse Discours Catéchétique de Louis Méridier pela Alphonse Picard et Fils (1908)
>>> Estudio Anatómico del Movimiento del Corazón y de La Sangre En los ... de Guillermo Harvey pela Emecê
>>> Vieira de Antonio Soares Amora pela Assunção
>>> História Geral da Humanidade Através dos Seus Maiores Tipos Vol. 5 de David Carneiro pela Athena
>>> Elogio dos Olhos de Paulo Gustavo Galvão pela Littera Maciel (1989)
>>> O Que Há por Trás dos Bancos Suíços de T. R. Fehrenbach pela Dinal (1966)
>>> The Origin of Man de Mikhail Nesturkh pela Progress (1959)
>>> Tu Alma y La Ajena - uma Psicología Práctica para Todos de Richard Muller Freienfels pela Labor (1959)
>>> O General Leclerc de Renato Baptista Nunes pela Biblioteca do Exército (1961)
>>> A Cibernética e o Humano de Aurel David pela Hemus (1971)
>>> Noite Santa - Antologia de Poemas de Natal de Jamil Almansur Haddad pela Autores Reunidos (1960)
>>> The Musculoskeletal System in Health and Disease de Cornelius Rosse D. Kay Clawson pela Harper & Row (1980)
>>> Pruebas Funcionales Muscalares de Lucille Daniels Catherine Worthingham pela Interamericana (1973)
>>> Aviação Visão de Ciência de H. Highland pela Flamboyant (1967)
>>> Atlas of Craniomaxillofacial Surgery de Ian T. Jackson Ian R. Munro Kenneth E. Saly... pela The C. V. Mosby Company (1982)
>>> Microsurgery of the Anterior Segment of the Eye Vol I Introduction ... de Richard C. Troutman pela The C. V. Mosby Company (1974)
>>> Trastornos Geneticos - Diagnostico Visual de Richard M. Goodman Robert J. Gorlin pela Jims (1973)
>>> Cirurgia Ocular Vol I de W. Belfort Mattos pela N/d (1931)
>>> Atlas de Cirugia Ocular de Jose Maria Roveda pela Lopez (1972)
>>> Particularidades Sintacticas del Latin Medieval de Juan Bastardas Parera pela Escuela de Filología (1953)
>>> O Argumento Histórico e a Pronúncia do Latim de Nelson Roméro pela Agir (1947)
>>> The Philosophy of Religion - in England and America de Alfred Caldecott pela Methuen (1901)
>>> La Pratique des Tests Mentaux de O. Decroly R. Buyse pela Félix Alcan (1928)
>>> Lezioni Di Lingua Italiana de Livia Camerini Piera S. Cherardi pela Francisco Alves (1956)
>>> Erythrocytes et Erythropathies de O. Cazal pela Masson (1957)
>>> Heritable Disorders in Orthopaedic Practice de Ruth Wynne Davies pela Blackwell Scientific (1973)
>>> Manual de Instrumentação Cirúrgica de Fernando Puríta pela Cultura Médica (1980)
>>> Découverte de La Cybernétique de Albert Ducrocq pela Julliard (1955)
>>> Vida do Padre Antônio Vieira de E. Carel pela Assunção
>>> Tópicos de Genética Humana de Newton Freire Maia pela Hucitec-edusp (1976)
>>> Odeio Reuniões de Stephen Baker pela Melhoramentos (1987)
>>> Máscaras Ou o Comunismo Entre Bastidores de Juan Carrascal pela Manuel de Oliveria
>>> As Malhas do Govêrno de R. M. Maciver pela Civilização Brasileira (1960)
>>> Manual de Apologética de A. Boulenger pela A. I. (1950)
>>> O Comunismo no Brasil de John W. F. Dulles pela Nova Fronteira (1985)
>>> Dopoguerra Italiano de Gaetano Gherardi pela S. Paolo (1947)
>>> Adivinhação pelo Tarô - Aprenda a Ler Tarô e Saiba Prever o Futuro de Abril pela Abril
COLUNAS

Terça-feira, 9/11/2010
Tropa de Elite 2: realidade como osso duro de roer
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 5200 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Uma das cenas mais importantes e intrigantes de Tropa de Elite 2 é quando o Capitão Nascimento inicia uma luta de judô com seu filho adolescente dentro do BOPE. Ali estão intricados todos os elementos que compõem a personalidade do policial e sua relação com o mundo. Um sujeito guiado pela paixão, tendo que enfrentar os dissabores que esta paixão traz (afetiva e profissionalmente) e resolver a complexidade disso tudo no território de um tatame, que simboliza o espaço das emoções conflitantes e do corpo colocando em estado de guerra.

É dentro dessa tensão que o filme, dirigido por José Padilha,também se resolve de forma grandiosa. Somos jogados dentro de um furacão, uma espécie de campo de batalha, onde parar para respirar, nem que seja por um segundo, pode significar a morte. E todo o filme se pauta nessa respiração contida, como a dos atiradores por trás de metralhadoras prontas para serem disparadas, e das emoções de Capitão Nascimento, pronto para explodir como uma granada que detona tudo à sua volta.

O campo visual da tela nos coloca em total estado de apreensão e somos lançados dentro da realidade representada como se ali estivéssemos. Não há como fugir dessa sensação de vertigem quase barroca, de pertencer aos fatos que se mostram, dada a proximidade que temos com os personagens. Há cenas de disparos de metralhadoras, por exemplo, que colocam o espectador como se estivesse na situação do atirador, pois a câmera se coloca ao lado da arma que dispara histericamente, fazendo vibrar a sala do cinema e nos dando a possibilidade não só de assistir, mas de nos sentirmos responsáveis inconscientes pela tragédia desumana que presenciamos com os olhos arregalados e com uma constante falta de ar.

Este não é um filme de ação calculado, previsível, dogmático, como o cinema americano tem feito várias vezes. Se o filme se desenrola na velocidade das rajadas de bala e das ações policiais e, ainda, da turbulência fria e assassina de seus personagens, é porque sua forma necessita dessa respiração tensa, em suspensão, para nos colocar dentro do drama que assistimos. Nesse sentido, forma é conteúdo. Não há possibilidade de distanciamento intelectual num filme desse tipo. Nós saímos do cinema como se tivéssemos atravessado a zona de guerra em que se transformaram algumas regiões periféricas das grandes cidades dominadas por "milícias" (que o filme explica as razões).

A grande atuação dos atores, todos extremamente convincentes, a movimentação ativa da câmera e os cortes perfeitos tornam Tropa de Elite 2 uma obra-prima do cinema contemporâneo. Sua tensão não é apelativa, sua violência não é fetichista (por exemplo, o estupro da jornalista não é mostrado, apenas insinuado). O ator Wagner Moura desaparece na figura do Capitão Nascimento, nos presenteando com uma das mais competentes interpretações não só do cinema brasileiro, mas da cena mundial. Quanto a Seu Jorge, sem comentários, pois, como no caso de Elba Ramalho, a música (com justiça) nos rouba um maravilhoso ator.

A grosseria da realidade, a frieza dos assassinatos, a desumanização das relações sociais e as práticas políticas para lá de fascistóides, que sustentam este mundo, são tratadas esteticamente com a mesma matéria da violência com que se fabrica a realidade. Sem o impacto sonoro e visual turbulento, seja das armas pesadas, dos assassinatos frios e mecânicos, dos estupros desumanos, das jogatinas políticas cínicas e imorais, das relações pessoais à beira da destruição, não teríamos condições nem de raspar de perto nessa realidade.

Tropa de Elite 2 nos joga propositalmente dentro dessa realidade. Quase chegamos a sentir o cheiro do bafo podre dos policiais violentos e inescrupulosos, quase sentimos o cheiro da pólvora das armas se misturando ao cheiro da carne queimada dos repórteres investigativos assassinados friamente pelos policiais. E a náusea que sentimos durante e após o filme revela o quão próximos estivemos disso tudo.

Este é um filme de denúncia radical, que exibe o cheiro podre das relações entre política, polícia e miséria social no Brasil. Todos são acusados, do Governador do Estado ao funcionário público da polícia (sejam delegados, aumentando sua renda com práticas desumanas de exploração e morte, seja um simples policial pronto a cumprir ordens de matar também por alguns trocados ou submissão aos superiores).

A trama do filme trata da passagem do Capitão Nascimento de líder do BOPE à secretário da justiça, onde pensa poder mudar o "sistema" por dentro. As barreiras que encontra são as dos interesses políticos que passam por cima de qualquer ética, moral ou possibilidade de humanismo.

No território imundo da política e de seus escusos interesses que gerenciam os abusos de poder e as desgraças sociais apresentadas pelo filme, Capitão Nascimento sonha ingenuamente em transformar a sociedade num lugar justo, menos corruptível. Esse sonhador vê sua vida pessoal (casamento e filho) e social (líder do BOPE e Secretário de Justiça) serem destruídas por sua paixão pelo trabalho de reformador responsável da sociedade.

Nascimento descobre-se, de repente, como apenas uma entre outras peças de uma máquina de guerra sem controle e perde, por isso, sua ilusão de agente criador da sociedade. Seu trabalho, que o dignificava como peça importante da sociedade e como indivíduo, se revela o contrário: ele é apenas um agente preparado para defender uma estrutura de poder corrupta e sangrenta.

Depois dessa descoberta, passa a agir com mais sapiência e dúvida em relação à própria estrutura que defendia, abrindo os olhos para o complicador maior que é o próprio Estado (que se revela, no filme, o grande criminoso da história).

O filme tem um final quase redentor, quando uma ação judicial, implementada por Nascimento e pelo deputado ligado aos Direitos Humanos, coloca na cadeia parte dos policiais assassinos e dos políticos corruptos. Eu disse quase, pois não se pode sobreviver em estado de redenção com tantos farrapos presos à história de nossos corpos e mentes: as chagas de nossa história são quase incuráveis, pode-se dizer.

Nesse momento, o filme mostra novamente como paixões pessoais e sociais se interpenetram, pois é quando Capitão Nascimento vê sua família ameaçada que ele se move contra o corrupto "estado de coisas" de forma radical, usando as próprias armas do Estado de Direito para punir o Estado. Daí ele supera o ódio pessoal (inclusive, aliando-se ao Deputado que inicialmente era seu opositor na esfera sentimental, casando-se com sua ex-mulher, e social, por defender os direitos humanos de "bandidos") e, racionalmente, empreende uma vingança que mesmo que tenha um fundo pessoal, se alicerça em garantias ainda vigentes numa República com garantias Constitucionais.

Capitão Nascimento simboliza, talvez, o espírito e o desejo de justiça incrustado em cada brasileiro que sonha uma sociedade mais decente, livre dessa canalha política que nos governa e gera, por tabela, os monstros que Tropa de Elite 1 e 2 exibiram de forma crua e sombria.

Durma-se com essa, e bom pesadelo a todos, pois esse osso é duro de roer.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 9/11/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Política e Cidadania no Sertão do Brasil (parte 2) de Diogo Salles
02. Dooois ou um? de Adriane Pasa
03. A batalha perdida do pastor de Diego Viana
04. Sultão & Bonifácio, parte I de Guilherme Pontes Coelho
05. Vitrine das vaidades de Elisa Andrade Buzzo


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2010
01. Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques - 23/3/2010
02. 29ª Bienal de São Paulo: a politica da arte - 12/10/2010
03. Rimbaud, biografia do poeta maldito - 10/8/2010
04. A letargia crítica na feira do vale-tudo da arte - 5/1/2010
05. Inhotim: arte contemporânea e natureza - 2/3/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/11/2010
02h23min
O filme inicialmente já demonstra seu caráter documental, abordando, no ligeiro esclarecimento do representante dos Direitos Humanos, a dura realidade brasileira em face às condições do seu sistema prisional. Porém o filme revela em seu desenrolar uma outra ótica acerca da situação lamentável encontrada no Brasil nos dias atuais, obviamente usando para tal a Cidade Maravilhosa, remetendo o problema ao grande sistema que marginaliza o indivíduo, colocando-o na condição de "enfeite" da bela paisagem carioca (será o morro?). Para, assim, um grupo de elite da polícia invadir e, temporariamente, deixar tudo em ordem, com muitos vagabundos estendidos em meio ao sangue derramado. A história evidencia, através do caos da favela e da "vontade" do Estado agir, o resultado puramente vantajoso que é manter a situação como se encontra, para maior benefício da elite.
[Leia outros Comentários de Jean Scheifer Correa]
27/11/2010
07h51min
Realmente, um belo exemplar do cinema nacional. Não é à toa que vai atingir dez milhões de espectadores. Entretanto, saí triste do cinema. Apesar de toda a denúncia estampada no filme, não houve nenhum impacto na vida real. O governador foi reeleito, os deputados suspeitos também, não se viu nenhum expurgo de policiais corruptos, os celulares e as armas continuam entrando nos presídios (agora mesmo, o tal de Marcinho VP comandou os ataques no Rio de dentro de presídio de segurança máxima), o pessoal continua cheirando cocaína por toda cidade. Há muitos interesses em jogo para poder-se mudar alguma coisa.
[Leia outros Comentários de José Frid]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TERRA DA BÍBLIA: PARA ENTENDER MELHOR A BÍBLIA
FREI PAULO AVELINO DE ASSIS
CENTRO BÍBLICO CATÓLICO
R$ 19,28



NOVA ENCICLOPÉDIA ILUSTRADA FOLHA - 2 VOLUMES - NOVA
FOLHA DE S. PAULO
FOLHA DE S. PAULO
(1996)
R$ 39,00



HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE
J.K. ROWLING
ROCCO
(2007)
R$ 18,00



MÉTODO DE ANÁLISE
CARLOS GOES
LIVRARIA FRANCISCO ALVES
(1961)
R$ 10,00



EMOÇÕES NO DIVÃ DE EDUARDO MASCARENHAS
EDUARDO MASCARENHAS
GUANABARA
(1985)
R$ 10,91



TIETA DO AGRESTE
JORGE AMADO
RECORD
(1983)
R$ 18,00



CAMINHANDO COM PORTINARI
ALAN NIELSEN
TERRA VIRGEM SÃO PAULO
(2012)
R$ 45,00



ESTRANHOS
DEAN R. KOONTZ
BEST SELLER
(1988)
R$ 70,00



UMA HISTÓRIA DA VERDADE EM MICHEL FOUCAULT
AFRÂNIO TENÓRIO DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



PILATOS - CARLOS HEITOR CONY (ROMANCE BRASILEIRO)
CARLOS HEITOR CONY
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1974)
R$ 10,00





busca | avançada
22513 visitas/dia
1,1 milhão/mês