Se somos seres voadores em busca de luz | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
87108 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sacumé?
>>> BizarroBlog by Dan Piraro
>>> Melhor que o JB
>>> Como se faz um best-seller
>>> Manual de redação Rabisco
>>> Sobre o preço dos e-books
>>> Speak, Memory
>>> Entrevista com Noga Sklar
>>> Minhas Férias (reloaded)
>>> Poema em Linha Reta - Pessoa
Mais Recentes
>>> Contos de Machado de Assis pela Agir (1963)
>>> Contos de Machado de Assis pela L&PM Pocket (1999)
>>> O Alienista de Machado de Assis pela L&PM Pocket (1998)
>>> Helena de Machado de Assis pela Tecno Print (1967)
>>> Uma mulher na escuridão de Charlie Donlea pela Faro Editorial (2017)
>>> Morte Súbita de J.K. Rowling pela Casa dos Livros (2012)
>>> Ressurreição de Machado de Assis pela Sociedade (1962)
>>> Levando a Vida Numa Boa de Ernie J. Zelinski pela Sextante (2003)
>>> Corpos Inversos de Rodrigo Noval pela LP-Books (2017)
>>> Parábolas Eternas - Reflexões para enriquecer a vida com sabedoria, alegria e emoção de Legrand pela Soler (2004)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Ciranda Cultural / W. Bucb (2007)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Abril Cultural (1981)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Ática (1976)
>>> Fundamentos em Ecologia de Colin R. Townsend, Michael Begon e JohnL. Harper pela Artmed (2006)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Zero Hora / Click (1997)
>>> Folhas do Jardim de Morya Livro 2 de Mestre Morya pela Agna Yoga (1973)
>>> O banquete dos sentidos de Lúcia faria Nascimento e Edir Nascimento e Silva pela Bei (1998)
>>> Revista da Faculdade de Direito da FMP nº 06 de Fundação Escola Superior do Ministério Público (org) pela Fmp (2011)
>>> Repartição da renda - pobres e ricos sob o regime militar de Paulo Singer pela Zahar (1986)
>>> O código Da Vinci de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa (2004)
>>> Tropical Sol da Liberdade de Ana Maria Machado pela Nova Fronteira (1988)
>>> Manuscritos do Mar Morto de Adam Blake pela Novo Conceito (2013)
>>> Estudios del Trabajo - nº 37/38 de Asociación Argentina de Especisalistas en Estudios del Trabajo (org) pela Aset (2009)
>>> Contos de amor rasgados de Marina Colasanti pela Rocco (1986)
>>> Quincas Borga de Machado de Assis pela Tecno Print
>>> Ciranda de pedra de Lygia Fagundes Telles pela José Olympio (1981)
>>> Amplitude 1- Você onde se põe -só para quem quer a verdade de Gasparetto pela Vida E Consciencia (1997)
>>> O que é psicologia de Richard H. Henneman pela José Olympio (1982)
>>> Amar, verbo intransitivo de Mário de Andrade pela Ime (1980)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (2010)
>>> Quincas Borba de Machado de Assis pela Globo (1997)
>>> Estudios del Trabajo - nº 34 de Asociación Argentina de Especisalistas en Estudios del Trabajo (org) pela Aset (2007)
>>> Magno de Maria Luiza de Queiroz pela José Olympio (2007)
>>> Filhotes de Cube Book pela Sextante (2010)
>>> A extinção do crédito tributário por decurso de prazo de José Hable pela Brasília Jurídica (2004)
>>> Procedimentos Básicos em Microbiologia Clínica de Vários pela Sarvier (2000)
>>> Canine - Feline Nutricion de Vários pela Mosby (2010)
>>> Você é Insubstituível - este livro revela a sua biografia de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Da ação cautelar fiscal de Carlos Henrique Abrão pela Universitária de direito (1992)
>>> Adão e Eva Voavam em Atlântida de José Francisco pela Futurama (2013)
>>> O mundo mudou ... bem na minha vez! de Dado Schneider pela Integrare (2013)
>>> Coreção monetária: concordata e créditos fiscais de Eros roberto Grau pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> O Lugar dos Inocentes - A Trilha levava até a entrada dessa clareira de Núbia Moura Ribeiro pela Pensamento (1999)
>>> Memorial de Aires / Ressurreição de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Quincas Borba de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Iaiá Garcia / Helena de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Esaú e Jacó de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> A aventura de Miguel Littin clandestino no Chile de Gabriel García Márquez pela Record (1986)
>>> A chave do tamanho de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1950)
COLUNAS

Quinta-feira, 14/8/2008
Se somos seres voadores em busca de luz
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2800 Acessos
+ 1 Comentário(s)


foto: Sissy Eiko

Ele disse que esse bairro deveria ser de gente endinheirada. Ela, é lógico, já retrucou, moro aqui, mas não sou rica, dando uma risada de cumplicidade, ao que ele respondeu com um sorriso talvez meio incrédulo e silêncio. Tem muita gente da classe média por aqui. Ele parecia agora compreender, em apenas algumas palavras, a complexidade de uma cidade tão grande quanto a sua. Vem aqui ver a vista bonita, ela havia dito antes e ele foi docilmente até o precipício. É meio perigoso porque daqui as pessoas podem se jogar, e eu havia visto em filmes de amor noir que o primeiro beijo ou o primeiro encontro geralmente acontece numa situação assim, a cidade aberta com suas luzes se oferecendo também como os lábios.

Mas realmente não aconteceria nada desta vez, pois no cenário havia figurantes demais, cada quadrado de luz dos prédios, essas sentinelas, olhava desconfiado a noite e ainda por cima centenas de universitários, todos sedentos por uma cerveja às dez da noite, recostados preguiçosamente em busca de emoção, algo leve pra ocupar a cabeça. E por que você bate, coração? Como uma sentinela melancólica eu observo a vida e a morte.

Diria ela, que sempre teve medo de altura, nunca chegava perto daquela varanda, percorrendo todos os andares, imensa, mas naquela noite quis arriscar, entre o Smoking e o No smoking optou pelo Smoking e Alain Resnais ficaria satisfeito com mais desfechos banais para suas histórias. Era como o buraco do metrô puxando, era viver, voltar ou morrer lá mesmo, na plataforma, e optara por voltar e ir andando, longe da avidez por chegar em casa e fazer nada. Chegou perto e não sentiu nenhuma vertigem, aquele chamado envolvente (beija-me) que a assombra desde a visita aos jardins suspensos do Banespinha, atual sede da prefeitura.

Se não te acompanho na cerveja não é por falta de assunto; é por falta de estômago e medo da altura, do risco dos olhos entornados, perdê-los amarelados dentro do copo. Além do mais, de zonzeira absurda já basta a da vida, estarei correndo perigo e já te disse uma vez que só beberia com (os) meus amigos. Mas eles não bebem, além de que já acordo todos os dias com o gosto da ressaca na boca.

Só resolveu descer as rampas na velocidade improvável da queda, esbarrando em todos e ninguém, e ir pra casa, afinal fortes emoções não eram pro seu bico. Não seria exagero dizer que a rua estava toda entrecortada por trevas e flanelinhas cuidando das manobras, não havia postes nem luz, só a curvatura dos olhos se acostumando à escuridão e delimitando as ladeiras em cinza. Ouviu, (toca-me), minhas mãos estão livres, no entanto ocupadas em alcançar de onde vem este ruído, o caminho das coisas distantes, ou seria uma voz por entre as árvores que deixavam no chão a consistência de renda, renda voluptuosa como aquela que o olhava pela vitrine transparente. Se não há transeunte algum nestas ruas anoitecidas e todos estão nos bares mais próximos envergando seus copos de cerveja pegajosa, envoltos num papo gosmento e intelecto na medida do possível (do nível de álcool fervilhando no sangue), até já havia se esquecido como era. Imaginou que na noite há estrelas e o movimento tenebroso do mar, dos rios, das florestas, das cidades, da vegetação, dos pulmões de milhões e milhões de seres, na noite existem as maravilhas do mundo, na noite não existem anjos guardiões, mas existe o sono. Na noite existe você. No dia também.

Finalmente, ela viu um ponto iluminado e quando se aproximou entrou, oi, boa noite, eu queria duas esfihas, disse, sempre com essa mania de pretérito imperfeito, mas poderia ser uma mais nova e menos queimadinha, já vai sair, o moço disse e ela esperou tanto tempo, o suficiente para se entediar vendo a vitrine de quibe cru que mais parecia um plástico não comestível. Havia alguém no restaurante, mas não enxergou nenhum rosto. Pensou em algo para aplacar a sede que viera desde o momento em que ela havia entrado na sala depois de subir a rua, estava tão quente, seu corpo fervilhava, queria arrancar a malha, mas nua não podia ficar, queria arrancar as botas, mas podia parecer estranho, o fato é que aos poucos a sua temperatura foi voltando ao normal, ainda que sentisse uma leve palpitação no peito. E se eu tivesse desmaiado ali mesmo, alguém perceberia?, eu teria coragem de dizer que nada passara pela minha garganta naquele dia?

Se somos seres voadores em busca de luz, ela procurou nas prateleiras pela garrafa mais cristalina e deu de cara com ele estampado no rótulo tentando lhe vender sais minerais e um estilo de vida saudável. Pensou, engraçado é que pelo que consta ele bebe até demais e eu senti um cheiro leve de álcool na sua barba, e mesmo jogando fumaça para o alto com naturalidade. As flores (à venda, claro) na entrada do supermercado se fecham de noite, depois devem murchar logo sem a raiz. Contou quase dois reais e, alheia à nota fiscal paulista e ao cartão mais, a moça do caixa, sonho de profissão das meninas da sua geração, nem sequer perguntou se ela queria, se tinha ou com o que sonhava agora.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 14/8/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A forca de cascavel — Angústia (FUVEST) de Renato Alessandro dos Santos
02. Um socialista na Casa Branca? de Celso A. Uequed Pitol
03. John Lennon, o homem de Marco Antonio Santos Silva
04. A boa literatura brasileira de Rafael Rodrigues
05. Desglobalização de Luiz Rebinski Junior


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/8/2008
20h13min
Puxa, Elisa, li num fôlego só... até salvei o link para ler mais e mais e melhor... bom demais, querida, um beijo ;-))
[Leia outros Comentários de Gisele Lemper]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANCHIETA, O APÓSTOLO DO NOVO MUNDO - COLEÇÃO SARAIVA Nº 223
FREITAS NOBRE
SARAIVA
(1966)
R$ 7,00



BANHEIROS
ALEXANDRA DRUESNE
FOLHA DE S. PAULO
(2010)
R$ 5,00



COMO COMBATER OLHO GRANDE
JOSÉ RODRIGUES DA COSTA
PALLAS
(2001)
R$ 25,00



PAVILHÃO DE MULHERES
PEARL S. BUCK
BEST BOLSO
(2009)
R$ 10,30



GRÁVIDA E BELA
DRA. CARLA GÓES SALLET
SENAC
(2004)
R$ 15,00



ABLE TEAM--4--O SENHOR DA GUERRA.
DICK STIVERS.
GOL EAGLE
(1986)
R$ 12,00



ZAPP! O PODER DA ENERGIZAÇÃO
WILLIAN C. BYHAN - PH. D.
CAMPUS
(2004)
R$ 15,00



TODO ENEM
VÁRIOS AUTORES
FTD
(2015)
R$ 38,00



O QUE E HOMEOPATIA
FLAVIO DANTAS
BRASILIENSE
(1989)
R$ 10,00



DANÇANDO NA LUZ
SHIRLEY MACLAINE
RECORD
(1987)
R$ 7,00





busca | avançada
87108 visitas/dia
2,2 milhões/mês