Como era gostoso assistir à Sex and the City | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Coletivo Mani Carimbó é convidado do projeto Terreiros Nômades em escola da zona sul
>>> CCSP recebe Filó Machado e o concerto de pré-lançamento do álbum A Música Negra
>>> Premiado espetáculo ‘Flores Astrais’ pela primeira vez em Petrópolis no Teatro Imperial para homenag
>>> VerDe Perto, o Musical Ecológico tem sessões grátis em Santo Antônio do Pinhal e em São Paulo
>>> Projeto Sinos volta a Teresópolis para oferecer aulas gratuitas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 2006, o ano que não aconteceu
>>> Com ventilador, mas sem educação
>>> Nem capitalismo, nem socialismo, nem morte
>>> O blog do Luiz Schwarcz
>>> Do Surrealismo
>>> Fórum das Letras 2007
>>> Um conto-resenha anacrônico
>>> Andaime, de Sérgio Roveri
>>> Um lugar para o tempo
>>> A nova queda da Bastilha
Mais Recentes
>>> O processo da educação volume 126 de Jerome bruner pela Companhia Nacional (1987)
>>> Livro Infanto Juvenis E O Palhaço O Que É? Série Arca de Noé de Guto Lins pela Ftd (2007)
>>> Livro Psicologia Liberte Sua Personalidade de Maxwell Maltz pela Best Seller (1971)
>>> As Aventuras De Sherlock Holmes - Contos - Volume 1 de Arthur Conan Doyle ; Leslie S. Klinger pela Zahar (2010)
>>> Quatro gigantes da alma de Mira y Lopez pela Lte
>>> Livro História do Brasil O Regime de Vargas Os Anos Críticos 1934-1938 de Robert Levine pela Nova Fronteira (1980)
>>> Como Confiar Em Si e Viver Melhor de Norman Vincent Peale pela Cultrix (1974)
>>> Livro Infanto Juvenis Lendas Negras de Júlio Emílio Braz, Salmo Dansa pela Ftd (2006)
>>> Livro A Economia Brasileira Em Marcha Forçada de Antonio Barros de Castro e Francisco Eduardo Pires de Souza pela Paz e Terra (1995)
>>> Homens São De Marte, Mulheres São De Vênus: Um Guia Prático Para Melhorar A Comunicação E Conseguir O Que Você Quer Nos Seus Relacionamentos de John Gray pela Rocco (1997)
>>> Livro Linguística Crise na Linguagem a Redação no Vestibular de Maria Thereza Fraga Rocco pela Mestre Jou (1981)
>>> The Battle of Britain - The Jubilee History de Richard Hough, Denis Richards pela Coronet Books (1990)
>>> Morte Invisível de Agnete Friis ; Lene Kaaberbøl pela Arqueiro (2015)
>>> The Traveller guide de Teresa Perez pela Suiça
>>> Gibis O Velho Logan Uma Nova Chance, Um Novo Recomeço... Volume 5 de Marvel pela Panini Comics (2016)
>>> Guia Turismo 10 São Francisco de Dk pela Publifolha (2007)
>>> Psicologia da Conduta de José Bleger pela Artes Médicas (1984)
>>> The Kamikazes - The Incredible Story of Japan's Most Desesperate Wartime Gamble de Edwin P. Hoyt pela Panther Books (1985)
>>> Livro Literatura Estrangeira O Que Toda Criança Gostaria Que Seus Pais Soubessem de Dr. Lee Salk pela Record (1972)
>>> Guia Turismo 10 Roma de Publifolha pela Publifolha (2007)
>>> Pokémon Firered & Leafgreen Vol. 1 de Hidenori Kusaka - Satoshi Yamamoto Ilustração pela Panini Comics (2006)
>>> Hitler's Secret War in South America, 1939-1945 de Stanley E. Hilton pela Ballantine Books (1981)
>>> Os Impostores de Chris Pavone pela Arqueiro (2013)
>>> Livro Infanto Juvenis O Guarda-chuva Do Vovô de Carolina Moreyra pela Dcl (2008)
>>> Eldorado de Michael Pye pela Circulo do Livro (1983)
COLUNAS

Quinta-feira, 26/6/2008
Como era gostoso assistir à Sex and the City
Elisa Andrade Buzzo
+ de 8700 Acessos

Não se assuste se reconhecer que a única sala do Jean Vigo nem parece cinema. Antigo teatro, hoje ela funciona quase como um cineclube particular, pois não foi uma nem duas vezes que nos esparramamos nas poltronas de veludo vermelho e, esperando as cortinas se abrirem ― literalmente ―, nos demos conta de que éramos a única platéia.

Numa das sessões infantis, mal sabia a menininha ao pedir "dois para Dark Crystal" que neste cinema você não escolhe o filme, o filme é que te escolhe. Depois, não há 15 minutos de trailer ― coisa rara. E o que isso tem a ver com Sex and the City? Talvez pouco.

Pois este longa-metragem não estava em cartaz por lá. Quem sabe daqui a 40 ou 50 anos... Mas neste mês, numa série de perfis de mulheres, me deparo com um daqueles que quebram a monotonia do balcão superior: Bonequinha de Luxo. Dou de cara com Holly (Audrey Hepburn) tomando um simples café-da-manhã enquanto observa as vitrines da Tiffany's em Nova York, tamanha sua obsessão por diamantes. Na hora penso em Carrie Bradshaw e sua loucura por sapatos Manolo Blank, a euforia histérica por uma Louis Vuitton. Enquanto Audrey Hepburn traz uma pequena legião ao cinema e ainda calça pezinhos com sapatilhas por aí, o quarteto fantástico de Sex and the City está no auge.

Antes, e mesmo poucas semanas depois da estréia do filme, impossível não ser tomado pela enxurrada de cartazes nas ruas, nos pontos de ônibus, no metrô e não se perguntar "qual dos vestidos é o mais bonito?" diante das diferentes versões de publicidade. Toda sorte de promoções circundava os grandes cinemas e lojas de maquiagem, mas não tive paciência em preencher formulários de adesão. As páginas de celebridades pipocavam notícias da pré-estréia londrina e nova-iorquina de Sex and the City. Mistério ainda rondava o enredo do filme e mais noticiável do que ele próprio talvez fosse o figurino das atrizes, verdadeiros ícones fashion, no tapete vermelho. Por que Sarah Jessica Parker tem que se afirmar com seu chapéu-pavão? O que dizer, então, de sua atitude equilibrada frente à descoberta de seu nada inédito Nina Ricci?

Sem contar as revelações de cunho pessoal, do tipo: Sarah Jessica e Kim Cattrall não se bicam fora das telas, Kristin Davis era alcoólatra, ninguém diria, ou a reviravolta na vida amorosa de Cynthia Nixon. Tudo só aumentava mais a curiosidade em torno do fenômeno que me afogava, ainda que em simples passeio pela cidade. O ringtone com a música tema soava ardido num dos ramos do tramway. Numa banca sou cercada e confundida por uma Sarah Jessica Parker de mil caras radiantes. Resisto ao cerco e volto para casa sem revista alguma, mas decidida a conferir o resultado da série na telona.

Gostoso mesmo era assistir a série na boca da madrugada com os pés pra cima da mesinha de centro. Minha sonolência na nuca não questionava como uma colunista podia ter um guarda-roupa tão recheado, nem como uma fumante poderia ter um sorriso tão perfeito. Era divertido acompanhar os episódios; sem querer se imaginar em Nova Iorque e acordar em São Paulo. Algumas rugas depois, a cidade seria outra e o seriado se transformaria em filme.

O filme? Também foi divertido acompanhar a quantidade de mulher por metro quadrado numa sala de cinema cheirando à pipoca e Häagen-Dazs. Os únicos homens presentes, acompanhados. Gostei das idas e vindas do casamento da Carrie. Em algumas cenas ficava meio difícil prestar atenção nos diálogos diante do figurino trabalhadíssimo. Mas no final das contas parecia que nada daquilo importava, havia um clima de comunhão e celebração sutil entre as fãs. Felizes para sempre, bem resolvidas, ou quase, este conto de fadas nova-iorquino ainda lembra o antigo Sex and the City?

"No entanto, tudo aquilo que acontecia em narrativa ágil, textos curtos e 21 minutos no programa exibido pela HBO, agora se estende preguiçosamente na telona, durante mais de duas horas. E no cinema, os erros do seriado crescem como se a pinta no queixo que Bradshaw tenta esconder estivesse exposta em um microscópio." Piadinhas à parte, o trecho desta matéria talvez explique minha preferência à série. Seria uma questão de tempo?

Volto à minha esquecida Holly e seus problemas de amor e identidade, pois foi ela quem reavivou Sex and the City, o filme, em mim. Depois de tentar engatar, sem sucesso, dois casamentos com milionários, a devoradora de diamantes em crise existencial foge da amizade colorida com um prosador fracassado, Fred (George Peppard). Em meio a rats e super rats, mal sabe a bonequinha que sua felicidade não sairá pelas vitrines da joalheria...

Nem Vivianne Westwood ou milionário brasileiro, mas um tailleur qualquer, uma bijouteria encontrada num doce, mesmo que gravada pela generosa Tiffany's. O final da história, seja entre a escritora Carrie e Mr. Big ou entre o escritor Fred e Holly, é parecido. Afinal, para que servem as grifes se as protagonistas acabam por desprestigiá-las, senão para colocar-nos, meros mortais, no lugar do sonho?


Elisa Andrade Buzzo
Bordeaux, 26/6/2008

Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. No chão em que você pisa com seu salto agulha - 28/2/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Poetas Romanticos Brasileiros - Gonçalves Dias - 2 Volumes
Gonçalves Dias
Waldré



As Melhores Histórias Americanas
O. Henry; Saroyan; Faulkner; Hemingway
Saga
(1969)



Coleção 5 Livros História de Parana Questão de Honra + Conquista Pacífica de Guarapuava + Glotildes ou Marias Verberação dos Demônios
F. R. Azevedo Macedo; Domingos Pellegrini; Etelvina M. de Castro Trindade
Fundação Cultural; Quem de Direito
(2000)



Marília de Dirceu (Poesia Brasielira)
Tomás Antonio Gonzaga
L&PM
(1998)



Beauty Beleza - A Sua Coleção Definitiva de Beleza
Vários autores
Cedic
(2011)



Livro Literatura Estrangeira Convergente Uma Escolha Vai te Definir Série Divergente III
Veronica Roth
Rocco Jovens Leitores
(2014)



Hierarquias, Raça e Mobilidade Social
Org. Célia Cristina da Silva Tavares, Rogério de Oliveira Ribas
Contra Capa
(2010)



Livro em Box A Mulher Ruiva
Orhan Pamuk
Companhia das Letras / Tag
(2020)



A Dieta do Abdômen
David Zinczenko
Sextante
(2005)



A Chave do Teatro a Porta da Frente 367
Blandina Franco
Sem





busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês